Você está na página 1de 6

ESTUDO DIRIGIDO Biologia Celular – Retículo Endoplasmático

Retículo Endoplasmático

1- Diferencie o retículo endoplasmático liso e rugoso morfologicamente e funcionalmente.

Retículo Endoplasmático Rugoso (RER) ou granular: Apresenta ribossomos associados e uma


estrutura em forma de cisternas. São responsáveis pela síntese proteica. Exemplo: Células do
Pâncreas.

Retículo Endoplasmático Liso (REL) ou agranular: Não apresenta ribossomos associados e


possuem uma estrutura tubular. São responsáveis pela síntese de hormônios esteroides
(lipídeos). Exemplo: Células de Leydig – testículo.

OBS: RER e REL podem estar presentes na mesma célula, formando uma estrutura contínua.

2- Como a síntese proteica é direcionada para o RER?

“...O peptídeo sinal é sintetizado em ribossomos livres no citoplasma e tem a FUNÇÃO de


ENCAMINHAR a síntese proteica para o RE. O peptídeo sinal é clivado posteriormente e não
permanece a forma final da proteína...” – Hipótese do Sinal (A CÉLULA).

“...Tão logo o peptídeo sinal é traduzido, uma partícula citoplasmática denominada PARTÍCULA
DE RECONHECIMENTO DO SINAL (PRS) liga-se a ele. Ocorre então o direcionamento do
complexo peptídeo nascente-ribossomo para o RER, onde existe um receptor para a PRS.” (A
CÉLULA)

3- Qual o destino das proteínas produzidas no RER?

A interação de ribossomos com a membrana do RE sugere que a TRANSFERÊNCIA DE


PROTEÍNAS PARA O LÚMEN do RE ocorra durante a sua tradução pelos ribossomos, ou seja, CO-
TRADUCIONALMENTE. Do lúmen do RE as proteínas sintetizadas podem ir para – Membrana
plasmática, vesículas secretórias, lisossomos, complexo de golgi.

A importação de proteínas em outras organelas (MITOCÔNDRIAS, PEROXISSOMOS,


CLOROPLASTOS E NÚCLEO) ocorre POS-TRADUCIONALMENTE.

4- Como são produzidas as proteínas transmembranas?

São proteínas associadas à membrana. As proteínas transmembranas apresentam segmentos


hidrofóbicos inseridos na membrana do RE na forma de alfa-hélice.

A síntese acontece da seguinte maneira:

1- Peptídeo sinal é traduzido;


2- Ligação da Partícula de Reconhecimento do Sinal (PRS);
3- Acoplamento com receptores p180;
4- Direcionado para o poro;
5- Desligamento da PRS;
6- Reinicio da síntese proteica;
7- Sinal sequência N-terminal inicia a translocação;
8- Sequência de transferência final (STOP) – hidrofóbica – ficando ancorado na membrana.

OBS: Para proteínas multipasso, existem várias sequências inicias e finais.

5- Explique a síntese de fosfolipídios

Acontece em duas etapas.

1- Dois ácidos graxos são ligados a um glicerolfosfato – ácido fosfatídico – acontece no


citoplasma – catalisada por uma aciltransferase ligada a membrana do RE.
2- Diferenciação da cabeça polar – inserção de inositol, serina, etanolamina ou colina –
formando diferentes fosfolipídios.
3- Crescimento do fosfolipídios e translocação dos fosfolipídios através das flipases –
equilibram a quantidade de lipídios nas suas faces da membrana.
Complexo de Golgi e Lisossomos

1- Descreva a estrutura do Complexo de Golgi e suas funções.


 Estrutura em sáculos achatados – cisternas;
 Presença, geralmente, de 4 a 8 cisternas;
 As cisternas não têm continuidade físicas (diferentemente do RE);
 Preenchidas por matriz proteica – liga-se a enzimas localizadas nas membranas do CG –
forma um arcabouço envolvido na manutenção da organização das cisternas.

ESTRUTURA
 Cisternas CIS – Próximas ao RE
 Cisternas médias – Ocupam a porção central do CG
 Cisternas TRANS – Próximo ao local de secreção
 Rede de Golgi CIS/TRNAS – Estruturas membranosas conectadas, tubulares ou em forma
de cisternas – representam região intenso brotamento e fusão de vesículas
transportadoras. Grande superfície para interação com cisternas adjacentes ou
facilidade para rearranjos das membranas nos processos de brotamento e fusão das
vesículas.
 Rede de Golgi CIS – localiza-se entre o RE e a Cisterna CIS – é o local de chegada de
vesículas provenientes do RE.
 Rede de Golgi TRANS – é posterior às Cisternas TRANS – é o local de saída de substancias
para outros compartimentos celulares ou para o meio celular.

PARTES FUNÇÕES PRINCIPAIS


Rede de Golgi CIS Fosforilação de enzimas lisossomais
Cisterna CIS Remoção de resíduos de manose
Remoção de resíduos de manose e
Cisterna Média
transferência de NAcGlic
Cisterna TRANS Transferência de resíduos de Galactose
Rede de Golgi TRANS Sufatação de proteínas, lipídios e etc.

FUNÇÕES DO COMPLEXO DE GOLGI

1- Glicosilação de proteínas e lipídios


2- Fosforilação – formação de hidrolases lisossomais
3- Síntese de polissacarídeos
4- Sulfatação
5- Seleção, direcionamento e transporte – Via Biossintética Secretora
2- Diferencie a glicosilação que acontece no RE da glicosilação do CG.

Glicosilação no RE Glicosilação do CG
1. Glicosilação N-ligada
 Inicia-se no RE e continua no CG;
 Adição de oligossacarídeos em
BLOCO no RE e modificações no CG;
 Oligossacarídeos grandes com + de 4
resíduos
2. Glicosilação O-ligada (Adição um a
Ocorre em Blocos já definidos
um)
 Ocorre ECLUSIVAMENTE no CG;
 Adição de monossacarídeos
sequencial, nas diferentes cisternas
do CG;
 Oligossacarídeos são em geral
pequenos.

3- Como ocorre o brotamento de vesículas? E a fusão com o compartimento-alvo?

“A formação de vesículas a partir de um compartimento doador se dá através do processo de


brotamento. Para que isso ocorra, determinada região da membrana desse compartimento se
curva, aproximando-se, liberando, assim uma vesícula. Geralmente, a curvatura na membrana
é imposta pelo agrupamento de proteínas específicas, que permanecem como um revestimento
externo nas vesículas liberadas. Tais proteínas são conhecidas com proteínas de cobertura -
CLATRINA. Além dessa função, as proteínas de cobertura possibilitam a seleção das substâncias
a serem transportadas nessas vesículas.” (A CÉLULA)

A membrana possui receptores de carga, quando uma carga é adicionada nesse receptor o
mesmo procura por proteínas de cobertura que estão presente no citoplasma – CLATRINA –
quando essas proteínas são encontradas, elas se juntam ao receptor de carga através da
ADAPTINA. Com a junção dessas proteínas, e devido ao seu formato, a membrana vai sofrendo
um dobramento, quando completo esse dobramento a vesícula recoberta se desprende. A
DINAMINA atua desligando a CLATRINA e a ADAPTINA criando então a vesícula descoberta – sua
forma final. (SLIDES).

A fusão da vesícula com o compartimento-alvo, conta com o auxílio de proteínas especificas.


Duas são as classes dessas proteínas – GTPases (Rabs) e as SNARE. As Rabs presentes na
membrana da vesícula são responsáveis pela ancoragem e consiste na etapa inicial do
reconhecimento. Em seguida a SNARE do compartimento-alvo (t-SNARE) se liga à SNARE da
vesícula (v-SNARE), aproximando ainda mais essas estruturas (A CÉLULA).

Após esse processo, ocorre de fato a fusão – última etapa – entre a membrana da vesícula e do
compartimento-alvo.
4- Caracterize os lisossomos (morfologia e função).

Os lisossomos são estruturas geralmente esféricas e de tamanho extremamente variável,


delimitadas por membrana. Os lisossomos, apresentam ainda, uma cobertura de carboidratos
que fica associada à face interna da membrana que os envolve, e aparentemente é responsável
por evitar a digestão da própria membrana pelas hidrolases que se acumulam no seu interior.

A morfologia do lisossomo é variável a depender do material a ser digerido.

A função dos lisossomos se resume à digestão intracelular. Podendo ser de 4 tipos – Autofagia,
pinocitose, fagocitose, endocitose.

OBS: O lisossomo é a junção de Vesícula + Enzima Lisossomal + Material a ser digerido.

5- Por que as hidrolases não digerem o próprio lisossomo?

As hidrolases lisossomais são enzimas ácidas, que se tornam ativas em pH = 5. Elas não digerem
outras organelas devido a cobertura de carboidratos que fica associada à face interna da
membrana que envolve os lisossomos.

6- Explique:

a- Autofagia: “A eliminação de organelas envelhecidas, danificadas ou presentes em


quantidades excessivas ocorre por meio de um processo conhecido com autofagia” (A
CÉLULA).

As organelas a serem eliminadas são envolvidas por membranas oriundas do RE,


formando uma vesícula. A princípio essa vesícula é denominada AUTOFAGOSSOMO.
Hidrolases são incorporadas a essa vesícula que contém o material a ser digerido. E a
partir daí inicia-se o processo de digestão, caracterizando assim o lisossomo (ativo).

b- Pinocitose: Processo contínuo de formação de vesículas que trazem água, PEQUENAS


moléculas e proteínas SOLÚVEIS. Geralmente, as vesículas de pinocitose são pequenas
e numerosas. Uma vez dentro das células, as vesículas fundem – se entre si e aos
lisossomos, resultando na digestão do seu conteúdo.

Responsáveis pela RECICLAGEM DE MEMBRANA – fundamental para a manutenção de


sua extensão e do volume celular.

c- Fagocitose: Corresponde à internalização de partículas GRANDES. Em organismos


unicelulares a fagocitose corresponde um processo importante para a obtenção de
nutrientes. Em organismos multicelulares a fagocitose desempenha papel de defesa
contra microorganismos; na eliminação de células danificadas, envelhecidas ou em
processo de morte celular, além de ser essencial nos processos de remodelação durante
a embriogênese e na cicatrização (A CÉLULA).

Células Fagociticas – 1. Neutrófilos; 2. Macrófagos.

A fagocitose depende da ligação de partículas presentes no meio extracelular a


receptores presentes na superfície das células, levando primeiro à adesão dessas
partículas e, em seguida a projeção de membranas que as envolvem e as internalizam.
A vesícula contendo a partícula a ser digerida é chamada de FAGOSSOMO.

d- Endocitose por receptores: Permite às células a internalização de moléculas pela


formação de vesículas de maneira bastante específica – depende da existência de
receptores na membrana plasmática que reconhecem as moléculas a serem
internalizadas. Essas moléculas agrupam-se na membrana e formam os COATED PITS a
partir da associação da porção citoplasmática dos receptores com as moléculas de
clatrina. A associação com a clatrina permite a invaginação do segmento da membrana
e o brotamento da vesícula recoberta por clatrina no citoplasma.

Mecanismo utilizado no controle e remoção de receptores da superfície celular.

e- Endocitose: Processos de Fagocitose, Pinocitose e Endocitose por receptores.