Você está na página 1de 15

Avaliação de Projectos

2010/2011
O presente e-Fólio incide sobre os dois primeiros temas da Unidade Curricular:
Elementos a considerar na Avaliação de Projectos e Métodos de Avaliação mais
utilizados.
O documento está dividido em quatro partes:



Os pressupostos do projecto
A construção de mapas
O cálculo de indicadores para avaliação do projecto
Estudo de dimensão

Sendo uma Unidade Curricular com uma forte aplicação prática espera-se um trabalho
conciso, com indicação das fórmulas utilizadas para os indicadores de avaliação e
apresentação dos resultados em tabelas; na parte escrita exige-se um mínimo de 200
palavras e um máximo de 600 palavras.
É indispensável a utilização da folha de cálculo.
Este documento tem 15 páginas e termina com a palavra FIM.

Página 1 de 15

e insere-se no regime de avaliação contínua. Página 2 de 15 . O documento segue as indicações do referido e-Fólio. apresenta os pressupostos utilizados na construção dos quadros para a avaliação do projecto. e as fórmulas utilizadas para o cálculo da taxa de actualização. Justificação O presente trabalho corresponde ao e-Fólio A da unidade curricular 61003 Avaliação de Projectos do curso de Licenciatura em Gestão da Universidade Aberta.Avaliação de Projectos 2010/2011 1. do Valor Actualizado Líquido e da Taxa Interna de Rendibilidade.

000 Encargos iniciais 3 Anos 300.000 / Ano Preço venda 120 / Unidade Custo matéria-prima 20 / Unidade Custo matérias auxiliares 15 / Unidade Fornecimentos e serviços 250.000 Instalações 10 Anos 4.000. Pressupostos do projecto 2.000 / 1.000.000 300.2 Pressupostos gerais Taxa de remuneração do Capital Social 10 % / Ano Taxa de juro 8 % / Ano Vendas 50. Administrativo 5 Anos 100.º Ano produção Acréscimo de Fornecimentos e serviços 50. Básico 10 Anos 6.000 unidades / 1.000 300.000 2.000.000 / Ano Prazo Médio de Recebimentos 2 Meses Prazo Médio de Pagamentos 6 Meses Amortizações (a determinar pelo estudante) Página 3 de 15 .Avaliação de Projectos 2010/2011 2.1 Investimentos Tipo Vida útil 2011 2012 Edifícios 25 Anos 5.º ano Acréscimo de unidades vendidas 2.000.000 Eq.000 Eq.000 2013 2014 Eq. Transporte 5 Anos 1.

000 • Vida útil do projecto: até 2021 inclusive • Empréstimo bancário a liquidar em prestações constantes de capital e juro com início em 2014 e fim em 2020 • A produção é feita por encomenda e totalmente vendida não havendo lugar a qualquer tipo de armazenamento de produtos fabricados • A produção tem início em 2014 e é constante ao longo dos anos • Ignore a existência de qualquer tipo de Impostos Página 4 de 15 .Avaliação de Projectos 2010/2011 2.000.3 Outras informações • Capital Social: 6.

Página 5 de 15 . A construção de mapas Pediu-se: • Mapa de investimentos em Capital Fixo e em Fundo de Maneio • Mapa de financiamento do investimento • Demonstração dos Resultados • Mapa de fluxos de caixa incluindo o pagamento do empréstimo Para a elaboração do Mapa de Investimentos em Capital Fixo e em Fundo de Maneio é necessário elaborar um mapa de exploração previsional.Avaliação de Projectos 2010/2011 3.

000 0 0 0 4.480.600.280.240.000 Soma Resultado antes de Depreciações e Gastos de Financiamento 0 0 0 2.000 870.000 930.000 7.000 960.000 Fornecimentos e serviços 250.000 Página 6 de 15 .000.000 550.680.000 1.240.000 6.680.000 4.000 500.000.000 6.000.000 GASTOS Matéria prima 1.000 1.200.480.000 7.480.960.000 810.000 2.000 780.200.240.000 Matérias auxiliares 750.040.720.000 2.120.720.000 6.360.160.000 6.000 1.480.000 6.000 6.000 2.360.440.000 7.000 6.200.000 600.000 1.000.840.720.840.000 900.000 1.000 6.Avaliação de Projectos 2010/2011 QUADRO 1 EXPLORAÇÃO PREVISIONAL E RESULTADOS CONTAS PREVISIONAIS DE EXPLORAÇÃO 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 RENDIMENTOS Vendas Soma 0 0 0 6.000 4.000 4.000 1.000 7.000 6.440.000 300.000 2.000.000 1.600.720.000 450.000 4.120.000 2.000 2.000 400.000 4.000 350.000 840.000 4.000 7.960.240.000 4.000 2.120.080.000 7.240.

Utilizando os valores do investimento em Capital Fixo dados como pressupostos ao projecto é possível construir o Mapa de Investimentos: Página 7 de 15 .Avaliação de Projectos 2010/2011 A partir da conta de exploração é possível determinar os valores de créditos concedidos a clientes e os valores de créditos obtidos de fornecedores. e por diferença determinar as necessidades em fundo de maneio anuais. sendo que o investimento em Fundo de Maneio corresponde ao acréscimo verificado anualmente.

000.420.300.000 1.000 -20.000 -140.300.000 -20.000 1.300.000 -20.000 0 0 0 0 -20.000 Página 8 de 15 .000 Equipamento administrativo Encargos iniciais Total 100.000 -60.000 -120.100.280.200.120.240.000 1.000 -20.000 1.240.000 INVESTIMENTOS EM FUNDO DE MANEIO Total Variação Necessidades em Fundo de Maneio INVESTIMENTO TOTAL 0 0 0 0 -20.000 300.300.000 1.000 300.000.FIXO Edifícios 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 5.000 1.000 1.000 1.000 0 0 0 0 0 0 0 Crédito concedido 1.000 1.080.000.000 -20.000 5.000 -40.040.000 1.000 1.000 Instalações 4.000 1.000 300.000 -20.000 300.000 -20.000 300.180.000 -20.000 -20.000 -20.000 Crédito obtido 1.000.000 10.000.000 1.120.000 1.000.300.Avaliação de Projectos 2010/2011 QUADRO 2 MAPA DE INVESTIMENTO INVESTIMENTOS EM CAP.000 -100.100.000 -20.000 10.000 5.000 -80.000 1.160.360.000 1.000 Equipamentos básicos 6.000 -20.000 -20.000 Equipamentos de transporte 1.060.

300.000 6. e como o valor dos Capitais Próprios foi estabelecido previamente serão os Capitais Alheios a financiar a parte deficitária do investimento.300.000 10.000 × 1.08 = 11.000.000 300.082 + V2013 × 1.000 9.000 × 1.000 300.000 300.Avaliação de Projectos 2010/2011 Conhecido o valor do investimento e da exploração previsional do projecto é possível determinar o montante do Capital Alheio (empréstimo) necessário ao financiamento do projecto.000 Origens de fundos Capital social 6.000 Financiamentos Auto financiamento Disponibilidades e aplicações iniciais Soma 0 700.000 0 6.521.08 = 9.000 10.000 Investimento em Fundo de Maneio Reembolso de financiamentos Disponibilidades e aplicações finais Soma 700.000.082 + 300.300.440 e determinar o valor das prestações considerando o pagamento do empréstimo até ao final do projecto em 2020 de onde resultam 7 prestações constantes de capital e juro de: Página 9 de 15 . QUADRO 3 MAPA DE FINANCIAMENTO 2011 2012 2013 PLANO FINANCEIRO Aplicações de fundos Investimento capital fixo 5. De referir a obrigatoriedade de o Mapa de Financiamento estar equilibrado.000 10.300.000.600.000 300.600.000 Conhecido o valor dos Capitais Alheios é possível proceder à capitalização do mesmo de 2012 para 2014: V2014 = V2012 × 1.

212.204. 08 11.08 ) 11. 01 = 10. reembolso de capital e valor final da dívida.Avaliação de Projectos 2010/2011 −7 1 − (1 + 0.440 × 0.230.715. juros pagos e juros capitalizados.08 = C × = C × 5.204. sendo estes calculados do modo tradicional de aplicação da taxa de juros anual ao valor em dívida no inicio do período.212.416.835. 20637 ⇔ 0.671.521. 40 Reembolso de capital = 2.230.18 Página 10 de 15 . 99 − 1.08 = 818.212. 20 Reembolso de capital = 2.291.533. 99 × 0.950.394. 08 = 921.99 • em 2015 Juros = 10.416.440 C= = 2. Por exemplo: • em 2014 Juros = 11.81 Dívida no final de 2015 = 10.65 5.440 − 1.291.440 = C × a7 0. De referir o modo de cálculo do reembolso anual do capital como a diferença entre o valor da prestação e os juros do período.81 = 8.533.521.950.394.521. 20637 Para maior facilidade apresenta-se um Mapa com o Serviço da Dívida referente ao projecto.235.950. 20 = 1. com indicação anual do valor inicial da dívida. 21 − 921. 01 Dívida no final de 2014 = 11.715.521.230. 21 − 818. 40 = 1.204.235.

028 163.Divida inicial 2011 2012 2013 2014 0 9.000 5.440 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 11.192.951 300.300.951 2.230.400.000 0 768.670 7.720.000 11.028 0 É agora possível Elaborar o Mapa de Fluxos de Caixa considerando o valor residual do Capital Fixo em 2021: QUADRO 5 MAPA DE FLUXOS DE CAIXA (incluindo valor residual) ESTIMATIVAS DE RENDIBILIDADE Fluxos de caixa de investimento (-) 2011 2012 5.394.000.521.506.329.600.049 2.360.951 2.951 2.212.368.000 300.573 5.000.277 315.000 4.192.668.000 -20.120.756.600.212.192.100.000 10.212.000 3.240.049.240.000 853.192.167.000 Página 11 de 15 0 0 0 .000 4.287.600.951 2.212.291.000 4.000 4.835.205 8.Avaliação de Projectos 2010/2011 QUADRO 4 SERVIÇO DA DÍVIDA SERVIÇO da DÍVIDA Serviço previsto .049 10.480.000 10.000 0 687.212.000 -20.951 2.922 1.534 1.028 10.720.000 Fluxos de caixa de autofinanciamento (+) Fluxos de caixa do financiamento (+) 9.120.407.000 4.951 2.300.702.277 2.897.230.440 921.600.000 300.600.585 1.000 -700.951 2.000 -20.000 4.000 0 9.521.239 3.049 2.000 4.835.715 10.626.fixo (+) Fluxo de entrada de caixa Fluxo de saída de caixa Fluxo de caixa total 5.000 -20.000 4.000 Fluxos de caixa de prestação do empréstimo (-) Valor residual de cap.192.951 2.840.480.927.573 586.000 -20.000 4.260.670 706.702.300.988 3.946.000 4.854 7.300.000 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 1.946.000 4.712 1.440 Juro anual pago Juro anual capitalizado Reembolso de capital Divida final 0 10.329.240.702 2.047.312.049 2.000 2.049.951 -20.951 2.000 4.000 -20.988 456.951 2.527.212.192.951 2.000 10.049 2.000 4.000 4.300.049.000 10.360.000 4.000 -20.000 -5.248 2.212.366 5.049 1.000 2013 2014 300.097 1.205 818.049 2.416 8.951 2.235 1.

000.000) O Valor Actualizado Líquido do projecto resulta da soma actualizada dos Fluxos de Caixa anuais: 11 VAL = ∑ p=0 Fluxo de Caixa p (1 + i ) p Já a Taxa Interna de Rendibilidade equivale à taxa de actualização que iguala a 0 (zero) o VAL.0875 ( 6.000 × 0.000.08 ≈ 0. sendo determinada por métodos de “tentativa e erro”: 11 VAL = ∑ p =0 Fluxo de Caixa p (1 + TIR ) p =0 Página 12 de 15 .000 + 300. Indicadores para Avaliação do Projecto Pediu-se cálculo de: • • • Taxa de actualização a utilizar Valor Actualizado Líquido do Projecto o Sem valor residual o Com valor residual idêntico ao saldo contabilístico do imobilizado Taxa Interna de Rendibilidade o Sem valor residual o Com valor residual idêntico ao saldo contabilístico do imobilizado A taxa de actualização resulta da média ponderada dos Capitais (Próprios e Alheios) financiadores do projecto: i= 6.600.000 + 300.Avaliação de Projectos 2010/2011 4.1 + ( 9.000 + 9.600.000 ) × 0.

192.720.528 1.5557 0.951 2.212.000 -20.951 2.000 0.300.000 4.000 -5.000 -20.600.049 1.400.6044 0.300.600.377.951 -20.Avaliação de Projectos 2010/2011 QUADRO 6 MAPA DE FLUXOS DE CAIXA (incluindo valor residual) ESTIMATIVAS DE RENDIBILIDADE Fluxos de caixa de investimento (-) 2011 2012 5.049 2.4320 4.951 2.600.000 4.100.000 300.000.480.980 1.126 10.167.951 300.229.000 4.75% Taxa interna de rendibilidade (TIR) 0 9.000.513 1.000 10.240.432.192.000 4.480.8455 0 0.049 2.000 4.0000 -5.300.927.000 -20.345.049 2.000 4.120.000 -20.000 0.986 1.650 0.951 2.000 4.fixo (+) 5.192.000 4.744.000 2.6573 0.000 4.120.212.5110 0.287.309.000 -700.049 2.951 2.212.240.243 1.000 2013 2014 300.527.212.267 20.725 1.047.212.049 2.4699 1.000 4.000 10.300.212.356 1.7774 534.951 2.720.000 -20.000 Fluxos de caixa de prestação do empréstimo (-) Valor residual de cap.951 2.000 4.270.000 5.000 Fluxo de entrada de caixa Fluxo de saída de caixa Fluxo de caixa total Factor de actualização Fluxo de caixa actualizado a 8.951 2.187.300.680 6.360.75% Valor actualizado liquido (VAL) a 8.192.951 2.000 Fluxos de caixa de autofinanciamento (+) Fluxos de caixa do financiamento (+) 9.192.951 2.260.300.600.000 300.000 4.192.000 -20.000 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 1.951 2.000 -20.000 4.951 2.000 4.240.407.000 4.212.312.000 0.75% Índice de Rendibilidade (IR) a 8.98% Página 13 de 15 .000 0 687.360.7148 0.000 3.9195 -643.049 10.840.

000 0 0 0 4.725 1.000 -20.690 4.000 -700.951 2.000 9.951 2.951 2.000 -20.300.951 2.000 4.192.229.000 4.980 1.000 -20.000 0.840.000 4.480.000 10.951 2.Avaliação de Projectos 2010/2011 QUADRO 7 MAPA DE FLUXOS DE CAIXA (excluindo valor residual) ESTIMATIVAS DE RENDIBILIDADE Fluxos de caixa de investimento (-) 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 5.951 2.000 0.4699 0.527.720.4320 1.287.000 1.120.300.192.360.951 -20.5110 0.000 4.126 4.192.951 2.300.000 4.000 4.000.212.377.000 5.951 2.7148 0.000 4.000 4.049 2.049 2.270.049 1.000 2.240.8455 0.951 2.000 300.720.513 1.212.345.951 2.212.407.600.650 0.300.23% Página 14 de 15 .300.000 1.187.360.5557 0.212.212.000 4.528 1.000 10.840.000.000 4.860.049 4.75% Índice de Rendibilidade (IR) a 8.000 -5.480.951 2.099.951 Fluxos de caixa de auto financiamento (+) Fluxos de caixa do financiamento (+) Fluxos de caixa de juros empréstimo (-) Valor residual de capital fixo (+) Fluxo de entrada de caixa Fluxo de saída de caixa Fluxo de caixa total Factor de actualização Fluxo de caixa actualizado a 8.240.000 300.000 300.600.312.927.6573 0.100.192.300.000 4.000 -20.174 18.000 -20.309.000 4.9195 -643.212.212.049 2.000 -20.000 -20.7774 0 534.6044 0.000 4.356 2.049 2.192.951 2.000 3.411.75% Taxa interna de rendibilidade (TIR) 0 9.000 300.986 1.600.047.000 0 687.600.254 1.192.167.75% Valor actualizado liquido (VAL) a 8.049 2.120.0000 -5.000 4.

restando analisar a viabilidade económica do projecto para saber se o mesmo se encontra acima do valor económico mínimo. tem-se um mercado capaz de absorver a totalidade da produção e uma capacidade técnica capaz de satisfazer a procura. indiciam claramente um conhecimento sobre a dimensão global do mercado. na medida em que a dimensão está condicionada pela capacidade do mercado em absorver a produção e a capacidade técnica da produção poder vir a influenciar a rendibilidade do investimento. Estudos de dimensão O estudo de capacidade ou dimensão está directamente relacionado com o estudo de mercado e com os estudos técnicos. Atendendo às informações disponíveis quais os estudos de dimensão realizados para a elaboração do projecto de investimento? Os pressupostos do projecto indicados. nomeadamente a informação sobre a igualdade entre a produção e as encomendas. indica também estar o projecto estudado abaixo do valor global do mercado. A viabilidade de projecto é positiva.Avaliação de Projectos 2010/2011 5. FIM Página 15 de 15 . mas muito provavelmente por haver garantias de escoamento total da produção. não parecendo os promotores do projecto interessados em apostar numa dimensão superior. Assim. Acrescentando ainda o facto de não se prever qualquer tipo de armazenamento de produtos fabricados.