P. 1
Tecido Hematopoiético

Tecido Hematopoiético

4.0

|Views: 33.424|Likes:
Publicado porMariSuzarte
Trabalho em ppt para a disciplina Histologia e Embriologia sobre tecido hematopoiético.
Trabalho em ppt para a disciplina Histologia e Embriologia sobre tecido hematopoiético.

More info:

Published by: MariSuzarte on Jul 09, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/08/2013

pdf

text

original

Tecido Hematopoiético

FEIRA DE SANTANA 2007

Introdução
O tecido hematopoiético se desenvolve na vida adulta de maneira hierarquizada. No corpo de um adulto circulam, em média 5 litros de sangue, variando de acordo com o peso. É produzido na medula óssea ( local de formação das células sangüíneas, ocupa a cavidade dos ossos e é conhecida popularmente por tutano), dos ossos chatos, vértebras, costelas, quadril, crânio e externo. Nas crianças, também os ossos longos como o fêmur produzem sangue.

Conceito
• O sangue é um tecido conjuntivo líquido que circula pelo sistema vascular sanguíneo dos animais vertebrados. É composto por uma parte líquida (plasma), constituída por sais minerais, vitaminas, água, fatores de coagulação, na qual estão misturadas as partes sólidas, ou seja, as hemácias, os leucócitos e as plaquetas. É um líquido vermelho cuja função é manutenção da vida do organismo. Formado por vários tipos de células e circula pelo corpo bombeado pelo coração através dos vasos sangüíneos. Assim, o sangue está relacionado com a boa disposição do organismo, pois participa da distribuição dos nutrientes e de

Componentes
• Hemácias (glóbulos vermelhos do sangue, eritrócitos) - Tem vida média de 120 dias no organismo. Existem em torno de 4,5 mil hemácias por milímetro cúbico de sangue. As hemácias são responsáveis por transportar o oxigênio dos pulmões para as células de todo o organismo e eliminar o gás carbônico das células, transportando-os para os pulmões. • Plaquetas: São os fragmentos de células que participam do processo de coagulação. Têm vida curta. No organismo circulam na proporção de 200 a 400 mil por milímetro cúbico de sangue. As plaquetas são muito importantes. Sua função é a obstrução das lesões ocorridas nos vasos sanguíneos que dariam origem a hemorragias.

• Leucócitos: Glóbulos brancos. Os leucócitos variam de 5 a 10 mil por milímetro cúbico de sangue. Também têm vida curta. Possui formas e funções diversificadas, sempre ligadas à defesa do organismo contra a presença de elementos estranhos a ele como por exemplo as bactérias. Apresentam a capacidade de passar pelas paredes dos vasos sangüíneos para o tecido conjuntivo, sem rompê-los, fenômeno este denominado diapedese. Distribuem-se em dois grupos: granulócitos e agranulócitos, conforme tenham ou não, granulações específicas no citoplasma. • Plasma: É um líquido amarelo claro que representa mais de 50% do volume total do sangue. É formado por 90% de água, onde estão presentes, dissolvidas, proteínas, gorduras, sais minerais e açúcares. Pelo plasma circula, por todo o organismo, os elementos nutritivos

Funções
• Conduzir elementos essenciais para todos os tecidos do corpo como O2 para as células; • Hormônios (liberados pelas glândulas endócrinas) para os tecidos; • Condução de CO2 para sua eliminação nos pulmões; • Coleta de excreções metabólicas e celulares; • Entrega de excreções nos órgãos excretores, como os rins; • Transporte de hormônios; • Tem papel importante no Sistema imunológico na defesa contra infecções; • Termoregulação: calor ( vasodilatação periférica) e frio (vasoconstrição periférica)

Tipos de Tecido Hematopoiético
• Mielóide é encontrado na medula óssea vermelha Função: produz hemácias, plaquetas (são pedaços de células) e certos tipos de glóbulos brancos (ex. neutrófilos) • Linfóide é encontrado em órgãos como: amídalas, baço, timo, etc. Função- produção de glóbulos brancos (monócitos e linfócitos)

Sistema ABO
• Cada tipo básico do Sistema ABO produz um antígeno que é a característica do sangue e um anticorpo contra os outros tipos. Sangue Sangue A Sangue B Sangue AB Sangue O Antígeno A B AB H Anticorpo Anti B Anti A Não produz Anti A e AntiB

• • • •

Tipos Sanguíneos Fator RH Doador x Receptor Importância de doar sangue

Hematopoiese
• A CT Hematopoiética (CTH) é multipotente e imortal, ou seja, apresenta potencial para diferenciar-se em qualquer célula hematopoiética e pode ao longo prazo gerar outras CT, originam as Células Progenitoras Hematopoiéticas (CPrH), que são células determinadas às diferentes linhagens hematopoiéticas, com alto potencial e taxa de proliferação. Essas por sua vez originam as Células Precursoras Hematopoiéticas (CPH) e Células Maduras (CM) do sangue e de outros órgãos, sendo totalmente diferenciadas morfo e funcionalmente.

Hematopoiese

Células Tronco
• As células-tronco ou células-tronco do tecido hematopoiético. Presentes desde a vida embrionária até a vida adulta, e provavelmente até nossa morte. • Responsáveis pela formação do embrião e também pela manutenção dos tecidos na vida adulta. • No início da vida embrionária, as CTs são virtualmente totipotentes, ou seja, apresentam capacidade de gerar quaisquer tecidos do organismo. Contudo, após a formação do embrião propriamente dito, diversos tecidos mantêm células-tronco que participam da fisiologia normal (e da patologia também) na vida adulta.

• O potencial terapêutico das CT vem se afirmando como altamente promissor no tratamento de doenças auto-imunes, tais como a artrite reumatóide, o lúpus eritematoso sistêmico e a nefrite lúpica. A caracterização cada vez mais detalhada de novos tipos de CT em tecidos maduros e a exploração de fontes alternativas de CT, como o sangue de cordão umbilical, é uma linha de pesquisa relevante no rumo da medicina regenerativa.

Informação
• A busca de células compatíveis de medula óssea com auxílio dos bancos internacionais é de U$ 40.000,00 por paciente, e o sistema público de saúde deve gastar U$ 2 milhões por ano apenas nesse tipo de busca, considerando-se a meta de 50 transplantes/ano autorizados nessas condições. Isso, obviamente, não inclui o custo do transplante. Complicações derivadas da menor identidade genética entre doador e receptor aumentam o risco de complicações e o custo final do procedimento.

Patologias associada de interesse da Enfermagem
• • • • • • Leucemia Anemia Falciforme DHRN ou Eritroblastose Fetal Isquemia Hemofilia O sangue é um importante fator de infecção por HIV, o vírus causador da AIDS

Leucemia
• Doença maligna dos glóbulos brancos (leucócitos) de causa não conhecida. • Principal característica: Acúmulo de células na medula óssea. Nela são encontradas as células mães ou precursoras que originam os elementos figurados do sangue (glóbulos brancos, glóbulos vermelhos (hemácias ou eritrócitos e plaquetas). Diagnóstico: Mielograma Avaliação: Punção lombar: Tratamento: Implantação de cateter para evitar a punção de veias (Cateter Venoso Central): Transfusões

Diagnóstico da Leucemia
• As manifestações clínicas das leucemias são secundárias à proliferação excessiva de células imaturas da linhagem branca do sangue, que se infiltram pelos vários tecidos do organismo, como amígdalas, linfonodos (ínguas) , baço, rins, sistema nervoso central e outros. A fadiga, palidez e anemia aparecem pela redução na produção dos eritrócitos pela medula óssea. • Febre e infecções são causadas pela redução, imaturidade e insuficiência dos leucócitos e pela redução do número de glanulócitos, sendo uma das principais complicações e causa de óbitos de crianças com leucemia. Verifica-se a tendência de sangramentos, pela diminuição na produção de plaquetas e pelo seqüestro de plaquetas causado pelo aumento do baço.

Tratamento para Leucemia
• Não se conhece a causa da leucemia, portanto o tratamento tem o objetivo de destruir as células leucêmicas. • Pesquisas indicam que o tratamento não destrói a totalidade das células leucêmicas. As defesas do organismo se encarregariam de destruir as restantes. Não há um medicamento que isoladamente cure a leucemia. • O grande progresso para obter sua cura foi conseguido com a associação de medicamentos (poliquimoterapia), controle das complicações infecciosas e hemorrágicas e prevenção ou combate à doença no SNC . • Para alguns casos é indicado o transplante de

Células do Sangue do Cordão Umbilical (SCU)
• O sangue de cordão umbilical e placentário leva O2 e nutrientes do sangue materno para o feto e retornando para a placenta para ser purificado. A glicose e outros nutrientes atravessam a membrana das vilosidades placentárias para o feto e os elementos de excreção fetal, passam no sentido oposto, por mecanismos de difusão. • Uma alternativa para aumentar a disponibilidade de doadores, e reduzir o custo do transplante, o uso de SCU, rico em células-tronco e que pode ser usado para reconstituição hematopoética. • As células de SCU são menos imunorreativas que as da medula óssea, permitindo o uso em transplantes não-aparentados idênticos ou parcialmente idênticos com menos complicações

• O cordão, que hoje em dia é tratado como um lixo hospitalar, é uma fonte viável para o tratamento de muitas doenças. Nele se encontra um grande número de células-tronco hematopoiéticas, fundamentais no transplante de medula óssea. Se houver necessidade do transplante, essas células de cordão ficam imediatamente disponíveis e não há necessidade de localizar o doador compatível e submetê-lo à retirada da medula óssea. • Com o sangue do cordão umbilical congelado, as células-tronco ficam disponíveis para necessidades futuras, como no caso do surgimento de doenças, durante pelo menos 15 anos após a coleta. Além dessa vantagem, não há risco de rejeição quando essas células forem implantadas no paciente, uma vez que elas foram retiradas dele mesmo. • Portanto investir em bancos de sangue de cordões umbilicais e placentários em todo o Brasil

Informações
• O Brasil realizou no dia 08/10/2004 numa menina de 9 anos portadora de leucemia linfóide aguda o primeiro transplante de medula óssea com cordão umbilical coletado, congelado e disponibilizado no país. A informação foi divulgada por autoridades médicas em Jaú, no interior paulista, onde o procedimento foi realizado. O Ministério da Saúde anunciou a implantação no país da rede BrasilCord, um banco de sangue público de cordões umbilicais. • Março/2005, a Câmara dos Deputados aprovou com 352 votos a favor, 60 contra e uma abstenção, o projeto que regulamenta a produção e comercialização de organismos geneticamente

Considerações Finais
São cada vez maiores as novidades e os avanços nas tecnologias para estudo e métodos diagnósticos que utilizam o sangue para a medicina preventiva. Com apenas uma gota de sangue podemos descobrir como está a nossa saúde. É a permanente geração de conhecimento e sua reversão em prol da melhoria das condições de vida e do bem estar de nossa população. Portanto exames de rotina devem ser feitos e a eles deve-se dar a devida importância.

Medidas preventivas do profissional da Enfermagem

• Orientação • Atenção

Referência
• • • • • • • •

http://www.hemominas.mg.gov.br http://www.hemoam.org.br http://www.guia.heu.nom.br/sistema_hematico.htm http://www.bombeirosemergencia.com.br/composicao http://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%ADgeno http://reivax.tripod.com/cancerpg8.htm http://www.brasilescola.com/biologia/celula-mae2.htm http://www.infocancer.hpg.ig.com.br/leucemia.html

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->