Você está na página 1de 24

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL

ACADÊMICA: ODÁLIA REIS

ESTÁGIO CURRICULAR II
ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL – PROJETO DE DOCÊNCIA

“O ADOLECENTE E A SEXUALIDADE”

MACAPÁ-AP
2010
0
ACADÊMICA: ODÁLIA REIS

ESTÁGIO CURRICULAR II
ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL – PROJETO DE DOCÊNCIA

“O ADOLECENTE E A SEXUALIDADE”

Projeto de Docência apresentado como


requisito parcial para conclusão da
disciplina Estágio Curricular II, do Curso
de Pedagogia da ULBRA - Universidade
Luterana do Brasil, Modalidade EaD,
orientado pela tutora Heliadora Costa.

MACAPÁ-AP
2010

1
SUMÁRIO

1RELATÓRIO DAS OBSERVAÇÕES REALIZADAS ............................................ 3

2 APRESENTAÇÃO DO PROJETO ....................................................................... 4


2.1 JUSTIFICATIVA............................................................................................ 5
2.2 OBJETIVO GERAL ....................................................................................... 5
2.3 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO ....................................................................... 5
2.4 CRONOGRAMA DE AÇÃO .......................................................................... 6
2.4.1 Plano de Aula 1 ................................................................................... 7
2.4.2 Plano de Aula 2 ................................................................................... 9
2.4.3 Plano de Aula 3 ................................................................................. 10
2.4.4 Plano de Aula 4 ................................................................................. 12
2.4.5 Plano de Aula 5 ................................................................................. 13
2.4.6 Plano de Aula 6 ................................................................................. 15
2.4.7 Plano de Aula 7 ................................................................................. 17
2.4.8 Plano de Aula 8 ................................................................................. 18

CONSIDERAÇÕES FINAIS ........................................................................ ..........21

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ........................................................... ..........22

REFERÊNCIAS EM MEIO ELETRÔNICO .................................................. ..........23

2
1 RELATÓRIO DAS OBSERVAÇÕES REALIZADAS

Durante a etapa de observação realizada na Escola Municipal de Educação


Básica Piauí, foi notado um índice muito alto de adolescentes grávidas, como
também das que abandonaram a escola por este motivo. Outro fator evidenciado foi
que muitos jovens dispunham de vídeos impróprios e de caráter sexual em seu
celular e que alguns deles já haviam sido contaminados de alguma forma por DSTs

Observou-se ainda na turma 511, que devido à fase de transformação que


estão vivendo, havia um constante interesse entre os alunos por temas ligados a
sexualidade e que a maior parte deles, principalmente as meninas, buscava na
internet, nas revistas e vídeos não apropriados, em outros adolescentes, e nos
relacionamentos afetivos uma resposta para inúmeras perguntas referentes ao
desenvolvimento biológico e sexual, que são inerentes a esta fase da vida.

3
2 APRESENTAÇÃO DO PROJETO

O projeto “O Adolescênte e a Sexualidade” prima atender aos Parâmetros


Curriculares Nacionais: orientação sexual, contribuindo para a prevenção de
problemas graves como o abuso sexual e a gravidez indesejada, aliando as
informações ao trabalho de auto conhecimento e reflexão no sentido de ampliar a
consciência sobre a sexualidade como algo inerente à vida e à saúde, e que se
expressa desde cedo no ser humano, e sobre isto Teles (1992, p. 51) afirma que “...
as pessoas encarregadas da orientação sexual na escola devem ter autenticidade,
empatia e respeito. Se o lar está falhando neste campo, cabe à escola preencher
lacunas de informações, erradicar preconceitos e possibilitar as discussões das
emoções e valores”.

Através de orientações sexuais preventivas para crianças, pré-adolescentes e


adolescentes o projeto tem como ideal diminuir os índices de gravidez na
adolescência, reduzir a transmissão entre os jovens de doenças sexualmente
transmissíveis e tornar o jovem conhecedor do que representa a sexualidade
humana para si próprio, visando informar sobre o uso de preservativos,
contracepção, AIDS, DSTs, e discutindo alguns valores como: respeito mútuo e
liberdade de escolha, e dando a oportunidade ao jovem de refletir e esclarecer
duvidas sobre estes e tantos outros problemas atuais proporcionando o
amadurecimento destes para enfrentarem as mudanças ocorridas em suas vidas
durante o período da adolescência, capacitando-os para uma boa convivência com
sigo mesmo e com os demais.

4
2.1 JUSTIFICATIVA

A sexualidade deve ser considerada em suas múltiplas formas de


manifestação tais como desejo, prazer, medo, amor, paixão e sensibilidade, além da
atividade reprodutiva.
Apesar da diversidade de informações acerca dos temas ligados à
sexualidade, percebemos na comunidade escolar uma deficiência no ensino destes
temas, considerando que nos últimos anos os jovens estão iniciando a vida sexual
cada vez mais cedo e que tem sido crescente, nesta instituição, o número de
adolescentes infectados por doenças sexualmente transmissíveis bem como de
gravidezes indesejada, por falta de esclarecimento. Visando uma mudança de
postura das questões relacionadas As aulas de orientação sexual significam uma
possibilidade de quebra de tabus tornando-se a maneira mais eficaz de combater
doenças sexualmente transmissíveis, gravidezes precoces, preconceitos e etc.

2.2 OBJETIVO GERAL

Desenvolver no educando a consciência e a responsabilidade quanto à vida


sexual, o respeito e o amor próprio, quebrando tabus e outras formas repressoras
referentes aos temas ligados a sexualidade. E agregar valores e experiências, ao
responder a perguntas comuns aos adolescentes o que proporcionará um
amadurecimento, que o conduzirá a uma reflexão sobre suas semelhanças e
diferenças, despertando a necessidade de um posicionamento que transforme seu
universo e que possibilite um desenvolvimento biológico e sexual consciente
possibilitando assim um espaço de aceitação, respeito e amor, livre de deturpações
e preconceitos.

5
2.3 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

Nome da escola: Escola Municipal de Educação Básica Piauí


Anos iniciais do ensino fundamental: 5º ano
Turma: 511
Turno: 1º
Professor (a): Silvana Aguiar Meirelles
Número de alunos: 32
Ano letivo: 2009
Carga horária do projeto de docência: 40h

2.4 CRONOGRAMA DE AÇÃO

Dia \ Mês Horário Tema CH


7h30min
Orientação Sexual: “Quebrando
03/02/2010 - Quarta- feira às 5h
os tabus”.
11h45min
7h30min
Desenvolvimento físico e
04/02/2010 - Quinta- feira às 5h
biológico
11h45min
7h30min
Desenvolvimento afetivo e
05/02/2010 - Sexta - feira às 5h
emocional
11h45min
7h30min
08/02/2010 - Segunda- feira às Sexualidade x Sexo 5h
11h45min
7h30min
09/02/2010 - Terça- feira às Pedofilia e homossexualismo 5h
11h45min
7h30min
Gravidez na adolescência, aborto
10/02/2010 - Quarta feira às 5h
e métodos anticoncepcionais
11h45min
7h30min As Doenças sexualmente
11/02/2010 - Quinta- feira às transmissíveis e métodos de 5h
11h45min prevenção
7h30min
Roda de conversas: “Trocando
12/02/2010 - Sexta- feira às 5h
experiência”
11h45min

6
2.4.1 PLANO DE AULA 1- Quebrando os tabus

 Objetivos:

• Esclarecer duvidas sobre orientação Sexual;


• Desenvolver a autoconfiança para falar em público;
• Estimular a curiosidade;
• Identificar conflitos;
• Promover a integração entre a turma.

 Conteúdos:

• Oralidade;
• Produção textual;
• Noções básicas de orientação sexual;
• Socialização.

 Procedimentos metodológicos:

 7h: 30m: Acolhida e atividades de rotina


 Conversa informal;
 Organização das cadeiras;
 Chamada.

 7h: 45m: Apresentação da estagiária a turma (esta apresentação


será feita dela professora da sala)

 7h: 55m: Dinâmica I: Ladrão rouba ladrão (os alunos formarão dois
círculos, um composto por meninas e outro por meninos, um atrás do
outro. No meio do circulo da frente ficara uma pessoa do sexo oposto
ao circulo, este deverá piscar a um integrante do circulo da frente
circulo da frente, ao notar a piscada o integrante do circulo deverá
correr até ao participante que esta no centro e o membro do segundo
circulo que estivar posicionado atrás deverá segura-lo imediatamente
se este não conseguir irá para o centro do circulo.)

7
 8h: 30m: Filme na telessala: “Quebrando tabus"

Sinopse: Vídeo educativo que aborda de maneira atual e divertida,


o Tema noções básicas de Orientação Sexual.

 9h: 15m: Roda de conversa informal (conversa informal com os


alunos, sobre o tema abordado).

 10h: 00m: Intervalo

 10h: 20m: Atividade: Produção textual (elaboração de texto pelos


alunos sobre o tema abordado).

 11h: 00m: Dinâmica II: Caixinha de perguntas (após uma breve


conversa com a turma os alunos, a turma deverá elaborar perguntas
ligadas ao tema abordado, para que sejam respondidas no dia
seguinte).

 Recursos didáticos:

• Papel A4
• Lápis preto;
• Caixinha decorada.

 Recursos tecnológicos:

• Reprodutor de D.V.D;
• Televisor;
• D.V.D.

 Avaliação:

• Observação do empenho dos alunos durante a execução das


atividades propostas e a participação nas discussões sobre os
conteúdos apresentados;
• Produção textual.

8
2.4.2 PLANO DE AULA 2 – Desenvolvimento físico e biológico

 Objetivos:

• Conhecer como ocorre o desenvolvimento físico e biológico na


adolescência;
• Desenvolver a capacidade reflexiva;
• Desenvolver a autoconfiança para falar em público;
• Identificar conflitos;
• Compreender a importância de conhecer e respeitar o seu corpo.

 Conteúdos:

• Desenvolvimento físico e biológico;


• Oralidade.

 Procedimentos metodológicos:

 7h: 30m: Acolhida e atividades de rotina

 7h: 45m: Dinâmica I: À hora da verdade (No primeiro momento os


alunos irão ler as perguntas depositadas na caixinha no dia anterior. À
medida que as perguntas forem lidas o professor- estagiário irá
responder juntamente com os alunos).

 8h: 30m: Filme na telessala: “Desenvolvimento físico e biológico"

Sinopse: Vídeo educativo que aborda de maneira atual e divertida,


o Tema Desenvolvimento Físico e Biológico.

 9h: 15m: Roda de conversa informal

 10h: 00m: Intervalo

 10h: 20m: Atividade: Questionário “Adolescência e as


transformações do corpo”.

9
 11h: 00m: Dinâmica II: Caixinha de perguntas

 Recursos didáticos:

• Lápis preto;
• Papel A4.

 Recursos tecnológicos:

• Reprodutor de D.V.D;
• Televisor;
• D.V.D.

 Avaliação:

• Observação do empenho dos alunos durante a execução das


atividades propostas e a participação nas discussões sobre os
conteúdos apresentados;
• Atividade xerocopiada.

2.4.3 PLANO DE AULA 3 – Desenvolvimento afetivo e emocional

 Objetivos:

• Conhecer como ocorre o desenvolvimento afetivo e emocional em


cada fase da vida;
• Desenvolver a capacidade reflexiva;
• Refletir sobre o melhor momento para se namorar;
• Desenvolver a autoconfiança para falar em público;
• Identificar conflitos;
• Diferenciar entre o namorar e o ficar;
• Entender que sentimentos como amor, raiva, saudade, paixão e tantos
outros são normais aos seres humanos.

10
 Conteúdos:

• Desenvolvimento afetivo e emocional;


• Namoro na adolescência;
• Oralidade;
• Artes cênicas (dramatização).

 Procedimentos metodológicos:

 7h: 30m: Acolhida e atividades de rotina

 7h: 45m: Dinâmica I: À hora da verdade

 8h: 30m: Filme na telessala: ”Desenvolvimento afetivo e emocional”

Sinopse: Vídeo educativo que aborda de maneira atual e divertida, o


Tema Desenvolvimento Afetivo e emocional.

 9h: 15m: Roda de conversa informal

 10h: 00m: Intervalo

 10h: 20m: Atividade: Jogo teatral (os alunos representarão cenas que
retratem sentimentos, tais como: amor, ódio, alegria, tristeza, etc.).

 11h: 00m: Dinâmica II: Caixinha de perguntas

 Recursos didáticos:

• Lápis preto;
• Papel A4.

 Recursos tecnológicos:

• Reprodutor de D.V.D;
• Televisor;
• D.V.D.

11
 Avaliação:

• Observação do empenho dos alunos durante a execução das


atividades propostas e a participação nas discussões sobre os
conteúdos apresentados.

2.4.4 PLANO DE AULA 4 – Sexualidade x sexo

 Objetivos:

• Entender a diferença que existe entre o sexo e a sexualidade;


• Compreender o que é o sexo;
• Compreender o que é a sexualidade;
• Desenvolver a autoconfiança para falar em público;
• Identificar conflitos;
• Refletir sobre o momento ideal para começar a vida sexual;
• Refletir sobre literatura e vídeos eróticos.

 Conteúdos:

• Sexualidade;
• Sexo na adolescência;
• Oralidade;
• Produção textual.

 Procedimentos metodológicos:

 7h: 30m: Acolhida e atividades de rotina

 7h: 45m: Dinâmica I: À hora da verdade

 8h: 30m: Filme na telessala: Sexualidade x Sexo

Sinopse: Vídeo educativo que aborda de maneira atual e divertida,


o Tema Sexualidade x Sexo.
12
 9h: 15m: Roda de conversa informal

 10h: 00m: Intervalo

 10h: 20m: Atividade - Produção textual

 11h: 00m: Dinâmica II: Caixinha de perguntas

 Recursos didáticos:

• Lápis preto;
• Papel A4.

 Recursos tecnológicos:

• Reprodutor de D.V.D;
• Televisor;
• D.V.D.

 Avaliação:

• Observação do empenho dos alunos durante a execução das


atividades propostas e a participação nas discussões sobre os
conteúdos apresentados;
• Produção textual.

2.4.4 2.4.5 PLANO DE AULA 5 – Pedofilia e Homossexualismo

 Objetivos:

• Prevenir sobre a pedofilia e esclarecer sobre as diferentes maneiras


de se sofrer abusos;
• Desenvolver a autoconfiança para falar em público;
• Identificar conflitos;
• Entender o homossexualismo e debater sobre o preconceito.

13
 Conteúdos:

• Pedofilia;
• Homossexualismo;
• Oralidade.

 Procedimentos metodológicos:

 7h: 30m: Acolhida e atividades de rotina

 7h: 45m: Dinâmica I: À hora da verdade

 8h: 30m: Filme na telessala: “Pedofilia e Homossexualismo

Sinopse: Vídeo educativo que aborda de maneira atual e divertida,


o Tema Pedofilia e Homossexualismo.

 9h: 15m: Roda de conversa informal

 10h: 00m: Intervalo

 10h: 20m: Atividade: Questionário “O que devo fazer para me proteger


de um abusador?”

 11h: 00m: Dinâmica: Caixinha de perguntas

 Recursos didáticos:

• Lápis preto;
• Papel A4.

 Recursos tecnológicos:

• Reprodutor de D.V.D;
• Televisor;
• D.V.D.

14
 Avaliação:

• Observação do empenho dos alunos durante a execução das


atividades propostas e a participação nas discussões sobre os
conteúdos apresentados;
• Atividades xerocopiadas.

2.4.5 2.4.6 PLANO DE AULA 6 – Gravidez na adolescência e aborto criminoso

 Objetivos:

• Refletir sobre o melhor momento para se ter um filho;


• Entender os riscos de uma gravidez na adolescência;
• Conhecer os métodos anticoncepcionais;
• Estudar como ocorre o desenvolvimento do feto;
• Conscientizar sobre o aborto criminoso;
• Desenvolver a autoconfiança para falar em público;
• Identificar conflitos;
• Desenvolver a capacidade reflexiva;
• Esclarecer sobre a responsabilidade do homem e da mulher na
criação dos filhos.
 Conteúdos:

• Gestação e parto;
• Aborto;
• Oralidade;
• Criação de filhos;
• Artes cênicas (dramatização).

 Procedimentos metodológicos:

 7h: 30m: Acolhida e atividades de rotina

 7h: 45m: Dinâmica I: À hora da verdade


15
 8h: 30m: Filme na telessala: “Gravidez na adolescência e aborto
criminoso”

Sinopse: Vídeo educativo que aborda de maneira atual e divertida,


o Tema Gravidez na adolescência e aborto.

 9h: 15m: Roda de conversa informal

 10h: 00m: Intervalo

 10h: 20m: Atividade: Jogo teatral (os alunos representarão cenas que
retratem um casal cuidando de um bebê).

 11h: 00m: Dinâmica II: Caixinha de perguntas

 . Recursos didáticos:

• Lápis preto;
• Papel A4;
• Bonecas;
• Mamadeiras;
• Fraldas;
• Etc.

 Recursos tecnológicos:

• Reprodutor de D.V.D;
• Televisor;
• D.V.D.

 Avaliação:

• Observação do empenho dos alunos durante a execução das


atividades propostas e a participação nas discussões sobre os
conteúdos apresentados.

16
2.4.6 2.4.7 PLANO DE AULA 7 – As Doenças sexualmente transmissíveis

 Objetivos:

• Entender o que é DST;


• Desenvolver a autoconfiança para falar em público;
• Identificar conflitos;
• Prevenir contra os riscos de se adquirir uma DST;
• Conhecer métodos de proteção e tratamento de diversas DSTs.

 Conteúdos:

• Doenças sexualmente transmissíveis;


• Oralidade;
• Artes plásticas (produção de cartazes).

 Procedimentos metodológicos:

 7h: 30m: Acolhida e atividades de rotina

 7h: 45m: Dinâmica I: À hora da verdade

 8h: 30m: Filme na telessala: “Desenvolvimento afetivo e emocional”

Sinopse: Vídeo educativo que aborda de maneira atual e divertida,


o Tema Doenças Sexualmente transmissível.

 9h: 15m: Roda de conversa informal

 10h: 00m: Intervalo

 10h: 20m: Atividade: Produção de cartazes (a turma será dividida em 7


grupos, cada grupo receberá um tema dentre os abordados durante a
semana. A partir do tema os alunos deverão produzir cartazes
utilizando critérios de livre escolha).

17
 11h: 00m: Dinâmica: Caixinha de perguntas

 Recursos didáticos:

• Lápis preto;
• Cartolina;
• Pincel;
• Giz de cera;
• Cola;
• Gravuras.
 Recursos tecnológicos:

• Reprodutor de D.V.D;
• Televisor;
• D.V.D.

 Avaliação:

• Observação do empenho dos alunos durante a execução das


atividades propostas e a participação nas discussões sobre os
conteúdos apresentados.

2.4.7 PLANO DE AULA 8 – Roda de conversas: “Trocando experiência”

 Objetivos:

• Objetivos Aprender através de relatos de pessoas que viveram


experiência de abusos, gravidez na adolescência, abortos provocados
e contaminação por DSTs;
• Esclarecer as dúvidas que ainda restarem sobre os temas estudados;
• Desenvolver a capacidade reflexiva;
• Desenvolver a autoconfiança para falar em público;
• Estimular a curiosidade;
• Identificar conflitos.

18
 Conteúdos:

• Orientação Afetiva Sexual;


• DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis) e AIDS;
• Gravidez na adolescência e Paternidade responsável;
• A influência da mídia;
• Prostituição infantil de adolescentes;
• Oralidade.

 Procedimentos metodológicos:

 7h: 30m: Acolhida e atividades de rotina

 7h: 45m: Atividade I: Organização da sala para a “Roda de conversas”


(neste momento os alunos irão decorar a sala com os textos
produzidos e com os cartazes confeccionados anteriormente, utilizando
balões e outros objetos decorativos. Sob supervisão do professor-
estagiario os alunos também organizaram as cadeiras em semi- circulo
e prepararam uma mesa com microfone e outros suportes que se
fizerem necessário, para melhor receberem os convidados).

 8h: 30m: Atividade II: Roda de conversas: “Trocando experiência”


(Palestra com a precença de um medico um assistente social, e
demais pessoas que viveram experiência de abusos, gravidez na
adolescência, abortos provocados e contaminação por DSTs)

 10h: 30m: Atividade III: Socialização (a socialização acontecerá através


de um lanhe que será oferecido pela professora/estagiaria).

 Recursos didáticos:

• Cartazes;
• Balões;
• Etc.

19
 Recursos tecnológicos:

• Reprodutor de D.V.D;
• Televisor;
• D.V.D.;
• Microfone;
• Caixa amplificada.

 Avaliação:

• Observação do empenho dos alunos durante a execução das


atividades propostas e a participação nas discussões sobre os
conteúdos apresentados.

20
CONSIDERAÇÕES FINAIS

Durante a elaboração do projeto “O ADOLECENTE E A SEXUALIDADE”


optamos por preencher lacunas nas informações que o adolescente já possui
principalmente, criar a possibilidade de formar opinião a respeito do que lhe é ou foi
apresentado. Abordar temas e mensagens transmitidas pela mídia, pela família e
pela sociedade.

Ao buscar desenvolver no aluno atitudes coerentes com os valores que ele


próprio elegeu como seus, buscamos dar informações atualizadas do ponto de vista
científico e explicitar os diversos valores associados à sexualidade e aos
comportamentos sexuais existentes na sociedade

A puberdade é a fase das descobertas e experimentação dos vínculos e este


trabalho vem informar e discutir os diferentes tabus, preconceitos, crenças e atitudes
existentes, assim como propor uma postura a ser adotada, dentro das escolas, em
face das manifestações da sexualidade dos alunos.

21
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ABIA. A AIDS e a escola. Nem indiferença, nem discriminação. Rio de Janeiro: 1993.

BARROSO, C. e BRUSCHINI, C. Sexo e juventude. Como discutir a sexualidade em


casa e na escola. 3.ed. São Paulo: Cortez, 1990.

CAVALCANTI, R. C. (org.). Saúde sexual e reprodutiva. Ensinando a ensinar.


Brasília: Cesex, s/d.

FREUD, S. Três ensaios para uma teoria sexual. Obras completas.


Rio de Janeiro: Imago, 1976.

FURASTÉ, Pedro Augusto. Normas técnicas para o trabalho científico. 13 ed. Porto
Alegre: Brasul, 2004.

GUIMARÃES, I. Educação sexual na escola. Mito e realidade. Campinas: Mercado


de Letras, 1995.

MULLINAR, G. Dicionário de orientação sexual. São Paulo: Melhoramentos, 1993.

OYARZABAL, Graziela Macuglia. Fundamentos teóricos e metodológicos dos anos


iniciais. Curitiba: Ibpex, 2008.

PIAGET, Jean. Seis Estudos de Psicologia. 24. ed. Rio de Janeiro: Florense
Universitária, 2003,IBPEX.

SPOLIN, Viola. Improvisação para o teatro. São Paulo: Perspectiva, 2005.

SUPLICY, M. Sexo para adolescentes. São Paulo: FTD, 1988.

TELLES, M.L.S. Educação, a revolução necessária. Petrópolis, RJ: Vozes, 1992.

22
REFERÊNCIAS EM MEIO ELETRÔNICO

Sexualidade – prazer em conhecer: capacitação do professor. Rio de Janeiro:


ECOS/Fundação Roberto Marinho/Schering, 2001.

Sexualidade – prazer em conhecer: programas 1 a 7. Rio de Janeiro:


ECOS/Fundação Roberto Marinho/Schering, 2001.

Reprodução humana. São Paulo: Encyclopedia Britannica do Brasil, 1990, 26 min.


Videopedia Ciência, distribuição por Barra Vídeo, contém manual. Público-alvo:
adolescentes e publico em geral.

Seguro morreu de velho, transas do corpo (planejamento familiar);Transas do corpo


(camisinha); Transas do corpo (pílula); Por que não?Brasília: Ministério da Saúde,
s.d., 43 min. (Coleção Aids / DST, Série Mulheres, 1). Distribuído pelo Ministério da
Saúde.

Uma jornada de nove meses: desenvolvimento fetal. São Paulo: Interconnection,


s.d., 15 min. Distribuído por Interconnection.

23