Você está na página 1de 4

DANIELA CAROLINA PINHEIRO GAZOLA

Advogada
=============================================================================
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA TERCEIRA VARA
FEDERAL DA COMARCA DE SÃO BERNARDO DO CAMPO - SÃO PAULO.

PROCESSO N. 5002019-30.2018.4.03.6114

IOLANDA PINHEIRO DOS SANTOS, já qualificada nos


autos em epígrafe, por sua procuradora in fine assinado, vem a presença de Vossa
Excelência. Requerer CUMPRIMENTO DA SENTENÇA de fls., em AÇÃO
ORDINÁRIA que move em face de INSTITUTO NACIONAL DE SEGURO SOCIAL-
I.N.S.S também qualificados, para dizer e requerer o que abaixo segue:

1. Que a Autora tomou ciência do r, despacho de fls. ,


onde Vossa Excelência determinou: “Dê-se ciência às partes sobre o retorno do processo.
Requeira a parte autora o que de direito, apresentando o cálculo para início da execução, no
prazo de 05 (cinco) dias. Intimem-se.”.

2. Que a exequente através de decisão condenatória, teve


reconhecido o direito previdenciário conforme sentença exarada fls. , e seguintes, dos autos
onde o MM Julgador decidiu nos seguintes termos:

“Ante o exposto, resolvo o mérito da controvérsia na


forma do artigo 487, inciso I, do Código de Processo Civil, e JULGO PROCEDENTES
OS PEDIDOS para o fim de condenar o réu à obrigação de conceder o benefício de
aposentadoria por invalidez em favor da parte autora, a partir de 28/08/2016.
Concedo a tutela de urgência para determinar que o INSS, independentemente
do trânsito em julgado, implante o benefício de aposentadoria por invalidez em favor da
parte autora, conforme critérios expostos acima, em até 30 dias. Oficie-se.
Condeno o INSS ao pagamento das parcelas devidas, corrigidas monetariamente.
A correção monetária deverá incidir sobre as prestações em atraso desde as respectivas
competências e os juros de mora desde a citação, observada eventual prescrição quinquenal,
e de acordo com o decidido pelo Plenário do C. STF, no julgamento do RE 870.947/SE, em
Repercussão Geral, em 20/09/2017, Rel. Min. Luiz Fux, adotando-se no tocante à fixação
dos juros moratórios o índice de remuneração da caderneta de poupança, nos termos do art.
1º-F da Lei nº 9.494/97 com a redação dada pela Lei nº 11.960/09, e quanto à atualização
monetária, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), conforme decidido pelo C.
STJ por ocasião do julgamento do REsp 1495146/MG, submetido à sistemática dos
recursos especiais repetitivos. 
Os juros de mora deverão incidir até a data da expedição do PRECATÓRIO/RPV
e, após a devida expedição, deverá ser observada a Súmula Vinculante nº 17.
Condeno o réu ao pagamento de honorários advocatícios, os quais fixo em 10%
(dez por cento) sobre o valor das prestações vencidas até hoje, na forma do art. 85, §§ 2º e
3º, do CPC e de acordo com a Súmula 111, do Colendo Superior Tribunal de Justiça.
Sem condenação ao pagamento ou ressarcimento de custas, diante da isenção do
réu, nos termos do artigo 4º da Lei 9.289/96, e da concessão dos benefícios da gratuidade
de justiça ao autor...” 

3. Que por sua vez houve apelação tendo transitado em julgado a


decisão conforme fls 95 em data de 10/03/2020, sendo que houve pequenos reparos na
respeitável sentença, conforme abaixo transcrito:

“- Com relação aos índices de correção monetária e taxa de juros de mora,


deve ser observado o julgamento proferido pelo C. Supremo Tribunal
Federal na Repercussão Geral no Recurso Extraordinário nº 870.947, bem
como o Manual de Orientação de Procedimentos para os Cálculos na Justiça
Federal em vigor por ocasião da execução do julgado.

- Por outro lado, entendo que as prestações referentes aos meses em que a
parte autora recolheu contribuições previdenciárias, após o termo inicial do
benefício, devem ser descontadas, pois incompatíveis com o benefício
concedido judicialmente.

- Assim, por ocasião da liquidação, a Autarquia deverá proceder à


compensação dos valores pagos em função da tutela antecipada, em razão do
impedimento de duplicidade, bem como ao desconto das prestações
correspondentes aos meses em que a requerente recolheu contribuições à
Previdência Social, após a data do termo inicial.

- Por fim, cuidando-se de prestação de natureza alimentar, presentes os


pressupostos do art. 300 c.c. 497 do CPC, é possível a antecipação da tutela
para a imediata implantação da aposentadoria por invalidez.

- Apelação parcialmente provida. Mantida a tutela antecipada.”

4. Desta forma, consoante demonstrativo de cálculos anexo, nos


termos da decisão supracitada o exequente faz jus ao pagamento da quantia de R$. .

5. Isto posto, requer a intimação da executada para efetuar o


pagamento da quantia devida no valor de R$, conforme demonstrativo de cálculos anexo,
no qual apurou que a executada deverá realizar o pagamento das verbas atualizadas até dia
(colocar data)

6. Ainda, se não ocorrer o pagamento voluntário no prazo de 15


dias, deverá ser acrescida multa de 10% e, também, de honorários de advogado de dez por
cento, nos termos do art. 523, § 1º do NCPC, devendo Vossa Excelência proceder com a
penhora on-line do valor devido a ser atualizado até o momento do bloqueio, nos termos do
artigo 835, I e 854 ambos do NCPC de 2015.

5. Requer ainda que todas as comunicações, intimações, e


demais atos processuais atinentes a este feito, sejam direcionadas a advogada DANIELA
CAROLINA PINHEIRO GAZOLA, OAB/SP Nº 413.207, sob pena de nulidade dos atos
praticados sem observação deste pleito.

1. O cumprimento da sentença na forma do Artigo 523 do Código de


Processo Civil;

2. A intimação das Executadas, por meio de seus advogados


constituídos nos autos (art. 513, §2º, I, do Código de Processo Civil),
para que paguem, no prazo de 15 (quinze) dias, o valor
correspondente ao Principal (R$ XXXXX) e, também, o valor
correspondente aos Honorários de Sucumbência de 16% (R$
XXXXXX), totalizando R$ XXXXXXXXXXXX;

3. Em não ocorrendo o pagamento voluntário, no prazo de 15 dias,


requer-se, desde já, acréscimo de multa de 10% e, também, de
honorários de advogado de 10%, na forma do art. 523, §1º, CPC;
4. Em não ocorrendo o pagamento voluntário, requer-se, também, seja
realizada penhora online nas contas bancárias em nome das
Executadas, para satisfação total do crédito (art. 523, §3º, CPC).
Dá-se à causa o valor de R$ XXXXXXX.

Pede e aguarda deferimento.


São Bernardo do Campo, 15 de janeiro de 2.019

DANIELA CAROLINA PINHEIRO GAZOLA.


OAB/SP. Nº 413.207