Você está na página 1de 24

REINO PROTISTA

BIOLOGIA
PROF.MAGRÃO
Os Protistas
 Seres distintos entre si com características comuns.
 Constituidos por células verdadeiras, com citoplasma e
núcleo diferenciado (eucariotas).
 Formados por uma ou várias células mas sem formar tecidos
(grupos de células especializados numa função), ou seja não
há organização histológica.
Protistas : Grupos Principais
 Protozoários
heterótrofos,vida livre  Algas autótrofas com
aquáticos ou parasitas, clorofila e pigmentos
maioria móveis. semelhantes, produtoras
ecológicas de habitat aquático
ou úmido.

Diatomáceas

O Fitoplâncton é formado por


algas unicelulares
Paramecio imprescindíveis aos
ecossistemas aquáticos.
PROTOZOÁRIOS
Classificação baseada no tipo de estrutura locomotora

 Esporozoos: são parasitas de células  Rizópodos: Possuem pseudópodos (locomoção


sem estruturas de locomocão e
reprodução por divisão múltipla, e alimentação). Ex: Ameba,Foraminíferos e
formando esporos. Ex: Entamoeba histolítica(disentería amebiana)
Plasmodio(malária) transmitido pelo
mosquito Anopheles.


 Ciliados: Locomoção por cílios Flagelados: flagelos,alguns de vida livre e outros
numerosos , podem ter dois núcleos. Ex: parasitas, como o Tripanosoma(Chagas e Sono)
Paramecio contagiando pela picada do barbeiro e tsé-tsé.
ALGAS

(Classificação baseada no tipo de pigmento presentado)

Algas verdes (Clorófitas). Ulva, pluricelular, chamada alface do mar.

Possuem clorofila.

Spyrogira, unicelular colonial e filamentosa


Algas Pardas,
Marrons ou
Feófitas

 Pigmento ficoxantina,
espécies pluricelulares,
como o Fucus, têm
aspecto de planta com
falsos talos,raízes e
folhas, vivendo fixas em
profundidade de até 200
metros.

Fucus sp
Algas Vermelhas: Rodófitas

Pigmento
ficoeritrina, talo
complexo, e
aspecto de
verdadeira planta.
Vivem nas
profundezas
marinhas, por
exemplo Coralina
e Gelidium.  

Coralina officinalis
Dinoflagelados: Pirrofíceas

 Nos dinoflagelados há um

flagelo enrolado em seu corpo

e outro perpendicular.São

unicelulares marinhos,

responsáveis pela maré

vermelha e bioluminescência.
Diatomáceas,
Crisofíceas ou Algas
Douradas
 As diatomáceas vivem
em carapaças silícas,
formando valvas como
corpo e tampa de uma
saboneteira. De sua
deposição em lagoas ou
oceanos surge por
sedimentação uma
rocha,o Diatomito,
usada como isolador
térmico, para juntar ao
cimento, na fabricação
de telhas e tijolos
refratários.
Reprodução Assexuada
 Cissiparidade ou Bipartição
: Não há variabilidade
genética, surgem clones por
divisão celular.

 Múltiplas Divisões ou
Partição Múltipla : diversas
divisões originando esporos ou
formas reprodutivas variadas.
Reprodução Sexuada
Conjugação :
Envolve a troca de
material genético por
ponte citoplasmática
ocasionando
variabilidade na
espécie, favorecendo
a adaptação.
TIPOS DE CICLOS DE VIDA
 Haplonte ou
Haplobionte . indivíduos
são haplóides. Algumas células
desses indivíduos diferenciam-se
em gametas ( haplóides ) que,
quando liberados, podem unir-se
dois a dois através da fecundação,
originando uma célula ovo ou
zigoto, com 2n cromossomos
( diplóide ). Esse zigoto sofre
meiose, originando 4 células
haplóides (n). Estas sofrem várias
divisões minóticas, formando um
novo indivíduo haplóide, que
reinicia o ciclo. Nas plantas com
esse tipo de ciclo de vida a meiose
é zigótica ou inicial. Esse ciclo
ocorre em algumas algas.
TIPOS DE CICLOS DE VIDA
 Diplonte ou
Diplobionte os
indivíduos do ciclo são
diplóide. Produzem gametas
haplóides por meiose, ocorre a
fecundação que dá origem a
zigoto diplóide, que, por
mitoses sucessivas, dará
origem a outro indivíduo
diplóide, que reiniciará o ciclo.
A meiose, nesse caso, é
gamética ou final. Esse ciclo
também ocorre em algas.
TIPOS DE CICLOS DE VIDA
 Haplonte-Diplonte ou haplodiplobionte.
Ocorre alternância de uma fase de indivíduos diplóides com uma
fase de indivíduos haplóides (alternância de geração ou metagênese). Nos
indivíduos diplóides, algumas células especializadas sofrem meiose dando
origem a células haplóides se diferenciando em esporos que são liberados e ao
se fixarem em local adequado, darão origem a indivíduos haplóides, através de
várias divisões mitóticas. Algumas células desses indivíduos
haplóides(gametófitos) diferenciam-se em gametas, células haplóides. Estes
podem sofrer fecundação, originando um zigoto diplóide que por mitoses
sucessivas, dará origem a indivíduo diplóide(esporófitos) reiniciando o ciclo.
Nesse caso, a meiose é espórica ou intermediária. Esse ciclo de vida ocorre em
algas e plantas.
Ciclo Alternante em Ulva sp
Ciclo Alternante em Ulva sp
CHAGAS : CICLO
CHAGAS : CICLO
MALÁRIA : CICLO
EVOLUÇÃO DO HABITAT DO
PLASMÓDIO ANOPHELES
1)A grande importância ecológica 3)As cianofíceas são denominadas
das algas planctônicas é devida ao "algas azuis".
fato de elas proporcionarem: Elas compreendem organismos:
a) o equilíbrio da temperatura dos a) procariotas, autótrofos,
oceanos. providos de pigmentos
b) a produção de oxigênio na Terra. fotossintetizantes não
c) a ciclagem do nitrogênio nos acondicionados no interior de
oceanos. organelas.
d) o equilíbrio da salinidade dos b) procariotas, heterótrofos, com
oceanos. mitocôndrias sintetizando
e) o equilíbrio da temperatura na compostos orgânicos.
Terra. c) eucariotas, autótrofos, com
pigmentos fotossintetizantes
2)Pode-se afirmar que fitoplâncton dispersos no citoplasma.
a) é constituído por organismos d) eucariotas, heterótrofos, tendo
heterótrofos. cloroplastos como organela de
b) representa a comunidade dos síntese de compostos orgânicos.
produtores do plâncton. e) eucariotas, mas sem
c) não depende da presença de luz revestimento nuclear e com
para se desenvolver. pigmentos fotossintetizantes
d) representa a comunidade dos associados a pregas de
consumidores do plâncton. membranas existentes no
e) é representado por organismos citoplasma.
que se deslocam ativamente na
água.
LINKS
 http://www.resnet.wm.edu/~mcmath/bio205/
 http://en.wikipedia.org/wiki/Chagas_disease
 http://www.who.int/tdr/diseases/chagas/lifecycle.htm
 http://www.mpl.ird.fr/entomo_medicale
/protozooose15cm.html
 http://www.elbalero.gob.mx/bio/html/especies
/micro/micro_proto.html
 http://www.who.int/tdr/diseases/leish/lifecycle.htm
(animação leishmaniose)