Você está na página 1de 3

Disciplina - Biologia Celular

Profª – Tamara Coutinho

Mitocôndrias
Muito antes do surgimento dos seres precisa de muita energia para mover o
eucariontes, todas as reações citoesqueleto do flagelo. Um dado
metabólicas que resultam na geração de interessante é que, ao penetrar o óvulo,
energia já eram executadas em
o espermatozoide deixa sua cauda para
sistemas procariontes ou mesmo pré-
bióticos. Nos seres vivos atuais, a o lado de fora do óvulo, com isso, todas
energia produzida nesses sistemas é as mitocôndrias herdadas serão da mãe
armazenada em moléculas como o ATP (herança uniparental).
e o NADH.H+ e utilizada
para geração de calor (nos seres As mitocôndrias são delimitadas por
homeotérmicos), movimentos (como o duas membranas não coladas, uma
batimento ciliar), na síntese de novas externa e uma interna, que assim defi
moléculas e outros processos essenciais nem dois compartimentos, o espaço
para a manutenção da vida celular. intermembranar e a matriz
Duas organelas se destacam na mitocondrial.
produção de ATP para as células:
mitocôndrias e cloroplastos. As Membrana mitocondrial externa – é
mitocôndrias produzem ATP, a principal uma membrana cuja bicamada lipídica
molécula armazenadora de energia, em não possui características especiais,
dois conjuntos de reações: o ciclo de assemelhando-se à bicamada lipídica do
Krebs e a cadeia respiratória. retículo endoplasmático. Já as proteínas
As mitocôndrias estão presentes no inseridas nessa membrana são
citoplasma de quase todas as células especiais. Podemos citar como típica
eucarióticas, incluindo animais, dessa membrana e essencial para o
vegetais, fungos, protozoários e algas. funcionamento da organela a presença
As exceções são protozoários que vivem da porina, que funciona como um poro,
em ambientes anaeróbicos: amebas, deixando ions moléculas menores
Giardia e Trichomonas. passarem livremente pela membrana.
As mitocondrias se dividem por f ssão e
também se fundem com muita Espaço intermembranar – como a
frequência. Foi possível observar que as membrana externa não forma uma
barreira, a composição iônica desse
mitocôndrias são capazes de se deslocar
compartimento é semelhante à do
usando os microtubulos como trilhos. citoplasma. Esse espaço nada teria de
especial, não fosse a presença dos
O número de MITOCÔNDRIAS complexos enzimáticos de
presentes no citoplasma de uma célula interconversão de nucleotídeos, que
eucariótica pode variar de algumas retiram um fosfato do ATP, transferindo-
dezenas a milhares, dependendo da o para um outro nucleotídeo, seja GDP,
necessidade de energia daquele tipo UDP ou CDT.
celular naquele momento. Se a GTP – guanidina trifosfato,
demanda por ATP se mantiver alta por importante na polimerização dos
algum tempo, a quantidade de microtubulos.
mitocôndrias aumentará. Na maioria das CTP e UTP – citosina trifosfato e
células elas se deslocam muito, como se uridina trifosfato, que atuam na adição
“corressem” ao longo dos microtubulos de açucares.
para atender às necessidades de ATP Como o complexo é muito grande e não
em diferentes pontos da célula. pode passar pelo poro, ele fica retido no
Em outras células, as mitocôndrias mão espaço intermembranar, esperando a
se movimentam muito, ficando em mitpcondria liberar ATP, para usa-la na
apenas um lugar. Um exemplo desse transformação de GDP, UDP e CDP em
tipo de célula é o espermatozoide. As GTP, UTP e CTP, respetivamente.
mitocôndrias se concentram na cauda,
que através de sua movimentação
Membrana mitocondrial interna – Os poucos genes presentes na organela
essa membrana, sim, é muito especial. codificam para subunidades de enzimas
É a bicamada lipídica mais fluida e mitocondriais que dependem da
menos permeável de uma célula. Ela chegada, vindas do citoplasma, de
não possui colesterol, o que a torna outras subunidades da mesma proteína
mais fluida. A quase impermeabilidade para poder montar a enzima funcional.
(quase porque a membrana interna é
permeável a agua e a gases, como O2, A principal função das mitocôndrias é
CO2 e NO) é atribuída a um fosfolipídio produzir ATP, e elas fazem isso com o
especial, a cardiolipina, sendo um melhor rendimento possível. Para isso,
fosfolipídio com quatro cadeias de ácido precisam obter a energia necessária
graxo. para fazer a ligação ADP + Pi, que é
muito grande. O mecanismo que deu
A membrana interna também é a que certo evolutivamente e está presente,
possui maior numero de proteínas, isso em sua essência, em todos os
porque: eucariotos aeróbicos é o da obtenção
– é nela que ocorre a cadeia dessa energia em etapas. Em cada uma,
transportadora de elétrons, e seus a energia obtida é armazenada em
componentes são proteínas da compostos temporários, como NADH.H+
membrana interna; e FADH2, ou em gradientes de
– é na membrana interna que está a concentração, até que possa atingir os
enzima que sintetiza ATP, a ATP níveis energéticos necessários para
sintase, em grande número de cópias; fazer a ligação.
– se a bicamada lipídica da membrana Para conseguir fazer a ligação ADP + Pi,
interna é bastante impermeável e, no a célula precisa quebrar outras ligações
entanto, é preciso que muitas moléculas químicas. Várias ligações carbono-
cheguem à matriz e de lá saiam carbono são quebradas até conseguir a
atravessando essa membrana, ela tem energia para formar ATP. O combustível
de ter muitos transportadores, preferencial é a glicose, que fica
carreadores etc. armazenada no próprio citoplasma das
células. Para armazenamento, as
Matriz mitocondrial – como esta moléculas de glicose formam polímeros:
isolada por uma membrana bastante o amido, no caso das células vegetais, e
impermeável, a matriz mitocondrial tem o glicogênio, nas células animais.
composição iônica muito particular, O glicogênio é um polímero
sendo bastante espessa. organizadíssimo, no qual as moléculas
de glicose fi cam empacotadas junto
A descoberta de que mitocôndrias e com as enzimas que vão quebrar o
cloroplastos possuem ácidos nucléicos polímero quando for necessário.
(DNA e RNA) despertou enorme O glicogênio armazenado não é a única
curiosidade entre os pesquisadores. fonte de glicose. Aliás, a célula só
Diferentemente do DNA nuclear, nas começa a quebrar o polímero se não
mitocôndrias e nos cloroplastos essas houver glicose disponível na circulação
moléculas são circulares (Figura 26.10a) sangüínea, vinda diretamente da
e não possuem histonas, como o DNA de alimentação.
procariotos. Em cada organela, estão Quando a célula absorve mais glicose do
presentes várias moléculas de DNA que ela precisa naquele momento, o
iguais que geralmente estão associadas excedente é incorporado no polímero de
em pequenos grupos espalhados pela glicogênio. Mas isso tem limite! Se um
matriz mitocondrial (e pelo estroma dos animal ingere glicose demais ela
cloroplastos). será convertida em gordura pelo
As muitas moléculas de DNA de uma metabolismo do fígado.
mitocôndria são produzidas por Os polímeros de glicogênio são
replicação. Elas também são transcritas quebrados no citoplasma por enzimas
por enzimas próprias das organelas, que estão associadas aos próprios
produzindo RNAs que, por sua vez, grânulos, liberando moléculas de
serão traduzidos em proteínas por glicose. Cada molécula de glicose é
ribossomos também nas próprias trabalhada separadamente, numa via
organelas. metabólica também citoplasmática, a
via glicolítica. Essa via tem várias
etapas, cada uma catalisada por uma A, formando Acetil-CoA, o ponto de
enzima. entrada para o Ciclo de Krebs.
A ligação de coenzima A cumpre duas
Uma molécula de glicose, que tem seis funções: impede que os dois últimos
carbonos, será quebrada em duas carbonos sejam separados, e perdidos, e
moléculas de piruvato, com três faz com que eles sejam reconhecidos
carbonos cada uma. Essa quebra libera pela próxima etapa do metabolismo,
energia para formar duas moléculas de também realizada por enzimas da
ATP diretamente e reduz dois NADs a matriz mitocondrial: o Ciclo de Krebs ou
NADH2. Na presença de oxigênio, o ciclo do ácido cítrico.
piruvato entra na mitocôndria.
É fácil para o piruvato passar a CICLO DE KREBS
membrana mitocondrial externa, mas A utilidade deste cilco é incorporar a
para ultrapassar a interna ele precisa acetil coenzima A com seus dois
ser transportado ativamente. carbonos a uma molécula de quatro
carbonos, resultado numa molécula de
Uma vez na matriz mitocondrial, o seis carbonos (ácido cítrico). Desses seis
piruvato é logo quebrado pela piruvato carbonos, dois são retirados a cada
desidrogenase. Essa enzima é, na volta do ciclo, transformando em CO2 e
verdade, um grande complexo indo para atmosfera, mas não são os
multienzimático. Ela separa os três dois carbonos que vieram com a acetil
carbonos do piruvato em uma molécula CoA, que permanecem incorporados por
de dois carbonos e outra de um carbono três voltas do ciclo.
só, aproveitando a energia liberada,
para reduzir NAD a NADH2. CADEIA RESPIRATORIA
No ambiente cheio de oxigênio, o A cadeia respiratória é formada por três
carbono liberado logo se torna CO2, complexos proteicos de grande porte: a
sendo excretado na respiração e NADH desidrogenase, o complexo
incorporando-se à atmosfera. Os outros citocromo b-c1 e a citocromo oxidase.
dois carbonos são acoplados à coenzima Entre os três grandes complexos, há
moléculas pequenas, a ubiquinona
e o citocromo c. prótons através da membrana
Todos os complexos da cadeia mitocondrial interna.
respiratória são proteínas da membrana Essa membrana é bastante
mitocondrial interna e não estão impermeável, de modo que o gradiente
interligados fisicamente. Para que os não pode se desfazer por difusão. A
elétrons passem de um componente única passagem possível para os
para o outro, é preciso que eles se prótons voltarem à matriz mitocondrial
choquem, daí a enorme importância da é o complexo transmembrana muito
fluidez da membrana mitocondrial abundante: a ATP sintetase. Quando os
interna. prótons acumulados no espaço
O transporte de elétrons ao longo da intermembranar passam por dentro do
cadeia respiratória libera energia aos canal as subunidades são ativadas e
poucos, de modo que ela pode ser promovem a
aproveitada para criar um gradiente de
ligação ADP+Pi formando ATP.