Você está na página 1de 32

PREPARAÇÃO PARA O

EXAME DE
ESPECIALISTA EM
NEUROPSICOLOGIA
Edital CFP
Informações coligidas por Alexandre Costa e Silva
Características
 Reconhecida como especialidade para os
psicólogos brasileiros apenas em 2007
 Resolução nº 2 / 2004
 Resolução revogada pela Resolução Nº 
013/2007
 Institui
a Consolidação das Resoluções
relativas ao Título Profissional
de Especialista em Psicologia e dispõe
sobre normas e procedimentos para seu
registro
Definição
 A Neuropsicologia é tradicionalmente definida como a
área de estudo das relações entre o cérebro e o
comportamento (Gil, 2005; Hebben & Milberg, 2002;
Lezak, Howieson & Loring, 2004). De acordo com
Luria (1981), essa ciência tem como objetivo
investigar o papel dos sistemas cerebrais de cada
indivíduo nas formas complexas de atividade mental.
Seu caráter interdisciplinar é destacado por Rao
(1996), que ressalta o envolvimento de especialistas
da Neurologia, Psiquiatria, Psicologia, Fonoaudiologia
e Lingüística, entre outros. A noção de
interdisciplinaridade na Neuropsicologia surge com as
duas Grandes Guerras Mundiais, sendo enfatizada nos
trabalhos clássicos de Alajouanine, Ombredane e
Durand (1939) e Alajouanine e Lhermitte (1960).
Definição do CFP
 Atua no diagnóstico, no acompanhamento,
no tratamento e na pesquisa da cognição,
das emoções, da personalidade e do
comportamento sob o enfoque da relação
entre estes aspectos e o funcionamento
cerebral.
 Utiliza-se para isso de conhecimentos
teóricos angariados pelas neurociências e
pela prática clínica, com metodologia
estabelecida experimental ou clinicamente.
Definição do CFP
 Utiliza instrumentos especificamente
padronizados para avaliação das funções
neuropsicológicas envolvendo
principalmente habilidades de atenção,
percepção, linguagem, raciocínio,
abstração, memória, aprendizagem,
habilidades acadêmicas, processamento
da informação, visuoconstrução, afeto,
funções motoras e executivas.
Definição do CFP
 Estabelece parâmetros para emissão de
laudos com fins clínicos, jurídicos ou de
perícia; complementa o diagnóstico na
área do desenvolvimento e
aprendizagem.
 O objetivo teórico da neuropsicologia e
da reabilitação Neuropsicológica é
ampliar os modelos já conhecidos e criar
novas hipóteses sobre as interações
Definição do CFP
 Trabalha com indivíduos portadores ou
não de transtornos e seqüelas que
envolvem o cérebro e a cognição,
utilizando modelos de pesquisa clínica e
experimental, tanto no âmbito do
funcionamento normal ou patológico da
cognição, como também estudando-a
em interação com outras áreas das
neurociências, da medicina e da saúde.
Definição do CFP
 Os objetivos práticos são levantar dados
clínicos que permitam diagnosticar e
estabelecer tipos de intervenção, de
reabilitação particular e específica para
indivíduos e grupos de pacientes em
condições nas quais:
b) ocorreram prejuízos ou modificações
cognitivas ou comportamentais devido a
eventos que atingiram primária ou
secundariamente o sistema nervoso
central;
Definição do CFP
 Os objetivos práticos são levantar dados
clínicos que permitam diagnosticar e
estabelecer tipos de intervenção, de
reabilitação particular e específica para
indivíduos e grupos de pacientes em condições
nas quais:
b) O potencial adaptativo não é suficiente para o
manejo da vida prática, acadêmica,
profissional, familiar ou social; ou
c) Foram geradas ou associadas a problemas
bioquímicos ou elétricos do cérebro,
decorrendo disto modificações ou prejuízos
Definição do CFP
 Além do diagnóstico, a Neuropsicologia e
sua área interligada de Reabilitação
Neuropsicológica visam:
b) realizar as intervenções necessárias
junto ao paciente, para que possam
melhorar, compensar, contornar ou
adaptar-se às dificuldades;
c) junto aos familiares, para que atuem
como co-participantes do processo
reabilitativo;
Definição do CFP
 Além do diagnóstico, a Neuropsicologia e
sua área interligada de Reabilitação
Neuropsicológica visam:
b) junto a equipes multiprofissionais e
instituições acadêmicas e profissionais,
promovendo a cooperação na inserção ou
re-inserção de tais indivíduos na
comunidade quando possível, ou ainda,
c) na adaptação individual e familiar quando
as mudanças nas capacidades do paciente
forem mais permanentes ou a longo prazo.
Definição do CFP
 Ainda no plano prático, fornece dados
objetivos e formula hipóteses sobre o
funcionamento cognitivo, atuando como
auxiliar na tomada de decisões de
profissionais de outras áreas, fornecendo
dados que contribuam para as escolhas de
tratamento medicamentoso e cirúrgico,
excetuando-se as psicocirurgias, assim
como em processos jurídicos nos quais
estejam em questão o desempenho
intelectual de indivíduos, a capacidade de
Definição do CFP
 Na interface entre o trabalho teórico e
prático, seja no diagnóstico ou na
reabilitação, também desenvolve e cria
materiais e instrumentos, tais como
testes, jogos, livros e programas de
computador que auxiliem na avaliação e
reabilitação dos pacientes.
Definição do CFP
 Na interface entre o trabalho teórico e
prático, seja no diagnóstico ou na
reabilitação, também desenvolve e cria
materiais e instrumentos, tais como
testes, jogos, livros e programas de
computador que auxiliem na avaliação e
reabilitação dos pacientes.
Definição do CFP
 Desenvolve atividades em diferentes
espaços:
b) instituições acadêmicas, realizando

pesquisa, ensino e supervisão;


c) instituições hospitalares, forenses,

clínicas, consultórios privados e


atendimentos domiciliares, realizando
diagnóstico, reabilitação, orientação à
família e trabalho em equipe
Temas da prova de
especialista
1. Introdução à Neuropsicologia.
a) Histórico da Neurologia e da
Neuropsicologia.
b) Neuropsicologia hoje – caracterização da
especialidade.
c) Avaliação psicológica x neuropsicológica
– Especificidades da técnica.
d) Entrevista e técnicas de observação
neuropsicológica.
e) Comportamentos indicativos de
enfermidade cerebral.
Temas da prova de
especialista
1. Bases Anatômicas e Fisiológicas do
Sistema Nervoso.
a) Estrutura dos neurônios e sinalização
neuronal.
b) Mecanismos excitatórios e inibitórios.
c) Estrutura cerebral cortical e
subcortical – funções.
d) Córtices unimodais e heteromodais.
e) Bases neuroanatômicas da cognição.
Temas da prova de
especialista
1. Funções Neuropsicológicas.
a) Raciocínio e o conceito de inteligência
amplificado.
b) Modalidades atencionais.
c) Linguagem e habilidades acadêmicas.
d) Percepção e visuoconstrução.
e) Habilidades mnemônicas.
f) Funções executivas e afetivas.
g) Integração funcional das habilidades
cognitivas.
Temas da prova de
especialista
1. Testes Psicológicos aplicados à
Neuropsicologia.
a) Como são construídos os testes.
b) Escalas de desenvolvimento.
c) Escalas adaptativas.
d) Testes que avaliam Raciocínio e
Capacidade intelectual.
e) Testes que avaliam Atenção.
Temas da prova de
especialista
1. Testes Psicológicos aplicados à
Neuropsicologia.
a) Testes que avaliam Linguagem.
b) Testes que avaliam Percepção e
Visuoconstrução.
c) Testes que avaliam Memória.
d) Testes que avaliam Funções
Executivas e Afetivas.
Temas da prova de
especialista
1) Métodos e Técnicas da Investigação
Neuropsicológica.
Técnicas específicas para avaliação da criança, do
adulto e do idoso.
Programação das sessões de avaliação a partir do
levantamento de hipóteses.
Elaboração do diagnóstico neuropsicológico em função
da consistência dos resultados obtidos a partir dos
instrumentos utilizados, da história do indivíduo e de
seu comportamento em avaliação.
Definição de encaminhamentos e programação do
tratamento. Elaboração de relatório neuropsicológico.
Temas da prova de
especialista
1. Enfermidades Neurológicas e
Multidisciplinaridade.
a) Enfermidades Neurológicas Infantis.
b) Epilepsias.
c) Distúrbios do Sono.
d) Distúrbios do Movimento.
e) Danos Cerebrais Agudos.
Temas da prova de
especialista
1. Enfermidades Neurológicas e
Multidisciplinaridade.
a) Afasias.
b) Agnosias.
c) Demências.
d) Reabilitação neuropsicológica da
criança, do adulto e do idoso.
Temas da prova de
especialista
1. Enfermidades Neurológicas e
Multidisciplinaridade.
a) Afasias.
b) Agnosias.
c) Demências.
d) Reabilitação neuropsicológica da
criança, do adulto e do idoso.
Bibliografia Sugerida (CFP)
 Alvarez, A.M.M.A., Taub, A., Carvalho,
I.A.M., Yassuda, M.S., Memória, São
Paulo: Editora Atheneu, 2005.
 Andrade, M.V., Santos, F.H., Bueno, O.F.A.,
Neuropsicologia Hoje,São Paulo: Editora
Artes Médicas Ltda. 2004.
 Andrade, V.M., Um diálogo entre a
Psicanálise e a Neurociência, São Paulo:
Casa do Psicólogo, 2003.
 Andreasen, N.C., Admirável Cérebro Novo,
Porto Alegre: Artmed, 2005.
Bibliografia Sugerida (CFP)
 Bayley, N., Bayley Scales of Infant Development, 2ª
Edition, San Antonio: The Psychological Corporation,
1993.
 Bear et al. Neurociências: desvendando o sistema
nervoso., Art Med, 2002.
 Brandão. Psicofisiologia: bases fisiológicas do
comportamento., Atheneu, 2001.
 Casanova, J.P., Fombuena, N.G., Fullà, J.G.,
Testes Neuropsicológicos, Barcelona: Masson S.A.,
2004.
 Damasceno, B.P., Coudry, M.I.H., Temas em
Neuropsicologia e Neurolingüística, São Paulo: Tec
Art, 1995.
Bibliografia Sugerida (CFP)
 Damásio, A.R., O Erro de Descartes, São
Paulo: Editora Companhia das Letras,
1998.
 Damásio, A., O Mistério da
Consciência, São Paulo: Editora
Companhia das Letras, 1999.
 Damásio, A., Em Busca De Espinosa:
prazer e dor na ciência dos sentimentos,
São Paulo: Companhia das Letras, 2004.
Bibliografia Sugerida (CFP)
 Fialho. Ciências da Cognição., Insular, 2001.
 Gazzanica,M.S., Heatherton,T.F., Ciência
Psicológica,Porto Alegre:Artmed,2005.
 Gazzanica,M.S.,Ivry,R.B., Mangun,G.R.,
Cognitive Neuroscience, 2ªEdition, New York:
W.W.Norton & Company, 2002.
 Goldberg, Elkhonon. O Cérebro Executivo.
Imago, 2002.
 Gonçalves, M.J.,Macedo,E.C., Sennyey,A.L.,
 Capovilla,F.C.,Tecnologia em (Re) Habilitação
Cognitiva, São Paulo: Centro Universitário São
Camilo, 2000.
Bibliografia Sugerida (CFP)
 Graeff,F.G., Brandão,M.L., Neurobiologia das
Doenças Mentais, 5ª Edição, São Paulo:Lemos
Editorial, 1999.
 Hebben, N., Milberg, W., Essentials of
Neuropsychologial Assessment, Canada: John
Wiley & Sons, Inc, 2002.
 Kandel, E.R., Schwartz, J.H., Jessell,T.M.,
Fundamentos da Neurociência e do
Comportamento, Rio de Janeiro:Editora
Prentice-Hall do Brasil,1997.
 Kandel, Eric R., Squire, Larry R. Memória: da
mente às moléculas. ArtMed, 2003.
Bibliografia Sugerida (CFP)
 Kolb. Neurociência do Comportamento.,
Manole, 2002.
 Lefèvre, B.H., Neuropsicologia Infantil,
São Paulo: Sarver Editora de Livros
Médicos Ltda., 1989.
 Lent. Cem Bilhões de Neurônios.,
Atheneu, 2001.
 Lezak,M.D., Howieson, D.B.,
Loring,D.W., Neuropsychological
Assessment, 4ª Edition, New York:
Bibliografia Sugerida (CFP)
 Machado. Neuroanatomia Funcional - 2ª ed.,
Atheneu, 2000.
 Nitrini,R., Caramelli,P., Mansur, L.L.,
Neuropsicologia das Bases Anatômicas à
Reabilitação, 1ª Edição, São
Paulo:HCFMUSP, 2003.
 Posner, M.I., Cognitive Neuroscience of
Attention, New York: The Guilford Press, 2004.
 Ramachadran e Blakeslee. Fantasmas do
Cérebro., 2002.
 Ratey,Dr. J.J., O Cérebro: um guia para o
usuário. Rio de Janeiro:Editora Objetiva
Ltda., 2002.
Bibliografia Sugerida (CFP)
 Schacter, D.L. Os Sete Pecados da Memória: como a
mente esquece e lembra. Rio de Janeiro:Rocco, 2003.
 Spreen,O., Strauss,E., A Compendium of
Neuropsychological Tests, 2ª Edition, New York: Oxford
University Press, 1998.
 Sternberg, R.J., Psicologia Cognitiva, Porto Alegre:
Artimed Editora, 2000.
 Weiner. Neurologia para o Não-Especialista., Santos
Editora, 2003.
 Wong-Riley, M.T.T., Segredos em Neurociências, Porto
Alegre: Artmed Editora, 2003.
 Zimmer, C., A Fantástica História do Cérebro, Rio de
Janeiro: Editora Campus, 2004.