Você está na página 1de 5

Os lípidos

Os lípidos mais abundantes nas células são formados pela com-


binação de ácidos gordos com uma molécula de álcool — glicerol.
Esta associação de moléculas é mantida por ligações éster (Fig. 23).
Caracterizam-se por, geralmente, serem insolúveis em água e
solúveis em solventes orgânicos como o éter ou o clorofórmio.
Na sua constituição podem entrar apenas átomos de carbono,
hidrogénio e oxigénio — lípidos simples — ou, ainda, o azoto,
o enxofre ou o fósforo — lípidos complexos.

R CO OH + H OR’
Ácido
cido gordo Álcool

R CO O R’
Ligação éster
H2O
Fig. 23 Formação de um lípido. O radical R representa os restantes átomos das
moléculas, sendo R o do ácido gordo e R´ o do glicerol.

Possuem funções de isoladores térmicos do organismo e, na


célula, são fontes de energia rapidamente mobilizáveis e importan-
tes componentes das membranas celulares.
Dos vários grupos de lípidos, destacam-se os glicéridos e os
fosfolípidos.
Os glicéridos são moléculas constituídas por glicerol (álcool) e
ácidos gordos, que possuem, fundamentalmente, funções energéti-
cas (Fig. 24).

A
Glicerol Ligação éster
H O H H H H H H H H H H H H H H H
Glicerol
H C OH Ligação
C C Céster
C C C C C C C C C C C C C H
H H H H
H C OH HOO H H H H H H
H H
H HH H H HH HH H
H H
H H
H H
H H
H
H C OH C C C C C C CÁcido
C C C
cido gordo C C C C C C H
H C OH
H HC OH HO H H H H H H H H H H H H H H H
H HC OH O Ácido gordo
B Ácido palmítico (saturado)
H HC O OO
H
H C O O Ácido
Á esteárico (saturado)
cido palmítico
H C O O
H C O Ácido
cido oleico
Ácido (insaturado)
esteárico (saturado)
H C O O
H
HGlicerol
C O Ácido
cido oleico (insaturado)
3 H 2O
H
Glicerol 3 H 2O
Fig. 24 Glicérido. Uma molécula de glicerol liga-se através de uma ligação éster (A)
a três moléculas de ácidos gordos (B).

unidade 0 Diversidade na biosfera 39


Os fosfolípidos são os principais componentes das membra-
nas celulares e apresentam uma estrutura particular. Cada uma
possui duas moléculas de ácidos gordos, ligadas ao glicerol, que,
por sua vez, se liga ao ácido fosfórico (Fig. 25).
Esta constituição confere ao fosfolípido características muito
particulares, sobretudo na sua disposição na membrana celular.
A região dos ácidos gordos («caudas») é não-polar, o que a torna
hidrofóbica, enquanto a zona da molécula onde se encontra o gli-
cerol e o ácido fosfórico («cabeça») é polar e, portanto, hidrofílica.

A H O H H H H H H H H H H H H H H H H H
H C O C C C C C C C C C C C C C C C C C C H
H H H H H H H H H H H H H H H H H
O H H H H H H H H H H H H H H H H H
O
H C O C C C C C C C C C C C C C C C C C C H
R O P O C H H H H H H H H H H H H H H H H H H
O H
2 ácidos
cidos gordos
Radical Grupo Glicerol
B fosfato

Fig. 25 Apresentação das três regiões de uma molécula de fosfolípido. Fórmula


estrutural (A); representação espacial (B). O radical que se liga ao ácido fosfórico
determina o tipo de fosfolípido.

A RETER

Os lípidos possuem funções


Além dos lípidos já referidos, importa ainda mencionar outras
estruturais (composição da moléculas que serão frequentemente citadas no estudo da química
membrana celular) e funções da vida e que também estão incluídas neste grupo de biomoléculas:
energéticas, entre outras.
o colesterol, os carotenóides (pigmentos das plantas) e a proges-
terona (hormona feminina).

Proteínas
Estas moléculas, muito abundantes nas células, apresentam
uma grande variedade de estruturas. Desempenham diferentes
funções: estruturais (constituintes das membranas celulares), de
transporte de substâncias, enzimáticas, de mobilidade e defesa do
organismo (imunidade), entre outras.

40 BIOLOGIA A vida e os seres vivos


PROTEÍNA
FUNÇÃO
(exemplos)
Insulina Hormona
Hemoglobina Transporte de oxigénio
Pressão osmótica
Albumina (plasma)
Transporte: iões, fármacos
Lisozima Enzima

As proteínas são polímeros formados por aminoácidos (monó-


meros) (Fig. 26). Estes, em número de 20, nos organismos vivos,
adquiriram esta designação devido à sua estrutura, na qual se
encontra um grupo carboxilo (ácido) e um grupo amina (Fig. 27).

O OH 
Grupo carboxilo

C


H
Grupo amina
N C H
H
C H


Radical

H OH
Fig. 26 Fórmula estrutural de um aminoácido (serina). Fig. 27 Representação espacial da serina.
Um átomo de carbono em posição central, ao qual se ligam:
um hidrogénio, um grupo amina, um grupo carboxilo
e um radical que varia de aminoácido para aminoácido.

Os aminoácidos ligam-se entre si através de ligações peptídi-


cas (Fig. 28). Formam-se, assim, cadeias polipeptídicas que vão
originar as proteínas.

H R1 H R2
H N C C OH + H N C C OH
H O H O
Aminoácido 1 Aminoácido 2

Síntese por desidratação


H2O
H R1 H R2
H N C C N C C OH
H O H O
Fig. 28 Dois aminoácidos (1 e 2) ligam-se por ligação peptídica originando um dipéptido.

unidade 0 Diversidade na biosfera 41


ACTIVIDADE

AMINOÁCIDOS E PROTEÍNAS

1. Analise a tabela seguinte e responda às questões.

glicina alanina valina isoleucina leucina


H H O H H O H H O H H O H H O
H N C C O H H N C C O H H N C C O H H N C C O H H N C C O H
H H
H H C H H C C H H C C H H C H
H H H
H H C H H C H H C C H
H
H H C H H C H
H H

serina treonina ácido aspártico ácido glutâmico tirosina


H H O H H O H H O H H O H H O
H N C C O H H N C C O H H N C C O H H N C C O H H N C C O H

H C H H C O H H C H H C H H C H
O H H C H C O H C H
H O H C O
O H O H

lisina arginina histidina prolina glutamina


H H O H H O H H O H H O H H O
H N C C O H H N C C O H H N C C O H N C C O H H N C C O H
H C H H C H H C H H C HH C H H C H
H C H H C H C H C H
N
H C H H C H H H C
N H N H
H C H N O
H
H N H C N H H
H N H
cisteína meteonina asparagina triptofano fenilalanina
H H O H H O H H O H H O H H O
H N C C O H H N C C O H H N C C O H H N C C O H H N C C O H
H C H H C H H C H H C H H C H
C O H
S H H C H C C
H N H N H
S
H C H
H

Fig. 29 Fórmulas estruturais planas dos 20 aminoácidos que podem ser encontrados na constituição das proteínas.

1.1 Analise a estrutura da glicina e da alanina e compare-as:


a) enumerando as diferenças existentes entre as duas moléculas;
b) referindo as semelhanças existentes entre as duas moléculas.
1.2 Que explicação apresenta para o facto de, existindo apenas vinte aminoácidos diferentes,
se poderem encontrar, numa só célula, milhares de proteínas diferentes?

42 BIOLOGIA A vida e os seres vivos


As proteínas podem apresentar-se com uma constituição exclu-
siva de aminoácidos, designando-se proteínas simples (por exemplo,
albumina), ou integrar na sua composição outras moléculas diferentes
sendo, então, designadas por proteínas conjugadas. Nestas últimas,
incluem-se as glicoproteínas, as lipoproteínas, as nucleoproteínas e
as hemeproteínas.

ESTRUTURA DAS PROTEÍNAS


O desenvolvimento da tecnologia permitiu o aprofundamento do estudo
das proteínas. Estudos de difracção de raios X permitiram conhecer
a sua estrutura, revelando configurações espaciais diversas
e evidenciando a sua relação com a função de cada proteína.
Assim, a sequência simples de aminoácidos, ligados por ligações
peptídicas, representa a estrutura primária.
Quando as cadeias polipeptídicas se enrolam, em hélice, sobre si
próprias, ou formam uma estrutura semelhante a uma folha pregueada,
diz-se que a proteína apresenta estrutura secundária. Neste caso,
a estrutura mantém-se devido a ligações por pontes de hidrogénio
entre átomos de aminoácidos próximos.
Frequentemente, esta hélice dobra-se sobre si própria devido
a atracções entre os radicais dos aminoácidos de vários pontos da
molécula. A estrutura torna-se assim globular e designa-se terciária.
Em algumas proteínas, como é o caso da hemoglobina que possuímos
no sangue, ocorrem várias destas cadeias polipeptídicas associadas,
e nesse caso considera-se que a molécula possui estrutura quaternária.

O R
C C
H H N H
C Estrutura primária
H O
N C
R C
C R C H
O N
H O H C
N H N
R
H H C R C
O
O Folha pregueada
C
R N H
C C N
H
R C
C HO
C N H R
H
C
H O C H
O N
Hélice O H C
H N R
O
C C
R
H H
H O
Estrutura terciária
C
N C H
R

Estrutura quaternária

Estrutura secundária

As proteínas apresentam níveis de organização bem definidos.

A grande variedade de proteínas é consequência da sua estru- A RETER


tura básica. O número e o tipo de aminoácidos que compõem as O tipo, número e sequência
proteínas e a sequência com que estes se apresentam na molécula de aminoácidos condicionam
a estrutura e, consequentemente,
são determinantes para a formação do polímero final e condicio-
a função das proteínas.
nam a sua estrutura e função.

unidade 0 Diversidade na biosfera 43