P. 1
Relatorio Estagio Supervisionado I

Relatorio Estagio Supervisionado I

4.0

|Views: 87.783|Likes:
Publicado porsaulobs3

More info:

Published by: saulobs3 on Jul 17, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/26/2015

pdf

text

original

UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI CAMPUS IGUATU CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE COORDENAÇÃO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA CURSO DE LICENCIATURA

PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Saulo Bezerra da Silva

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I

IGUATU-CE 2010

UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI CAMPUS IGUATU CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE COORDENAÇÃO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Saulo Bezerra da Silva

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I

Relatório apresentado à Coordenação de Estágio Supervisionado do Curso de Licenciatura Plena em Educação Física da Universidade Regional do Cariri, Campus Iguatu, como requisito parcial para aprovação na Disciplina Estágio Supervisionado I, sob a orientação do Profº. Esp. Juciel de Araújo Lima.

IGUATU-CE 2010

FOLHA DE APROVAÇÃO

Saulo Bezerra da Silva

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I

Este relatório foi julgado adequadamente para obtenção da aprovação na Disciplina Estagio Supervisionado I do curso de Educação Física da Universidade Regional do Cariri, Campus Iguatu.

_______________________________________________ Profº. Juciel de Araújo Lima
Supervisor e Orientador de Estágio

_________________________________________________ Profº. Berilo Barroso Mendes Junior
Coordenador de Estágio Supervisionado

_________________________________________________ Profº. Berilo Barroso Mendes Junior
Coordenador do Curso

IGUATU-CE 2010

Escola de Ensino Fundamental e Médio Luíza Távora

DECLARAÇÃO

Declaramos para os devidos fins, junto ao Curso de Educação Física da Universidade Regional do Cariri, Campus Iguatu, que SAULO BEZERRA DA SILVA, concluiu de forma satisfatória o Estágio Curricular Supervisionado I nesta instituição de ensino, no período de 26/04/2010 a 25/05/2010.

DIRETOR

JUCÁS, 25 de maio de 2010

DEDICATÓRIA O presente trabalho acadêmico é dedicado a Deus pelo dom da vida, a minha família que me deu uma ótima educação e me ajudou a chegar até aqui, ao núcleo gestor escola em que estagiei por me receber muito bem e ao coordenador adjunto e professor orientador Juciel Lima que me deu embasamento e suporte para uma ótima realização do meu Estágio Supervisionado.

AGRADECIMENTO Agradeço a todos que contribuíram com o desenvolvimento de minha prática pedagógica, em especial ao núcleo gestor da Escola de Ensino Fundamental e Médio Luíza Távora que me recebeu muito bem e cooperou com tudo que precisei para o desenvolvimento de meu relatório.

“Crescer como Profissional significa ir localizando-se no tempo e nas circunstâncias em que vivemos, para chegarmos a ser um ser verdadeiramente capaz de criar e transformar a realidade em conjunto com os nossos semelhantes para o alcance de nossos objetivos como profissionais da Educação”. (Paulo Freire)

RESUMO O presente relatório foi desenvolvido na disciplina Estágio Supervisionado I por um acadêmico do III semestre do curso de Licenciatura Plena em Educação Física da Universidade Regional do Cariri – URCA, Campus Iguatu. O mencionado trabalho acadêmico destina-se ao precípuo objetivo de relatar a realidade investigada da Escola de Ensino Fundamental e Médio Luíza Távora visando à identificação e caracterização da escola, à descrição de sua estrutura física, espaços, suas condições de funcionamento, conhecer seu projeto político pedagógico, estudar e expor seu conteúdo, entender a organização e a normatização da instituição e principalmente investigar, analisar e compreender a realidade da disciplina Educação Física no contexto escolar. Para tal objetivo o acadêmico se fez presente na referida instituição pesquisando, assistindo a aulas, entrevistando alunos, professores e núcleo gestor e analisando a realidade da mesma concluindo então com o presente relatório como resultado final de sua pesquisa. Palavras-Chave: Estágio Supervisionado I, observação, realidade escolar, educação física, relatório

SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO................................................................................................................... 9 2 FASE DE ORIENTAÇÃO ESPECÍFICA......................................................................... 11 3 DIAGNÓSTICO DA REALIDADE DO CAMPO DE ESTÁGIO.................................. 12 12 1. Investigação e Caracterização do Campo de Estágio....................................................... 4 DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO........................................................................... 14 14 4.1 Projeto Político Pedagógico da Escola.......................................................................... 4.2 Condições Estruturais e Humanas da Escola................................................................16 19 4.3 Organização e Normatização Escolar............................................................................ 20 4.4 Educação Física Escolar................................................................................................. 5 EDUCAÇÃO FÍSICA E A ANÁLISE DOS SUJEITOS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO I......................................................................................................... 22 CONSIDERAÇÕES FINAIS................................................................................................. 23 REFERÊNCIAS.......................................................................................................................24 APÊNDICES........................................................................................................................... 25

1 INTRODUÇÃO O presente relatório foi desenvolvido no decorrer da disciplina Estágio Supervisionado I, ofertada no III semestre do curso de licenciatura plena em Educação Física da Universidade Regional do Cariri, Campus Iguatu, como requisito parcial para aprovação na referida disciplina. O estágio supervisionado é uma prática investigativa, formadora e crítico-reflexiva de fundamental importância para nossa formação acadêmica e para a construção de nossa identidade docente. A extrema importância do Estágio Supervisionado se dá por fornecer a aproximação do acadêmico com sua futura área de atuação. Esta prática tem como objetivo discorrer sobre o futuro do professor, oferecer caminhos que levem à reconstrução do conhecimento e principalmente romper com as práticas de reprodução, pois, com essa aproximação que ele fornece, ele dá ao aluno a chance de entender a realidade de como se encontra a Educação Física Escolar e fazer uma reflexão crítica sobre a mesma buscando sempre melhorar sua prática. Os estágios supervisionados são embasados pelos ordenamentos legais contidos na Lei de Diretrizes e Bases da educação Nacional, lei de Nº 9.394/96, pela Lei de Nº 11.788 de 25 de setembro de 2008, conhecida como a nova lei do estágio e ainda pelas resoluções 01 e 02 de 18 e 19 de fevereiro de 2002 as quais estabelecem as diretrizes referentes às exigências na formação do licenciado e sua carga horária respectivamente. A Prática do Estágio Curricular Supervisionado do referido curso inicia-se no III semestre e estende-se até o VIII semestre que é o último semestre do curso. São divididos em Estágio Curricular Supervisionado I, II, III, IV, V e VI que são eles: a) Observação da Realidade Escolar; b) Educação Infantil; c) Ensino Fundamental; d) Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos; e) Educação Especial e f) Optativo, podendo o aluno estagiar no âmbito não-formal, ou seja, fora da escola, como repetir um dos estágios anteriores. A presente obra tem por finalidade observar, analisar e relatar a realidade escolar em especial à de meu campo de estágio. A disciplina Estágio Supervisionado I foi dividida em três fases. Iniciamos com a fase de orientação específica, nessa fase os professores orientadores nos deram embasamento teórico e nos orientaram para o desenvolvimento de nosso estágio. A segunda fase foi a de exploração do campo de estágio, é nessa fase que exploramos nosso campo de estágio observando, analisando e refletindo a realidade do mesmo. A terceira e última fase é a da construção do relatório, nessa fase concluímos nosso estágio elaborando o relatório final.

10

Meu campo de estágio foi a Escola de Ensino Fundamental e Médio Luíza Távora. Este relatório contém as informações de como se encontra a realidade das estruturas físicas e humanas e principalmente da Educação Física da referida instituição. Serei verdadeiro, direto e claro no que irei relatar. Este documento é constituído por: introdução, fase de orientação específica, onde irei discorrer sobre o que ocorreu nesta fase, diagnóstico da realidade do campo de estágio, onde caracterizarei a instituição, desenvolvimento do estágio, onde abordarei o projeto político pedagógico, as condições estruturais e humanas, a organização e normatização da escola e sua educação física, educação física e análise dos sujeitos do estágio supervisionado I e por último as considerações finais.

2 FASE DE ORIENTAÇÃO ESPECÍFICA Este capítulo tem por objetivo relatar como se deu a fase de orientação específica, pois, como já foi dito a disciplina estágio supervisionado I foi dividida em três fases sendo a primeira o tópico em questão. Essa fase teve uma carga horária de 32 (trinta e duas) horas que ocorreram de 6 (seis) de março a 15 (quinze) de maio de 2010. Durante esse período os professores orientadores nos deram todo um embasamento teórico orientando-nos à realização do nosso estágio supervisionado. Foi feito uma reflexão acerca das implicações do estágio supervisionado na formação do acadêmico assim entendemos a importância e os objetivos do mesmo, vimos também seus amparos legais, noções de ética profissional, exploramos ainda textos relacionados à implicação do estágio supervisionado na formação do professor de Educação Física. Essa fase foi de extrema importância, pois os professores nos deram nela o embasamento necessário para a realização do estágio nos passando conhecimentos teóricos e científicos acerca do universo do estágio supervisionado. Esse momento também nos levou a refletir sobre a prática pedagógica do professor de Educação Física e nos ensinou a ter um olhar crítico da realidade escolar. Essa fase foi importante não apenas para a realização do estágio, mas para nossa formação profissional uma vez que nos abriu a visão crítica da realidade.

3 DIAGNÓSTICO DA REALIDADE DO CAMPO DE ESTÁGIO 1. Investigação e Caracterização do Campo de Estágio A Escola de Ensino Fundamental e Médio Luíza Távora está localizada na cidade de Jucás – CE, em área urbana, na Rua Hildely Cavalcante, nº 120, bairro centro, mas também oferta salas de aula na zona rural para atender aos adolescentes dessas localidades. Na vila São Pedro funcionam oito salas de aula no turno noturno no prédio da E. E. F. Dom José Mauro e na vila Mel funcionam quatro salas de aula também em turno noturno no prédio da E. E. F. Antonio José de Melo. Essas salas de aula fora do prédio principal são chamadas de anexos. Até o início dos anos 80, para cursar o 2º Grau, atual ensino médio, os adolescentes jucaenses necessitavam deslocar-se até a cidade de Iguatú ou morar em outras cidades. Naquela época pouquíssimos tinham condições de optar por uma das duas opções e como conseqüência a grande maioria não ingressava no ensino médio, na época conhecido como 2º Grau. Em 05 de março de 1982 através do decreto Nº 15.109 assinado pelo governador da época Virgílio Távora Foi criada a Escola de 2º Grau Luíza Távora. A publicação no Diário Oficial do estado foi feita no dia 08 de março de 1982 e no dia 15 desse mesmo mês foi fundada a escola e iniciado o primeiro ano letivo com 60 jovens matriculados no curso básico de saúde e no curso pedagógico que eram ofertados pela escola. Por não possuir prédio próprio a escola funcionou de 1982 a 1983 em um prédio na vila José Bento. Por questões políticas a escola foi transferida para o prédio da escola de 1 grau João de Sá Cavalcante Situada na Rua Dr. João Pessoa, atual Rua Hildely Cavalcante onde permaneceu até o ano de 1989. Em 1990 a escola voltou a funcionar no antigo endereço na vila José Bento nº 170 e lá permaneceu até o ano de 2000. Em 2001 devido a constantes solicitações verbais do prédio pelo governo municipal, a diretora Maria Luzenilda Cavalcante Duarte fez uma solicitação a CREDE 16 para que a escola voltasse a funcionar no mesmo prédio onde funcionava a escola de ensino fundamental João de Sá Cavalcante visto ser o prédio de propriedade do estado. A escola foi transferida para o endereço atual em janeiro de 2001 e funciona até os dias atuais, em 2002 a escola João de Sá Cavalcante foi extinta ficando todo o patrimônio dessa escola sobre a responsabilidade da E. E. F. M. Luiza Távora.

13

O curso básico de saúde funcionou desde a fundação até o ano de 1986 e o curso pedagógico até o ano 2000. Em 1996 foi implantado o ensino fundamental na referida escola alterando seu nome para E. E. F. M. Luíza Távora. As salas de aula em zona rural, anexos, começaram a funcionar em 2005 na vila São Pedro e em 2006 na vila Mel. Atualmente a mencionada instituição oferta apenas o ensino médio regular, seu nome ainda é E. E. F. M. Luíza Távora apenas por burocracia do governo estadual. A escola atende a 1031 alunos de zona urbana e rural, grande maioria de baixa renda familiar. No turno noturno quase todos trabalham durante o dia na agricultura, no comércio, em casa de família, no serviço público municipal entre outros. A grande maioria demonstra vir à escola não por vontade de aprender, mas apenas para obter o certificado ou ainda obrigado pelos familiares. A referida escola funciona nos três turnos sendo dividido da seguinte forma: 05 turmas pela manhã, 06 turmas pela tarde, 15 turmas pela noite, sendo 03 no prédio sede, 08 no anexo da vila São Pedro e 04 no anexo da vila Mel. A escola possui 41 professores em sala sendo que 35 possuem licenciatura plena. Todos esses 41 professores são temporários, ou seja, a escola não possui professores efetivos em sala de aula. Possui também 23 funcionários desde professores em outras atividades (PCA, Laboratórios, Núcleo Gestor) até outras funções como guarda, zelador etc. O Núcleo Gestor é formado por um Diretor Geral, dois Coordenadores Pedagógicos e uma Coordenadora Administrativo-Financeira, todos concursados e com licenciatura plena.

4 DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO 4.1 Projeto Político Pedagógico O projeto político pedagógico tem o propósito de abrir novos caminhos para uma escola onde o aluno tenha oportunidade de desenvolver seu potencial intelectual e se integrar na sociedade como verdadeiro cidadão crítico e participativo. Todas as situações que envolvem o fazer pedagógico e as suas relações com o currículo, o conhecimento e com a função social da escola, requer reflexão contínua de todos os que fazem a comunidade escolar e estão envolvidos neste processo. Queremos construir uma SOCIEDADE, que será obra de todos, em que as relações sociais sejam iguais e as pessoas trabalhem de forma integrada, com capacidade de solucionar problemas, liderar, tomar decisões e adaptar-se a situações novas. Uma sociedade plural, com uma visão holística de mundo, unindo a modernização ao desenvolvimento humano. Uma EDUCAÇÃO conhecedora da realidade social, que perceba o mundo como dinâmico, aberto e não definitivamente determinado; que trata o aluno como sujeito de sua própria história e se efetiva, principalmente, no interior da escola, de forma democrática, dando condições das massas populares se apoderarem do conhecimento científico e de usá-lo em favor da transformação social. A ESCOLA que queremos prioriza a democratização do saber clássico, levando o aluno à criticidade deste saber. Apropria ferramentas básicas para a convivência com a competitividade e cidadania, a eficiência e a solidariedade. É a escola que gera resultados positivos, superando a cultura do fracasso: evasão, repetência e reprovação. O CONHECIMENTO é visto como resultado de um processo interativo, na proporção em que o sujeito se relaciona com o objetivo, modificando-o e sendo por ele cognitivamente modificado. Com esta compreensão, a APRENDIZAGEM supera a concepção transmissiva e cumulativa de conteúdos, para uma concepção de aprendizagem significativa, auxiliada pelo professor ou outros atores ou até mesmo sozinhos em que os alunos constroem significado e atribuem sentido ao que aprendem. A missão da escola é apropriar os alunos dos conhecimentos produzidos pela humanidade, enfatizando os valores humanos universais, para que eles possam compreender fenômenos, tomar decisões, construir argumentos e contribuir para uma sociedade mais justa, solidária e fraterna.

15

O método de ensino priorizado é a pedagogia progressista a qual designa as tendências que, partindo de uma análise crítica das realidades sociais, sustentam implicitamente as finalidades sociopolíticas da educação. Nesta proposta a atividade escolar pauta-se em discussões de temas sociais e políticos e em ações sobre a realidade social imediata; analisam-se os problemas, os fatores determinantes e estrutura-se uma forma de atuação para que se possa transformar a realidade social e política. Apresenta-se, pois, como um instrumento de luta dos professores ao lado de outras práticas sociais. Os saberes escolares, em sua constituição vão sendo marcados pelas relações que os professores e alunos estabelecem com o conhecimento, a partir de múltiplas possibilidades de interesses, de ênfases, de modos de transmissão, de complexidade das análises e de articulações dos conteúdos com a prática social. Tais saberes expressam-se no currículo real da escola, constituído no desenvolvimento de aprendizagens de um conjunto mais implícito ou oculto de normas, valores e práticas que estão na cultura da escola. As disciplinas da Educação Básica terão em seus conteúdos estruturantes os campos de estudo que as identificam como conhecimento histórico. Dos conteúdos estruturantes organizam-se os conteúdos básicos a serem trabalhados por série, compostos tanto pelos assuntos mais estáveis e permanentes da disciplina quanto pelos que se apresentam em função do movimento histórico e das relações sociais. Esses conteúdos articulados entre si e fundamentados nas respectivas orientações teórico-metodológicas fazem parte da proposta pedagógica curricular da escola. A partir da proposta pedagógica curricular, o professor elaborará seu plano de trabalho docente, documento de autoria, vinculado à realidade e às necessidades de suas diferentes turmas. No plano se explicitarão os conteúdos específicos, bem como as especificações metodológicas que fundamentam a relação ensino/aprendizagem, além dos critérios e instrumentos que objetivam a avaliação no cotidiano escolar. Os princípios utilizados no processo de ensino-aprendizagem são adequados e condizentes à apropriação de conhecimento pelo aluno. São utilizados procedimentos metodológicos tradicionais e modernos concernentes à realidade educacional e úteis à assimilação de conhecimentos pelos alunos. Entre os principais procedimentos utilizados pelos professores nas orientações em suas disciplinas estão: 1. Aulas expositivas dialogados; 2. Leitura; 3. Pesquisa; 4. Produção de textos; 5. Seminários; 6. Exibição de vídeos; 7. Debates; 8. Leitura de livros paradidáticos; 9. Projeto interdisciplinar; 10. Aulas de Laboratório de Ciências; 11. Aulas informatizadas e com exibição de datashow; 12. Resolução de Testes de Vestibulares e correção comentada em sala.

16
O Núcleo Gestor é composto por um Diretor qualificado, de comprovada capacidade pedagógica e administrativa, que tenha se submetido a concurso público de provas e títulos, e que tenha sido eleito pela comunidade escolar, de acordo com a legislação vigente O Coordenador Pedagógico, o Coordenador Financeiro e o Secretário são submetidos a concurso público de provas e títulos e a uma entrevista, de acordo com a legislação vigente. A escola sente-se bastante à vontade em realizar trabalhos de parceria com a comunidade, onde acaba envolvendo alunos, pais e toda comunidade escolar, sempre com o objetivo de melhorar os resultados educacionais e fortalecer o envolvimento dos pais e comunidade. Entre estas parcerias, podemos destacar: - Reunião de pais e responsáveis dos alunos, cujo intuito é orientar e informar os participantes a respeito das atividades colegiais e da situação dos alunos, no cotidiano. - Palestra com uma enfermeira sobre o Projeto Conhecendo o Diabetes, cujo objetivo é esclarecer à comunidade escolar sobre a importância de conhecer e prevenir o diabetes. - Seminário Escolar sobre Divulgação e Apropriação dos Resultados do Spaece. - Cursinho preparatório para o vestibular. - Feira de Ciências, visando o envolvimento dos alunos nos trabalhos de pesquisa das diversas áreas.

4.2 Condições Estruturais e Humanas da Escola A E. E. F. M. Luíza Távora possui uma ótima estruturação com espaços bem divididos que proporcionam o bem estar tanto do alunado quando do corpo de funcionários. É uma excelente instituição que é composta pelos seguintes espaços: Pátio (Pavilhão) É um pavilhão localizado na entrada da escola onde se encontram vários murais educativos, com dados da escola e do alunado, onde também são colocados noticias e avisos para os alunos e visitantes. Possui alguns bancos de madeira onde os alunos costumam ficar na hora do intervalo. Há ainda um pequeno jardim ao lado com algumas plantas. Esse pátio é utilizado para eventos escolares como palestras, peças teatrais, desfiles e muitos outros. (Apêndice A) Laboratório de informática

17

O laboratório de informática dessa escola é um local bastante confortável, organizado e climatizado. Possui trinta e três computadores com acesso rápido à internet. É destinado ao atendimento do alunado da escola e também da comunidade em geral. (Apêndice B) Sala de Vídeo Esta referida sala é utilizada pelos professores para exibir filmes e vídeo aulas aos alunos. Nesta sala há uma televisão de trinta e duas polegadas, aparelho de DVD e vídeo cacete. Neste local também ficam guardados vários DVD’s e fitas de vídeos com filmes educativos e vídeo aulas. (Apêndice C) Biblioteca A biblioteca deste colégio é um local agradável, organizado e climatizado. Possui uma grande quantidade de livros, 6.045 para ser mais exato, que ficam muito bem organizados nas prateleiras separados por assunto. (Apêndice D) Laboratório de ciências Tem por objetivo favorecer a iniciação científica dos alunos. É uma sala com vários instrumentos e recursos aonde os professores levam os alunos para realizar experimentos científicos ou simplesmente fazer algumas demonstrações. (Apêndice E) Salas de aula A escola tem ao todo doze salas de aula sendo que apenas nove estão sendo utilizadas e as outras três desocupadas. Em cada sala de aula há um quadro negro, uma lousa branca, uma mesa e aproximadamente quarenta cadeiras. (Apêndice F) Terreno baldio Ao lado da quadra desportiva há um terreno baldio coberto por mato e lixo de aproximadamente trezentos metros quadrados. (Apêndice G)

18

Áreas livres Especialmente entre os blocos de salas há muitos espaços vazios que poderiam ser aproveitados. (Apêndice H) Secretaria A sala é climatizada e encontra-se em boas condições. Oferece computadores conectados à internet. Também é nessa sala onde ficam arquivados os documentos dos alunos e da escola em armários conservados. (Apêndice I) Sala dos professores É uma sala onde os professores podem se reunir durante os intervalos para conversar, descansar ou preparar suas aulas. Possui um computador com internet e armários individuais onde os professores podem guardar seu material. (Apêndice J) Sala multifuncional A sala multifuncional é uma sala que possui vários instrumentos pedagógicos diferenciados que visam atender a alunos com necessidades especiais. Atualmente a escola não atende a alunos com deficiência, mas a sala é usada para capacitar professores. Quadra desportiva Esta é coberta, bem iluminada, possui arquibancada e é cercada por um alambrado, porém o alambrado se encontra parcialmente destruído, e a quadra juntamente com as arquibancadas têm muito lixo. A quadra possui delimitações de futsal, handebol, basquetebol, e voleibol, porém, a trave é fixa, o que foge à regra do futsal, a tabela do basquetebol é fixa, o que atrapalha a prática de outros desportos, e possui apenas um aro, pois, o outro foi quebrado e não foi reposto. (Apêndice K) Banheiros

19

Possuem uma boa estruturação, alguns possuem chuveiro, todos possuem adaptações para o acesso de cadeirantes. (Apêndice L) Cantina A cantina se encontra em bom estado de condicionamento, é um local limpo e arejado. Possui fogões, geladeiras, armários e filtros. (Apêndice M) 4.3 Organização e Normatização Escolar O sistema de avaliação da E. E. F. M. Luíza Távora obedece à LDB e é ao mesmo tempo normatizada pela SEDUC. A escola observe os ordenamentos legais da LDB e dos PCN’s e procura adequá-los à vida escolar e às necessidades dos alunos. A aprendizagem é mensurada por meio de um sistema numérico obedecendo a uma escala de 0 a 10 sendo que com uma nota igual ou maior a 6 o aluno é considerado aprovado. Para chegar à nota final do aluno o professor se utiliza de prova objetiva e dissertativa, trabalhos de pesquisas, seminários e ainda leva em consideração a participação e o interesse do aluno. Ao final do ano o aluno deverá somar 24 pontos para ser aprovado. A programação da escola é regida através de um calendário fornecido pela secretaria de educação do estado, porém, alguns eventos também são desenvolvidos pela própria escola, tais como carnavais, dia das mães, dos pais, festas juninas, jogos escolares entre outros. O planejamento é concretizado mensalmente com os professores juntamente com o diretor e os coordenadores. O mesmo é dividido por disciplinas sendo realizado cada planejamento em dias diferentes. A oferta do ensino médio está organizada em três períodos diários (manhã, tarde, noite) com horário de início e término de aulas atendendo às necessidades da comunidade. O horário da manhã é de 07:00 às 11:30, o da tarde é de 12:30 às 17:00 e o da noite é de 18:15 às 22:10. Na sede são ofertadas aulas nos três turnos (manhã, tarde e noite) e nos anexos São Pedro e Mel, o funcionamento é apenas no turno da noite. Ao todo a escola atende a 1031 alunos distribuídos em 26 turmas entre os três turnos. O calendário letivo de 200 dias está distribuído em 04 (quatro) bimestres de 50 dias atendendo às necessidades de ensino aprendizagem e suas avaliações.

20

A lotação dos professores é realizada de acordo com as diretrizes emanadas da Secretaria da Educação Básica que contempla a habilitação, o número de alunos e turmas, conforme as condições estruturais de funcionamento e de atendimento pedagógico. Com certa freqüência a secretaria de educação do estado oferece alguns cursos de capacitação para os docentes com o intuito de que eles possam desempenhar melhor seu papel de educadores. A instituição possui uma administradora financeira concursada. Essa mesma é licenciada em ciências biológicas e especialista em meio ambiente. O papel desta é de cuidar dos recursos humanos, da parte administrativa e financeira como prestação de contas, zelar pelo bem público e auxilia o diretor geral da escola. 4.4 Educação Física Escolar A mencionada instituição realiza aulas de educação física em turmas mistas, ou seja, meninos e meninas juntos, apenas em algumas poucas turmas, pois, segundo a professora, que chegou a esta escola no começo deste ano, a mesma tentou implantar este sistema, entretanto, em algumas turmas não houve condições de se trabalhar desta maneira. A disciplina educação física tem uma carga horária anual total de 80h sendo dividida igualmente em aulas teóricas e práticas. As aulas teóricas são ministradas em horário normal de aula, junto com todas as demais disciplinas, as aulas práticas são executadas no contra turno, ou seja, fora do horário normal de aula do aluno, por esse motivo os alunos que residem em zona rural são dispensados das aulas práticas da referida disciplina. Segundo a professora, que é licenciada em educação física pela Universidade Regional Cariri, a mesma tentou implantar aulas práticas em horário normal, porém, houve dificuldades, entre outras, a de não haver interesse dos alunos para participar, pois alegavam que não queriam voltar à sala de aula suados. No turno noturno a carga horária de várias disciplinas é reduzida. A educação física é uma das disciplinas que mais perde horas-aula sendo reduzida pela metade. Este simples fato mostra a desvalorização da disciplina o que infelizmente se torna normal nas escolas, não é dado o devido valor à mesma apenas pelo fato de não cair em vestibular. Os professores de educação física se utilizam de métodos de avaliação comum a todas as outras disciplinas que já são predefinidos pela escola tais como participação do aluno, trabalhos de pesquisa, seminários e provas objetivas e dissertativas. A professora tem uma

21

boa relação com os educandos e está sempre aberta a diálogos para que os alunos possam opinar nas aulas e busca estar sempre adequando sua aula para a realidade dos alunos. A professora conta que em suas aulas procura trabalhar com jogos e brincadeira e modalidades esportivas tais como futsal, handebol, voleibol e ainda carimba com as meninas obedecendo sempre à concepção da cultura corporal, sendo que, a preferida pelos meninos é o futsal e pelas meninas o carimba. Quando indagada se há materiais suficientes para a ministração das aulas a resposta foi previsível “não”, segundo ela vários materiais chegaram tais como bolas de vários esportes distintos, cones entre outros, porém, ainda não pode usar esses materiais, pois, ainda não tem permissão da SEDUC. A professora dispõe de uma quadra poliesportiva coberta que está caracterizada no sub-tópico 4.2 (condições estruturais e humanas da escola). Foi feita uma entrevista com a professora (ver apêndice) os dados estão expostos neste mesmo relato. É perceptível que a professora gosta do que faz e tenta mudar a realidade dos alunos e da educação física, porém, é muito difícil mudar uma coisa que os alunos foram acostumados por toda sua vida escolar. “Você sai da faculdade com uma vontade de transformar a educação física, mas, quando você chega à escola e tenta transformar, vê que os alunos não querem, pois, já estão acostumados com aquilo que vêm vivenciando há muito tempo.” diz a professora.

5 EDUCAÇÃO FÍSICA E SUPERVISIONADO I.

A ANÁLISE DOS SUJEITOS

DO

ESTÁGIO

O principal objetivo do estágio supervisionado I é observar, investigar e compreender a realidade da Escola de Ensino Fundamental e Médio Luíza Távora dentro do campo de estágio. As informações expostas neste presente relatório foram obtidas através de observação e de entrevistas realizadas com o núcleo gestor, com professores e alunos sobre a importância da disciplina educação física na formação completa dos alunos. (apêndice N) Foram entrevistados professores de outras disciplinas, coordenadores pedagógicos e financeiro, diretor e alunos. Uma professora de matemática diz que a educação física é importante, pois, é bom para a mente, para o corpo, e para o aluno saber a importância do exercício físico. Quando indagada se o professor de educação física é visto diferente dos demais, ela responde: Não, todos os professores têm a mesma importância. Um dos coordenadores pedagógicos diz que a educação física é de fundamental importância, tanto as aulas teóricas quanto as práticas. Eu ainda indaguei-o sobre o porquê de as aulas práticas ocorrerem no contra-turno e recebi a resposta de que não da pra encaixar no horário normal, pois já há cinco aulas todos os dias da semana. A coordenadora administrativo-financeira deu a resposta que mais me agradou. Segundo ela a educação física ajuda a formar um cidadão e a cuidar da saúde do corpo. Segundo o diretor geral da escola a educação física forma o cidadão nas artes, música e postura de se integrar. Um aluno disse que a educação física é de grande importância para exercitar-se. Notei que a educação física é bem reconhecida na referida escola e bem aceita por todos. A única discordância que tive com sistema da escola que merece ser mencionado aqui é o fato de no turno noturno não haver aulas práticas de educação física, pois, se faz necessário.

CONSIDERAÇÕES FINAIS Como já foi dito este relatório foi desenvolvido na cadeira estágio supervisionado I no curso de licenciatura plena em educação física da Universidade Regional do Cariri, campus Iguatu. Também já foi dito que o estágio supervisionado é de extrema importância para nossa formação e para romper com práticas reprodutivas. Meu estágio supervisionado foi feito na Escola de Ensino Fundamental e Médio Luíza Távora, a única escola de ensino médio da cidade de Jucás – CE. Fui muito bem recebido nesta escola onde me foi fornecido tudo que precisei para o desenvolvimento do meu estágio. Percebi que a educação física desta escola não é perfeita, mas, melhorou significativamente. Digo isso porque estudei nesta escola desde a 5º série do ensino fundamental até o 3º ano do ensino médio e a educação física era de péssima qualidade. Quando fui para a escola para o desenvolvimento de meu estágio eu estava achando que iria encontrar uma péssima educação física igual à de quando eu lá estudava, fiquei feliz quando vi o quanto a mesma mudou e melhorou, claro que ainda há muito o que melhorar, mas, são coisas que eu sei que vão melhorar com o tempo.

REFERÊNCIAS
_______. Ministério da Educação. Resolução nº. 01/2002. Resolução CNE/CP nº. 1, de 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Conselho Nacional de Educação. Brasília, DF, 2002. _______. Ministério da Educação. Resolução nº. 02/2002. Resolução CNE/CP nº. 2, de 19 de fevereiro de 2002. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Conselho Nacional de Educação. Brasília, DF, 2002. BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - Lei nº. 9.394 de 20/12/96. Brasília, DF: Gráfica do Senador Federal, 1999. CECCON, C.; OLIVEIRA, M.; OLIVEIRA R. A Vida na Escola e a Escola da Vida. 7ª ed. Petrópolis: Editora Vozes, 1983. LIMA, Juciel de Araújo. O estágio curricular supervisionado do curso de educação física da universidade regional do cariri: uma análise de uma proposta em construção. Monografia da Pós-graduação em Formação de Professores para o Ensino Superior e Educação Continuada apresentada a Faculdade de Juazeiro do Norte. Juazeiro do Norte - CE, 2009. (mímeo).

APÊNDICES Apêndice A

Apêndice B

Apêndice C

Apêndice D

Apêndice E

26

Apêndice F

Apêndice G

Apêndice H

Apêndice I

Apêndice J

27

Apêndice K

Apêndice L

Apêndice M

28

Apêndice N
Diretor: 1. A Escola obedece aos padrões da LDB e dos PCN’s? 2. Você tem alguma opinião crítico-construtiva sobre esses documentos? 3. São realizadas reuniões pedagógicas? Com que freqüência? 4. A escola oferece cursos, treinamentos e oficinas aos educadores? 5. Para você qual a importância da Educação Física na formação dos alunos? Coordenador: 1. Para você qual a importância da Educação Física na formação dos alunos? 2. Porque as aulas práticas de Educação Física são realizadas fora da grade curricular? 3. Qual sua formação? Secretário Financeiro: 1. Qual sua formação? 2. Qual sua função? 3. Para você qual a importância da Educação Física na formação dos alunos? Professor de outra disciplina: 1. Qual sua formação e que disciplina ministra? 2. Para você qual a importância da Educação Física na formação dos alunos? 3. Você acha que o Professor de Educação Física é visto de forma diferente dos outros professores? Professor de Ed. Física: 1. Qual a sua formação? 2. Quais as modalidades esportivas ministradas nas suas aulas? Qual a metodologia? 3. Quais os esportes preferidos pelos alunos? 4. Quais os conteúdos ministrados nas aulas teóricas? 5. Como são escolhidos os conteúdos teóricos e práticos das suas aulas? 6. Qual a relação professor aluno? 7. Qual seu método de avaliação? 8. Suas aulas têm a participação de todos? Em que casos há dispensa? 9. A escola disponibiliza local adequado e materiais suficientes para a ministração das aulas? 10. Para você qual a importância da Educação Física na formação dos alunos? 11. Porque nas aulas de Educação Física há a separação de homens e mulheres? 12. Porque as aulas práticas de Educação Física são realizadas fora da grade curricular? 14. Você acha que suas aulas são inclusivas ou exclusivas? Aluno: 1. Qual sua visão geral sobre a Educação Física? 2. O que você pensa sobre as aulas teóricas de Educação Física? 3. O que você acha dos conteúdos tratados nas aulas teóricas? 4. Para você qual a importância da Educação Física para sua formação? 5. O que você acha da metodologia utilizada pelo professor nas aulas práticas? 6. O que você acha que precisa ser mudado nas aulas de Educação Física? 7. Você acha necessária a separação por sexo nas aulas práticas de Educação Física? 8. Você acha que as aulas de Educação Física são inclusivas ou exclusivas?

Esta Página não faz parte do relatório
Meus dados
Nome: Saulo Bezerra da Silva Curso: Licenciatura Plena em Educação Física Instituição: URCA Email e MSN: saulobs3@hotmail.com Cel: (88) 9224-5597

Se precisar de ajuda para desenvolver seu relatório entre em contato comigo e terei prazer em ajudar

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->