Você está na página 1de 37

au Malaquias

Administrador do site

Hassidim: Treze Atributos da Misericórdia


# 1 Post sex 07 de maio de 2004 9:49
Na Torá, Moisés lista treze atributos de Hesed-Mercy associados ao nome divino El. De acordo com sábios
da tradição, esses atributos são expressões da Graça Superna na criação. Esses atributos são:

Deus [1] misericordioso [2] e gracioso [3], lento [4] para a ira [5] e abundante em amor [6] e verdade
[7]. Mantendo misericórdia [8] até a milésima geração [9], perdoando o pecado [10], a rebelião [11], o erro
[12] e a purificação [13]. (Êxodo 34: 6-7)

Estes são os Hassidim (Misericórdias) e o número é significativo, pois treze é o número de Achad (Unidade)
e Ahava (Amor), que alude ao propósito de Hesed-Mercy. O propósito dos hassidim é a expressão do amor
que leva à unificação. Assim, a mensagem básica dos hassídicos é que o propósito da criação é iluminar e
liberar.

Deus (El) é a primeira misericórdia, que é um nome divino composto de Aleph e Lamed. Aleph é o Espírito
e é chamado de Inteligência Ardente, e Lamed é o aguilhão de boi, implicando uma "força motriz". El é,
portanto, o Grande Espírito que é a força motriz da criação e representa o impulso evolutivo. A primeira
misericórdia de Deus é o impulso evolucionário que Deus colocou dentro da criação, que busca sempre
formas de vida mais autoconscientes e inteligentes; daí para a iluminação e libertação (consciência de
Cristo). A primeira misericórdia também indica que o maior presente que Deus pode nos dar é o próprio
Deus. De acordo com a Kabblah, esta é a intenção de Deus na criação - dar a si mesmo ao Humano para
que o Humano possa incorporar algo de Deus e de Deus e, assim, ascender à unificação consciente com
Deus.

A misericórdia é a segunda misericórdia, que reflete a qualidade libertadora imbuída na criação. Reflete
também um certo princípio de "memória" dos desenvolvimentos positivos que permitem que a evolução
ocorra e indica que os desenvolvimentos negativos tendem a desaparecer, como se tivessem sido
rapidamente esquecidos.

A terceira misericórdia é graciosa, o que significa dizer que há assistência divina continuamente disponível
a todos que desejam recebê-la, e que, na verdade, a assistência divina está sendo dada o tempo todo. A
ajuda dos tzaddikim e maggidim reflete essa assistência divina, assim como a encarnação do Salvador e dos
portadores de luz.

Lenta é a quarta misericórdia que representa o princípio da estabilidade na criação - uma matriz estável
através da qual as almas podem se desenvolver e evoluir para se tornarem plenamente autoconscientes e
iluminadas. Reflete uma qualidade do que é chamado de "rega" na criação - o momento de pausa ou a
duração do tempo que permite às almas a oportunidade de se arrependerem e redirecionarem sua energia
antes que a consequência se manifeste. Assim, afetos / efeitos de negatividade são freqüentemente
suspensos para nos dar tempo para mudar nosso coração e mente e escolher uma direção ou ação
diferente. Este é o princípio ativo entre a Primeira e a Segunda Vinda, de acordo com a Cabala Cristã,
permitindo que tantas almas quanto possível entrem na Grande Ascensão.

A raiva é a quinta misericórdia e representa a força de purificação que age para dissipar a negatividade - a
quebra de klippot (cascas das trevas) para liberar faíscas sagradas. Também representa a educação que
vem através da experiência da conseqüência de ações negativas no processo de desenvolvimento e
evolução - por meio de conseqüência sob a Lei de Causa e Efeito, as almas aprendem o que é certo e
verdadeiro.

Abundante no amor é a sexta misericórdia, que de acordo com a Cabala Cristã é a encarnação do Messias
nos sistemas do mundo. O que isso reflete é que o julgamento e a disciplina, ou conseqüências das ações,
nunca são e terminam, em si e por si mesmos, mas, ao contrário, seu objetivo é a eventual Iluminação
Divina da alma.

A verdade é a sétima misericórdia que indica a revelação divina transpirando dentro da criação - a
revelação constante e contínua do Espírito e da Verdade que ilumina e libera as almas.

Manter a misericórdia é a oitava misericórdia - a retenção de tudo que é bom e verdadeiro, e o


encorajamento constante por meio do fluxo de bênçãos e graça sobre o que é bom e verdadeiro.

Para a milésima geração é a nona misericórdia e indica a qualidade imperativa de todos os estados pelos
quais as almas passam - seja céu, terra ou inferno, ou algum outro reino, almas nunca estão amarradas
para sempre a nenhum estado. Da mesma forma, isso reflete o princípio da gilgulim (transmigração de
almas) que facilita o desenvolvimento e evolução das almas para a consciência de Cristo.

Perdoar o pecado é a décima misericórdia. Deus criou nos seres humanos a capacidade de arrependimento
e tikkune - a capacidade de curar ou consertar qualquer erro que possa ocorrer. O empoderamento final
deste atributo, claro, vem do Messias e do resgate.

Perdoar a rebelião é a décima primeira misericórdia. "Pecado" representa um erro que ocorre na
ignorância, enquanto "rebelião" é um erro cometido intencionalmente. Em ambos os casos, Deus dá às
almas a oportunidade de exercitar toda imperfeição e negatividade, e o desejo básico de fazê-lo é, na
verdade, embutido na criação; portanto, construído em nós.

A décima segunda misericórdia é perdoar o erro - que é a nossa capacidade de redirecionar a mente, o
coração e a vida a qualquer momento.

A décima terceira misericórdia é purificadora. Isso reflete que nossa natureza mais íntima é a Luz e a
Verdade, que somos criados fundados sobre a Luz e a Verdade, e que precisamos apenas remover
obscurecimentos e obstruções para realizar nossa união com toda a vida e Deus. Em outras palavras, nós já
possuímos a presença da Luz, que é como somos capazes de "alcançá-lo" ou "adquiri-lo". Em última
análise, a Luz que está em nós será liberada, de um jeito ou de outro.

Estes são os hassídicos que lemos no Zohar, menção de que também ocorre nos evangelhos gnósticos. De
acordo com a tradição, todos estes estão enraizados em Keter-Crown na Árvore da Vida e são realizados e
realizados em Malkut-Kingdom. Da mesma forma, diz-se que esses poderes de hassidim estão dentro do
corpo místico do Salvador ressuscitado, de modo que, aderindo ao Salvador Ressuscitado, recebemos suas
bênçãos. Num certo nível, os doze e um poderes dos salvadores que aparecem na Pistis Sophia são os
hassidim - assim, a contemplação dos hassídicos faz parte de uma contemplação dos poderes dos
salvadores.

Muito mais certamente poderia ser dito sobre esses atributos de Hesed-Mercy, mas isso é suficiente para
um ciclo inicial de contemplação. Vai um pouco além da discussão deles em Gnosis do Cristo Cósmico.

Bênçãos e shalom!
Última edição por Tau Malachi em Sex Oct 02, 2009 4:37 pm, editada 1 vez no total.
Tau Malachi
Sophia Comunhão
Ecclesia Pistis Sophia
T
o
p
o
Elder Gideon
Administrador do site

Treze salvadores


# 2 Post Mon Jul 05, 2004 3:57 pm
Shalom!

Esse tratamento mais detalhado dos Treze Hasidim é muito edificante, lembrando que uma visão de
severidade ou provação na vida pode muito freqüentemente eclipsar as muitas mais misericórdias nas
quais "nos movemos, vivemos e temos nosso ser".

Agora há uma qualidade de gradação e "degraus de escada" para esses Hasidim que fluem da Primeira
Misericórdia (Keter), que estão preservando a Criação, enquanto permitem que a Criação se conecte com
uma maior e maior intimidade com o Criador. Quem, mas os fiéis e eleitos, apegados a Deus, asseguram
que estes Hassidim fluam para a Boa Terra!

Eu perguntaria mais sobre o princípio de treze Hasidim como poderia ser encarnado pelos Apóstolos do
Evangelho, Maria Madalena sendo a Décima Terceira. Por exemplo, vemos na Torá a quantidade dos Doze
encarnados pelas Doze Tribos e depois os Doze Macabeus para progredir no Evangelho como os Doze
Apóstolos. Enquanto estes eram seres que viveram e morreram como nós mesmos, existem camadas
simbólicas que podemos contemplar, como os salvadores e os Aeons da Pistis Sophia e os signos zodiacais.

Os números doze a treze são surpreendentemente contemplados por São Paulo nos capítulos de mesma
numeração de sua primeira carta aos coríntios; o capítulo doze é o Corpo indivisível de Christos, o capítulo
treze é o AMOR e a UNIDADE que emana. Talvez os princípios do Amor e da Unidade, como os Treze
Apóstolos, digam o suficiente, pois sabemos que isso deve enumerar a metade de vinte e seis, o número
do Grande Nome YHVH.
O que mais pode detalhar uma contemplação ligando Treze Hasidim com Treze Salvadores?
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

As misericórdias


# 3 Postagem Ter Jul 06, 2004 9:40 am
Saudações Michael!

Os hassídicos são falados em um contexto antropomórfico em prol da contemplação, assim como muitos
aspectos dos ensinamentos - portanto, eles são colocados de uma maneira que podemos contemplar e
meditar neles em nossa experiência humana. No entanto, na verdade, são princípios que fazem parte da
estrutura metafísica da realidade ou da criação. Em termos dos hassídicos, o que está sendo refletido é a
qualidade auto-libertadora da criação. Freqüentemente, parece-nos que a vida ou a criação tende a
escravidão, mas os treze hasídidas afirmam que a vida e a criação são projetadas para facilitar a evolução e
a liberação - a iluminação.

Existem várias maneiras pelas quais a tradição se aproxima dos poderes dos doze salvadores. As sete vozes
e cinco árvores são uma, as hassidim são outra. Também a segunda permutação do Grande Nome se
associa com as doze tribos de Israel e os poderes dos doze signos zodiacais e seus correspondentes
domínios, como dados no Sefer Yetzirah.

Com o hassídico, a Noiva Esposa (Messias) representa a primeira Misericórdia, não a décima terceira, os
doze apóstolos representando a segunda até a décima terceira Misericórdia; daí a primeira misericórdia é
a personificação do Ser Divino, Deus ou Iluminação, que as outras Misericórdias servem para apoiar e
facilitar, e que é a unidade de todas as Misericórdias. As doze misericórdias são, portanto, semelhantes aos
raios ou emanações da primeira misericórdia.

Os Hassidim dependem de Keter, que é chamado de Misericórdia Suprema e Graça Pura , mas eles
emanam de Hesed e funcionam como um jogo das Seis Sefirot: Hesed, Gevurah, Tiferet, Netzach, Hod e
Yesod, cada Sefirah tendo duas Misericórdias atribuídas a isto. A primeira Misericórdia é atribuída aos
Supernais como uma unidade, e Malkut é o Vaso recebendo o influxo de todos eles e é o resultado de sua
interação - daí o reino dos céus ou reino de Deus é dependente dos chassídicos.

Se os hassidim são expressões das Sefirot e se diz que as Sefirot compõem o corpo místico do Salvador
Ressuscitado na Cabala Cristã, então esses poderes estão no corpo místico do Messias. Nesse sentido,
pode-se contemplar o poder dado aos apóstolos pelo Salvador ressuscitado para perdoar ou reter o
pecado ou o carma negativo dos seres; daí o poder dos hassidim. Além disso, pode-se considerar o tríplice
ministério dos apóstolos: banir as trevas do povo e da terra, curar todas as enfermidades e doenças, e
estender a Luz da Cruz para iluminar todos os espíritos e almas viventes. Isso expressa a atividade dos
hassidim - liberar, curar e iluminar .

Pode ser um exercício interessante para contemplar a correspondência dos apóstolos nomeados aos
chassidim. Toma-se o nome de um apóstolo e medita sobre ele buscando intuir a energia do apóstolo e
que Misericórdia corresponderia a ela. Não é tanto uma questão de "certo" e "errado" na atribuição
quanto de sintonia com a sucessão apostólica e de obter insight dos dois raios ou linhas de luz que a
formam. Os hassidim fornecem uma maneira de fazer isso.

Parece que os capítulos 12 e 13 de 1 Coríntios estavam diretamente relacionados com os chassidim. Qual é
a natureza dos hassidim? A expressão do amor de Deus e a intenção de Deus de se entregar ao Ser
Humano. De acordo com o Mestre Yeshua, nos aproximamos de Deus, incorporando o Amor e a
Compaixão de Deus.

Do mesmo modo, a sucessão apostólica é o derramamento do amor e da graça do Messias - raios da


Misericórdia de Deus.

Talvez essas idéias possam ajudar a estender a contemplação ...

Bênçãos e shalom!
Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Elder Gideon
Administrador do site

O Partzuf dos Treze Atributos


# 4 Post Ter 20 de novembro de 2012 12:49
Shalom Tau Malachi!

Em um estudo dos Treze Atributos da Misericórdia, me deparei com uma nota misteriosa no meu volume
do Zohar sobre a fonte desses atributos para o partzuf Arik Anpin! Eu posso ver como isso pode se
relacionar com Keter, que é chamado de Misericórdia Suprema e como isso se relaciona com a sefirah
Hesed, que é chamada de "Abaixo do Abismo". Ainda assim, fico me perguntando como esses Treze
Atributos são originados em Arik Anpin.

Outras discussões sobre os tikkunim de Arik Anpin dizem respeito ao mais profundo hitbonenut dos
tsadikim, o espaço sagrado do continuum de contemplação que eles mantêm. Talvez em nossa discussão
no outono anterior, onde estávamos discutindo os Nove Atributos da Misericórdia de Números 14:18
como tikkunim de Zer Anpin, viva essa distinção:
“O Senhor (1) é lento (2) para a ira (3) e abundante (4) no amor inabalável (5), perdoando a iniqüidade (6)
e a transgressão (7), mas de modo algum limpando o culpado (8), visitando a iniqüidade dos pais sobre os
filhos até a terceira e quarta geração (9). ”

Nos Treze Atributos, YHVH falou isso diretamente; os Nove Atributos foram falados por Moisés. Essa é a
diferença na gradação? Como Arik Anpin está associado a esses treze atributos da misericórdia?

Com gratidão, o

Élder Gideon +
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Abundante Misericórdia e Simples Misericórdia, e os Atributos de M


# 5 Post Ter 20 de novembro de 2012 14:22
Graça e paz para você em Hayyah Yeshua!

Os Treze Atributos da Clemência falada por Deus e os Nove Atributos da Clemência falada por Moisés
representam o fundamento dos ensinamentos concernentes à Misericórdia Abundante e à Misericórdia
Simples. Como sabemos, a Misericórdia Abundante é invocada quando Deus ora a Deus, enquanto a
Misericórdia Simples é invocada através das orações de tsadikim e maggidim; assim, quando Deus fala os
Atributos da Misericórdia, são treze, mas quando Moisés os fala, há apenas nove.

Essencialmente, a Simples Misericórdia corresponde a Zer Anpin e a Abundante Misericórdia corresponde


a Arik Anpin; A essência da Abundante Misericórdia está em Atik Yomin, e, portanto, diz-se que os Treze
Atributos da Misericórdia falados por Deus emanam de Atik Yomin (Keter de Keter de Atzilut). Isso, é claro,
chama a atenção de Christian Mekubalim, pois o Messias é dito emanar de Atik Yomin na Cabalá, e através
do Messias Deus ora a Deus entre nós, e Misericórdia Abundante é invocada e recebida.

Achad, “um”, é igual a 13, e a palavra Achad é um cognome de Keter, da mesma forma Ahava, “amor”, é
igual a 13, e a plenitude do amor de Deus é atribuída a Keter; os Treze Atributos da Misericórdia
correspondem com amor e unidade, cuja perfeição corresponde a Keter.

Nessa Abundante Misericórdia, ou Suprema Misericórdia, é atribuída a Keter, então entendemos que a
Divina Intenção (Ratzon Elyon) na criação é Misericórdia, não o Julgamento, e que a criação é orientada
para a libertação, não para a escravidão; Portanto, a salvação universal é a intenção de Deus na criação.

Deus te abençoê!
Tau Malachi
Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Elder Gideon
Administrador do site

A barba de Atik Yomin


# 6 Post Dom Nov 25, 2012 4:02 pm
Shabat Shalom Tau Malachi!

Obrigado por ajudar com esta resposta. Fiquei encantada ao encontrar em minhas anotações preparando-
me para que eu tivesse esquecido completamente o que você disse no post "The Holy Tzaddik: Fifth
Element" no fórum da Cabala Cristã:

Você pode recordar os Treze Atributos da Misericórdia, mencionados no contexto de Hesed, mas que
dizem corresponder a Keter e Arik Anpin; especificamente para a “barba de Arik Anpin”. Há também Nove
Atributos da Misericórdia dados em Números 14:18, que correspondem à “barba de Zer Anpin”.

Ouvindo como esses Treze Atributos da Misericórdia podem então ser contemplados diretamente com
Arik Anpin, eu tenho uma profunda apreciação por exatamente o que você me indicou, particularmente a
Abundante Misericórdia, que Yeshua Messias manifesta tão claramente em um Evangelho fundado na
bondade e auto-estima. oferta. Aprender como mistérios como os Treze Atributos se originam no
Partzufim começa a dar dimensionalidade ao que os Rabinos estão revelando das personas Divinas.

Que sua abundante misericórdia exagere o povo e a terra.


Que possamos ser rápidos em misericórdia e desacelerar para o julgamento.

Elder Gideon +
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Uma contemplação prolongada no Espírito Santo ...


# 7 Post Wed 28 de novembro de 2012 12:20
Graça e paz, e misericórdia abundante para você em Hayyah Yeshua!

“Como é muito bom e agradável quando os irmãos vivem juntos em união!

“É como o precioso óleo na cabeça, correndo sobre a barba, na barba de Aarão, correndo sobre a gola de
suas vestes.

“É como o orvalho de Hermon, que cai nas montanhas de Sião. Porque ali ordenou o Senhor a sua bênção, a
vida para sempre ” (Salmo 133).

Esta imagem da unção de Aarão, e o óleo sagrado derramado sobre sua cabeça e escorrendo por sua barba
é adorável, e como você pode imaginar na Sagrada Cabala, isto é tomado como um ensinamento a respeito
de Arik Anpin e Zer Anpin, e seu correspondente “ Como sabemos, “óleo” e “orvalho” indicam o shefa das
Sefirot, o influxo de poderes espirituais dos Atributos Divinos e, portanto, as “barbas” da Grande Face e
Rostro conotam os caminhos do canal. através do qual este shefa flui destes Santos Partzufim.

“É como óleo precioso sobre a cabeça”, isso indica o shefa de Arik Anpin (Keter) que é transmitido a Zer
Anpin (os Seis) através de Abba e Imma, o Pai Superno e a Mãe Superna (Hokmah e Binah).

"... correndo sobre a barba, na barba de Aaron ..."corresponde com o shefa de Zer Anpin transmitido a
Nukva, a Filha (Malkut).

"... correndo a gola de suas vestes ..." essas vestes correspondem a Malkut.

“É como o orvalho de Hermon, que cai nas montanhas de Sião. Pois lá Yahweh ordenou sua bênção, vida
para todo o sempre ”, indica Malkut recebendo o shefa das Sefirot Superiores e transmitindo-o a todos os
mundos, sustentando e edificando tudo em conclusão.

“Como é muito agradável quando os parentes moram juntos em unidade”esta é a unificação de Abba e
Imma, ou Yahweh e Elohim, "unidade" correspondente a Ben, o Filho, o Santo Partzuf de Da'at, e é através
disso que o shefa de Arik Anpin, ou Keter, chega a Zer. Anpin e, por sua vez, como a plenitude do shefa de
Zer Anpin alcança Nukva, a soberania divina, ou divina providência, manifestando-se em plena glória e
poder.

Ouça e ouça, e contemple isso bem, e adquira compreensão! As cinco letras do Nome de Elohim
correspondem aos cinco principais Partzufim Sagrado, Arik Anpin, Abba, Imma, Zer Anpin e Nukva; e
quando todos estes estão dispostos de acordo com Ratzon Elyon, a Vontade do Altíssimo, assim a Santa
Shekinah é manifestada em plena glória e poder, e em vez de Adonai, ela é chamada Elohim,
correspondendo com a plenitude do shefa do Partzufim Superior que está nela, e indicando que ela, por
sua vez, transmite a todos os mundos, sustentando-os conforme ordenado por El Elyon, Deus Altíssimo.

“Porque o SENHOR ordenou a sua bênção para a vida eterna”, isso não acontece por meio de Moisés, nem
do profeta Míriam, nem do sumo sacerdote Aarão nem de nenhum sumo sacerdote da ordem levítica do
sacerdócio ordenado segundo a carne. e pelos mortais, mas isto acontece através da Mãe Miriam, e
através do Messias, e através da Madalena, através do sumo sacerdote da Ordem de Melquisedeque,
ordenado por El Elyon, ungido com Ruach Elohim, ou a Luz Superna.

Ouça e ouça e entenda! Yahweh e Elohim são Hokmah e Binah, e quando eles estão unidos, a Misericórdia
abundante flui de cima, o shefa de Arik Anpin e Atik Yomin; Javé é também Tiferet, e quando Yahweh e
Adonai, Malkut, são unificados, a Misericórdia Simples flui neste Mundo. Quando Misericórdia Abundante
e Misericórdia Simples estão unidas em união, há a plenitude da Misericórdia, e Adonai é chamado
Elohim. Hokmah e Binah são chamados Yahweh e Elohim, e Tiferet e Malkut são chamados Yahweh e
Elohim, e assim há uma unificação de Yahweh Elohim acima e abaixo, Misericórdia Abundante, junto com
Misericórdia Simples, sendo manifestada neste Mundo. Isto acontece quando a Madalena, o Santo
Apóstolo dos Apóstolos, vê e ouve e conhece Hayyah Yeshua, o Messias ressuscitado, e está completo
quando Hayyah Yeshua aparece no cenáculo e respira Ruach Elohim sobre os discípulos; portanto, o
empoderamento para liberar e ligar os pecados dados aos Santos Apóstolos no Messias Yeshua, esse poder
correspondente à unificação de Yahweh Elohim acima e abaixo.

Quando as línguas do Fogo Santo e Supremo vêm sobre os Santos Apóstolos no dia de Pentecostes, este é
o santo selo e perfeição do fortalecimento que eles receberam do Ressuscitado Messias, a Shekinah do
Messias Ascensionado vindo repousar sobre eles.

Yahweh poderia falar e revelar Abundante Misericórdia a Moisés, mas Moisés só poderia falar e revelar
Simples Misericórdia à Comunidade de Israel, pois somente o Santo pode trazer Abundante Misericórdia
para este Mundo; daí, Melekh Messiah, através de quem o Santo abaixo ora ao Santo acima, o Santo
trazendo a completa unificação abaixo, e assim trazendo a completa unificação acima.

Contemplem o Grande Nome de Yahweh e o Abençoado Nome de Yeshua nesta luz, o Santo acima, o
Ungido abaixo, o Ungido (Messias) unificado com Yahweh, “Aquilo que foi, é e será para sempre”, ou “vida
eterna. ” o veículo desta unificação é o Santa Cruz, através do qual o Messias torna-se chamado o Cordeiro
de Deus, que, por sua grande misericórdia, remove os pecados do mundo e remove a morte do mundo,
concedendo a vida eterna, ou a realização de Inascido ser. Hallelu Yah!

O profeta Míriam morreu, Arão morreu e Moisés morreu, mas o Messias Ressuscitado vive e, através do
Messias ressuscitado, todos os navim e tsadikim de todos os tempos também são elevados da morte para
a vida eterna para ficarem entre os vivos, os imortais. , no Pleroma da Luz. Hallelu Yah!

Lembrem-se, os Treze Atributos da Misericórdia começam com a Santa Expressão, "Yahweh


Yahweh", Yahweh acima, e Yahweh abaixo, e o primeiro atributo, ou atributo mais íntimo da Misericórdia
após este Sublime é "El", correspondendo com Hesed de Atzilut. e grande misericórdia;. Assim, a
verdadeira salvação, ou a iluminação e liberação das almas Entre Christian Mekubalim este Santo
enunciado é entendida como uma profecia do Filho pelo Pai, que vive;. uma profecia do Messias, que traz
grande misericórdia, a este mundo

esta mesma profecia está no Nome Essencial de Deus revelado a Moisés na sarça ardente, Eheieh Asher
Eheieh; o primeiro Eheieh, o Pai, o segundo Eheieh o Filho, o Divino Eu Sou acima, o Divino Eu Sou abaixo,
e Asher a unificação deles em Hayyah Yeshua, o Messias ressuscitado - Asher, uma “face feliz” de Grande
Alegria!
Todos os Atributos da Misericórdia após o primeiro são veículos para a realização do primeiro, El; e da
mesma forma, a Simples Misericórdia é o veículo para a realização da Abundante Misericórdia, a Santa Lei
abrindo o caminho para a recepção do Messias, o Santuário da Graça.

Moisés comunica o Santuário da Lei, a Santa Torá, Yeshua comunica o Santuário da Graça, o Santo
Evangelho; a Torá corresponde à Misericórdia Simples, o Evangelho corresponde à Misericórdia
Abundante. Nesta luz, considere a profecia de Daniel a respeito da vinda do Messias, o Messias que emana
de Atik Yomin, o Ancião dos Dias, que é Keter de Keter de Atzilut; "Keter de Keter", Eheieh Asher Eheieh.

Nisto podemos entender porque Moisés fala Nove Atributos da Misericórdia, correspondendo com a
misericórdia-Hesed sob a Lei, ou sob o Julgamento-Gevurah, Yahweh e Elohim sendo unificados por
Moshenu e os filhos de Israel. O Messias, o Cordeiro de Deus, no entanto, fala Treze Atributos da
Misericórdia, Misericórdia, no Santuário da Graça - Misericórdia Superior, Graça Celestial, Yahweh e Elohim
sendo unificados (Achad) através do amor incondicional (Ahava), o sacrifício do Cordeiro de Deus.

Como sabemos, no Santo Evangelho existe um único Mandamento Sagrado, que é a essência do coração
dos Dez Mandamentos, e toda a Torá, e através dela nós estamos estabelecidos no Santuário da Graça,
Misericórdia Abundante:“Eu te dou um novo mandamento, que você se ama. Assim como eu amei você,
você também deve amar um ao outro. Com isto todos saberão que vocês são meus discípulos, se tiverem
amor uns pelos outros ” (João 13: 34-35).

Este mandamento sagrado de Yeshua Messiah corresponde ao versículo: “Como é agradável quando os
parentes moram juntos em unidade!” De fato, viver em amor, Ahava, é viver em unidade, Achad; e em um
nível espiritual, proximidade e união vêm através de semelhança ou semelhança, de modo que amar uns
aos outros como o Messias nos ama, então nos aproximamos e entramos em união com o Messias em El
Elyon. Contemple isso bem e entenda!

Podemos contemplar a Misericórdia Abundante e Simples no Santuário Triplo de Melquisedeque. A


fundação corresponde ao Santuário Exterior, Yeshua Messias, o Santo Evangelho e o Corpo Vivo, enquanto
a manifestação desta Misericórdia e Graça Superna no presente corresponde ao Santuário Interno, o
Tzaddik ou Apóstolo Sagrado, o Grande Anjo e a Santa Noiva ou Shekinah A unificação da Misericórdia
Abundante e Simples, e sua plena realização, corresponde ao Santuário Secreto, ao Corpo da Verdade, ao
Corpo da Glória e ao Corpo de Emanação.

Yeshua Messiah, Holy Tzaddik e Body of Truth (Amet) correspondem a Tiferet, e o Evangelho, Grande Anjo
e Corpo de Glória corresponde a Yesod, e o Corpo Vivo (Igreja ou Círculo Sagrado), Noiva Sagrada e Corpo
de Emanação correspondem a Malkut. Assim, no Santuário Triplo há a unificação de Javé e Elohim abaixo,
que invoca a unificação de Javé e Elohim acima quando há amor, perfeito devekut, na Santa Assembléia de
Deus (El, Elohim).

Há algo que deve ser dito da Misericórdia Simples, pois, embora a Misericórdia Abundante tenha se
manifestado neste Mundo, e se manifeste agora neste Mundo, o jogo da Misericórdia Simples, bênçãos e
misericórdias medidas, permanece em jogo; pois até agora nem todos podem invocar e receber a
abundante misericórdia, mas muitos só podem receber e integrar a simples misericórdia. Simples
Misericórdia, no entanto, é a manifestação da Misericórdia Abundante para aqueles que não são capazes
de receber a Misericórdia completa, ou o influxo direto da Graça Supernal, pois na Misericórdia Abundante
Deus deseja Misericórdia para todos, e portanto através da Misericórdia Simples há misericórdia. tudo
(Kol). Se a Misericórdia Simples fosse removida, haveria apenas um Julgamento Estrito para aqueles que
não pudessem receber a Abundante Misericórdia; assim, até o fim dos dias, quando tudo estiver concluído,
a Misericórdia Simples e a Lei Sagrada continuam em jogo,

Aqui podemos compartilhar algo sobre essa dupla Misericórdia no jogo da Transmissão de Luz entre os
tsadikim vivos e a entrega de bênçãos e fortalezas. Com os tsadikim vivos no Messias, embora haja um
Continuum de Transmissão de Luz Superna incorporado neles, e eles transmitem bênçãos e capacitações
correspondentes à Luz e Consciência Supernas, assim também transmitem transmissões energéticas de luz
espiritual, e bênçãos e capacitações correspondentes com luz espiritual e consciência mental
superior. Necessariamente, pois, no início, poucos podem receber o influxo direto da Luz Superna, ou
Graça Superior, e da mesma forma, há muitos que precisam de bênçãos e capacitações, que podem não
ser capazes de receber a Luz Superna nesta vida. Portanto, na compaixão, no desejo pela felicidade de
todos,

Na verdade, a Misericórdia de Deus é a Misericórdia de Deus, assim como existe um só Deus, então existe
uma Misericórdia de Deus, não duas; seja qual for a gradação que as almas possam receber, a Misericórdia
de Deus é dada, e é, de fato, a mesma Misericórdia, com a mesma Divina Intenção - a salvação de todos, a
iluminação final e a liberação de todos.

Deus é abundante em misericórdia, infinitamente! Hallelu Yah!

A contemplação da barba de Arão me agitou profundamente esta manhã, então naturalmente havia a
necessidade de escrever e compartilhar o que o Espírito Materno colocou em meu coração.

Ó Santo, nós louvamos e agradecemos a Ti pela unificação de Ti e Seu Nome em Hayyah Yeshua, e
oramos pela manifestação dessa unificação entre nós neste dia, orando para que todos sejam
abençoados e elevados no Messias ressuscitado. Um homem.

Que o rosto de Yahweh brilhe sobre você neste dia, e que o Senhor te abençoe neste dia!
Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Elder Gideon
Administrador do site

Treze Rose Petaled de Misericórdia


# 8 Post Fri 30 de novembro de 2012 19:32
Shalom Tau Malachi:

Sua resposta acima é muito luminosa e amável. A trama dos Partzufim através do Salmo 133 me encantou
como um companheiro e templário para quem este Salmo era um selo cerimonial sobre a dublagem
histórica na Ordem, entendendo que este Salmo era e ainda é muito importante na essência do voto: Para
trazer a paz: Vida-evermore. Misericórdia Simples e Abundante, bênçãos terrenas, celestiais e Supernas, e
o Santuário Triplo da Graça, estão integrados de maneiras que eu não poderia ter imaginado. Que ela seja
louvada, pela vida, dada ao máximo.

Em resposta a esses mistérios, ela me levou a olhar novamente para a introdução que abre o Zohar , que
se torna ainda mais refinada à luz de tudo o que Ela permitiu que você compartilhasse acima. Eu vou deixar
a citação do Zohar e deixe-o falar por si mesmo com uma outra questão simplesmente declarada no final.

O rabino Hizkiah abriu: " Como uma rosa entre os espinhos, assim é o meu amado entre as
donzelas" (Cântico dos Cânticos 2: 2) Quem é uma rosa ? Assembléia de Israel. Pois há uma rosa e depois
uma rosa! Assim como uma rosa entre os espinhos é colorida de vermelho e branco, a Assembléia de Israel
inclui julgamento e compaixão. Assim como uma rosa tem treze pétalas, a Assembléia de Israel tem treze
qualidades de compaixão em torno dela em todos os lados. Da mesma forma, a partir do momento em que
Elohim (‫)ֹלהיםֱא‬
ִ é mencionado [em Gênesis 1: 1], gera treze palavras para cercar a Assembleia de Israel e
protegê-la; então Elohim é mencionado novamente. ( Introdução ao Zohar , Matt trans.)

Elohim criou o céu e a terra. Agora a terra estava sem forma e vazia, e as trevas cobriam a face do
abismo; e o espírito de Elohim ... (Gênesis 1: 1-2a)

‫אֱֹלהים‬
ִ ַ‫ ְפנֵי ְתהֹום; וְרּוח‬-‫ עַ ל‬,‫ וְחֹ ֶשְך‬,‫ הָּׁ יְתָּׁ ה תֹהּו ָּׁובֹהּו‬,‫ וְאֵ ת הָּׁ אָּׁ ֶרץ וְהָּׁ אָּׁ ֶרץ‬,‫ אֵ ת הַ ָּׁשמַ יִם‬,‫ֱֹלהים‬
ִ ‫א‬.

Sinto muitas direções na abertura do Zohar pelo rabino Hizkiah, com uma relação direta entre os Treze
Atributos da Misericórdia, Hesed e a Comunidade, Keneset ou Ecclesia, Malkut, integrados através da
imagem de uma rosa. Como podemos ouvir isso no santuário da graça de nosso Senhor e Senhora, o
Messias?

Com gratidão, o

Élder Gideon +
T
o
p
o
Élder Sarah
Administrador do site
Quem criou estes?


# 9 Post Sab Dez 01, 2012 6:23 pm
Shalom!

Louvado seja o Santo Shekinah por esta dança nos mistérios. Permanecendo muito grato a você Tau
Malachi por tais revelações!

A conexão com o Nome Divino Elohim que você está usando, o Élder Gideon, também é muito intrigante
para mim. A Rosa de alguma forma simbolizando aquilo que sustenta a criação, essa Misericórdia? Parece
haver um mistério nos 13 atributos da misericórdia ligados a Hesed, com os quais associamos o primeiro
dia da criação e como toda a história da criação é falada através do Divino Nome Elohim. No estudo e
contemplação hoje me deparei com o seguinte:

Em relação ao Divino Nome Elohim, fui levado a Isaías 40:26,

“Levante os olhos para o alto e veja: quem os criou? Aquele que traz seu hospedeiro e os numera,
chamando-os pelo nome; porque ele é grande em força, poderoso em poder, não falta nenhum ”

Especificamente investigando onde é dito,“ Quem criou estes? ”

Em hebraico nós sabemos que 'Mi' significa“ quem ”e“ Eleh ”significa“ estes ”, Quando combinadas, as
letras que compõem essas duas palavras são iguais às letras que compõem o Divino Nome Elohim.

Enquanto

examinamos isso ainda mais, uma seção muito curiosa em O Zohar foi encontrada (Zohar 1: 2a): Rabbi
Shim'on fala um mistério muito bonito,

Ele diz, “Esse mistério só foi revelado um dia quando eu estava na praia do mar. Elias veio e me perguntou:
'Rabino, você conhece o significado de Quem criou estes?'

Elias continua revelando a Rabino Shimon:

“(Mi) Quem, origem da estrutura. Existente e inexistente, profundo e oculto, chamado por nenhum nome,
mas "quem". Buscando ser revelada, ser nomeada, vestiu-se com uma roupa esplêndida e radiante e criou
'Elleh', 'These'. Elleh alcançou o nome: essas letras se juntaram a elas, culminando no nome Elohim. Até
que criou 'Elleh', não alcançou o nome Elohim. ”

Louvado seja ela por esta revelação!

Especificamente, o que está em destaque é a afirmação “Até que (Quem) criou 'Elleh'. Ele (quem) não
alcançou o nome Elohim. Que o nome não foi alcançado até este ponto fala de uma certa incompletude
em relação à criação.
Eu estou querendo saber se a unificação do Nome Elohim, portanto, 'Quem' ligado a 'Estes' tem muito a
ver com a unificação dos Partzufim? Neste caso, podemos considerar o 'Mi' (Quem) como Arik Anpin, Abba
e Imma, ou isso seria Atik Yomin? Fazendo Zer Anpin e Nukva, "Elleh" (estes)? Também, pode ouvir a
unificação deste Nome Divino, Elohim, relacionado a como Elohim se une a Yahweh?

Possa a lembrança da Misericórdia com a qual a criação é fundada ao amanhecer na consciência de todos
os Seres e Almas vivos!

Shalom,
Elder Sarah +
T
o
p
o
Kat

# 10 Post seg Dez 03, 2012 9:56 am
Shalom,

Para adicionar a essa idéia de Elohim criando no primeiro dia e talvez sperating de yaweh para fazer isso:

No começo Elohim criou ... (Gênesis 1: 1)

Eu estava ouvindo o takkun e a reunificação de Yaweh Elohim em Da ' em. Essa completude do nome
Yaweh Elohim é claramente expressa no verso:

"Ouça, ó Isreal, Yaweh Elohaynu Yaweh é um." (Deuteronômio 6: 4)

Talvez o Shema esteja apontando para a unificação do Partsuf também?

Shalom,
kat
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

algumas revelações


# 11 Post seg Dez 03, 2012 12:02 pm
Bênção, graça e paz para você em Hayyah Yeshua!

Se contemplarmos a abertura no segundo capítulo dos Cânticos de Salomão, leia-se:


“Eu sou uma rosa de Sarom, um lírio do vale” (2: 1)

E então há a resposta:

“Como um lírio entre espinhos assim é o meu amor entre as filhas ” (2: 2)

A verdade é que nas Escrituras Sagradas a “rosa de Sharon” é provavelmente o açafrão que cresce nas
planícies costeiras de Sharon, e o “lírio” é a flor de lótus; portanto, não implica uma "rosa", como
poderíamos imaginar. Na verdade, chamando-se uma rosa de Sharon e lírio do vale, a noiva está sendo
humilde diante do noivo, na verdade referindo-se a sua aparência como comum ou simples. Em resposta, o
noivo lhe paga um complemento sutil, embora não contradizendo o que ela disse, proclamando-a ser um
lírio entre espinhos ou silvas, em comparação com todas as outras filhas de Jerusalém, citando sua
extrema beleza aos olhos dele. É uma troca muito adorável entre eles.

Como sabemos, o Zohar é escrito na Espanha do século XIII, um país no qual a rosa, como imaginávamos,
era muito popular e tinha um significado romântico, e assim a interpretação desse verso: “Como uma rosa
entre os espinhos, meu amado entre as filhas ”surgiu para falar um profundo mistério esotérico. Assim, no
período posterior, Cabala, a Santa Shekinah, Malkut, é chamada de “rosa”, e uma rosa, como poderíamos
imaginar, é a intenção.

Como Christian Mekubalim, não podemos deixar de achar que esse é um cognome maravilhoso para
Malkut, pois uma imagem comum do Messias ressuscitado, ou o mistério da crucificação e ressurreição, é
frequentemente representada pela imagem de uma Rosa Cruz na Cabala Cristã; a cruz de ouro
corresponde a Tiferet, a Santa Luz do Messias, e a rosa vermelha corresponde a Malkut, a Santa Noiva. A
típica Rose Cross tem uma rosa de cinco pétalas, a "rosa selvagem", e a rosa hermética tem uma rosa de
vinte e duas pétalas, mas como você pode supor, há também uma versão esotérica na tradição que retrata
uma rosa de treze pétalas que alternam vermelho e branco.

Agora sobre Malkut e os Atributos da Misericórdia (Hesed), de acordo com esta introdução a Bereshit no
Zohar, no início da criação tudo foi colocado em Misericórdia, e Malkut foi governado por Misericórdia, e,
como tal, isto nos ensina que o A intenção original do Altíssimo na criação é a Abundância da
Misericórdia. Assim, no início da criação, antes do pecado de Adão e Havva (Eva), Malkut, a Santa
Shekinah, estava disposta nos Treze Atributos da Misericórdia. Como sabemos, o Humano foi criado no
sexto dia, na Véspera do Shabat, e se Adão e Havva tivessem lembrado e mantido o Shabat sagrado, teriam
introduzido o Eterno Shabat, o Mundo-A-Vem; comer do fruto da Árvore do Conhecimento
prematuramente, no entanto, eles provocaram a queda, ou descida, do Reino de Yichud (unidade) para o
Reino de Perud (separação). Quando isso aconteceu, Abundante Misericórdia deu lugar à Misericórdia
Simples, e Graça deu lugar à Lei, e assim Malkut ficou sob o domínio do Julgamento (Gevurah); e quando
eles foram expulsos do Jardim do Éden, a Morada Suprema, a Santíssima Shekinah foi para o exílio com
eles, descendo com eles, por assim dizer, para Este Mundo.

Na Cabala Judaica o “exílio da Santa Shekinah” é tipicamente falado no contexto da queda de Jerusalém e a
destruição dos dois templos, os filhos de Israel sendo exilados da Terra Santa e a Santa Shekinah indo para
o exílio com eles. Assim, em geral, a expectativa messiânica entre os fiéis judeus é o retorno do povo judeu
à Terra Santa, a restauração de Jerusalém e a reconstrução do templo, restaurando o antigo culto do
templo. Ao fazê-lo, a Santa Shekinah é trazida de seu longo exílio entre "outras nações" e "deuses
estranhos", e restaurada para sua morada apropriada, o santo dos santos no templo, o centro secreto da
Cidade de Deus. Na Cabala Cristã, no entanto, o exílio da Santa Shekinah acontece com a queda ou
involução do Humano, é um exílio do Jardim do Éden, ou a Morada Superna, e continua por causa da
klippah ou barreira à realização do Eterno Shabat ou do Mundo-Para-Vem que surgiu. Assim, o retorno da
Santa Shekinah de seu longo exílio não transparece através da restauração da Jerusalém terrena, mas sim
através da revelação da Jerusalém celestial, o verdadeiro reino dos céus, e a restauração da Santa Shekinah
ao Supernal Morada. Sob esta luz podemos considerar o que Yeshua Messiah nos ensina, mas, em vez
disso, transparece através da revelação da Jerusalém celestial, o verdadeiro reino dos céus, e a restauração
da Santa Shekinah à Morada Suprema. Sob esta luz podemos considerar o que Yeshua Messiah nos
ensina, mas, em vez disso, transparece através da revelação da Jerusalém celestial, o verdadeiro reino dos
céus, e a restauração da Santa Shekinah à Morada Suprema. Sob esta luz podemos considerar o que
Yeshua Messiah nos ensina,“O meu reino não é deste mundo”, e da mesma forma o que ele diz à mulher
samaritana: “Mulher, crê-me, vem a hora em que não adorarás o Pai, nem neste monte, nem em
Jerusalém”.

Ao contemplarmos isto, podemos considerar o evangelho gnóstico Pistis Sophia, e a história da queda e
redenção de Pistis Sophia, compreendendo a Sophia caída para corresponder com a Santa Shekinah no
exílio. De acordo com este evangelho esotérico, o propósito essencial do advento de Cristo é a redenção
de Sophia; portanto, o Messias parece trazer um fim ao exílio da Shekinah do Jardim do Éden ou da
Morada Superna.

Aqui podemos dizer que quando a Shekinah está vagando no exílio, ela é chamada Adonai, mas quando ela
é restaurada ao seu devido lugar, a Morada Superna, ela é chamada de Elohim; daí o nome da Shekinah é
Elohim quando ela é estabelecida em toda a sua glória e poder. Como já indicamos anteriormente, toda a
sua glória e poder correspondem à correta disposição dos Partzufim, dos tikkunim dos Olamot e das
Sefirot, e da unificação de Yahweh e Elohim acima e abaixo; isso transparece através do aparecimento do
Messias ressuscitado para a Santa Noiva, a Madalena, e a Grande Ascensão que acontece em seus braços.

Como sabemos, toda a história da Santa Noiva, sua juventude, seu exílio, seu retorno do exílio, sua
redenção e seu trabalho espiritual como co-redentor com Yeshua Messias, todos representam profundos
ensinamentos esotéricos sobre o retorno da Santa Shekinah. exílio e a realização da Jerusalém celestial ou
Malkut de Atzilut; ela é o Partzuf abaixo de Malkut, Shekinah (Nukva, Kallah), e Adonai Yeshua é o Partzuf
do Filho e Rosto Pequeno (Ben, Zer Anpin), e seu abraço é o tikkune deste mundo, o mundo dos anjos, o
mundo de arcanjos e almas, e o Mundo das Santas Sefirot, ou o Nome. Quando eles estão unificados
abaixo em perfeito desenvolvimento, Imma e Abba são atraídos para a união acima, e assim há um influxo
de Arik Anpin, Misericórdia Suprema governando Malkut; daí, Malkut se manifesta como a “rosa de treze
pétalas”.

Quando uma Rosa Cruz é formada com uma rosa de treze pétalas, sete são brancas e seis são vermelhas, o
maior número de pétalas brancas indica a regra da Misericórdia, bem como outro mistério esotérico
profundo relativo à geração do Corpo Solar da Ressurreição.

“Sou uma rosa de Sharon, um lírio do vale”, esse é o estado humilde da Santa Shekinah no exílio, ou parcial
e incompleta; “Como uma rosa entre os espinhos, assim é o meu amor entre as filhas”este é o estado
exaltado da Santa Shekinah em plena glória e poder, retornado de seu exílio, completo. "Como uma rosa
entre os espinhos, assim é o meu amor entre as filhas", as treze pétalas desta rosa são os Treze Atributos
da Misericórdia, a Ação Divina completa da Shekinah de Yahweh como Elohim iluminando e libertando
espíritos e almas, os espinhos, ou filhas de Jerusalém, esta é a Divina Ação da Santa Shekinah manifestada
como o aparecimento do Juízo e da Misericórdia, tudo por causa da Misericórdia Suprema; os “espinhos”
correspondem ao seu movimento através de klippot em prol da Misericórdia, e as “filhas” correspondem
ao seu movimento através dos Poderes Divinos e sua aparência dentro de cada um dos Atributos Divinos
(Sefirot).

Como sabemos, no início do pronunciamento dos Treze Atributos da Misericórdia há a


proclamação "Yahweh Yahweh", e se as treze pétalas da rosa são os Atributos da Misericórdia, então o
próprio centro desta Santa Rosa é "Yahweh, Yahweh". Contemple isso bem, e entenda!

Isso corresponde a "Você e seu nome são um"e sugere um profundo mistério esotérico. Primeiro, de
acordo com os mestres da tradição, a dupla declaração de Yahweh pode-se ler Yahweh Yeshua, Yeshua, o
Messias, sendo a revelação de Yahweh, o Continuum de Luz, e a manifestação da Abundante
Misericórdia. A dupla declaração de Yahweh, no entanto, também indica a Primeira Vinda e a Segunda
Vinda do Messias, a Segunda Vinda correspondendo com a maior revelação e derramamento do Espírito
de Yahweh.

Ouça e ouça e entenda! Quando o Messias Ressuscitado apareceu neste Mundo, a regra do Juízo foi
suspensa para aqueles que crêem e se apegam ao Messias Melekh, sendo que Malkut se manifesta sob o
domínio da Misericórdia, Misericórdia Abundante manifesta; naquele mesmo instante, naquele dia
sagrado, o tikkune de todos e a salvação de todos foram realizados. No entanto, há um trabalho em curso
para o tikkune de todos, a salvação de todos ou o cumprimento de todos, para que aqueles que acreditam
e que se apegam sejam co-redentores do Messias e co-criadores de El Elyon; e como tal, enquanto a
revelação de Yahweh ocorreu em Adonai Yeshua, e Misericórdia Abundante foi manifestada, assim na
Segunda Vinda há uma revelação maior de Yahweh e maior manifestação de Misericórdia Abundante. Isto
corresponde ao ensinamento do Mestre no Evangelho de São“Eu joguei fogo sobre o mundo, e olhe, estou
cuidando dele até que ele apareça” (Dizer 10). “Eu lancei fogo sobre o mundo”, esta é a primeira
declaração de Yahweh, a Primeira Vinda, e “estou cuidando dela até que apareça”, esta é a segunda
declaração de Yahweh, a Segunda Vinda do Messias em Glória.

Aqui podemos falar em um segredo aberto. Na Primeira Vinda, o influxo total da Luz Superna foi recebido e
corporificado em nosso Senhor e Senhora, e o Continuum de Transmissão de Luz Superna se
manifestou; mas a aurora maior da Consciência Superna ou Messiânica está na Segunda Vinda, quando
uma matriz maior de almas é capaz de receber o pleno Afluxo Supernal, incorporando-o e transmitindo-o
neste Mundo. Então o mundo estará em chamas com o “fogo nuclear espiritual” da Consciência Supernal,
a Grande Transformação ocorrendo.

É dado que podemos falar outro mistério secreto, para aqueles que têm ouvidos para ouvi-lo, ou para
aqueles que podem entender. Como ensinamos, na Segunda Vinda, Malkut é chamado Elohim e, já nos
primeiros ciclos da Segunda Vinda, isso está sendo manifesto entre nós; mas na fruição da Segunda Vinda,
Malkut será chamado Yahweh, “Ele e Seu Nome” sendo completamente Um (Achad). Assim, na unificação
completa de Yahweh e Elohim acima e abaixo, Elohim se torna Yahweh; esta é a aurora do Eterno Shabbat,
ou Mundo-Para-Vem, pois no Eterno Shabat não há Julgamento.

Em que o Humano é citado como a causa da queda, o Humano é o veículo da retificação, ou a Grande
Ressurreição e Ascensão. Isso é prefigurado em Nosso Senhor e Nossa Senhora, nosso Irmão Mais Velho e
Irmã Mais Velha, e recebendo o Espírito do Messias, Misericórdia Abundante, assim somos chamados
como co-redentores para realizar esta Grande Obra. Nossa capacidade de despertar no Messias e de servir
como co-redentores com ele corresponde ao grande mistério de como é ordenado em El Elyon que
Malkut, “que não tem luz própria”, é modelada de modo a gerar luz e dar algo "novo" em troca, ou
devolver algo "mais" do que ela recebeu.

No retorno do Santo Shekinah de seu longo exílio algo novo, algo incrível e maravilhoso, é gerado!

Sobre a frase“Quem criou estes?” Mi, “Quem” é um cognome de Binah ou Imma, e “estes” é um cognome
das sete Sefirot da Construção; “Estes” emanam de “Quem”. Quando Imma é impregnada por Abba, há
também a geração das Sete Sefirot de Construção de Atzilut, e “estas” por sua vez dão origem às Sefirot de
Beriyah, Yetzirah e Asiyah, o veículo através do qual Ratzon Elyon, a Vontade do Altíssimo, é realizado e
realizado.

“Quem criou estes?” “Quem” é Imma (Binah) impregnada por Abba (Hokmah), e “estes” são Zer Anpin (os
Seis) e Nukva (Malkut), que emanam da união de Abba e Imma, Imma sendo a mãe que deu à luz.

Aqui podemos dizer que a união de Abba e Imma corresponde à Abundante Misericórdia, pois através
desta união o influxo de Arik Anpin é manifesto; e a geração de Zer Anpin e Nukva corresponde à Mercê
Simples, que é o veículo através do qual a Misericórdia Abundante é realizada. Quando Zer Anpin e Nukva
são unificados, e Nukva (Filha) se torna Kallah (Noiva), Misericórdia Abundante é manifestada abaixo como
acima, e com este Influxo Supernal, assim a Grande Transformação e a Grande Ascensão transpiram.

Podemos contemplar isso no contexto do Partzufim acima e do Partzufim abaixo.

O Shema, de fato, pelo caminho proclama a unidade de todos os Atributos Divinos e Partzufim - existe um
Deus, o Infinito (Ain Sof).

Há mais coisas que podem ser ditas sobre os mistérios que cercam "Quem criou estes", mas isso parece
suficiente para o momento.

Ó Yahweh, louvamos e abençoamos o Seu Santo Nome, e damos graças a Ti pela revelação dos Teu
Santo Mistérios, a entrega da Tua Santa Luz; Que a Tua Sagrada Luz brilhe intensamente neste dia,
abençoando todos os que desejam recebê-la. Um homem.

Javé Shalom!
Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Elder Gideon
Administrador do site

O filho e o rostinho


# 12 Post seg Dez 03, 2012 9:31 pm
Shalom Tau Malachi e seus amigos!

É muito esclarecedor ouvir essas relações integradas em torno das condições da Abundante Misericórdia e
da Simples Misericórdia. Espero reconhecer isso como uma oportunidade possível no que o Élder Sarah +
ressuscitou de Isaías 40:26: "Quem os criou?" para simplesmente perguntar sobre a nuance que você criou
neste verão entre Zer Anpin e Ben, pois isso parece essencial para o lançamento de Abundant Mercy.

Na Gnose do Cristo CósmicoDa'at é atribuído à coroa de Zer Anpin, as seis sefirot de Hesed a Yesod. Eu
também vi em todo o fórum escritos neste verão Ben sendo distinguido de Zer Anpin pelo atributo de Ben
para Da'at. No discurso do Zohar, você recentemente compartilhou Ben como o que está oculto de Cristo e
Zer Anpin como o que é revelado de Cristo. Tudo isso gira em torno do que você compartilhou, por

Como sabemos, toda a história da Santa Noiva, sua juventude, seu exílio, seu retorno do exílio, sua
redenção e seu trabalho espiritual como co-redentor com Yeshua Messias, todos representam profundos
ensinamentos esotéricos sobre o retorno da Santa Shekinah. exílio e a realização da Jerusalém celestial ou
Malkut de Atzilut; ela é o Partzuf abaixo de Malkut, Shekinah (Nukva, Kallah), e Adonai Yeshua é o Partzuf
do Filho e Rosto Pequeno (Ben, Zer Anpin), e seu abraço é o tikkune deste mundo, o mundo dos anjos, o
mundo de arcanjos e almas, e o Mundo das Santas Sefirot, ou o Nome. Quando eles estão unificados
abaixo em perfeito desenvolvimento, Imma e Abba são atraídos para a união acima, e assim há um influxo
de Arik Anpin, Misericórdia Suprema governando Malkut; daí, Malkut se manifesta como a “rosa de treze
pétalas”.

Isso ecoa algo que você disse no fórum Pistis Sophia,

Através do Messias, Nukva se torna Kallah, a Noiva, e ela é exaltada, entronizada sobre Binah-
Understanding, e ela se torna Imma, a Mãe, concebendo, gestando e dando à luz; primeiro, Nukva se une a
Zer Anpin (Carinha), e depois Ben (o Filho) e ela é chamada Kallah, e quando Ben e Kallah estão em união,
também Abba e Imma, o Pai Superno e a Mãe Superna estão em união. - daí a unificação de Yahweh
Elohim, e o derramamento de Abundante Misericórdia.

Estou ouvindo que, quando Nukva se torna Kallah em sua união com Zer Anpin, Zer Anpin se torna Ben em
sua união com Kallah? É o que significa Ben com Kallah 'abaixo' da mudança da qual estamos falando entre
Abba e Imma 'acima' que abre as portas da Abundante Misericórdia?

Se assim for, há ainda outro mistério ainda mais fascinante à luz de uma citação do Cântico dos
Cânticos apoiando a mesma porção do Zohar, Élder Sarah + citada acima: " A coroa com a qual sua mãe o
coroou no dia de seu casamento, no dia de a alegria de seu coração. "(3:11)

Se isso está próximo da marca, de como Zer Anpin se torna Ben, o dia da alegria de seu coração agora
parece que a Noiva Sagrada retornou para ele de seu exílio.Sete Sefirot de Construção criadas por Who
- Binah então são curadas em tal "dia de alegria", marcado por sua coroação, manifestando Abundante
Misericórdia até Malkut, devolvendo-a ao seu devido lugar sob Hesed.

Com gratidão, o

Élder Gideon +
T
o
p
o
Sheryl
Administrador do site

Tikkune de Zer Anpin


# 13 Post Qua Dez 05, 2012 8:48 am
Shalom Caros Amigos!

Louvor a Elohim por este desdobramento de bênçãos! Muitos pensamentos deliciosos começaram a girar
em torno da contemplação desses ensinamentos.

Ao ler a pergunta do Élder Gideon, vem à mente o tikkune de Zer Anpin, do qual Tau Malachi disse:

O tikkune de Zer Anpin está no discurso sagrado, na transmissão de novos ensinamentos e interpretações
da Santa Torá e do Evangelho, especificamente nas revelações contínuas do Evangelho.

Podemos dizer que o tikkune de Zer Anpin está se tornando Ben no abraço de Kallah? Se assim for, você
pode falar, querido Tau, sobre como a transmissão de ensinamentos e as revelações contínuas do
Evangelho neste mundo desempenham um papel em Zer Anpin tornando-se Ben?

Particularmente depois do nosso bate-papo na terça-feira à noite, sobre o poder criativo do discurso,
parece que talvez nisto estamos tocando o mistério do discurso em todos os olamots. E vem à mente que
falar para criar em alinhamento com a vontade de El Elyon é uma conexão e encontro mais íntima,
refletida na transmissão de ensinamentos e Novas Revelações pelo Apóstolo da Luz, trazendo à mente o
Santuário da Graça interior.

Que as bênçãos dos ensinamentos e Novas Revelações continuem a fluir neste mundo através dos
Apóstolos da Luz.

Sheryl
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Olhando mais fundo no mistério ...


# 14 Post Qua Dez 05, 2012 5:29 pm
Graça e paz para você em Hayyah Yeshua, o Messias ressuscitado!

“Veja, ó filhas de Sião, no rei Salomão, na coroa com a qual sua mãe o coroou no dia de seu casamento, no
dia da alegria de seu coração” (Cântico de Salomão 3:11).

Mais uma vez as “filhas” são mencionadas, as servas da Shekinah, Malkut e “Rei Salomão” aqui
correspondem a Zer Anpin, o Seis, o “dia do seu casamento” e a “alegria do seu coração” corresponde à
união de Zer Anpin e Nukva, Nukva tornando-se Kallah. O “dia do seu casamento” também corresponde a
Yesod, a Sefirá de união entre Zer Anpin e Nukva, e a “alegria do seu coração” é Tiferet, que brilha quando
Nukva e Zer Anpin estão unidos. A "mãe", claro, é Binah-Imma, e assim a "coroa" é, de fato, Da'at. Assim
como nesta união Nukva se torna Kallah, assim através desta união sagrada Zer Anpin é elevado e se torna
Ben - ambos são elevados nesta união, e quando eles concebem e dão à luz, eles são a imagem e
semelhança de Imma e Abba, e algo da Luz Sagrada de Arik Anpin brilha com,

"Quem criou estes", de fato!

Considere por um momento a seguinte imagem, a Santa Noiva, a Madalena, o Senhor e os doze discípulos
reunidos em volta dele, e considere o derramamento do Espírito do Messias, que é um influxo de Arik
Anpin, ou Atik Yomin, que transpira através desta matriz de grandes almas. Ouça e ouça e entenda! Existe
a Madalena, Nukva ou Kallah, abaixo, e existe o Senhor, Zer Anpin, ou Ben, abaixo, e através de sua
unificação no Espírito do Messias, o influxo total das Supernais é invocado. Mas olhe e veja, há a Noiva
Sagrada, Malkut, e há o Senhor e doze discípulos, ou “treze salvadores”, treze atributos da misericórdia! O
Senhor corresponde ao primeiro Atributo, El (Deus), e os discípulos, ou apóstolos, correspondem aos doze
atributos remanescentes da Misericórdia; conseqüentemente,

Você pode recordar a Pistis Sophia ensinando sobre os doze poderes dos doze salvadores; em nossa Cabala
Cristã, uma interpretação central desses poderes são os doze Atributos da Misericórdia que fluem do
Messias, El. Assim, contemplando esses Atributos da Misericórdia, contemplamos esses poderes e
compreendemos a totalidade do Primeiro Círculo como a manifestação da Misericórdia Abundante.
Se considerarmos a configuração do Primeiro Círculo, entendendo o Senhor e a Noiva Sagrada como um
só, também existe o Sol Espiritual no centro da Roda do Zodíaco, os doze discípulos, Hokmah-Abba sendo
refletidos abaixo, e, portanto, o pleno influxo de Hokmah-Abba sendo invocado e recebido; “Aqueles que
vêem o Filho (Ben) viram o Pai (Abba).”Quando o Filho é a perfeita imagem e semelhança do Pai, assim a
coroa do Filho é a Coroa Celestial, Keter ou Eheieh.

Há uma coroa e há uma coroa, mas como sabemos, estas duas são uma coroa sagrada acima e abaixo!

Agora existem todos os tipos de diferentes graduações de novos ensinamentos e novas revelações que
podem ser compartilhadas, e como conhecemos o discurso sagrado, o compartilhamento de novos
ensinamentos e revelações, é o veículo do tikkune ou retificação das Sefirot compondo Zer Anpin, como
bem como Ben. Da mesma forma sabemos que para dar um novo ensinamento ou nova revelação, deve
haver um desejo e capacidade de recebê-lo, de modo que para dar um novo ensinamento ou revelação e
realizar tikkune deve haver recepção desse ensinamento ou revelação, que é para dizer a compreensão do
que foi ensinado ou revelado. Assim, para novos ensinamentos e revelações de graus mais elevados a
serem dados, e novos anjos e céus gerados por eles, ou tikkunim realizados, deve haver almas capazes de
recebê-los e compreendê-los, e assim com entendimento, capaz de perceber e incorporar a verdade e a luz
reveladas. Um tsadic pode incorporar uma grande realização espiritual, e pode ter grande conhecimento,
compreensão e sabedoria, tendo conhecimento de profundos mistérios esotéricos, mas se eles não têm
uma comunidade espiritual para compartilhar, ou companheiros espirituais que podem receber e entender
sua Cabala. , então eles não podem transmitir o poder espiritual de sua realização e conhecimento, mas ao
contrário, seu conhecimento permanece oculto, oculto, não revelado. Quanto maior a gradação das almas
que estão reunidas ao redor delas, no entanto, quanto mais seus companheiros espirituais puderem
receber e compreender, e por sua vez compartilhar, quanto mais um tsadic santo puder transmitir do
conhecimento e poder que incorporam, maiores serão os ensinamentos e revelações. eles podem dar, e da
mesma forma, quanto maiores forem as obras espirituais que eles podem realizar.

Considere o que nos é dito na Pistis Sophia sobre a Madalena como o mais íntimo discípulo do Mestre, e
como co-pregador e co-redentor com ele. Ela era uma alma de um grau muito elevado e, como tal, ela era
capaz de receber e compreender o conhecimento de grandes mistérios muito bem, e da mesma forma, ela
tinha seu próprio conhecimento e compreensão dos mistérios e insights profundos. Como tal, através de
seu conhecimento e compreensão, ela foi capaz de compartilhar percepções e interpretações, e ela foi
capaz de fazer perguntas sondando profundamente os mistérios, extraindo ensinamentos e revelações
maiores do Cristo ressuscitado. Porque ela podia fazer isso, todos os presentes eram abençoados e
recebiam benefícios, pois também ouviram e receberam os ensinamentos e revelações que foram
extraídos.

Também, a esta luz, considere a revelação do Cristo ressuscitado ao Primeiro Círculo relatado na Pistis
Sophia; se não fosse por essas poucas grandes almas, os ensinamentos e revelações de Cristo ressuscitado
não teriam sido recebidos neste mundo. De fato, de uma geração a outra, até hoje, desde a revelação
inicial do Cristo ressuscitado, se não fosse por algumas grandes almas em cada geração, o verdadeiro
conhecimento, a compreensão e a sabedoria desses santos mistérios seriam perdidos, e a Continuum de
Light Transmission não estaria neste mundo. Os tsadikim vivos e seus pequenos círculos de amigos
espirituais seguram e ancoram literalmente este Conhecimento Sagrado e Luz na humanidade nesta
terra; e quanto maior a assembléia, maior a Transmissão de Luz, ensinamentos e revelações,

A manifestação ideal de um Círculo Sagrado ou Comunidade Espiritual é esta: Há um grande tsadic, um


tsadic perfeito, que é um Sol do Céu (ou “Lâmpada Sagrada”), e seus companheiros espirituais próximos,
seu círculo interno, é composto de almas de graus elevados, e são todos tsadikim. O número ideal que
compõe tal círculo sagrado é treze ou vinte e seis, e na manifestação mais ideal há um equilíbrio entre o
masculino e o feminino, homens e mulheres unidos para compor o Corpo Vivo, o Zelem do Grande Seth.
. Algo disto, é claro, aconteceu com a matriz de almas reunidas ao redor do Messias Yeshua, e assim um
Influxo Supernal radical e revelação de grandes mistérios ocorreram - uma Grande Cabalá.

Agora, como sabemos, quando novos ensinamentos ou novas revelações são dadas, os tikkunim de Zer
Anpin são realizados, mas esses tikkunim assumem um círculo ou comunidade capaz de receber e
compreender os ensinamentos ou revelações; quando este é o caso, Nukva é unida a Zer Anpin, enquanto
a comunidade é unida ao tsadic. Os tikkunim que são realizados dependem da gradação do ensino ou da
revelação dada e de como ela é dada, seja falando em discurso sagrado na assembléia, falando em sonhos
ou falando em visão; quanto maior o ensinamento ou revelação, mais longe se chega em Zer Anpin, e
quando falar em discurso sagrado e falar em visão é unido como um, ou com falar em discurso sagrado há
conhecimento direto e entendimento, então um novo ensinamento ou revelação alcança nos aspectos
mais internos de Zer Anpin.

Como foi ensinado, Da'at ou Ben correspondem com o que é makifin, conhecimento transcendente ou
oculto dos mistérios da criação, Cristo e Deus, e Tiferet ou Zer Anpin correspondem com o que é p'nimi,
conhecimento internalizado e revelado dos mistérios. da criação, Cristo e Deus. Quanto mais um tsadic
pode compartilhar o poder de sua realização espiritual e seu conhecimento com seus companheiros, então
quanto mais o que é makifin se torna p'nimi neles; portanto, o que de outra forma permaneceria
transcendente ou oculto, será internalizado e corporificado, e será transmitido. Como isto acontece, e
como grandes e supremos mistérios, e maiores revelações são dadas e recebidas, assim pode haver
tikkunim de Ben, um alcance em Ben (Da'at); tikkunim de Ben correspondente com ensinamentos e
revelações de gradações mais inferiores,

A verdadeira natureza do tikkunim de Ben, no entanto, corresponde a “ensinamentos secretos” ou


“mistérios secretos”, enquanto o tikkunim de Zer Anpin corresponde a “ensinamentos internos” ou
“mistérios internos”. A distinção é essa, mistérios internos. pode ser falado e explicado, mas os mistérios
secretos não podem ser falados e explicados, pois são conhecidos e compreendidos apenas por meio da
experiência direta. Assim, ensinamentos secretos, ou mistérios secretos, correspondem às gradações mais
profundas da Transmissão de Luz, ou uma revelação experiencial, e são “coisas mostradas”, ou são
transmissões de alma a alma, mente a mente e de coração para coração. através do qual há conhecimento
direto e entendimento além de conceitos e palavras. Se e quando novos ensinamentos ou revelações são
comunicados dessa maneira, os tikkunim de Ben são realizados.

Como sabemos em nossa própria experiência, esses dois modos de comunicar novos ensinamentos e
novas revelações podem ser completamente entrelaçados para que os tikkunim de Zer Anpin e Ben
possam ser realizados juntos em um mesmo movimento; ao mesmo tempo na assembléia alguns podem
receber ensinamentos internos e alguns ensinamentos secretos, formar um a outro, vários ensinamentos e
revelações estão sendo recebidos, todos baseados no desejo e capacidade de cada um receber, tudo como
ordenado por Deus ( El)

A Santa Noiva foi a companheira que Adonai Yeshua “beijou na boca”mais, e isso foi uma causa de ciúmes
entre alguns de seus outros discípulos. Esta frase implica que a Madalena tinha uma capacidade única de
receber ensinamentos secretos, ou transmissões de alma a alma, de mente para mente e de coração para
coração, através das quais o conhecimento, a compreensão e a sabedoria mais íntimos e diretos
surgiram; portanto, ela era, de fato, a mais íntima discípula ou companheira do Senhor, e foi capaz de
incorporar o Espírito do Messias por completo, como fez o Senhor. Assim, através de seu abraço espiritual
mais íntimo, os tikkunim de Ben foram realizados, os quais por sua vez alcançaram Imma e Abba, e Arik
Anpin.

Você vê, se e quando há uma transmissão de “ensinamentos secretos” ou “mistérios secretos”,


correspondendo a Ben, o conhecimento e o poder das Supernais estão sendo transmitidos, e há “visão” em
Imma, Abba e Arik Anpin; pode até haver consciência dos mistérios de Atik Yomin e Adam Kadmon,
embora tal conhecimento seja completamente makifin neste Mundo, tornando-se p'nimi somente no
Mundo-Que-Está-Vindo.

É dado aqui que podemos falar em um segredo aberto. Nesse Malkut é chamado de Comunidade de Israel,
e Malkut é Nukva e Kallah, então há duas gradações de círculo sagrado ou comunidade, uma
correspondente a Nukva e outra com Kallah. Por um lado, podemos falar de uma comunidade espiritual
composta de um círculo externo e um círculo interno, o que é comum nos círculos místicos tradicionais, o
exterior corresponde a Nukva, o interior com Kallah. Por outro lado, porém, podemos também falar de
dois estágios no desenvolvimento e evolução do círculo sagrado ou da comunidade, semelhante aos dois
estágios do desenvolvimento e evolução de um iniciado individual no caminho, um estágio de geração
(Ma'aseh Bereshit) e fase de fruição, (Ma'aseh Merkavah);

Correspondendo a isso, em ambas as interpretações, o santo tsadic corresponde a Zer Anpin ou a Ben; daí,
a revelação do tsadic no círculo externo e a revelação do tsadic no círculo interno, e a manifestação do
tsadic durante a geração do círculo e a manifestação do tsadic na fruição do círculo.

Aqui podemos dizer isso, o círculo externo corresponde à Misericórdia Simples e o círculo interno
corresponde à Misericórdia Abundante; do mesmo modo, o estágio de geração do círculo corresponde à
Misericórdia Simples, e o estágio de fruição corresponde à Misericórdia Abundante.

Olhe e veja, e entenda! Outro nome para Yesod-Foundation, é “Reciprocidade”, o equilíbrio entre Domínio
e Submissão (Netzach e Hod), e assim é ordenado em Deus (El) entre tsadic e comunidade; tsadic eleva as
almas de seus companheiros, sua comunidade, mas então, em fidelidade e devoção, a comunidade eleva a
alma do tsadic. Esta é a manifestação da Abundante Misericórdia, quando amamos a Deus e amamos uns
aos outros. Contemple isso bem e entenda!

Mas eu direi isto, não busque a compreensão do ego, pois isso é ignorância, em vez disso, busque-o de sua
alma, os aspectos internos de sua alma - busque a compreensão no amor, a consciência da unidade inata.

Como nos elevaremos uns aos outros? Todos nós temos um papel a desempenhar; todos nós temos uma
responsabilidade um pelo outro. Como nos amaremos uns aos outros? Eu direi isto, no Messias somos
todos ungidos, e então todos nós devemos viver como tsadic, em mente, coração e vida, porém isso pode
ser encarnado por cada um de nós. Neste Abundante Misericórdia é manifesto, e assim há uma maior
incorporação do Espírito do Messias. Louvado seja Deus (El)!

Há mais em meu coração, mas o silêncio chegou.

Deus te abençoe e Deus te mantenha!


Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
JeffK

Re: Olhando mais fundo no mistério ...


# 15 Post Qui Dez 06, 2012 9:55 am
Tau Malachi escreveu:Olhe e veja, e entenda! Outro nome para Yesod-Foundation, é “Reciprocidade”, o
equilíbrio entre Domínio e Submissão (Netzach e Hod), e assim é ordenado em Deus (El) entre tsadic e
comunidade; tsadic eleva as almas de seus companheiros, sua comunidade, mas então, em fidelidade e
devoção, a comunidade eleva a alma do tsadic. Esta é a manifestação da Abundante Misericórdia, quando
amamos a Deus e amamos uns aos outros. Contemple isso bem e entenda!

Mas eu direi isto, não busque a compreensão do ego, pois isso é ignorância, em vez disso, busque-o de sua
alma, os aspectos internos de sua alma - busque a compreensão no amor, a consciência da unidade inata.

Como nos elevaremos uns aos outros? Todos nós temos um papel a desempenhar; todos nós temos uma
responsabilidade um pelo outro. Como nos amaremos uns aos outros? Eu direi isto, no Messias somos
todos ungidos, e então todos nós devemos viver como tsadic, em mente, coração e vida, porém isso pode
ser encarnado por cada um de nós. Neste Abundante Misericórdia é manifesto, e assim há uma maior
incorporação do Espírito do Messias. Louvado seja Deus (El)!

Obrigado por suas palavras orientadoras. Vindo de um meio cristão do meio-oeste, ao tentar entender a
luz / energia, eu penso em yoga, Dzogchen ou termos taoístas.

O que você disse em seu post também pode ser descrito como ...?

Uma verdadeira conexão energética / luz é criada entre amigos espirituais. O tsadic tem menos obstruções
e problemas que obscurecem a luz de Deus, então mais luz / energia flui para os amigos (quase como uma
rede de computadores do coração) que estão conectados. Mas, como as conexões são "bidirecionais", por
meio de interações, os amigos espirituais também podem ajudar o tsadic a encontrar seus próprios
problemas / obstruções despercebidos. Como as obstruções são "liberadas" por qualquer das partes, a luz
/ energia flui mais livremente (ou cresce). Assim, através da interação com os outros, as coisas vão mais
rápido (contanto que realmente nos rendamos ou deixemos de lado o problema / obstrução subjacente).

Obrigado.

Paz, luz e amor, Jeff


T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Elevação através da Graça Divina


# 16 Post Sex Dez 07, 2012 11:40 am
Graça e paz para você em Hayyah Yeshua!

Em geral, os tsadikim têm um profundo e íntimo conhecimento dos tikkunim das almas, de sua própria
alma e das almas dos outros; Tendo uma comunhão contínua com os espíritos dos tsadikim e dos
maggidim, ou “santos e anjos”, independentemente de suas interações com seus companheiros, há uma
purificação contínua, removendo qualquer klippot ou barreiras que possam surgir. Também é verdade que
muitos dos klippot que os tzaddikim praticam não são seus, mas são os de seus companheiros, pois eles
têm o poder espiritual para entrar em klippot e não serem vencidos por eles, e assim são capazes de atrair
e elevar. faíscas ligadas a eles.

Existe, de fato, um jogo intrigante de descer e subir, correndo e retornando, por causa de ensino e
iniciação, ou Transmissão de Luz entre os tsadikim. Existe o que pode ser chamado de “degrau próprio” ou
“grau” do tsadic, correspondendo à sua realização espiritual, à consciência superior e à maior inteligência
que elas incorporam, e ao conhecimento e poder que adquiriram. Basicamente falando, muitas vezes, para
compartilhar ensinamentos ou capacitações, ou envolver a Transmissão de Luz, eles descerão de seu
degrau ou grau apropriado, restringindo a presença e o poder que neles há. Assim, eles vão se aproximar
do grau do companheiro, ou companheiros, eles estão em uma troca de faíscas, com o tsadic se
encontrando com os companheiros no “chão deles”, como se estivessem, enquanto buscavam elevar seus
amigos a um grau mais elevado. . No começo, na maioria das vezes, um tzaddik nos encontrará em nosso
próprio território, nosso nível ou grau, procurando nos ajudar a elevar-nos ao próximo nível de nível
possível para nós. Ao fazer isso, naturalmente, eles estão entrando em nossa visão kármica e continuidade
kármica, ou em nosso klippot. No início, isso é necessário, porque não sabemos como nos elevar muito, ou
como receber uma dança maior da Santa Shekinah e permitir que o Espírito Santo eleve nossa alma ou
consciência em uma ascensão mais radical. Simplificando, não podemos encontrar nosso tzaddik próximo
ou em seu “terreno”, ou em seu próprio degrau ou grau. Com o passar do tempo, no entanto, à medida
que crescemos e amadurecemos, e progredimos no Evangelho, ou nossa auto-realização no Messias, mais
e mais somos capazes de elevar nossa alma, nossa consciência, e podemos nos aproximar do degrau ou
grau de nosso tsadic. Como somos capazes disso, haverá uma reciprocidade cada vez maior, e mistérios
maiores, maior conhecimento e poder, podem ser comunicados a nós, e nossa experiência da Transmissão
de Luz também crescerá e aumentará, nosso tsadic sendo capaz de compartilhar plena força de sua
realização espiritual conosco. Desta forma, nós co-criamos as condições para maiores movimentos da
Graça Divina, novos ensinamentos e novas revelações de graus muito elevados; através de movimentos
maiores da Graça Divina, da Santa Shekinah e do Espírito Santo, o tsadic e seus companheiros podem
experimentar elevações ou subidas radicais da alma ou da consciência, e o conhecimento e poder
correspondentes dos mistérios. e maiores mistérios, maior conhecimento e poder, podem ser
comunicados a nós, e nossa experiência da Transmissão de Luz também crescerá e aumentará, nosso
tsadic poderá compartilhar toda a força de sua realização espiritual conosco. Desta forma, nós co-criamos
as condições para maiores movimentos da Graça Divina, novos ensinamentos e novas revelações de graus
muito elevados; através de movimentos maiores da Graça Divina, da Santa Shekinah e do Espírito Santo, o
tsadic e seus companheiros podem experimentar elevações ou subidas radicais da alma ou da consciência,
e o conhecimento e poder correspondentes dos mistérios. e maiores mistérios, maior conhecimento e
poder, podem ser comunicados a nós, e nossa experiência da Transmissão de Luz também crescerá e
aumentará, nosso tsadic poderá compartilhar toda a força de sua realização espiritual conosco. Desta
forma, nós co-criamos as condições para maiores movimentos da Graça Divina, novos ensinamentos e
novas revelações de graus muito elevados; através de movimentos maiores da Graça Divina, da Santa
Shekinah e do Espírito Santo, o tsadic e seus companheiros podem experimentar elevações ou subidas
radicais da alma ou da consciência, e o conhecimento e poder correspondentes dos mistérios. Desta forma,
nós co-criamos as condições para maiores movimentos da Graça Divina, novos ensinamentos e novas
revelações de graus muito elevados; através de movimentos maiores da Graça Divina, da Santa Shekinah e
do Espírito Santo, o tsadic e seus companheiros podem experimentar elevações ou subidas radicais da
alma ou da consciência, e o conhecimento e poder correspondentes dos mistérios. Desta forma, nós co-
criamos as condições para maiores movimentos da Graça Divina, novos ensinamentos e novas revelações
de graus muito elevados; através de movimentos maiores da Graça Divina, da Santa Shekinah e do Espírito
Santo, o tsadic e seus companheiros podem experimentar elevações ou subidas radicais da alma ou da
consciência, e o conhecimento e poder correspondentes dos mistérios.

Podemos considerar a revelação de Cristo ressuscitado aos discípulos no Monte das Oliveiras em relação a
isso, como dito na Pistis Sophia. O Cristo ressuscitado ascende e suas três vestimentas leves são
restauradas para ele, então, tendo ascendido, ele desce em toda a glória e poder desses corpos de luz. Os
discípulos ficam oprimidos pela sua glória e poder, e eles caem em medo e agitação, e eles imploram a ele
para “colocar Jesus de volta”, e com compaixão ele faz. Então ele começa ensinando-lhes os grandes
mistérios do Santo Evangelho, mistérios interiores e secretos. À medida que esses novos ensinamentos e
revelações são dados, sem dúvida os discípulos foram progressivamente elevados até que todo o espectro
da Transmissão de Luz, e os mistérios supremos, pudessem ser dados e recebidos, revelando-se a maior
Verdade e Luz do Cristo Ascensionado. Em si mesmo

O cumprimento do Desejo de Dar requer o Desejo de Receber - os dois são cumpridos uns pelos
outros; quando o Desejo de Receber for completo e cumprido, assim, por sua vez, o Desejo de Dar e a
Capacidade de DAR, surgirão, como vemos com os discípulos do Perfeito Tzaddik (Cristo), que se tornaram
apóstolos sagrados, vivendo tsadikim.

A comunidade de Israel manifestar correspondência com Nukva, corresponde com a descendência de


tsadikim para dar ensinamentos e habilitações em vários graus, eles podem ser recebidos por seus
companheiros, mas a Comunidade de Israel manifestar correspondente com Kallah, isso corresponde com
a ascensão de companheiros para receber ensinamentos e empoderamentos próximos ou no grau dos
tzaddikim. Aqui podemos dizer que a geração e evolução da comunidade espiritual, o Corpo Vivo de Cristo,
é parte integrante dos tikkunim de Nukva e Kallah, e da unificação de Nukva com Zer Anpin, e Kallah com
Ben. Contemple isso bem e entenda!

Agora, o tikkune de Zer Anpin é contemplação e discurso sagrado, a revelação de novos insights e
ensinamentos, e o tikkune de Ben é meditação e a revelação de mistérios secretos, e o tikkune de Nukva é
oração na assembléia, e o tikkune de Kallah é louvor e ação de graças na assembléia, adorando e
regozijando-se na Presença Viva de Deus. Esses tikkunim estão intimamente conectados, pois orações que
trazem tikkune, e adoração que traz tikkune, requerem conhecimento e compreensão dos mistérios, além
dos quais, “ninguém é salvo”, nenhum tikkune é realizado, como ensinado no Pistis Sophia. :

“Eu trouxe a chave dos mistérios do reino dos céus, de outra forma nenhuma carne no mundo seria
salva. Pois sem os mistérios, ninguém entra no reino da Luz, sejam eles justos ou pecadores. Por esta causa,
portanto, eu trouxe as chaves dos mistérios ao mundo, para que eu possa libertar os pecadores que
acreditarem em mim e me escutarem ” (PS 133).

E novamente, está escrito: “ E agora, portanto, como eu vim, abri as portas da luz. E eu abri os caminhos
que levam à Luz. E agora, portanto, aquele que fará o que é digno dos mistérios, que eles recebam os
mistérios e entrem na Luz (Sl 135).

Vamos entender que os tsadikim vivos no Messias Ressuscitado, ou aqueles que chamamos de Apóstolos
Gnósticos, continuam na revelação dos grandes e supremos mistérios do reino dos céus, ou
iluminação; portanto, trazendo conhecimento e poder do céu, uma revelação contínua do Evangelho da
Verdade, o Cristo.

Podemos dizer que o conhecimento dos mistérios, ou a Santa Cabala, é o conhecimento de como invocar o
Nome de Deus e os Poderes Divinos, e como ordenar as Sefirot Sagradas em várias configurações de
acordo com Ratzon Elyon, a Vontade do Mais Alto. Isso é verdade e, no entanto, há algo mais. A palavra
para mistério em hebraico, Raz (Resh-Zain) e a palavra para luz, Ou (Alef-Vau-Resh) são numericamente os
mesmos, como tal, o conhecimento dos mistérios é leve, e assim com conhecimento e compreensão dos
mistérios há poder de luz em nossas orações, contemplações e meditações, a capacidade para uma
concentração de kavvanah muito profunda e perfeita clivagem de desenvolvimento; tais orações
ascendem rapidamente, sem qualquer obstrução, ao Trono da Glória, e tais contemplações e meditações
movem grandes Poderes Divinos,

Quando falamos de comunidade elevando tsadikim, é muito simples; quanto mais elevada a comunidade,
mais o conhecimento e o poder de sua realização espiritual os tsadikim podem incorporar e manifestar, e
mais eles podem alcançar o makifin, o conhecimento transcendente, tornando-o p'nimi,
internalizado. Assim, quanto maiores forem as obras espirituais por causa do reino dos céus, e maior será a
glorificação de Deus no jogo do tsadic e da comunidade; se e quando a plenitude de Ben-Kallah for
manifestada em um círculo sagrado, um grande tsadic com um círculo interno de tsadikim, é como uma
constelação de estrelas na Terra, um Grande Portão de Luz se manifestando neste Mundo.
Se e quando tal círculo ou comunidade vier a existir, também se tornará um veículo de Influxo Supernal
radical, Misericórdia Abundante.

É tudo sobre o Desejo e a Capacidade de Receber combinando o Desejo e a Capacidade de Doar, e estes
dois aspectos do Ratzon-Desire sendo unidos como Um Desejo Santo; quando isso acontece, não há
doador nem recebedor, Deus ora a Deus e Deus revela Deus naquele Lugar (Makom).

Ó Santo, louvamos e abençoamos o Seu Santo Nome e oramos para que Tu e o teu Nome se unam como
Um na terra neste dia; oramos pela bênção de todos em você e em seu nome. Um homem.

Deus te abençoe e que Deus te guarde!


Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Elder Gideon
Administrador do site

El Elyon, El Elyon


# 17 Post Dom Dez 09, 2012 6:06 pm
Venha e veja: Uma vez que as questões do mundo superior estão ocultas, enquanto todas as do mundo
inferior são reveladas, Leah estava escondida na Caverna de Machpelah, enquanto Rachel na revelação da
estrada; um secretamente, um abertamente. Assim, todas as bênçãos participam de dois mundos,
revelados e ocultos. [...] Em todo lugar dois mundos: um revelado, um oculto. Nós sempre abençoamos o
Santo Abençoado com dois mundos, como está escrito: "Bendito seja YHVH, Deus de Israel, de mundo em
mundo" (Salmo 106: 48). Então chamamos o mundo superior de Hu, Ele e o mundo inferior de Attah,
Você. Já que Ele é abençoado do mundo superior, Ele é abençoado do mundo inferior pelo Justo, como está
escrito: "Bendito seja YHVH de Sião, habitando em Jerusalém" - abençoado de Sião, precisamente!

Venha e veja, da mesma forma; "YHVH, YHVH" (Êxodo 34: 6) - duas vezes, dois mundos; um revelado, um
escondido. Então eles estão separados por um sinal de pontuação, mas deste mundo para aquele mundo
tudo é um. (Zohar I: 158a)

Shabat Shalom Tau Malaquias!

Que todas as nossas relações desfrutem deste Shabat, neste dia de alegria e lembrança de Aquela que é a
Rainha do Céu e a Torre do Rebanho, a Santa Shekinah.

As camadas que você desenhou entre Zer Anpin-Nukva e Ben-Kallah personificam os turnos que você
listou. Eles estão me ocupando de muitas maneiras, integrando como ouço os apóstolos escrevendo sobre
o Filho com novos ouvidos.

Como eu estou essencialmente ouvindo as distinções entre esses partzufim são sua expressão do que é
internalizado-p'nimi e o que é encircling-makafin. Um gera o outro. Ao incorporar uma experiência, tomo
consciência de outra que está fora do alcance para a qual alcanço e alcanço - não, até que possa
finalmente alcançar. Eu só "tenho" o mistério ou "agarro" a contemplação quando outro pode entrar
comigo.

Desta dimensionalidade interior-exterior para partzufim como Zer Anpin-Nukva e Ben-Kallah, um belo
insight surgiu em Wedding Feast muito recentemente, onde, no relato de Melquisedeque, sacerdote do
Deus Altíssimo (El Elyon), ouvi seu duplo proclamação de El Elyon, seu primeiro pronunciamento na Torá,
como a fonte de tantas proclamações duplas de nomes Divinos por toda escritura. No Burning Bush, Deus
nomeou o eu de Deus: Eheieh Asher Eheieh . (Êxodo 3:14) Da mesma forma, como já estamos discutindo
acima, o que proclama os Treze Atributos da Misericórdia começa YHVH, YHVH El (ibid. 34: 6). O Sh'ma fala
esta mesma dupla proclamação: YHVH seu Deus, YHVH é um!

Do que foi compartilhado neste verão, ensinamentos radicais de Partzufim, que são novos para meus
ouvidos, a dimensionalidade externa e, em seguida, interna, são mantidos em duplo discurso de Nomes
Divinos. Se eu tiver contemplado esses ensinamentos corretamente, a unificação de Zer Anpin com Nukva
eleva-a a Kallah, que então eleva-o a Ben. Como Ben e Kallah unificam abaixo, Imma e Abba se unificam
acima, invocando a unificação de Arik Anpin com Atik Yomin dentro de Keter de Atzilut, liberando a Luz
Primordial de Adam Kadmon. Em outras palavras, estou sentindo uma reação em cadeia de unificação de
baixo para cima, que abre aberturas de Abundante Misericórdia.

O redemoinho desta contemplação surgiu na Festa do Casamento, a semente da mesma realizada na


proclamação dupla por Melquisedeque de El Elyon., um nome de Keter e além. Eu gostaria de perguntar
como o seu duplo discurso é de alguma forma paralelo à proclamação dupla de YHVH, YHVH El antes dos
Treze Atributos da Misericórdia e como isto é personificado pelo partzufim unificado?

Com gratidão, o

Élder Gideon +
T
o
p
o
Yonah

# 18 Post seg Dez 10, 2012 7:38 pm
Quando falamos de comunidade elevando tsadikim, é muito simples; quanto mais elevada a comunidade,
mais o conhecimento e o poder de sua realização espiritual os tsadikim podem incorporar e manifestar, e
mais eles podem alcançar o makifin, o conhecimento transcendente, tornando-o p'nimi,
internalizado. Assim, quanto maiores forem as obras espirituais por causa do reino dos céus, e maior será a
glorificação de Deus no jogo do tsadic e da comunidade; se e quando a plenitude de Ben-Kallah for
manifestada em um círculo sagrado, um grande tsadic com um círculo interno de tsadikim, é como uma
constelação de estrelas na Terra, um Grande Portão de Luz se manifestando neste Mundo.

Se e quando tal círculo ou comunidade vier a existir, também se tornará um veículo de Influxo Supernal
radical, Misericórdia Abundante.

É tudo sobre o Desejo e a Capacidade de Receber combinando o Desejo e a Capacidade de Doar, e estes
dois aspectos do Ratzon-Desire sendo unidos como Um Desejo Santo; quando isso acontece, não há
doador nem recebedor, Deus ora a Deus e Deus revela Deus naquele Lugar (Makom).

Este é um ensinamento extremamente intrigante. Eu li isso várias vezes e continuo voltando a uma
profunda reverência e me pergunto sobre o assunto. Acho que o que é tão impressionante é o fato de
apontar para os relacionamentos dentro dos relacionamentos. É sobre cada companheiro e tsadic e, em
seguida, todo o círculo. Então se torna sobre toda a assembléia ou Tradição. Como a Segunda Vinda
continua a se desenrolar, isso também será sobre múltiplas comunidades espirituais e eventualmente o
Mundo ...

Isso leva todo o conceito de nossa interdependência a níveis ainda mais altos ... Nós literalmente
dependemos uns dos outros em uma trama que conecta toda a nossa iluminação e libertação em um
movimento.

Isso me faz pensar em grande responsabilidade e grandes bênçãos ... que estamos tão conectados é
inspirador, mas tudo isso significa que precisamos buscar maior desejo e capacidade não apenas para nós
mesmos, mas para todos os nossos irmãos e irmãs ... e nosso Tzaddik!

Isso é algo que eu “conhecia”, mas se tornou experiência através deste segmento.

Shalom, Yonah [/ quote]


Shalom,
Yonah
EPS Coleta de Recolhimento
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Expressão Dupla de Nomes Sagrados


# 19 Post Ter Dez 11, 2012 1:19 pm
Saudações e bênçãos na Santa Luz do Messias!

Primeiro, deve ser dito que os Partzufim de Keter-Crown habitam em união, tal é a natureza de Keter,
então ao invés de uma unificação de Atik Yomin e Arik Anpin, quando Nukva e Zer Anpin e Imma e Abba
são unificados, então existe um influxo da Santa Luz da Coroa, Graça Superior, Misericórdia
Abundante. Assim, a Suprema Graça está sempre presente desde o início, mas até que Masculino e
Feminino, ou dar e receber, sejam unidos abaixo e acima do influxo completo e a revelação desta Luz e
Verdade Sagradas é obstruída, e sua manifestação é parcial e incompleta.

Sempre que um Nome de Deus é falado duas vezes em bênção ou revelação, também corresponde a uma
bênção ou revelação na terra e no céu, abaixo e acima; e estas instâncias da dupla elocução do Nome de
Deus nos ensinam que a plenitude da bênção ou revelação transparece quando há bênçãos na terra e
bênçãos no céu, ou revelação na terra e revelação no céu - somente quando uma bênção ou revelação é
revelada terra e no céu é completa, dada e recebida na íntegra.

Por exemplo, se uma pessoa falasse uma bênção, ou revelação, e essa bênção, ou revelação não fosse
dada no céu, então seria irreal, conjurada ou planejada, e não seria nenhuma bênção ou revelação, tendo
nenhum poder de luz nele. Da mesma forma, se há uma bênção ou revelação dada no céu, mas não é dada
ou manifesta na terra, então essa bênção ou revelação é incompleta, por assim dizer, um potencial não
manifesto. Ao dar uma bênção ou revelação, o céu e a terra devem estar unidos, devem estar em
alinhamento e harmonia, pois é assim que as bênçãos e revelações fluem e se manifestam - a unificação de
“dois mundos”, a realização de sua Unidade Sagrada.

Olhe e veja! Isso é ensinado na Oração do Senhor, para abençoar o Nome de nosso Pai no céu, que é dizer
nosso Pai (Abba) em nossa Mãe (Imma), então o Senhor ora: “Venha o teu reino, faça a tua vontade, a
terra como no céu ” (Mateus 6:10), e então ele invoca o fluxo de bênçãos, ou influxos,“ pão ”, perdão e
proteção divina; mas primeiro ele ora pelo alinhamento e harmonia entre o céu e a terra, e
especificamente ora pela unificação acima e abaixo.

Aqui podemos falar em um segredo aberto. O "pão" corresponde a Tiferet, "perdão" corresponde a Hesed,
e "proteção divina" corresponde a Gevurah, e assim há uma unificação de opostos nessas invocações, e
como sabemos, a Tríade Moral (Hesed-Gevurah- Tiferet) corresponde com a união da Tríade Infernal
(Keter-Hokmah-Binah) e da Ação Triad (Netzach-Hod-Yesod). Embora esta unificação, a Luz Superna chega
em Malkut, Adonai.

Vamos considerar a expressão dupla do Nome de El Elyon (Deus Altíssimo) por Melquisedeque sob essa
luz. O sacerdote-rei, o santo tzaddik, fala este Santo Nome de Deus ao transmitir uma bênção e
capacitação a Abrão e Sarai, reconhecendo uma vitória sobre os reis de Edom (klippot) através do poder de
Deus e sua fidelidade a Deus. Essencialmente, tendo deixado sua terra natal para seguir a Palavra de Deus
e viajar em fé, a derrota dos reis de Edom representou a conclusão de uma ação abaixo e uma
incorporação de sua alma celestial (neshamah) e, portanto, uma agitação abaixo criou uma mexendo
acima, e o Espírito de Deus enviou Melquisedeque para iniciá-los, ou para lhes dar uma bênção e
capacitação. Assim, primeiro Melquisedeque abençoou-os, dando louvores ao que El Elyon fez por eles na
terra, e então Melquisedeque abençoou o Nome de El Elyon, o criador do céu e da terra, uma bênção do
céu. Agora, por tzaddikim sob o antigo pacto, seria dito que primeiro Melquisedeque deveria ter
abençoado o Nome de Deus, e então Abrão e Sarai, mas os tsadikim estabelecidos no novo pacto
entendem que a ordem de bênção aceita por este santo sacerdote. rei seguiu a ordem de bênção na vinda
do Messias, pois na vinda do Messias, primeiro havia a encarnação, encarnação e o ministério terrestre, e
então havia o ministério celestial na ressurreição e ascensão. Assim, para Christian Mekubalim a ordem da
bênção falada por Melquisedeque era uma profecia da vinda do Messias. De fato, por seguir esta bênção, o
Senhor veio a Abrão e prometeu fazer dele uma grande nação, um povo santo, e entrou em aliança com
Abrão, e depois disso Abrão e Sarai receberam novos nomes, e finalmente tiveram um filho juntos,
Isaque. Assim, a geração da grande matriz de almas que receberá o Messias, o Ungido de Deus, deriva da
bênção e fortalecimento dadas por Melquisedeque.

El Elyon, como sabemos, é um Nome de Deus oculto e transcendente, e nisso está a iniciação, ou
concepção, dos eventos que ocorrerão no futuro distante, não na geração de Abraão e Sara, então é o
Nome próprio de Deus para a ocasião; mas podemos dizer que, em termos da geração de Abraão e Sara,
essa bênção abre o caminho para que Abraão receba uma revelação direta do Senhor e faça um convênio
com o Senhor. Da mesma forma, em que a revelação que foi dada a Abraão após esta bênção foi uma
profecia de Êxodo, por extensão, ela abre o caminho para a revelação direta do Senhor a Moisés na sarça
ardente e no Monte Sinai, as revelações correspondentes a Eheieh. Asher Eheieh e Yahweh, Yahweh El,
respectivamente.

Existem dois nomes sagrados de Keter, El Elyon e Eheieh, e El Elyon corresponde ao aspecto oculto de
Keter, enquanto Eheieh corresponde ao aspecto revelado de Keter. Assim, El Elyon foi falado duas vezes
durante o tempo de iniciação, concepção, enquanto os maiores mistérios e poder do Santo permanecem
ocultos, mas Eheieh foi falada duas vezes durante o tempo da revelação no início do êxodo, quando os
maiores mistérios e o poder do Santo começa a ser revelado. Então, uma vez que o êxodo aconteceu, e o
incrível poder do Santo foi revelado, e a revelação da lei e os grandes mistérios do Santo foram dados,
YAOHUH ULHIM falou duas vezes, indicando uma fruição e conclusão.

Primeiro, há a dupla bênção de El Elyon, depois Eheieh e depois Yahweh, e estes emanam um do outro,
Eheieh de El Elyon, Yahweh de Eheieh, todos ocultos e contidos em El Elyon desde o início, na
concepção; Eheieh é o início da revelação, Yahweh a fruição da revelação, mas, no entanto, El Elyon
permanece, por grande que seja a revelação do Santo, o que está oculto do Santo é infinitamente maior, e
o Santo permanece completamente transcendente - Ain Sof , o um sem fim.

Esta verdade está no Shemá, pois "Yahweh seu Deus" é tudo o que é revelado de Deus, e "Yahweh é Um" é
o que está oculto de Deus, para quem entre nós pode conhecer e compreender a Singularidade Absoluta
do Deus Único, o Infinito e Eterno?

Aqui devemos chamar a atenção para outro aspecto do mistério a respeito da dupla expressão desses
Santos Nomes; um ser humano, Melquisedeque, proferiu El Elyon, mas é a Santa Shekinah que pronuncia
Eheieh e Yahweh - só Deus pode revelar Deus, e somente através do Espírito de Deus podemos receber a
verdadeira revelação.

Agora, o movimento de revelação concebido com a dupla bênção de El Elyon com Melquisedeque e o
nascimento da dupla bênção de Eheieh chega à sua realização e conclusão com a dupla bênção de Yahweh
e proferimento dos Treze Atributos da Misericórdia Ensinados pelo Santo Shekinah de Yahweh. Naquele
mesmo instante, com Moisés na montanha sagrada, estava completo, e ainda assim havia uma revelação
maior por vir, o advento do Messias através de Adonai Yeshua.

Ouça e ouça e entenda! El Elyon, Eheieh a Yahweh, este é um influxo da Santa Luz de Keter em Tiferet, e
assim Adonai, a Santa Shekinah, foi manifestada entre a Comunidade de Israel, mas como sabemos, o vaso
sagrado, o profeta, foi prejudicado , imperfeito, e não foi sem pecado, e da mesma forma, o vaso sagrado,
a comunidade, foi prejudicada, imperfeita, e não foi sem pecado, portanto, o influxo total da Luz Superna
não poderia chegar em Malkut, e não havia uma completa unificação e incorporação da Luz Sagrada - a
unção completa não poderia acontecer naquele momento. Quando Yeshua recebe o Espírito do Messias,
Ruach Elohim, no Sagrado Jordão, assim o influxo da Luz Superna chega a Malkut completamente pela
primeira vez, e é através disso que Adonai é manifestado na sua totalidade - Adonai Yeshua, Nukva sendo
unificada com Zer Anpin, e Imma sendo unida com o Abba. Como sabemos, no entanto, este é um
momento de concepção no Evangelho, cuja realização completa está no Ressuscitado, que corresponde a
um maior fluxo sublime na terra e no céu; este é o influxo que corresponde com Nukva tornando-se Kallah
e Zer Anpin tornando-se Ben - a verdadeira imagem e semelhança da Mãe Celestial (Imma) e Pai (Abba) em
completa unificação.

Aqui podemos dizer, quando Yeshua é concebido e nascido, isto corresponde com El Elyon, e quando ele
aparece no Sagrado Jordão, isto corresponde com Eheieh, e quando Hayyah Yeshua aparece na
ressurreição, isto corresponde com Yahweh, e aparece no ressurreição Adonai é manifesto e corporificado
na íntegra, e se torna Elohim. Hallelu Yah! Louve o Senhor!

Quando Hayyah Yeshua aparece na ressurreição, "Ele e Seu Nome são Um sobre a face da terra", e tudo
está completo, a salvação de todos é cumprida e, no entanto, como sabemos, da Primeira Vinda surge a
profecia de a Segunda Vinda do Messias em Glória, e há uma revelação contínua e incorporação do Espírito
do Messias entre nós, e assim Malkut, Adonai, tornar-se Elohim é um processo contínuo; na fruição da
Segunda Vinda, contudo, Adonai se tornará Yahweh, Adonai se manifestará como Elohim será totalmente
reintegrado com Yahweh, e assim foi dito e escrito “todos conhecerão Yahweh” naquele dia. Assim,
continuamos a orar pelo dia em que “Você e o seu nome são um”, enquanto sabe “Ele e o Seu nome são
um”.

Nisto, talvez, possamos adquirir uma visão mais profunda da elevação, ascensão das almas através do
Corpo Vivo do Messias - a aparição de tsadikim e comunidades no Espírito do Messias; pregando o
evangelho, estendendo a Santa Luz da Verdadeira Cruz, assim nós trabalhamos com o Senhor, Adonai,
como co-redentores ou co-salvadores, e através deste trabalho colaborativo, assim Adonai se torna
Elohim, e Elohim é reintegrado com Yahweh em um movimento contínuo do Espírito do Messias, Ruach
Elohim. Muito literalmente, através do jogo contínuo de Transmissão de Luz entre tsadic e comunidade no
Messias, espíritos e almas vivos estão sendo elevados e salvos, iluminados e liberados, todos os
dias; mesmo quando contemplamos e discutimos mistérios como estes com kavvanah e devekut, então
algo da Luz Sagrada é encarnado e irradia,

Considere a ordem do duplo pronunciamento dos nomes El Elyon, Eheieh e Yahweh; esta é a ordem
natural de Nomes no Pilar do Meio descendente, e como tal Shaddai e Adonai estão implícitos. Como
sabemos, todo o poder do Pilar do Meio está no Messias, e recebendo o Espírito do Messias, assim
também este poder espiritual está em nós; quanto mais incorporamos o Espírito do Messias, maior é essa
Presença Viva e o Poder se move com, através e através de nós, como indivíduos e como comunidade - o
poder da Graça Superior, Misericórdia Abundante, tornando-se manifesto em nossa geração.

Este trabalho espiritual de invocar a Graça Celestial é um trabalho na terra e nos céus, e quanto maior a
revelação e corporificação na terra, maior a revelação e incorporação no céu; tudo é elevado, elevado, na
Grande Ascensão, o Grande Êxodo, desta maneira.

A dupla bênção de Nomes de Deus que você trouxe é um insight maravilhoso, querido irmão, sem dúvida
inspirado pelo Espírito Santo. Louvado seja Deus (El)!

Ó Santo, louvamos e abençoamos o Seu Nome, e oramos, que Você e o Seu Nome sejam Um na face da
terra neste dia, e assim também nos céus. Um homem.

A paz de Deus esteja com você - Yahweh Shalom!


Tau Malachi

Sophia Comunhão

Ecclesia Pistis Sophia


T
o
p
o
Elder Gideon
Administrador do site

YHVH YHVH El


# 20 Post Dom 24 de março de 2013 15:18
Shabat Shalom!

Quando me lembrei de como os Treze Atributos da Misericórdia são proclamados, "YHVH YHVH El", fui
levado a contemplar como as letras soletrando EL, ‫א ל‬, contêm um mistério de YHVH YHVH El. ‫ א‬é um
composto de dois yud e um vav, igual a 26, o Grande Nome YHVH. ‫ ל‬é também um composto de kaf e vav,
igual a 26, o Grande Nome YHVH. Juntos, eles soletram El, enquanto eles são cada um internamente igual
ao Grande Nome.

A questão que isso levanta então é como ou por que YHVH poderia ser diferenciado em duas partes
quando os Treze Atributos da Misericórdia são proclamados? Como EL está segurando este duplo discurso
de YHVH?

Com gratidão,

Elder Gideon
T
o
p
o
Tau Malaquias
Administrador do site

Profecia do Messias: Yahweh Yahweh, El



# 21 Mensagem Seg 25 de Março de 2013 às 9:51
Graça e paz para você em Hayyah Yeshua!

Sim, de fato, a contemplação do começo dos Treze Atributos da Misericórdia é muito profunda quando
entendemos que o Senhor é proferido duas vezes, e que o Senhor está no Nome de El duas vezes através
da composição das letras que formam o nome de El; neste Yahweh é indicado quatro vezes, e somos
lembrados dos quatro ventos (espíritos) do círculo sagrado, e da mesma forma, os quatro Olamot - Yahweh
em tudo, tudo em Yahweh.

Ouça e ouça e entenda! Há um profundo mistério falado nisso e uma grande profecia. Yahweh é o
Continuum de Luz, e indica a Luz Superna, e Yahweh, Yahweh, indica o Continuum de Luz acima e
Continuum de Luz abaixo. Existe uma verdade realizada no alvorecer da Consciência Superna ou
Messiânica, a Luz Sagrada que está acima está em toda parte abaixo; a Luz Superna que está no Deus
Altíssimo (El Elyon), e no Universo Superno (Atzilut), permeia Este Mundo (Beriyah, Yetzirah e Asiyah) e é o
centro secreto de toda partícula de substância espiritual, substância astral e matéria. . Na Luz Superna e na
Consciência Supernal, Yichud e Perud, ou o Pleroma e a Integralidade, estão completamente entrelaçados,
inseparáveis um do outro - Ser está em Tornar-se, e Tornar-se está em Ser. Contemple isso bem,

Este profundo mistério é proferido aqui na Torá, mas como sabemos, é uma profecia da vinda do Messias,
pois o Messias encarnou esta Luz e Verdade Supernas, atraindo a Luz Superna de cima, e manifestando a
Transmissão da Luz Superna em Este mundo. No Messias, o Pleroma de Luz e Inteira é realizado em união,
e o Pleroma de Luz brilha neste Mundo, nos céus e na terra; quando esta Luz Sagrada é trazida para baixo,
a substância das dimensões espiritual, astral e material é transformada, até a própria substância da
matéria é transformada, como testemunhamos no Corpo do Messias ressuscitado. Assim, esta declaração
de Javé duas vezes é uma profecia da Divina Encarnação.

Olhe e veja! El, o primeiro Atributo da Misericórdia, Deus dando a Si mesmo a nós, este é Adonai Messias,
a plenitude de Hesed, a Misericórdia de Deus - Misericórdia Abundante, Graça Superna; Juntamente com
isso, há doze atributos da misericórdia, todas as emanações ou raios deste Sol de Deus, ou Sol do
Céu. Assim, há o Messias, o Humano da Luz, e há os Doze Poderes dos Doze Salvadores; o Messias e o
círculo de discípulos, ou Santos Apóstolos. Como sabemos, a plenitude dessa Abundante Misericórdia se
derrama no Pentecostes; mas também, como sabemos e compreendemos, há uma plenitude ainda maior
que chegou e está chegando no Apocalipse.

Yahweh, o Senhor, El; esta é a primeira vinda e segunda vinda, uma unção!

Yahweh, o Senhor, El; este é Adonai Messias e Kallah Messiah, um Messias!

Yahweh, Primeira Vinda, Segunda Vinda do Senhor, El correspondente com a fruição da Segunda Vinda, a
realização do Mundo-Que-É-Vindo, a Ressurreição e Ascensão, ou a Grande Transformação.

Acima temos compartilhado que Javé é indicado quatro vezes, e como sabemos, de acordo com o Livro do
Apocalipse, as Sagradas Sefirot de Perud (Asiyah, Yetzirah e Beriyah) são reintegradas com as Sagradas
Sefirot de Atzilut no Fim-De-Dias. , um grande afluxo supernal trazendo a culminação de todos (Kol). Esta é
a fruição do advento do Messias, da Primeira Vinda e da Segunda Vinda; daí a terceira vinda; em que a
Segunda Vinda é apenas na sua concepção inicial, no entanto, não é dado que podemos falar da Terceira
Vinda, pois ainda E Elon não ordenou o movimento final. Resta saber se sua manifestação será a Grande
Ascensão ou a Grande Transformação; a manifestação da Grande Ascensão é certa, mas a possibilidade da
Grande Transformação é incerta. Como os Treze Atributos da Misericórdia transmite,

As letras que compõem o Nome de El, no entanto, falam da certeza da Grande Ressurreição e
Ascensão; portanto, pelo menos alguns espíritos e almas deste mundo, a terra e os céus associados a ele,
serão redigidos na Grande Ascensão. Isto foi ordenado em El Elyon, e foi estabelecido no aparecimento do
Messias ressuscitado, o primeiro nascido dentre os mortos. Hallelu Yah!

Tal é a Grande Misericórdia de Deus (El), ou o poder da Graça Superna.

Agora aqui podemos dizer que a Luz Superna é Misericórdia Abundante - Misericórdia Pura, não há
Julgamento nisto; mas como sabemos, na presente condição humana, para muitos ainda é o Julgamento,
pois muitos são avessos à Luz Sagrada e não estão dispostos a aproximar-se e apegar-se à Luz Sagrada, de
modo a receber o influxo total da Luz das Trevas. . Não há Juízo na Luz Verdadeira, mas nas almas que se
apegam a falsas luzes e trevas, a Luz Sagrada aparece e se manifesta como Julgamento para elas e fogem
da Luz Sagrada, sem vontade ou incapaz de se reintegrar com o Continuum de Luz. Portanto, vemos entre
os Treze Atributos da Misericórdia aqueles que correspondem ao Julgamento, ou Severidade
(Gevurah); contudo, como sabemos, isso também é misericórdia, pois essa manifestação de julgamento
purifica as almas e facilita seu desenvolvimento e evolução, e eventual iluminação e libertação. Como
vemos na conclusão dos Treze Atributos, o que é mal, ou melhor, o que não é bom e não é verdade, é
mantido e preservado apenas por pouco tempo (“três a quatro gerações”), mas o que está de acordo com
o A Luz Sagrada, o que é bom e verdadeiro, é retida e preservada por uma grande duração (“mil
gerações”). Assim, até mesmo a aparência do Julgamento é Misericórdia, trazendo o Grande Tikkune
(Tikkune Gadol), a cura, ou salvação, de todos (Kol.) é mantido e preservado por um longo período (“mil
gerações”). Assim, até mesmo a aparência do Julgamento é Misericórdia, trazendo o Grande Tikkune
(Tikkune Gadol), a cura, ou salvação, de todos (Kol.) é mantido e preservado por um longo período (“mil
gerações”). Assim, até mesmo a aparência do Julgamento é Misericórdia, trazendo o Grande Tikkune
(Tikkune Gadol), a cura, ou salvação, de todos (Kol.)

No tempo do Grande Afluxo em um sistema mundial, de uma forma ou de outra, como Misericórdia ou
Julgamento, todos recebem o Enlevo Supremo - Yahweh Yahweh, El!

Alef corresponde à Luz Superna como Misericórdia, e Lamed corresponde à Luz Supernal como
Julgamento; mas como dissemos, é a All-Mercy, a verdade de Supernal Hesed.

Isto é o que é dado no Espírito Santo que podemos compartilhar sobre este mistério esotérico e profecia.

Rezemos. Javé Shalom! Um homem.