Você está na página 1de 3

Utilização do pseudocaule e das folhas de bananeiras na

alimentação de ruminantes - Casa do Produtor Rural | Piracicaba


www.esalq.usp.br

Utilização do pseudocaule e das folhas de bananeiras na alimentação de ruminantes

14/06/2017

Dúvida do leitor Wanderlei Furtado, de São Bento do Sul, SC: Na bananeira, após a produção,
o cacho é cortado e fica apodrecendo no bananal. Gostaria de saber se há alguma pesquisa
que utilize o tronco da bananeira como alimento para o gado de corte.

No Brasil, para cada tonelada (t) de banana produzida são gerados aproximadamente 3 t de
pseudocaule e 480 Kg de folhas. Os pseudocaules são bainhas sobrepostas
concentricamente, suportando toda a parte aérea da planta, podendo atingir de 1,2 a 8,7 m
de altura e pesar até 100 Kg, dependendo da cultivar.

No processo produtivo da cultura da bananeira, são necessários alguns tratos culturais


como o desbaste, que consiste na seleção e remoção dos perfilhos e corte do pseudocaule
após a colheita do cacho. Essas operações geram grande quantidade de material vegetal
com potencial de uso na alimentação animal. As folhas e pseudocaules de bananeiras
possuem características nutricionais que permitem o uso alternativo na alimentação de
ruminantes.

 
                                                        Corte de pseudocaule de bananeira.

                                             Foto: Casa do Produtor Rural- ESALQ/USP

A silagem das folhas e do pseudocaule apresenta teores de nutrientes equivalentes a


silagem do milho, sendo possível o emprego desses resíduos sob a forma ensilada, em
substituição à silagem de milho na alimentação animal (Tabela 1). 

Tabela 1. Composição bromatológica de diferentes ingredientes na produção de feno. 

Ingredientes MS NDT PB Ca P FDN  


Feno cynodon 92,12 54,63 10,67 0,21 0,47 72,22
Feno da folha 92,52 56,37 10,05 0,20 0,08 68,72  
Feno de pseudocaule 90,16 43,76 3,43 0,20 0,05 77,66
Milho Grão 90,72 91,10 9,15 0,02 0,20 9,00  

 
 

Onde NDT = nutrientes digestíveis totais, PB = proteína bruta, MS = matéria seca, Ca =


cálcio, P = fósforo, FDN = fibra detergente neutro. Fonte: Adaptado de França, X. A. A.

O pseudocaule da bananeira pode ser fornecido na forma de feno ou silagem aos


ruminantes, sem afetar a produtividade do animal, desde que fornecida em conjunto uma
pequena quantidade de proteína suplementar, devido ao baixo teor de proteína presente no
pseudocaule. Nessa suplementação, é possível incluir a própria folha da bananeira, que
possui alto teor de proteína, na produção do volumoso na proporção de no mínimo 50% de
folha. Outra opção é a inclusão de 50% de feno da folha ou do pseudocaule da bananeira
junto ao feno ou silagem de gramíneas, utilizadas na dieta do animal.

Para produzir feno a partir do pseudocaule ou da folha da bananeira, o material vegetal


coletado deve ser fracionado e picado para diminuir o tamanho das partículas e secado ao
sol para remover o excesso de umidade. O material triturado deve ser desidratado até
umidade de 10 a 12%. O feno deve ser armazenado separadamente em sacos de ráfia,
fardos ou a granel, e estocados em ambiente seco e protegido da luz solar direta ou de
chuvas até a sua utilização.

Luana Machado Simão, graduanda em Engenharia Agronômica pela Escola Superior de


Agricultura “Luiz de Queiroz” – ESALQ/USP; Estagiária da Casa do Produtor Rural. Revisão:
Marcelo Brossi Santoro, Engenheiro Agrônomo e Marcela Matavelli, Comunicação da Casa
do Produtor Rural.

Qual é a sua dúvida? Fale com a Casa do Produtor Rural em cprural@usp.br