Você está na página 1de 15

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA

DEPARTAMENTO DE SAÚDE
CURSO: ODONTOLOGIA

EWELLYN CARVALHO, KAROLINA LÔBO E THAMIRES RIOS

ANTIBIÓTICO PROFILAXIA

Feira de Santana-BA, 2017.


ANTIBIÓTICOS
 São substâncias químicas, obtidas de microrganismos vivos ou de processos
semissintéticos que têm a propriedade de inibir o crescimento de organismos
patogênicos ou destruí-los. (ANDRADE, 2014, p.56)

Fonte:http://www.ibes.med.br
Profilaxia Antibiótica

 Consiste no uso de antibióticos em pacientes que não apresentam


evidências de infecção, com o intuito de prevenir a colonização de
bactérias e suas complicações, no período pós-operatório.(ANDRADE,
2014, p.73)

Fonte: https://www.vix.com
Mecanismo de ação

Fonte: http://www.anvisa.gov.br/servicosaude/controle/rede_rm/cursos/rm_control
e/opas_web/modulo1/pop_mecanismo.htm
Fatores que influenciam o tratamento
antimicrobiano
 Escolha do antibiótico
 Quando iniciar
 Quando parar
 Fatores do hospedeiro
 Gravidez
 Idade
 Disfunções hepáticas
 Disfunções renais

ANDRADE, E.D. Terapêutica medicamentosa em odontologia. 2 ed. São Paulo: 2006.


Resistência Bacteriana
como minimizá-la
• Prescrever corretamente o antibiótico:
Tratamento de infecções, que possuam sinais e sintomas de disseminação da
mesma;
Prevenção de infecções;
Prescrever doses maciças pelo menor espaço de tempo possível

Fonte: ANDRADE,E.D.;2014
http://www.oestadoce.com.br
Efeitos adversos
Protocolo de profilaxia antibiótica –
Endocardite Infecciosa

ANDRADE,E.D.,2014
Profilaxia da infecção pós operatória

WANNMAKER, L.; FERREIRA, M.B.C. Farmacologia Clínica para Dentistas. 2 ed. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 1999.
WANNMAKER, L.; FERREIRA, M.B.C. Farmacologia Clínica para Dentistas. 2 ed. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 1999.
WANNMAKER, L.; FERREIRA, M.B.C. Farmacologia Clínica para Dentistas. 2 ed. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 1999.
Conclusão

 É importante que o profissional faça uma análise prévia das condições


sistêmicas de saúde do paciente, tome medidas que melhore as
condições locais e adote as medidas profiláticas nos casos que exigir
obedecendo os protocolos.
Referências

 ANDRADE, E.D. Terapêutica medicamentosa em odontologia. 2 ed. São


Paulo: 2006.
 RANG,H.P.; DALE,M.M.;RITTER, J.M.; FLOWER,R.J.; HENDERSON,G.;
Farmacologia. 7ed. 2012
 WANNMAKER, L.; FERREIRA, M.B.C. Farmacologia Clínica para Dentistas. 3
ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.