Você está na página 1de 11

Núcleo Gerador: Ambiente e Sustentabilidade (AS)

DR1 – Consumo e Eficiência Energética (CEE)

Colectânea de textos (pequenas citações com a indicação dos respectivos links


direccionando para a página original), seleccionados a partir de pesquisas
efectuadas no motor de busca "Google" e que se pretende ajudem a descodificar
o tema Consumo e Eficiência Energética (CEE) do Núcleo Gerador: Ambiente
e Sustentabilidade (AS) do Referencial de Competências-Chave de Nível
Secundário, relativo ao Processo RVCC da Iniciativa Novas Oportunidades.

[Nota: Todos os Adultos/Formandos devem mencionar no seu PRA as fontes de todas as leituras que
efectuaram, não podendo copiar ou plagiar, arriscando-se à expulsão do processo RVCC.]

Boas leituras...

Preparado em 25-06-2008 – Cont@cto página: 1/11


A eficiência energética no dia-a-dia
Guia EDP

Eficiência energética pode ser definida como a optimização que podemos fazer no consumo de
energia.
A ameaça de esgotamento das reservas de combustíveis fósseis, a pressão dos resultados económicos e as
preocupações ambientais, levam-nos a encarar a eficiência energética como uma das soluções para
equilibrar o modelo de consumo existente e para combater as alterações climáticas.
Aprender a utilizar de forma responsável a energia de que dispomos é garantir um futuro melhor para as
gerações vindouras.
No entanto, para lá chegarmos, precisamos de alterar a nossa atitude em relação ao consumo de energia,
reflectindo-a nos gestos do dia-a-dia.

Conheça os principais gestos que pode ter no seu dia-a-dia para usar eficientemente a energia

1. Evite ter as luzes ou os equipamentos ligados, quando não for necessário.


2. Procure utilizar os transportes colectivos nos seus trajectos diários. E, para
distâncias curtas, opte por se deslocar a pé.
3. Procure calafetar as portas e janelas, e isolar paredes, tectos e pavimento da
sua casa. Ao fazê-lo, está a economizar energia e a reduzir o investimento
em sistemas de climatização.
4. Antes de comprar um novo equipamento, verifique a etiqueta energética e

Preparado em 25-06-2008 – Cont@cto página: 2/11


opte por aquele que apresenta menor consumo de energia.
5. Substitua as lâmpadas incandescentes por lâmpadas economizadoras. Dão a mesma luz, mas
poupam 80% da energia eléctrica utilizada e duram 8 vezes mais.
6. Desligue os equipamentos no botão, ao invés de desligar apenas no comando. Os aparelhos em
modo stand-by continuam a gastar energia.
7. Evite abrir desnecessariamente a porta do frigorífico e, quando o fizer, seja o mais rápido possível.
Verifique periodicamente o estado da(s) borracha(s) das portas do frigorífico.
8. No Inverno, aproveite a radiação solar para aquecer a casa, através das janelas. No Verão, evite os
ganhos solares excessivos. Em ambas as estações, evite ter os aparelhos de climatização a
funcionar com as janelas abertas.
9. Sempre que possível, procure proceder à separação dos diferentes lixos.
10. Utilize as máquinas de lavar, sempre que puder, com a carga completa e num programa de baixa
temperatura.
Retirado de: [GUIA PRÁTICO DA Eficiência Energética, páginas 18 e19 em: Guia EDP

DICAS GERAIS SOBRE A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA CONSTRUÇÃO

Aqui ficam algumas sugestões simples, se pretende comprar, construir ou


fazer obras em casa:
Localização
Se vai construir uma casa numa zona onde o Inverno é rigoroso, o edifício deve estar bem projectado para
o frio. Se, por outro lado, vai comprar casa numa zona de clima ameno, a exigência das condições

Preparado em 25-06-2008 – Cont@cto página: 3/11


regulamentares é diferente. Consulte o regulamento das zonas climáticas do território nacional e solicite
apoio a um especialista.
Orientação
O sol é uma fonte de luz que pode e deve ser aproveitada em sua casa. A orientação do edifício deverá por
isso estar optimizada para as diferentes estações do ano. Tanto quanto possível, a fachada (principal) do
edifício deve estar virada a sul, que deverá conter a maior área de envidraçados. Consulte um especialista.
Qualidade de construção
Na construção da sua casa, projecte a instalação dos materiais adequados para melhor isolar janelas,
paredes, chão e tecto e torná-la mais confortável e diminuir a necessidade de climatizar, reduzindo a
factura de energia. No projecto, preveja a eliminação de pontes térmicas. Informe-se junto de um
especialista.
Isolamento
Estima-se que cerca de 60% da energia utilizada para o aquecimento durante o Inverno se perde por falta
de isolamento, ou seja, através das paredes, tecto e soalho. Existem vários materiais e técnicas de
isolamento que aumentam a resistência térmica: a cortiça; o poliestireno expandido; o poliuretano e as lãs
minerais (rocha, vidro). É também possível alcançar um maior isolamento térmico se calafetar as janelas e
portas com fita adesiva de espuma.
Janelas
Os envidraçados são áreas críticas para o conforto térmico da casa, pois conduzem a perdas de calor no
Inverno, e ao sobreaquecimento da casa, no Verão. Se puder optar por novas janelas, escolha as de vidro
duplo, restringindo as perdas térmicas, para além de reduzir o barulho do exterior.
Nas fachadas com elevada exposição solar, os envidraçados devem ter sombreamento pelo exterior (palas,

Preparado em 25-06-2008 – Cont@cto página: 4/11


persianas, etc.), de modo a minimizar os ganhos solares no Verão, mas também a permitir obter ganhos de
calor no Inverno, tendo em atenção a orientação e as características do local. Informe- -se junto de um
especialista.
Ventilação natural
No Verão, a ventilação natural nocturna assume um papel decisivo no arrefecimento dos edifícios e no
estabelecimento das condições de conforto térmico. Ao projectar a sua habitação, procure tirar partido da
localização das janelas, de modo a criar diferenças de pressão, facilitando a ventilação natural. Informe-se
junto de um especialista.
Sombra
Um sombreamento correcto dos vãos envidraçados das janelas, evita consumos de energia desnecessários.
Retire o máximo proveito da orientação solar, do sombreamento das construções vizinhas ou da vegetação
existente no local. Se possível, coloque portadas, estores exteriores e palas ou plante árvores de folha
caduca, de modo a minimizar o sobreaquecimento durante o Verão e a maximizar a entrada de luz solar no
Inverno.
Pintura
As cores utilizadas nas fachadas e coberturas também influenciam o conforto térmico. Embora já existam
tintas absorventes e reflectoras de todas as cores, sabemos que as cores claras não absorvem tanto o calor
como as cores escuras. Com efeito, enquanto uma fachada branca pode absorver só 25% da energia do sol,
a mesma fachada, pintada com cor preta, pode absorver a energia do sol em 90%.
Retirado de [GUIA PRÁTICO DA Eficiência Energética, páginas 28 e 29]

Preparado em 25-06-2008 – Cont@cto página: 5/11


Condução, Convecção e Radiação / Irradiação - Física
http://www.estudeonline.net/

1) Condução
Processo de transmissão de calor no qual a energia é passada de partícula para partícula. Uma partícula
com temperatura maior (mais agitada) transfere energia para a partícula vizinha que passa a vibrar mais
intensamente; esta energia para outra partícula, que transfere para outra, e assim sucessivamente. A
condução de calor exige um meio material, logo, não pode ser no vácuo.

Ex.: aquecimento de uma colher de metal.

2) Convecção
A convecção é o processo de transmissão de energia que se dá através de
movimentação de massa fluidas. Não é possível ocorrer convecção no
vácuo. Pode ocorrer com líquidos e gases.

Ex.: aquecimento de água.

3) Radiação (ou Irradiação)


Processo de transmissão de calor através ondas eletromagnéticas (ondas de calor). Trata-se da única forma
de propagação de calor que pode ocorrer tanto no vácuo quanto em outros meios. Alguns materiais não
permitem propagação de calor, os chamados atérmicos (parede de tijolo). Já os meios que permitem a
radiação são chamados diatérmicos.

Preparado em 25-06-2008 – Cont@cto página: 6/11


Ex.: energia solar, que se propaga no vácuo até atingir a atmosfera e chegar até nós.

Garrafa Térmica
A tampa impede a convecção. A parede dupla de vidro impede a condução (o vidro é mau condutor) e a
convecção. O vácuo entre as paredes de vidro impede a condução. O vidro espelhado impede a radiação.

Obs.:
- Em certos dias, verifica-se o fenômeno de inversão térmica, que causa aumento de poluição, pelo de a
atmosfera apresentar maior estabilidade. Esta ocorrência é devida ao seguinte fato: as camadas superiores
de ar atmosférico têm temperatura superior à das camadas inferiores.

 Para entrar num forno quente, deve-se entrar com uma roupa de lã recoberta de alumínio.
 Os iglus, embora feitos de gelo, possibilitam aos esquimós neles residirem porque o gelo não é um
bom condutor de calor.
 Nas fábricas onde existem grandes fornos, são colocadas chaminés bem altas. A principal função
dessas chaminés é conseguir maior renovação do ar na fornalha, por convecção.

Continuar a ler em: http://www.estudeonline.net/

Preparado em 25-06-2008 – Cont@cto página: 7/11


A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA
www.p3e-portugal.com

A etiquetagem energética de equipamentos domésticos foi criada


pela Comissão Europeia para informar os consumidores sobre os
desempenhos energéticos dos electrodomésticos, em termos de
consumo de electricidade e nalguns casos também de água, de
modo a tornar possível efectuar a comparação entre os diversos
modelos existentes no mercado. As informações fornecidas pela
etiqueta energética ajudam os consumidores a realizar uma
escolha racional com repercussões na diminuição da factura
eléctrica, contribuindo ao mesmo tempo para a preservação do
meio-ambiente.
A etiqueta energética garante também uma vantagem comercial
aos fabricantes que produzem aparelhos eficientes e penaliza
aqueles que não promovem a eficiência energética dos seus produtos. É assim um instrumento de política
energética, que permite alargar as áreas de decisão dos consumidores no processo de aquisição dos
equipamentos, contribuindo para o aumento da penetração dos equipamentos mais eficientes, melhorando
a qualidade do parque instalado, com repercussão na redução dos consumos energéticos.

Retirado de: Eficiencia Energética

Preparado em 25-06-2008 – Cont@cto página: 8/11


O que é o Topten

O Topten é uma ferramenta de pesquisa on-line, que pretende orientar o consumidor na escolha de
equipamentos que utilizamos no nosso dia-a-dia que consomem energia: desde electrodomésticos e
lâmpadas, a automóveis.
O critério de selecção fundamental é a eficiência energética dos mesmos. É também considerado o ciclo
de vida dos produtos, os impactes na saúde, ambiente e o nível de qualidade dos mesmos.

http://www.topten.pt/index.php?mact=News,cntnt01,detail,0&cntnt01articleid=7&cntnt01returnid=95

Preparado em 25-06-2008 – Cont@cto página: 9/11


Barreiras para a compra e utilização de eficiência energética
http://www.bcsdportugal.org/

A transição para a utilização eficiente da energia é difícil porque requer grandes alterações nos hábitos,
variando entre o desligar dos electrodomésticos quando não estão a ser utilizados, à compra de aparelhos
eficientes.
O equilíbrio entre as soluções técnicas para a eficiência energética e as acções humanas para a eficiência
energética necessita de ser ponderada sistema por sistema. As acções de poupança de energia podem ser
influenciadas por diversos factores. O custo é importante, em especial o custo da energia como parte do
total das despesas, mas a informação tem que estar disponível para estimular a acção.
Os factores culturais, educacionais e sociais, incluindo a preocupação pelo ambiente, também influenciam
a atitude das pessoas.
As pessoas podem não comprar equipamentos eficientes devido a:
 Falta de informação do desempenho dos equipamentos
 Falta de preocupação acerca da eficiência energética – os consumidores tendem a ter mais
preocupações relativamente ao desempenho técnico, conforto e design estético
 Diferença de custo entre equipamentos comuns e de eficiência energética – por exemplo, tem
havido relativamente pouca compra de lâmpadas de baixo consumo, possivelmente devido ao seu
elevado custo.

Retirado de: "Eficiência Energética em Edifícios", Página32, em


http://www.bcsdportugal.org/files/1269.pdf

Preparado em 25-06-2008 – Cont@cto página: 10/11


Os massmédia também se preocupam com a eficiência energética como se pode ler num artigo da revista
Máxima Interiores em:
http://www.maximainteriores.xl.pt/decor/interiores/1005/especial/300.shtml

Habitar a Natureza

Não é necessário viver numa cabana nem dispensar o aquecimento central, em nome da ecologia.
Basta escolher os materiais certos e criar pequenas rotinas diárias para contribuir para a
preservação da Natureza. O respeito pelo ambiente começa dentro de casa.
texto de Helena Botelho | fotografias de Getty Images

Simulador de Potencia e Consumo – EDP

http://www.servicos.edp.pt/download/flash/simul_global.html#home

Preparado em 25-06-2008 – Cont@cto página: 11/11