Você está na página 1de 2

Título SISTEMAS DE FILTRAGEM DE SINAIS DOS RADARES DE RASTREAMENTO

ADOUR E ATLAS DO CENTRO DE LANÇAMENTO DE ALCÂNTARA

Equipe Mauricio A. P. Rosa, Francisco A. Braz Filho, Alexandre D. Caldeira, Lamartine N. F.


Guimarães, Eduardo M. Borges, Jonas Rubini Jr., Gisele Aparecida Ferreira.

Vinculação a projetos Aperfeiçoamento do Sistema de Rastreamento de Foguetes do Centro de Lançamento de


Alcântara (atividade)

Descrição O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) é o responsável pelo lançamento e


rastreio de foguetes desenvolvidos pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) do Centro
Técnico Aeroespacial (CTA), utilizando os radares ATLAS e ADOUR. Os sinais de
posição provenientes destes radares estão contaminados com ruídos, podendo, desta forma,
dificultar a localização do veículo. Além da posição do alvo, outra variável de interesse é o
ponto de impacto, que indica o local na superfície terrestre de uma possível queda do
foguete para cada instante. Esta informação é de extrema importância, uma vez que para
cada missão devem ser obedecidos limites impostos pela Segurança de Vôo. Caso os ruídos
não sejam filtrados convenientemente, as estimativas da trajetória e do ponto de impacto
serão imprecisas, podendo comprometer a missão e a segurança da população.
As atividades no IEAv iniciaram-se com a necessidade de sintonizar os filtros de
ambos os radares para o lançamento do VLS1-V02, uma vez que o pessoal da Segurança de
Vôo do IAE tinha dúvidas se os ganhos dos filtros implementados no sistema de
rastreamento do CLA eram adequados. Devido a proximidade da data de lançamento, a
equipe do IEAv teve apenas 45 dias para estudar o problema, definir critérios de cálculos
de ganhos, efetuar a análise e produzir os ganhos dos filtros para este lançamento. Através
de uma análise efetuada após o lançamento, constatou-se que os sistemas de filtragem de
ambos os radares tiveram um bom desempenho.
Atualmente, no CLA, utiliza-se um sistema de filtragem computacional (filtro do
tipo αβγ) com as seguintes limitações: ganhos constantes durante cada fase da missão
(limitadas a somente duas); ganhos constantes e idênticos em todas as direções (x, y e z); e
tipo de filtro que não garante rastreamento suficientemente preciso em situações de
acidente ou anormalidades. A primeira limitação pode implicar, como no caso do vôo do
VLS1-V02, na necessidade de utilizar-se ganhos constantes em uma fase de vôo que
contenha momentos de propulsão acentuada e outros de balística o que dificulta a
determinação de ganhos constantes adequados para toda esta fase. Esta situação pode ser
atenuada calculando-se ganhos para um número de fases compatível a cada missão (vôos
com múltiplas fases). Além disso, a possibilidade de se utilizar filtros com ganhos distintos
em cada direção x, y e z deve também permitir aumentar a precisão do rastreamento.
Mesmo com tais modificações no filtro atual, um problema importante que não pode ser
resolvido por este tipo de filtro é a situação de acidente ou anormalidade uma vez que os
ganhos dos filtros são definidos antes do lançamento considerando o comportamento
nominal do veículo. O filtro de Kalman é um tipo de filtro que deve minimizar os efeitos
relativos a todas as limitações apontadas acima.
Considerando-se o exposto acima, a equipe do IEAv está empenhada na execução
das seguintes atividades: a) avaliação de ganhos dos filtros para os diversos lançamentos no
CLA; b) desenvolvimento de ferramentas de cálculo de ganhos de filtros αβγ para cada
direção e vôos com múltiplas fases; c) organização de um banco de dados de lançamentos
no CLA; d) desenvolvimento e validação de um programa computacional para
rastreamento de foguetes usando o conceito do filtro de Kalman; e) Colaboração na
implantação, no IAE, de um simulador de segurança de vôo semelhante ao do CLA.
A atividade do item a) continuará sendo executada até que as atividades dos itens
b) e c) sejam concluídas e também que se possa treinar o pessoal do IAE e do CLA para
utilização dos programas desenvolvidos. Os itens b), c) e d) já encontram-se em fase de
desenvolvimento e o item e) em fase de estudo de viabilidade.

Recursos utilizados Atualmente estão envolvidos nas atividades da equipe do IEAv 5 doutores, 1
(Humanos, materiais e mestre e uma aluna de nível superior. Para a execução destas atividades a equipe do IEAv
instalações/equipament conta com a assessoria de pesquisadores e engenheiros do IAE e do CLA. Um
os. microcomputador Pentium III 733 MHz, adquirido pelo CLA e disponibilizado para a
equipe do IEAv executar as atividades, encontra-se alocado na Divisão de Energia Nuclear
(ENU).
(Humanos, materiais e mestre e uma aluna de nível superior. Para a execução destas atividades a equipe do IEAv
instalações/equipament conta com a assessoria de pesquisadores e engenheiros do IAE e do CLA. Um
os. microcomputador Pentium III 733 MHz, adquirido pelo CLA e disponibilizado para a
equipe do IEAv executar as atividades, encontra-se alocado na Divisão de Energia Nuclear
(ENU).

Recursos adicionais As principais necessidades para o desenvolvimento das atividades já em execução,


necessários restringem-se basicamente a aquisição de softwares e bibliografia. O aporte de recursos
necessários é da ordem de R$ 40.000,00 a ser solicitado ao CLA.

Capacitações Capacitação em projetar e analisar filtros para radares de rastreamento de alvos e


adquiridas. também em análise e tratamento de sinais ruidosos em geral.

Produtos obtidos. Ganhos dos filtros para veículos tais como o VLS1-V02, VS30, VS40 e SBAT 147.
Programas computacionais de: extração de ruídos de sinais; cálculo de ganhos ótimos de
filtros do tipo αβγ para vôos com múltiplas fases e; visualização gráfica de trajetórias e
ponto de impacto de foguetes.
Recursos financeiros Fonte Aporte (R$)
aplicados.
Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) 7.000,00