Você está na página 1de 2

Definições de Aprendizagem Organizacional (AO)

- Mudança na cognição ou mudança no comportamento (rotinas e comportamentos).

- Mudança no conhecimento organizacional, que ocorre em função de experiência

- O conhecimento que a organização desenvolve pode ser explícito ou tácito e difícil de articular.

Processos da AO:

- criação de conhecimento: quando a organização aprende a partir da experiência;

- retenção de conhecimento: quando o conhecimento permanece ao longo do tempo;

- transferência de conhecimento: quando uma unidade é afetada pela experiência de outra ou aprende pela experiência de outras unidades.

Passado (Antes de Levitt e March - 1988)

- como estratégias de defesa impedem a aprendizagem (Argyris e Schön)

- aprendizado são mudanças nas rotinas das organizações, que afetam comportamento futuro (Cyert e March).

- curva de aprendizado (Dutton e Thomas)

Presente

- Experiência: mais detalhamento na caracterização da experiência. Geograficamente dispersa ou próxima? Direta ou indireta? Detalhes permitem especificar quando a experiência tem efeitos positivos ou negativos, e desenhá-la para promover a aprendizagem.

- Contexto: ele é importante na pesquisa de aprendizagem. Se a empresa possi uma

orientação para aprendizagem ou performance, isto impacta na AO. Assim como a percepção de segurança psicológica dos membros, as relações de poder

- Processos de AO: há mais trabalhos sobre retenção e transferência de conhecimento do que

sobre a criação. Sobre transferência, até agora foram mais estudados os fatores cognitivos. Pesquisas recentes também estão abordando os fatores motivacionais e emocionais.

Futuro

- Criação de conhecimento: beneficiando-se das pesquisas de criatividade.

- Capacidades Organizacionais: é necessária uma maior compreensão de como as capacidades dinâmicas se desenvolvem por meio da AO.

- Métodos múltiplos: uso de métodos quantitativos, exames de imagem podem trazer avanços para o campo. Por exemplo, no estudo de emoção e AO.

- Novas formas de organização: aprendizagem pode ser desafiadora em organizações cujos membros estão geograficamente dispersos pelo globo. Usam mais a comunicação por meios eletrônicos, em vez de face a face. A falta de laços sociais pode tornar a comunicação e a interpretaão da experiência mais difícil. Por outro lado, as unidades também podem ficar mais expostas a conhecimento novo. Há indicios de que times que aprendem a partir de fontes externas são mais produtivos que aqueles com foco interno.

- "Desenvolvimentos" na tecnologia: é preciso pesquisar como os avanços da tecnologia afetam a AO, uma vez que há evidências contraditórias quanto à sua influência (positiva ou negativa). Novos sistemas vão além do repositório de conhecimento: permitem a comunicação e a capacidade de identificar os experts por meio das respostas que são efetivamente dadas (em vez de simplesmente apontar alguém como expert).