Você está na página 1de 2

DERMATOLOGIA

Eduardo Oliveira - 2019


LESÕES ELEMENATARES: Padrões de alteração do tegumento. LESÕES SÓLIDAS: Acúmulo de células ou espessamento cutâneo.

LESÕES DE MODIFICAÇÃO DA COR: Por acúmulo de células:

Mancha ou mácula: qualquer alteração da cor da pele.  Pápula: elevada, circunscrita, pequena, máximo 1cm de
diâmetro que pode estar apenas na epiderme (verruga) ou
 Mácula: 0,5 a 1,0cm. derme (nevo).
 Mancha: >1,0cm.  Placa: atinge um tamanho maior que 1cm de diâmetro,
geralmente é uma confluência de pápulas.
Manchas pigmentares: concentração de melanina.  Tubérculo: elevação maior que 5mm.
 Nódulo: elevação maior que 1cm devido ao aumento do
 Mancha acrômica: ausência de melanina (vitiligo). número de células, em geral profunda ao nível de
 Mancha hipocrômica: diminuição de melanina. hipoderme e assumindo aspecto tumoral circunscrito.
 Mancha hipercrômica: excesso de melanina.  Cistos: nódulos de superfície lisa, consistência não
 Icterícia: excesso de bilirrubina. endurecida e circundados por cápsula de tecido epitelial.
 Carotemia: excesso de caroneto.  Goma: nódulo com evolução em 4 estágios:
 Poiquilodermia: atrofia + talengiectasia + endurecimento, amolecimento (necrose central),
hiperpigmentação. esvaziamento (úlcera ou fístula) e reparação.
 Nodosidade ou tumoração: lesões maiores que 3cm.
Púrpura ou hemorragia: hemorragias (extravasamento de  Vegetação: células que crescem para o exterior em
hemácias). função de hipertrofia de papilas dérmicas, podendo ser
verrucosa ou condilomatosa.
 Petéquia: hemorragia puntiforme (geralmente múltipla).
 Víbice: hemorragia linear, sempre de natureza traumática.
 Equimose: hemorragia em placas, com grandes
dimensões.
 Hematoma: expressão clínica da equimose, geralmente
com elevação da região.

Pápula. Tubérculo.

Víbice no braço e equimose na


região mamilar.

Petéquias.

LESÕES POR ALTERAÇÕES VASCULARES: alterações dos vasos Nódulo.


sanguíneos, podendo ser transitórias ou permanentes.

Transitórias:

 Eritema: cor vermelha intensa em decorrência do fluxo


maior de sangue arterial devido à hiperemia (dilatação de
arteríolas).
 Cianose: coloração azulada devido à redução da presença
de hemoglobina.
 Central.
 Periférica.

Permanente:

 Telangiectasias: dilatação permanente do calibre de Goma.


pequenos vasos.

Eritema ou exantema viral. Telangiectasia.

Vegetação.
Por espessamento cutâneo: PELOS:

 Queratose: espessamento da camada córnea, mais  Atricose: ausência de pelos.


comum em idosos.  Hipotricose: diminuição de pelos.
 Esclerose: endurecimento da pele devido à proliferação de  Hipertricose: aumento de pelos.
colágeno.  Canície: branqueamento dos pelos.
 Liquenificação: espessamento da pele, passando a
evidenciar com maior nitidez sulcos e saliências.
 Infiltração: espessamento circunscrito da pele. ABORDAGEM DO PACIENTE:

Inspeção: Deve abranger todo o tegumento, inclusive cabelos, unhas


LESÕES DE CONTEÚDO LÍQUIDO: e mucosas. A localização, topografia e distribuição da lesão são
essenciais para o seu diagnóstico.
 Vesícula: pequenas dimensões.
 Bolha: dimensões maiores. Palpação: Verificar se há lesões sólidas, alteração de espessura,
 Pústula: conteúdo líquido purulento (foliculite) ou umidade, volume ou consistência da pele. Observar se a elasticidade,
(impetigo). mobilidade e turgor da pele são compatíveis com a sua idade.
 Abcesso: coleção de pus na profundidade do tecido.
Digitopressão ou Vitropressão: Pressiona-se a lesão com os dedos
ACÚMULO NÃO CIRCUNSCRITO DE LÍQUIDO: ou com um vidro, provocando isquemia local, isso permite distinguir o
eritema da púrpura ou de outras manchas vermelhas.
 Urticária: saliência na pele com eritema e edema.
Compressão: Avaliar edemas, a compressão linear avalia se há
 Dermatografismo: saliência na pele com bordas definidas.
dermografismo.
 Edema: acúmulo de líquido na região intersticial.
AVALIAÇÕES:
LESÕES DE SOLUÇÃO DE CONTINUIDADE:
 Integridade.
 Erosão: perda da integridade apenas da epiderme.
 Umidade: palpação.
 Úlcera (ferida): erosão mais profunda, comprometendo a
 Textura: normal, lisa, áspera e enrugada.
derme papilar, hipoderme, músculo ou osso.
 Espessura: normal, atrófica, hipertrófica ou espessa.
 Fístula: perda da integridade em trajeto linear.
 Elasticidade e mobilidade.
 Fissura: perda da integridade linear e estreita.
 Turgor (abrange o tecido subcutâneo).
 Sensibilidade: dolorosa, térmica e tátil.

Sintomatologia subjetiva: prurido, ardência, calor, frio e febre.

Semiologia armada:

 Biópsia.
 Dermatoscopia, microscopia.
 Temperatura das lesões: palpação com o dorso dos dedos.
 Prova do laço: garroteamento do braço para provocar o
aparecimento de petéquias na face flexora do antebraço
durante 5 min. Aparecimento superior a 20 petéquias a
2,5mm de diâmetro indicam fragilidade capilar.

Erosão.

LESÕES CADUCAS: Lesões que tendem à eliminação espontânea


e acometem principalmente idosos.

 Escamas: lâminas epidérmicas de fácil desprendimento.


 Crosta: ressecamento de exsudato facilmente destacável.
 Escara ou úlcera por pressão: lesão necrosante do tecido
devido à pressão.
 Atrofia: redução da espessura da pele.
 Cicatriz: proliferação de tecido fibroso, podendo ser
atróficas, hipertróficas e queloides.

ALTERAÇÕES DE ANEXOS:

GLÂNDULAS SUDORÍPARAS:

 Anidrose: ausência de suor.


 Hipoidrose: diminuição de suor.
 Hiperidrose: aumento de suor.

GLÂNDULAS SEBÁCEAS:

 Asteatose: falta de secreção.


 Esteatorreia ou seborreia: secreção exagerada.