Você está na página 1de 19

Universidade Católica de Moçambique

Instituto de Educação a Distancia

Analise dos programas de ensino e o papel do professor no ensino

Eucrécia da Chica Real Nobre

Licenciatura em ensino do Português

Cadeira de Didáctica de Português I


2° Ano

Beira, Maio , 2020


Universidade Católica de Moçambique
Instituto de Educação a Distancia

Analise dos programas de ensino e o papel do professor no ensino

Eucrécia da Chica Real Nobre

Licenciatura em ensino do Português

Didáctica do português I

2°Ano

Docente: Nídia

Beira, Maio, 2020


a) O papel do professor e alunos no processo educacional

No processo de ensino-aprendizagem todos nós desempenhamos um papel indispensável, num


contexto de um triângulo isto é, professor, aluno e pais e encarregados, principalmente os dois
últimos professor e alunos. Desde há muito os esforços de formação do professor convergem
para os mesmos pontos ou objectivos que é a construção de uma sociedade ou nação melhor,
formação do individuo capaz de ser útil na sociedade em que este individuo vive.

Mas nem sempre o professor desempenhou o seu papel, pois, pós o mesmo considerava os
alunos como uma tabua rasa, inibindo as ideias da educação bancaria e do filósofo descartes. E
considerava-se como o dono do saber mas, hoje com a evolução da ciência e áreas
psicopedagógicas com enfoque no ensino e aprendizagem houve muitas revoluções ao nível da
educação, pois acredita-se e, aliás já este comprovado que o aluno ao entrar na escola trás
consigo o conhecimento empírico e não é tabua rasa como era considerado.

O papel do professor transcende o de transmitir simplesmenete o conhecimento, mas sim o de


um educador , por meio atitudes aceitáveis na sociedade e por meio do exemplos proprios que
ele deve proceder neste processo de ensino. O professor tem o papel fundamental na construção
de novos saberes, sua responsabilidade aumenta pois necessita-se que se adapte as diferentes
linguagens e criar oportunidades para além das situações educativas, transcendendo a sala de
aula. O conhecimento descentraliza-se e flui havendo um encontro democrático, ou seja para que
o aluno se liberte e se expresse livremente dependera da atitude democrática que o professor
usara na sala de aula.

É necessário ter intencionalidade e disponibilidade para instigar o aluno a abraçar o


conhecimento, provocar reflexões no aluno, despertar o desejo de aprender. O professor deve
buscar integralidade, ou seja, deve buscar conhecer o aluno para melhor adoptar estratégias e
planificar no ensino.

b) Relativamente a este período de suspensão das aulas pelo motivo de COVID-19, as


actividades para o primeiro ciclo devem ser psicomotoras, como a de fazer copias, além
disso, neste momento deve haver a colaboração com os encarregados de educação para
que ajudem ou deiam explicação nos seus educandos em casa, pois estão mais próximos
dele , e o professor deve dar orientação aos países naquilo que deverão fazer.

Analise dos programas e manuais do primeiro ciclo

No âmbito de análise dos programas do primeiro ciclo, especificamente da primeira e segundas


classes, com enfoque da primeira classe, poderemos destacar os seguintes pontos ou aspectos que
passo a citar:

 A sua estrutura;
 A pertinência de cada unidade temática face a realidade dos alunos;
 A pertinência dos objectivos da aprendizagem para os alunos
 As competências básicas a serem adquiridas pelo aluno;
 A eficácia dos métodos e estratégias de ensino e aprendizagem;

Na perspectiva de MOISÉS (2007) uma análise, pode ser entendida como sendo um processo
de conhecimento da realidade que não é exclusivo de ciência alguma, nem mesmo de
filosofia alguma, religião alguma ou arte alguma.

Durante o processo de análise comparativa dos programas de todos 3 ciclos , destacamos que os
mesmo estão estruturados da seguinte forma que passamos a citar:

 Introdução;
 O plano temático;
 Sugestões metodológicas e;
 Avaliação.

Na parte introdutória destacamos que é onde há a descrição dos propósitos do programa, o


significado, a filosofia, bem como as modificações feitas em relação ao programa anterior.

No que tange ao plano temático, apresenta-se uma grelha que tem por objectivo orientar o
professor na mediação do processo de ensino-aprendizagem, também;
Nas sugestões metodológicas e avaliação, são apresentadas as sugestões metodológicas que o
professor poderá usar ou adaptar face as necessidades de aprendizagem dos alunos, com
vista a desenvolverem as competências definidas para o fim de aprendizagem de cada
tema. Mas também são apresentadas algumas estratégias de abordagem metodológica de alguns
conteúdos. De enaltecer que essas estratégias não são fixas, mas sim estão sujeitas a alterações.

É na avaliação, estabelecem-se as estratégias e procedimentos de avaliação, incluindo os


critérios de Progressão por Ciclos de Aprendizagem, tendo em conta que a liação faz
parte do processo de ensino aprendizagem. A avaliação ocupa um papel fundamental no
processo de ensino e aprendizagem, pois serve para verificar se os resultados das
actividades desenvolvidas pelos alunos correspondem às proficiências preconizadas no
Programa de Ensino ou não.

Portanto, se os resultados não forem positivos, o professor poderá adoptar outros métodos
e estratégias de ensino-aprendizagem para melhorar os resultados.

Nos Programas analisados, o grupo notou que maior tempo do tempo previsto para
leccionação de cada disciplina está reservado aos conteúdos do Currículo Local, ou seja,
é constituído por conteúdos definidos localmente como sendo relevantes, para que a
criança se integre na sua comunidade.

Refere-se do local onde a escola está situada e pode-se alargar até à ZIP. Para o grupo,
esta componente (Currículo Local) é bastante importante no ensino e aprendizagem da
criança, pois integra conteúdos do seu contexto social. E, de acordo com os Programas, a
definição dos conteúdos locais relevantes, é feita por todos intervenientes na educação da
criança (toda comunidade escolar): professores, alunos, encarregados de educação, líderes e
autoridades locais, representantes de diferentes instituições afins e organizações
comunitárias.

No que tange a pertinência de cada unidade temática em relação as necessidades reais


do aluno e do país, o grupo concluiu que cada unidade aborda conteúdos que são
relativos aos objectivos que se almejam, visto que o aluno da 1ª classe, primeiro deve
desenvolver as habilidades de ouvir e falar, e depois habilidades de ler e escrever.

Enquanto o aluno da 2ª classe, deve consolidar a habilidade de ouvir e falar e,


aperfeiçoar a leitura e a escrita. Na 3ª, 4ª e 5ª classes, embora continuando a ser as
mesmas competências básicas da língua, nas classes do 2º e 3º Ciclos os conteúdos
passam a ser mais complexos em relação aos conteúdos do 1º Ciclo, visto que os alunos
nestes ciclos já deveriam saber ler e escrever.

No que diz respeito a pertinência dos objectivos da aprendizagem em relação as


necessidades reais o aluno e do país, o grupo avaliou positivamente os objectivos
definidos, olhando para as necessidades dos alunos e do país.

A escola deve educar para garantir integração dos alunos nas comunidades em que se
encontram inseridos e c contribuir para a melhoria da sua vida, da vida da sua família,
da sua comunidade e do país. Também deve educar para a unidade nacional e para Paz.

E, no que concerne as competências básicas a serem adquiridas pelo aluno, que são as
seguintes: ouvir, falar, ler e escrever; olhando para a experiência que o grupo tem da
carreira de professorado, a conclusão que tirou foi a de que os objectivos definidos são
pertinentes, apesar de haver muitas dificuldades para que os mesmos objectivos sejam
alcançados pela maioria dos alunos, devido aos vários factores, tais como familiares,
pedagógicos, políticos, etc.

No aspecto, relação carga horária e complexidade dos conteúdos em relação às


necessidades reais do aluno e do país, o grupo afirmou que o tempo está distribuído de
acordo com a complexidade e a quantidade dos conteúdos. E também notou que há
diminuição da carga horária da disciplina na medida que o nível aumenta, devido ao
aumento das disciplinas por classe, na medida que o nível aumenta e, tomando em
consideração que o aluno já adquiriu as competências básicas. E, os conteúdos quanto à
complexidade, certamente são complexos para maior parte dos alunos devido ao facto de
ser uma língua não usual no seu ambiente familiar, restrita a escola, sobretudo no 1º
Ciclo

Mas, olhando para aquilo que são as necessidades reais do aluno e do país, os conteúdos
programados concorrem para o alcance dos objectivos. E, sobre à eficácia dos métodos e
estratégias de ensino e aprendizagem, o grupo, durante a leitura minuciosamente feita,
percebeu que o Programa do 1º Ciclo sugere métodos que torna o processo de ensino-
aprendizagem agradável, divertido e útil, dando uma grande relevância à interacção
professor/aluno, aluno/aluno, aluno/comunidade, proporcionando aos alunos a possibilidade
de ouvir, falar, ler e escrever, tendo em conta que só se aprende a ouvir, ouvindo; a
falar, falando; a ler, lendo e a escrever, escrevendo.

O método interactivo e participativo é o método sugerido em todos os Ciclos do Ensino


Básico. Para o grupo, o método e as estratégias sugeridas são eficazes no ensino e
aprendizagem da língua, em particular, da Língua Portuguesa. Porém, o professor tem a
oportunidade de utilizar outros métodos e estratégias de acordo com os objectivos que se
pretendem alcançar. Concernente as formas e instrumentos de avaliação, de acordo com a
análise feita aos Programas, o grupo percebeu que os Programas orientam para que a
avaliação fosse feito em todos os momentos do processo de ensino-aprendizagem, o que
o grupo concordou plenamente, devido a importância que a avaliação tem. Pois, sem a
avaliação não se teria como saber se os objectivos estão a ser alcançados e quais as
dificuldades que os alunos têm.

As modalidades de avaliação são:

 Avaliação diagnóstica (início do ano lectivo, semestre, ciclo, unidade temática, etc,
pois, tem por objectivo colher informações sobre o nível inicial de aprendizagem
dos alunos;
 Avaliação formativa, que informa o professor sobre o nível de realização dos
objectivos do Programa e impulsiona o aluno para que se empenhe cada vez
mais nos estudos. Preocupa-se com os aspectos pessoais da vida do aluno, tais
como a sua personalidade, o seu ritmo de desenvolvimento e, no caso vertente,
aspectos da sua vida social e linguística.
 Avaliação sumativa, que permite determinar o nível atingido por cada aluno no
final de uma unidade de ensino, ano lectivo ou curso.

O programa não sugere explicitamente os instrumentos da avaliação, mas o grupo


recorrendo a sua experiência fez a menção de alguns instrumentos da avaliação, tais
como: a prova, a verificação das actividades de casa, a observação, classificação de
caderno, etc., e este instrumentos são usados em quase todos os Ciclos do Ensino Básico.
9- a coesão com o Programa do Ciclo. Na análise feita de acordo com os moldes
indicados, o grupo percebeu que o livro da 1a classe, Língua Portuguesa, não privilegia a
complexidade do contexto moçambicano, pois, não se reflecte como deve ser a realidade
complexa de Moçambique, ou seja, realidade do menino do campo não se faz sentir no
livro, quer ao nível social, quer ao nível económico.

Ao longo da análise pude perceber que os conteúdos do livro da 1ª classe não se


desviam do que se pretende (os objectivos), desenvolver na criança as habilidades de
ouvir, falar, ler e escrever. Também o grupo chegou ao consenso de que diz respeito a
concordância com o Programa de ensino em vigor, nos aspectos: unidades temáticas,
objectivos específicos, conteúdos e competências básicas, o livro concorda com o
Programa.

Mas o grupo concordou unanimemente durante a análise que o professor devia ser
dinâmico e criativo, procurando adequar os conteúdos ao contexto dos alunos.

Olhando para a relação intrínseca entre as ilustrações (imagem) com a realidade do aluno
e de outros países, como se referiu acima há uma divergência entre as ilustrações e a
realidade dos alunos no contexto complexo de Moçambique.

O grupo analisou os exercícios que constam do livro da 1ª classe para ver se iam de
acordo com os objectivos, e da análise feita o grupo chegou ao consenso de que os
exercícios concorrem para que seja alcançadas as competências básicas definidas para
aquela classe. Mas no que refere a clareza dos exercícios, o grupo notou que em alguns
exercícios há problemas de clareza ou há redundância. Por exemplo, no segundo exercício
da página 5 e no primeiro exercício da página 6. Mas nos outros exercícios o grupo
notou que eram claros e a linguagem também era clara.
Conclusão

No presente trabalho da cadeira de Didáctica abordamos do papel do professor e dos alunos no


processo de ensino e aprendizagem, e vimos que ambos são os principais intervenientes nesse
processo e que o professor na sala deve ter uma atitude democrática para que o aluno tenha
espaço de apresentar ou contribuir na aula. E por outro lado os alunos devem cooperar com o
professor para que o processo de ensino possa se efectivar.

Ainda no decorrer deste trabalho, tivemos o privilégio de analisar os programas de ensino , onde
vimos que os mesmos são importantes pois que guiam ao professor na efectivação deste processo
de ensino.
Bibliografia

INDE/MINEDH, Programas das Disciplinas do 1º Ciclo do Ensino Primário, Maputo:

INDE/MINEDH, Programas das Disciplinas do 2º Ciclo do Ensino Primário, Maputo:

INDE/MINEDH, Programas das Disciplinas do 3º Ciclo do Ensino Primário, Maputo:


Anexos
Imagem da Escola
O pátio da escola
Salas de aulas
O estado das casas de banho dos alunos
Casa de banho dos professores