Você está na página 1de 76

DIREITO ADMINISTRATIVO

Escola Superior da Magistratura do Estado de Goiás - ESMEG

1 Bruno Belem 08-03-2017


Parte I

ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA

2 Bruno Belem 08-03-2017


Noções introdutórias
Elementos do Estado
Estado como pessoa jurídica territorial soberana: povo, território
e governo soberano.

Formas de Estado
Estado unitário: território com apenas um centro de poder
político.
Estado federal: território com poderes políticos distintos.

Poderes do Estado e seus órgãos administrativos


Poder Executivo (ministérios, secretarias, entidades
administrativas etc.).
Poder Legislativo (mesas, secretarias, procuradorias etc.).
Poder Judiciário (secretarias, assessorias etc.).
3 Bruno Belem 08-03-2017
Noções introdutórias
Governo: função política, comando, coordenação, direção, fixação
de diretrizes de atuação do Estado, de definição de políticas
públicas.

Sistema de governo
Relação entre o poderes legislativo e executivo (forma de
repartição do poder político dentro do Estado).
-Presidencialismo/semi-presidencialismo
-Parlamentarismo

Forma de governo
Relação entre governantes e governados.
-República: eletividade, temporariedade, responsabilidade.
-Monarquia: hereditariedade, vitaliciedade, irresponsabilidade.
4 Bruno Belem 08-03-2017
A Administração Pública
 Administração Pública em sentido amplo: órgãos e agentes
que exercem função de governo e órgãos e agentes que
exercem função executiva propriamente dita.
 Exemplos de órgãos que exercem função de governo:
Conselhos de Políticas Salariais de Servidores Públicos,
Conselhos Gestores de PPPs ou Conselhos de Desestatização.

 Administração Pública em sentido estrito: órgãos e agentes


que exercem função meramente executiva ou administrativa.
 Exemplo: Secretaria Executiva de Ministérios ou
Superintendências Executivas de Secretarias de Estado ou de
Municípios.

5 Bruno Belem 08-03-2017


A Administração Pública
Administração Pública em sentido material, objetivo ou
funcional (o quê)
 Atividades próprias da função administrativa e sujeitas
predominantemente ao regime jurídico de direito público.
- Serviço público;
- Polícia administrativa;
- Fomento;
- Intervenção na economia (regulação).
*Atividade econômica em sentido estrito não é considerada
atividade administrativa em sentido material, pois são regidas
predominantemente pelo regime jurídico de direito privado
(art. 173 da CF).
6 Bruno Belem 08-03-2017
Atividades Serviços de Relevância Atividade Econômica em Sentido Amplo
Exclusiva Pública (Ordem Social) (Ordem Econômica e Financeira)
do Estado
Executadas Executadas Executadas Serviços Atividade econômica em
apenas pelo Estado por Públicos sentido estrito
pelo Estado particulares Econômicos

Polícia Art. 196 Art. 197 e 199 Executadas Extraordinar Ordinariament


Jurisdição (Saúde (Saúde pelo Estado, iamente e exercida por
Regulação Pública) privada) direta ou exercida particulares
Legislação indiretamente pelo Estado (art. 170)
(soberania) Arts. 201 e Art. 202 (art. 175) (art. 173),
40 (Previdência em regime
(Previdência Social de
social privada) competição
pública) ou de
Art. 209 monopólio
Art. 208 (Educação (art. 177)
(Educação privada)
Pública)
Sem Sem Com ou sem Atividades Atividades
finalidade finalidade finalidade comerciais comerciais ou
lucrativa lucrativa lucrativa ou 08-03-2017 industriais
Bruno Belem
industriais
Atividades Serviços de Relevância Atividade Econômica em Sentido Amplo
Exclusiva Pública (Ordem Social) (Ordem Econômica e Financeira)
do Estado
Executadas Executadas Executadas Serviços Atividade econômica em
apenas pelo Estado por Públicos sentido estrito
pelo Estado particulares Econômicos

Polícia Art. 196 Art. 197 e 199 Executadas Extraordinar Ordinariament


Jurisdição (Saúde (Saúde pelo Estado, iamente e exercida por
Regulação Pública) privada) direta ou exercida particulares
Legislação indiretamente pelo Estado (art. 170)
(soberania) Arts. 201 e Art. 202 (art. 175) (art. 173),
40 (Previdência em regime
(Previdência Social de
social privada) competição
pública) ou de
Art. 209 monopólio
Art. 208 (Educação (art. 177)
(Educação privada)
Pública)
Sem Sem Com ou sem Atividades Atividades
finalidade finalidade finalidade comerciais comerciais ou
lucrativa lucrativa lucrativa ou 08-03-2017 industriais
Bruno Belem
industriais
A Administração Pública
Administração Pública em sentido formal, subjetivo ou
orgânico (quem)

 Órgãos integrantes da Administração Pública direta;


 Pessoas jurídicas integrantes da Administração Pública
indireta.

*Concessionárias de serviços públicos, associações civis


qualificadas como OS ou OSCIPs: não integram a
Administração Pública.

9 Bruno Belem 08-03-2017


A Administração Pública em sentido subjetivo
 Divisão vertical da Administração Pública:
- Objeto de estudo do Direito Constitucional.
- O art. 18 da CF preceitua que a organização político-
administrativa da República Federativa do Brasil compreende a
União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, todos
autônomos, nos termos da Constituição.
- Administração pública federal, estadual ou distrital e municipal.

 Divisão horizontal da Administração Pública:


- Objeto de estudo do Direito Administrativo.
- Administração direta (centralizada) ou indireta
(descentralizada).
10 Bruno Belem 08-03-2017
A Administração Pública em sentido subjetivo
 Centralização, Descentralização e Desconcentração:
- Modos de divisão das funções administrativas e de ligação com o ente
político central:

 Centralização
- Forma de organização administrativa por meio da qual o Estado exerce
suas funções administrativas por intermédio dos órgãos e agentes
integrantes da Administração Pública direta.

 Administração direta
- Conjunto de órgãos que integram as pessoas políticas e são dotados
de competência para, de forma centralizada, exercerem atividades
administrativas.

11 Bruno Belem 08-03-2017


A Administração Pública em sentido subjetivo
 Desconcentração:

- Forma de organização administrativa por meio da qual o Estado


exerce suas funções administrativas por intermédio de órgãos
específicos, que integram a mesma pessoa jurídica.
- Distribuição interna de competências.
- Forma de controle: hierárquico, controle de meios.
- Critérios:
• Material: Saúde, Educação etc.
• Hierárquico: Secretaria, Superintendência, gerência, etc.
• Territorial: Superintendência Regional em GO, em SP etc.

12 Bruno Belem 08-03-2017


A Administração Pública em sentido subjetivo
 Desconcentração / Administração Pública direta

União, Estados, DF e Municípios


(Administração Pública direta/órgãos públicos)

Secretaria de Secretaria da
Saúde: Secretaria da
Gestão e
Fazenda:
Planejamento: Superintendências;
Superintendências;
Superintendências; Gerências;
Gerências,
Gerências; Departamentos.
Departamentos.
Departamentos.

13 Bruno Belem 08-03-2017


A Administração Pública em sentido subjetivo
 Descentralização

- Forma de organização administrativa por meio da qual o Estado


exerce suas funções administrativas por intermédio de pessoas
jurídicas específicas, que podem ou não ser integrantes da
Administração Pública indireta.

- Forma de controle: tutela administrativa ou supervisão, controle


de resultados.

14 Bruno Belem 08-03-2017


A Administração Pública em sentido subjetivo
 Tipos de descentralização:
- Descentralização por delegação negocial (por colaboração): por ato ou
contrato, por prazo determinado e mediante a transferência da execução
de serviços (autorização, permissão ou concessão de serviços públicos –
comum ou especial –, contratos de gestão, termo de parceria, franquias
etc.).
- Descentralização por delegação legal (funcional): por lei, por prazo
indeterminado e mediante a transferência da titularidade e da execução
de serviços públicos (criação de pessoas jurídicas específicas, e.g.,
autarquias e empresas estatais).
- Descentralização territorial: transferência de atividades administrativas a
uma entidade local, geograficamente delimitada, dotada de
personalidade jurídica própria, de direito público, com capacidade
administrativa genérica (Territórios, Departamentos, Regiões, Comunas,
Províncias etc.).
15 Bruno Belem 08-03-2017
A Administração Pública em sentido subjetivo
 Tipos de descentralização:
- Descentralização por delegação negocial (por colaboração): por ato ou
contrato, por prazo determinado e mediante a transferência da execução
de serviços (autorização, permissão ou concessão de serviços públicos –
comum ou especial –, contratos de gestão, termo de parceria, franquias
etc.).
- Descentralização por delegação legal (funcional): por lei, por prazo
indeterminado e mediante a transferência da titularidade e da execução
de serviços públicos (criação de pessoas jurídicas específicas, e.g.,
autarquias e empresas estatais).
- Descentralização territorial: transferência de atividades administrativas a
uma entidade local, geograficamente delimitada, dotada de
personalidade jurídica própria, de direito público, com capacidade
administrativa genérica (Territórios, Departamentos, Regiões, Comunas,
Províncias etc.).
16 Bruno Belem 08-03-2017
A Administração Pública em sentido subjetivo
 Terceirização (?):

 Nem todas as formas de parcerias implicam a descentralização


de serviço público. A chamada “terceirização” é regulada pela
Lei nº 8.666/93 e não representa descentralização de serviços
públicos.
 A terceirização tem por objeto a prestação de serviços e obras,
(atividades-meio) e não a gestão de serviços públicos.
 É essencial ao conceito de descentralização a ideia de
transferência da gestão de serviço público ou de outra atividade
própria do Estado.

17 Bruno Belem 08-03-2017


A Administração Pública indireta
 Descentralização funcional ou por serviços

Autarquias

Fundações
União, Estados,
DF e Municípios
Empresas
Públicas

Sociedades de
Economia Mista
18 Bruno Belem 08-03-2017
A Administração Pública em sentido subjetivo
 Entidades políticas
- Pessoas jurídicas de direito público interno, dotadas de autonomia
política (autoorganização e autolegislação) recebida diretamente da
Constituição.

 Entidades administrativas
- Pessoas jurídicas (de direito público ou privado) que integram a
Administração Pública e possuem competência administrativa
(capacidade de autoadministração).

 Entidades paraestatais
- Pessoas jurídicas de direito privado que não integram a Administração
Pública e colaboram com o Estado no desempenho de atividades não
lucrativas e que são de interesse público ou de utilidade pública (OS,
OSCIPs, Sistema “S”).
19 Bruno Belem 08-03-2017
AUTARQUIAS
 Descentralização funcional ou por serviços

Autarquias

União, Estados,
DF e Municípios

20 Bruno Belem 08-03-2017


Autarquias
 Conceito legal (art. 5º, I, do Decreto-Lei nº 200/1967).
“Serviço autônomo, criado por lei, com personalidade jurídica,
patrimônio e receita próprios, para executar atividades típicas da
Administração Pública, que requeiram, para seu melhor
funcionamento, gestão administrativa e financeira
descentralizada.”

 Conceito doutrinário (Maria Sylvia Zanella Di Pietro).


“Pessoa jurídica de direito público, criada por lei, com capacidade
de autoadministração, para desempenho de serviço público
descentralizado, mediante controle administrativo exercido nos
limites da lei.”

21 Bruno Belem 08-03-2017


Autarquias - Características
 Criação e extinção
- Por lei específica e instalação mediante decreto.
- Iniciativa: chefe do Poder Executivo

 Natureza jurídica
- Pessoa jurídica de direito público (sujeito de direitos e obrigações).

 Tipo de atividade descentralizada:


- Funções tipicamente administrativas e especializadas (Decreto-Lei
nº 200/67).
- Exemplos: serviço público (INSS), polícia administrativa e regulação
(IBAMA, CVM, Bacen).
22 Bruno Belem 08-03-2017
Autarquias - Atividades
Atividades Serviços de Relevância Pública Atividade Econômica em Sentido Amplo
Exclusiva do (Ordem Social) (Ordem Econômica e Financeira)
Estado
Executadas Executadas Executadas por Serviços Públicos Atividade econômica em sentido
apenas pelo pelo Estado particulares Econômicos estrito
Estado
Polícia Art. 196 (Saúde Art. 197 e 199 Executadas pelo Extraordinaria Ordinariamente
Regulação Pública) (Saúde privada) Estado, direta mente exercida por
ou exercida pelo particulares (art.
Arts. 201 e 40 Art. 202 indiretamente Estado (art. 170)
(Previdência (Previdência (art. 175) 173), em
social pública) Social privada) regime de
competição
Art. 208 Art. 209 ou de
(Educação (Educação monopólio
Pública) privada) (art. 177)

Sem Sem finalidade Com ou sem Atividades Atividades


finalidade lucrativa finalidade comerciais ou comerciais ou
lucrativa lucrativa industriais industriais
23 Bruno Belem 08-03-2017
Autarquias – Regime jurídico de direito público
 Pessoal
- Concurso público (art. 37, II, da CF).
- Regime jurídico único, estatutário ou celetista:
• Art. 39, caput, com redação originária: regime jurídico único
(estatutário ou celetista).
• EC nº 19/98: multiciplicidade de regimes (estatutário ou
celetista);
• ADI 2.135/DF: regime jurídico único (estatutário ou celetista)
a partir de 2/8/2007, e múltiplo entre a promulgação da
CF/88 e 2/8/2007.

24 Bruno Belem 08-03-2017


Autarquias – Regime jurídico de direito público
 Pessoal
- Vedação à acumulação remunerada de cargos, empregos e funções
públicas (art. 37, XVII, da CF).
- Nomeação de seus dirigentes definida na lei instituidora.
- Competência para nomear: chefe do Poder Executivo.
• Autorização legislativa para nomear: constitucional (art. 84, XIV
e art. 52, III, “f”, da CF/88).
• Princípio da simetria, aplicação a estados, ao DF e aos
municípios (ADI-MC 2.225/SC).
- Competência para exonerar: chefe do Poder Executivo.
• É inconstitucional regra que sujeita à autorização legislativa a
exoneração dos ocupantes de cargos no Poder Executivo (ADI-M
1.949/RS).
25 Bruno Belem 08-03-2017
Autarquias – Regime jurídico de direito público
 Patrimônio
- Constituído mediante a transferência de bens do ente instituidor.
- Imprescritibilidade e impenhorabilidade dos seus bens.
- Cumprimento de obrigações financeiras reconhecidas em sentença
transitada em julgado por meio do sistema de precatórios (art. 100 da
CF).

 Atos, contratos e controle


- Pratica atos administrativos (requisitos de validade e atributos dos
atos administrativos em geral).
- Celebra contratos administrativos mediante procedimento licitatório.
- Relação de vinculação com ente instituidor e não de subordinação
hierárquica (controle finalístico).
26 Bruno Belem 08-03-2017
Autarquias – Regime jurídico de direito público
 Prerrogativas processuais próprias da Fazenda Pública

- Prazo em dobro para todas as manifestações processuais (art.


183 do NCPC);
- Isenção de custas judiciais, o que não inclui a isenção do
pagamento das despesas judiciais feitas pela parte vencedora no
processo (art. 4º, parágrafo único da Lei nº 9.289/96);
- Dispensa de exibição de instrumento de mandato em juízo,
pelos seus procuradores jurídicos para a prática de atos
processuais (art. 9º da Lei nº 9.469/97);
- Dispensa de depósito prévio para a interposição de recursos (art.
1º-A da Lei nº 9.494/97);

27 Bruno Belem 08-03-2017


Autarquias – Regime jurídico de direito público
 Prerrogativas processuais

- Não sujeição a concurso de credores ou habilitação em falência


ou recuperação judicial, inventário ou arrolamento, para cobrar
seus créditos, ressalvado o concurso de preferência com outras
pessoas jurídicas de direito público (art. 29 da Lei nº 6.830/80);
- Duplo grau de jurisdição obrigatório (sentenças desfavoráveis,
art. 496, I do NCPC), salvo as exceções legais (§§ 3º e 4º do art.
496 do NCPC).

28 Bruno Belem 08-03-2017


Autarquias – Regime jurídico de direito público
 Prescrição quinquenal
- Pretensão contra as autaquias prescreve em 5 anos (art. 1º do Decreto
20.910/32).
- Súmula 383 do STF (prescrição intercorrente).

 Imunidade tributária
- Gozam da imunidade tributária sobre o patrimônio, renda e serviços,
desde que vinculados à sua finalidade essencial (art. 150, VI, “a”, e §
2º, da CF) ou que a renda deles provenientes seja integralmente
destinada à manutenção ou ampliação das mesmas finalidades (STF).

 Responsabilidade civil
- Regime do art. 37, § 6º, da CF.
29 Bruno Belem 08-03-2017
Autarquias
 Subespécies:
- Autarquia comum: regime geral (federal, estadual ou municipal).
- Autarquia sob regime especial: alguma particularidade (forma de
nomeação dos seus dirigentes, mandato, maior autonomia etc.),
independentemte do tipo de atividade que exerce, e.g., USP, Bacen, Aneel,
Anatel, Anac, ANTT etc.
- Autarquia fundacional:“patrimônio personificado”.
- Autarquia interfederativa ou associação pública: pessoa jurídica de direito
público interno criada para a gestão associada de serviços públicos (Lei nº
11.107/05).
*Agência reguladora: autaquias sob regime especial que exercem atividade
de regulação de determinado setor econômico (Anatel, Aneel, ANTT, AGR
etc.).
*Agência executiva: qualificação conferida a autaquias e fundações que
celebrarem contrato de gestão com o Poder Público central (art. 37, § 8º).
30 Bruno Belem 08-03-2017
FUNDAÇÕES
 Descentralização funcional ou por serviços

Fundações
União, Estados,
DF e Municípios

31 Bruno Belem 08-03-2017


Fundações Públicas
 Conceito legal (art. 5º, IV, do Decreto-Lei nº 200/67)
“Fundação Pública: a entidade dotada de personalidade jurídica de
direito privado, sem fins lucrativos, criada em virtude de autorização
legislativa, para o desenvolvimento de atividades que não exijam
execução por órgãos ou entidades de direito público, com autonomia
administrativa, patrimônio próprio gerido pelos respectivos órgãos de
direção, e funcionamento custeado por recursos da União e de outras
fontes.”
 Conceito doutrinário
“Entidade da Administração indireta instituída pelo poder público
mediante a personificação de um patrimônio que, dependendo da
forma de criação, adquire personalidade jurídica de direito público ou
de direito privado, à qual a lei atribui competências administrativas
específicas, observadas as áreas de atuação a serem definidas, em lei
complementar”. (Vicente Paulo e Marcelo Alexandrino).
32 Bruno Belem 08-03-2017
Fundações Públicas
 Criação e extinção
- Autorização legislativa (art. 37, XIX, da CF) ou diretamente por lei
específica (fundações autárquicas ou autarquias fundacionais).
- Iniciativa: chefe do Poder Executivo.
*Não se sujeitam ao controle especial que o MP exerce sobre as
fundações privadas (art. 66 do CCB).

 Tipo de atividade descentralizada


- Atividades de interesse social ou serviços de relevância pública
(saúde, educação, cultura, desporto, pesquisa científica etc.),
que não são atividades típicas do Estado e nem atividade
econômica em sentido estrito. Exemplos: IBGE, Funai.

33 Bruno Belem 08-03-2017


Fundações Públicas
 Natureza jurídica
- 1ª corrente: pessoa juridica de direito privado (art. 5º, IV, do Decreto-Lei nº
200/67).
- 2ª corrente: pessoa jurídica de direito público após 1988.
- 3ª corrente: pessoa jurídica de direito público ou privado (STF e doutrina
majoritária), art. 37, XIX, da CF e art. 41, V, do CCB.
*Fundação pública (de direito público ou de direito privado), X fundações
privadas (Fundação Roberto Marinho, Fundação Ayrton Senna etc.).
*A CF não faz qualquer distinção entre fundações públicas com
personalidade jurídica de direito privado e fundações públicas com
personalidade jurídica de direito público (“fundações públicas”, “fundações
instituídas e mantidas pelo Poder Público”, “fundações” ou “administração
fundacional”).
• Regra geral: mesmo regime jurídico.
• Exceções: aquelas expressamentes previstas em lei.
34 Bruno Belem 08-03-2017
Fundações Públicas

 Regime jurídico das fundações públicas de direito público:


- Mesmo regime jurídico aplicável à autarquias
• Pessoal
• Patrimônio
• Atos e contratos
• Controle
• Prerrogativas processuais
• Prescrição
• Imunidade tributária
• Responsabilidade civil extracontratual

35 Bruno Belem 08-03-2017


Fundações Públicas
 Fundações públicas de direito privado
- Adquirem personalidade jurídica com a inscrição de seus atos
constitutivos no registro público competente.
- Não podem exercer atividades administrativas exclusivas do Estado
(poder de polícia*, poder normativo, regulação).

 Regras do regime jurídico público aplicáveis às fundações públicas


de direito privado:
- Pessoal
- Atos e contratos
- Controle
- Prescrição
- Responsabilidade civil extracontratual
36 Bruno Belem 08-03-2017
Fundações Públicas

 Prerrogativas não extensíveis às fundações públicas de direito


privado:
- Dispensa de depósito prévio para interposição de recursos a
“pessoas jurídicas de direito público” (art. 1º-A da Lei nº
9.494/97);
- Duplo grau de jurisdição obrigatório às “fundações de direito
público” (art. 496 do NCPC);
- Sistema de pagamento por precatórios aplicável a “entidades de
direito público” (art. 6º, da Lei nº 9.469/97 e §§ 4º e 5º do art.
100, da CF);
- Prazo em dobro para manifestação processual para “fundações
de direito público” (art. 183 do NCPC).
37 Bruno Belem 08-03-2017
Fundações Públicas
 Prerrogativas não extensíveis às fundações públicas de direito
privado:
- Não possuem capacidade tributária ativa e, por isso, não podem
cobrar seus créditos por meio do processo especial de execução
judicial estabelecido na Lei nº 6.830/80;
- Nem todos os seus bens são impenhoráveis (apenas os
diretamente vinculados a prestação de serviços públicos);
- Sujeição a concurso de credores ou habilitação em falência ou
recuperação judicial, inventário ou arrolamento, para cobrar
seus créditos (“a execução judicial para cobrança da Dívida Ativa
da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos Municípios e
respectivas autarquias será regida por esta Lei”, art. 1º da Lei nº
6.830/80).
38 Bruno Belem 08-03-2017
Fundações Públicas

 Foro.
- Justiça Federal:
*Causas em que a “União, entidade autárquica ou empresa
pública federal” forem “autoras, rés, assistentes ou oponentes”.
- Fundação Pública federal de direito público: Justiça Federal.
- Fundação Pública federal de direito privado (?)
• Justiça Estadual: Jurisprudência remota / Zanella Di Pietro e
Carvalho Filho.
• Justiça Federal: “autaquias, fundações e empresas públicas
federais” (art. 6º, II, da Lei nº 10.259/01); “Procuradorias e
Departamentos Jurídicos das autarquias e fundações públicas
são órgãos vinculados à AGU” (art. 2º, § 3º, da LC 73/93).
39 Bruno Belem 08-03-2017
Fundações Públicas

Cuidado!

 Súmula 505 do STJ, de 10/02/2014:

A competência para processar e julgar as demandas que têm por


objeto obrigações decorrentes dos contratos de planos de
previdência privada firmados com a Fundação Rede Ferroviária
de Seguridade Social - REFER é da Justiça estadual.

40 Bruno Belem 08-03-2017


Questão – TJGO Juiz Substituto – 2012 – FCC
92. As fundações instituídas pelo Poder Público e constituídas sob regime
de direito privado NÃO estão sujeitas à
(A) regra que impõe teto remuneratório constitucional aos servidores.
(B) proibição de acumular cargos, empregos ou funções públicas.
(C) tributação de seu patrimônio, de sua renda e dos seus serviços, que
estejam vinculados a suas finalidades essenciais ou às delas
decorrentes.
(D) regra que determina o afastamento do servidor detentor de mandato
eletivo federal, estadual ou distrital.
(E) apreciação, para fins de registro, da legalidade dos atos de admissão de
pessoal pelo Tribunal de Contas pertinente à respectiva esfera
federativa.

41 Bruno Belem 08-03-2017


Questão – TJGO Juiz Substituto – 2012 – FCC
92. As fundações instituídas pelo Poder Público e constituídas sob regime
de direito privado NÃO estão sujeitas à
(A) regra que impõe teto remuneratório constitucional aos servidores.
(B) proibição de acumular cargos, empregos ou funções públicas.
(C) tributação de seu patrimônio, de sua renda e dos seus serviços, que
estejam vinculados a suas finalidades essenciais ou às delas
decorrentes.
(D) regra que determina o afastamento do servidor detentor de mandato
eletivo federal, estadual ou distrital.
(E) apreciação, para fins de registro, da legalidade dos atos de admissão de
pessoal pelo Tribunal de Contas pertinente à respectiva esfera
federativa.

42 Bruno Belem 08-03-2017


Questão – TJGO Juiz Substituto – 2015 – FCC
96. A denominada Administração pública indireta compreende,
entre outras entidades,
(A) concessionárias de serviços públicos, que exercem a
descentralização de serviços por colaboração.
(B) empresas públicas, sendo a elas equiparadas as fundações
instituídas ou mantidas pelo poder público.
(C) sociedades de economia mista, que podem ser prestadoras de
serviço público ou exploradoras de atividade econômica.
(D) organizações sociais que celebrem contratos de gestão com a
Administração direta.
(E) autarquias, sujeitas ao regime jurídico de direito privado, salvo
em matéria de pessoal.

43 Bruno Belem 08-03-2017


Questão – TJGO Juiz Substituto – 2015 – FCC
96. A denominada Administração pública indireta compreende,
entre outras entidades,
(A) concessionárias de serviços públicos, que exercem a
descentralização de serviços por colaboração.
(B) empresas públicas, sendo a elas equiparadas as fundações
instituídas ou mantidas pelo poder público.
(C) sociedades de economia mista, que podem ser prestadoras de
serviço público ou exploradoras de atividade econômica.
(D) organizações sociais que celebrem contratos de gestão com a
Administração direta.
(E) autarquias, sujeitas ao regime jurídico de direito privado, salvo
em matéria de pessoal.

44 Bruno Belem 08-03-2017


EMPRESAS ESTATAIS
 Descentralização funcional ou por serviços

União, Estados,
DF e Municípios
Empresa
Pública

Sociedade de
economia mista
45 Bruno Belem 08-03-2017
Empresas Estatais
 Conceitos

 Empresa pública: pessoa jurídica de direito privado, integrante


da Administração Pública indireta, instituída pelo Poder Público,
mediante autorização legislativa específica, sob qualquer forma
jurídica e com capital exclusivamente público, para a exploração
de atividade econômica ou para prestação de serviços públicos.

 Exemplos: Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (EBCT),


Caixa Econômica Federal (Caixa), Cerne, Agência Goiana de
Habitação etc.

46 Bruno Belem 08-03-2017


Empresas Estatais
 Conceitos

 Sociedade de economia mista: pessoa jurídica de direito privado,


integrante da Administração Pública indireta, instituída pelo Poder
Público, mediante autorização legislativa específica, sob a forma de
sociedade anônima, com participação obrigatória de capital
privado e público, sendo da pessoa política instituidora ou da
entidade da respectiva administração indireta o controle acionário,
para a exploração de atividade econômica ou para prestação de
serviços públicos.

 Exemplos: Banco do Brasil, Petrobrás, Indústria Química do Estado


de Goiás (Iquego), Saneago, Metrobus, Agehab etc.

47 Bruno Belem 08-03-2017


Empresas Estatais – Considerações gerais
Atividades Serviços de Relevância Pública Atividade Econômica em Sentido Amplo
Exclusiva do (Ordem Social) (Ordem Econômica e Financeira)
Estado
Executadas Executadas Executadas por Serviços Públicos Atividade econômica em
apenas pelo pelo Estado particulares Econômicos sentido estrito
Estado
Polícia Art. 196 (Saúde Art. 197 e 199 Executadas pelo Extraordinari Ordinariamente
Jurisdição Pública) (Saúde privada) Estado, direta amente exercida por
Regulação ou exercida pelo particulares
Legislação Arts. 201 e 40 Art. 202 indiretamente Estado (art. (art. 170)
(soberania) (Previdência (Previdência (art. 175) 173), em
social pública) Social privada) regime de
competição
Art. 208 Art. 209 ou de
(Educação (Educação monopólio
Pública) privada) (art. 177)
Sem Sem finalidade Com ou sem Atividades Atividades
finalidade lucrativa finalidade comerciais ou comerciais ou
lucrativa lucrativa industriais industriais

48 Bruno Belem 08-03-2017


Empresas Estatais

 Empresa pública versus sociedade de economia mista

*A única distinção entre sociedades de economia mista e


empresas públicas é de caráter formal (composição do capital
social).

- Empresa Pública: qualquer forma jurídico-empresarial admitida


em direito, desde que com capital exclusivamente público.

- Sociedade de economia mista: sociedade anônima controlada


pelo Estado (“ações com direito a voto”).

49 Bruno Belem 08-03-2017


Empresas Estatais
 Criação
- Mediante autorização legislativa específica e depois de inscritos
os seus atos constitutivos no registro público competente (art.
37, XIX, CF).
- Iniciativa privativa do chefe do Poder Executivo (art. 61, § 1º, II,
“e”, da CF).

 Objeto
- Exploração de atividade econômica em sentido estrito;
- Prestação de serviços públicos econômicos;
- Prestação de serviços administrativos ou atividades de suporte
ao Poder Público.
50 Bruno Belem 08-03-2017
Empresas Estatais

 É inconstitucional lei estadual, de iniciativa parlamentar, que: 1


determina o destino que o Poder Executivo deverá dar aos bens
de empresa estatal que está sendo extinta; 2 disciplina as
consequências jurídicas das relações mantidas pelo Poder
Executivo com particulares; 3 cria conselho de
acompanhamento dentro da estrutura do Poder Executivo. STF.
Plenário. ADI 2295/RS, Rel. Min. Marco Aurélio, julgado em
15/6/2016 (Info 830).

51 Bruno Belem 08-03-2017


Empresas estatais que exploram atividade econômica

 Regime jurídico predominantemente privado (art. 173, da CF)


- Lei nacional estabelecerá o estatuto jurídico das estatais que
explorem atividade econômica, que se sujeitam ao regime
jurídico próprio das empresas privadas, inclusive quanto aos
“direitos e obrigações civis, comerciais, trabalhistas e
tributários” (art. 173, § 1º, II, da CF).

 LEI Nº 13.303, DE 30 DE JUNHO DE 2016: dispõe sobre o


estatuto jurídico da empresa pública, da sociedade de economia
mista e de suas subsidiárias, no âmbito da União, dos Estados,
do Distrito Federal e dos Municípios.

52 Bruno Belem 08-03-2017


Empresas estatais que exploram atividade econômica

• Patrimônio: não são considerados bens públicos.


• Atos e contratos: podem praticar atos administrativos e
celebrar contratos administrativos, salvo os atos e os
contratos de gestão empresarial (atividade-fim).
• Licitação:
o atividade-fim: licitação dispensada (art. 17, II, “e”, da Lei nº
8.666/93).
o atividade-meio: LEI Nº 13.303, DE 30 DE JUNHO DE 2016 .

53 Bruno Belem 08-03-2017


Empresas estatais que exploram atividade econômica

• Imunidade tributária: Não podem gozar de privilégios fiscais


não extensivos às empresas do setor privado (§ 2º do art. 173,
da CF).
• Prerrogativas processuais: não possuem.
• Prescrição: prazos próprios do direito privado.
• Falência: Não estão sujeitas a falência (art. 2º, I, da Lei nº
11.101/05).
• Responsabilidade civil: subjetiva (inaplicabilidade do regime do
art. 37, § 6º, da CF).

54 Bruno Belem 08-03-2017


Empresas estatais que prestam serviço público
• Patrimônio: são bens públicos apenas os que estiverem vinculados
à prestação dos serviços públicos.
• Atos e contratos: praticam atos administrativos e celebram
contratos administrativos.
 Falência: Não estão sujeitas à falência (art. 2º, I, da Lei nº
11.101/05).
 Responsabilidade civil: objetiva (aplicabilidade do regime do art.
37, § 6º, da CF).
• Imunidade tributária (impostos)??? gozam da prerrogativa da
imunidade tributária recíproca sobre patrimônio, renda ou serviços
vinculados a suas finalidades essenciais ou às delas decorrentes
(art. 150, § 2º e 3º, da CF).
*STF: RE 601392 / PR - PARANÁ, 28/02/2013 com repercussão geral
reconhecida, relativamente à EBCT.
55 Bruno Belem 08-03-2017
RE 600867 – Caso SABESP
Quinta-feira, 06 de agosto de 2015
 STF analisa aplicação da imunidade tributária recíproca à Sabesp
 O julgamento do recurso que discute se a Sabesp (Companhia de
Saneamento Básico do Estado de São Paulo) deve recolher o IPTU para a
prefeitura de Ubatuba (SP), ou se é caso de não incidência do tributo por
conta da chamada imunidade recíproca, foi suspenso pelo Plenário do
STF.
 Até o momento, votaram pelo desprovimento do recurso – portanto pela
não aplicação da imunidade – o relator, ministro Joaquim Barbosa
(aposentado), e os ministros Teori Zavascki, Luiz Fux, Rosa Weber, Dias
Toffoli e Gilmar Mendes. Já o ministro Luís Roberto Barroso votou no
sentido de dar provimento ao RE, pela incidência do instituto. O Plenário
aguardará a apresentação do voto-vista da ministra Cármen Lúcia e, na
sequência, os votos dos ministros Marco Aurélio, Celso de Mello e
Ricardo Lewandowski. O ministro Edson Fachin não vota por ter sucedido
o ministro relator, Joaquim Barbosa.
56 Bruno Belem 08-03-2017
Empresas estatais em geral (regime jurídico comum)

- Pessoal:
• Exigência de concurso público (art. 37, II, da CF);
• Regime jurídico celetista;
• Sujeição à vedação de acumulação de cargos, empregos e
funções (art. 37, XVI e XVII, da CF);
 Conselhos de administração
• Sujeição ao teto remuneratório, desde que sejam estatais
dependentes, ou seja, recebam recursos para pagar despesas
com pessoal ou de custeio (art. 37, § 9º, da CF);
• Vinculação ao RGPS (art. 40, § 13, da CF);

57 Bruno Belem 08-03-2017


Empresas estatais em geral (regime jurídico comum)

- Pessoal:
• Sujeição à competência da Justiça do Trabalho (art. 114 da CF);
*Dirigentes podem não ser empregados (membros do Conselho
de Administração, por exemplo): não possuem vínculo de
emprego público.
*Não é válida a exigência de aprovação do Poder Legislativo para
a nomeação dos dirigentes de empresas públicas e sociedades
de economia mista (ADI 1.642/MG).
- Controle: supervisão ou tutela administrativa (controle
finalístico); e pelo Legislativo, com o auxílio dos Tribunais de
Contas (art. 71, da CF).

58 Bruno Belem 08-03-2017


Questão – 53º Concurso Magistratura/Goiás
072 – Dentre as alternativas abaixo assinale a que for correta:
a) (__) A empresa pública da União é pessoa jurídica de direito
privado, criada por lei específica mediante proposta do Presidente
da República;
b) (__) A autarquia é pessoa jurídica de direito público, criada por
lei, com patrimônio próprio e funções típicas do Estado, sem
subordinação hierárquica;
c) (__) O bem do patrimônio disponível é o que pode ser alienado
(vendido, permutado ou cedido para exploração econômica), sem
licitação pública;
d) (__) As agências reguladoras possuem natureza jurídica de
empresa pública em regime especial, são pessoas jurídicas de
Direito Público com capacidade administrativa.

59 Bruno Belem 08-03-2017


Questão – 53º Concurso Magistratura – Goiás
072 – Dentre as alternativas abaixo assinale a que for correta:
a) (__) A empresa pública da União é pessoa jurídica de direito
privado, criada por lei específica mediante proposta do Presidente
da República;
b) (__) A autarquia é pessoa jurídica de direito público, criada por
lei, com patrimônio próprio e funções típicas do Estado, sem
subordinação hierárquica;
c) (__) O bem do patrimônio disponível é o que pode ser alienado
(vendido, permutado ou cedido para exploração econômica), sem
licitação pública;
d) (__) As agências reguladoras possuem natureza jurídica de
empresa pública em regime especial, são pessoas jurídicas de
Direito Público com capacidade administrativa.

60 Bruno Belem 08-03-2017


CONSÓRCIOS PÚBLICOS

61 Bruno Belem 08-03-2017


Consórcios Públicos
 Fundamentos constitucional e legal
- Art. 241 da CF:
“A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios disciplinarão
por meio de lei os consórcios públicos e os convênios de cooperação
entre os entes federados, autorizando a gestão associada de serviços
públicos, bem como a transferência total ou parcial de encargos,
serviços, pessoal e bens essenciais à continuidade dos serviços
transferidos.”
- Lei nº 11.107/05.
- Decreto Federal nº 6.017/07.
 Finalidade
- Estabelecer relações de cooperação interfederativa para a
realização de objetivos de interesse comum.
 62 Bruno Belem 08-03-2017
Consórcios Públicos
 Composição:
- Exclusivamente por entes políticos.
 Natureza jurídica
- Associação Pública, na forma de pessoa jurídica de direito
público de natureza autárquica, que passa a integrar a
Administração Pública indireta de todos os entes consorciados
(art. 6º, § 1º da Lei nº 11.107/05 e art. 41, IV, do CCB).
- Associação civil, na forma de pessoa jurídica de direito privado
sem fins econômicos.
 Constituição
- Protocolo de intenções e celebração de contrato de consórcio,
mediante ratificação legislativa (art. 5º).

63 Bruno Belem 08-03-2017



TERCEIRO SETOR

64 Bruno Belem 08-03-2017


Terceiro Setor
Atividades Serviços de Relevância Pública Atividade Econômica em Sentido Amplo
Exclusiva do (Ordem Social) (Ordem Econômica e Financeira)
Estado
Executadas Executadas Executadas por Serviços Públicos Atividade econômica em sentido
apenas pelo pelo Estado particulares Econômicos estrito
Estado
Polícia Art. 196 (Saúde Art. 197 e 199 Executadas pelo Extraordinaria Ordinariamente
Jurisdição Pública) (Saúde Estado, direta ou mente exercida por
Regulação privada) indiretamente exercida pelo particulares (art.
Legislação Arts. 201 e 40 (art. 175) Estado (art. 170)
(soberania) (Previdência Art. 202 173), em
social pública) (Previdência regime de
Social privada) competição
Art. 208 ou de
(Educação Art. 209 monopólio
Pública) (Educação (art. 177)
privada)
Sem Sem finalidade Com ou sem Atividades Atividades
finalidade lucrativa finalidade comerciais ou comerciais ou
lucrativa lucrativa industriais industriais
65 Bruno Belem 08-03-2017
Terceiro Setor

 Espécies:

- Entidades do Sistema “S” (Serviços Sociais Autônomos);


- Organizações sociais e OSCIPs;
- Entidades e Fundações de Apoio.

66 Bruno Belem 08-03-2017


Terceiro Setor

 Espécies:

- Entidades do Sistema “S” (Serviços Sociais Autônomos);


- Organizações sociais e OSCIPs;
- Entidades e Fundações de Apoio.

67 Bruno Belem 08-03-2017


Serviços Sociais Autônomos (Sebrae, Sesc, Senai etc.)
 Natureza jurídica: pessoa jurídica de direito privado sem
fins lucrativos.
 Atividades: serviços assistenciais ou de utilidade pública,
tendo como beneficiários determinados grupos sociais ou
profissionais (Senai, Senac, Sesc, Senat etc.).
 Constituição: previsão legal e registro do ato constitutivo.
 Pessoal: empregados sujeitos ao regime da CLT.
*Concurso público:
- TST (RR-91900-66.2008.5.04.0028) e TCU (Acórdão
2.305/2007 ): não.
- STF: RE com repercussão geral reconhecida (ARE
661383/GO).
68 Bruno Belem 08-03-2017
Serviços Sociais Autônomos
 Receita: Recebem recursos oriundos de contribuições
sociais de natureza tributária.
 Controle: sujeição ao controle do TCU.
 Licitações: não se sujeitam à Lei nº 8.666/93, mas seus
regulamentos de contratações devem observar os
princípios que regem a Administração Pública (Acórdão
307/2011 – Plenário do TCU).

69 Bruno Belem 08-03-2017


Serviços Sociais Autônomos e seleção de pessoal
 Acórdão 4306/2014 Primeira Câmara (Recurso de
Reconsideração, Relator Ministro Walton Alencar
Rodrigues) Pessoal. Admissão. Sistema S.
 O sistema S pode adotar formas de seleção de pessoal
com menor rigor do que as exigidas para o concurso
público, desde que assegurada a observância aos
princípios da legalidade, da impessoalidade, da
moralidade, da isonomia, da eficiência, da publicidade, e
a adoção de critérios objetivos nos procedimentos de
seleção e recrutamento.

70 Bruno Belem 08-03-2017


Organizações sociais e OSCIPs

71 Bruno Belem 08-03-2017


Organizações sociais e OSCIPs
 Natureza jurídica: pessoas jurídicas de direito privado
sem fins lucrativos, especialmente qualificadas pelo Poder
Público.
*Critérios de qualificação previstos em lei
*Leis nº 9.637/98 (contratos de gestão com OSs)
*Lei nº 9.790/99 (termos de parcerias com OSCIPs)
 Atividade: desempenham serviços de relevância pública.
 Pessoal: empregados privados / sem concurso público.
 Licitações: não se sujeitam às regras de contratação da
Lei nº 8.666/93.

72 Bruno Belem 08-03-2017


Organizações sociais – ADI 1923 – Dje 17-12-2015
 COMPETÊNCIA DISCRICIONÁRIA QUE DEVE SER SUBMETIDA AOS PRINCÍPIOS
CONSTITUCIONAIS DA PUBLICIDADE, MORALIDADE, EFICIÊNCIA E
IMPESSOALIDADE, À LUZ DE CRITÉRIOS OBJETIVOS (CF, ART. 37, CAPUT).
INEXISTÊNCIA DE PERMISSIVO À ARBITRARIEDADE. CONTRATO DE GESTÃO.
NATUREZA DE CONVÊNIO. CELEBRAÇÃO NECESSARIAMENTE SUBMETIDA A
PROCEDIMENTO OBJETIVO E IMPESSOAL. CONSTITUCIONALIDADE DA
DISPENSA DE LICITAÇÃO INSTITUÍDA PELA NOVA REDAÇÃO DO ART. 24, XXIV,
DA LEI DE LICITAÇÕES E PELO ART. 12, §3º, DA LEI Nº 9.637/98. FUNÇÃO
REGULATÓRIA DA LICITAÇÃO. OBSERVÂNCIA DOS PRINCÍPIOS DA
IMPESSOALIDADE, DA PUBLICIDADE, DA EFICIÊNCIA E DA MOTIVAÇÃO.
IMPOSSIBILIDADE DE EXIGÊNCIA DE LICITAÇÃO PARA OS CONTRATOS
CELEBRADOS PELAS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS COM TERCEIROS. OBSERVÂNCIA
DO NÚCLEO ESSENCIAL DOS PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (CF,
ART. 37, CAPUT). REGULAMENTO PRÓPRIO PARA CONTRATAÇÕES.
INEXISTÊNCIA DE DEVER DE REALIZAÇÃO DE CONCURSO PÚBLICO PARA
CONTRATAÇÃO DE EMPREGADOS. INCIDÊNCIA DO PRINCÍPIO CONSTITUCIONAL
DA IMPESSOALIDADE, ATRAVÉS DE PROCEDIMENTO OBJETIVO.
73 Bruno Belem 08-03-2017
Entidades e Fundações de Apoio

74 Bruno Belem 08-03-2017


Entidades e Fundações de Apoio
 Natureza jurídica: pessoas jurídicas de direito privado
(associações ou fundações de direito privado).
 Atividade: prestação, em caráter privado, de serviços sociais
não exclusivos do Estado, mantendo vínculo jurídico com
entidades da Administração Pública por meio de convênio ou
termo de cooperação técnica.
 Fundações de apoio: desempenham atividades de suporte a
projetos de ensino, pesquisa e extensão e projetos de
desenvolvimento institucional, científico ou tecnológico de
interesse de Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) ou
Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs).
- Lei nº 8.958/1994 e Decreto Federal nº 7.544/2011.

75 Bruno Belem 08-03-2017


Twitter: @belembruno
Email: bruno@brunobelem.adv.br

76 Bruno Belem 08-03-2017