Você está na página 1de 31

DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA

PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO DO
ADOLESCENTE

Desenvolvimento Cognitivo do Adolescente

FRANCIANE FONSECA TEIXEIRA SILVA


DESENVOLVIMENTO COGNITIVO

 O que é Cognição?
 Atividade do saber, processos mentais que os indivíduos
adquirem e usam o conhecimento para solucionar
problemas;
 Ajuda a entender e nos adaptar ao ambiente. Inclui
atividades tais como a atenção a percepção, a
aprendizagem, o pensamento e a memória;

 O que é desenvolvimento cognitivo?


Mudanças que ocorrem nas habilidades mentais das
crianças no curso de suas vidas.
OS ESTÁGIOS DO DESENVOLVIMENTO COGNITIVO
DE PIAGET

 I – Estágio sensório-motor (0 a 2 anos);


Desenvolvimento da consciência do próprio corpo,
inteligência.

 II – Estágio pré-operacional (2 a 7 anos);


Desenvolvimento linguagem, intuição e do pensamento a
partir do pensamento verbal.
OS ESTÁGIOS DO DESENVOLVIMENTO COGNITIVO
DE PIAGET

 III – Estágio de operações concretas (7 a 11 anos);


Desenvolvimento do pensamento lógico.

 IV – Estágio de operações formais (11 ou 12 anos em


diante).
Desenvolvimento da capacidade para construir sistemas e
teorias abstratos; hipotético-dedutivo.
ESTÁGIO DAS OPERAÇÕES FORMAIS (dos 11 ou 12
anos em diante)

 Habilidade operacional formal de pensar hipoteticamente;

 Raciocínio lógico sobre processos hipotético-dedutivo;

 Pensamento científico e crítico.


DESENVOLVIMENTO COGNITIVO

 Estágio Operatório Formal de Piaget (aos 11 anos


de idade)
 Nível mais alto de desenvolvimento cognitivo, com
capacidade de pensar em termos abstratos;

 Maneira mais flexível de manipular a informação;

 Compreendem o tempo histórico e o espaço extraterrestre;

 Podem usar símbolos para representar outros símbolos;


DESENVOLVIMENTO COGNITIVO

 Estágio Operatório Formal de Piaget (aos 11 anos


de idade)

 Podem compreender melhor as metáforas literárias;

 Estão aptos a pensar o que poderia ser, não só do que é;

 Capazes de imaginar possibilidades, saber formular e testar


hipóteses.
RACIOCÍNIO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO

 Experimento clássico do pêndulo, comparações entre os 6,


10 e 15 anos de idade e a capacidade de discernir quanto ao:
1) comprimento do cordão; 2) peso; 3) altura;

 6 anos- Estágio pré-operatório incapaz de formular um


plano para resolver o problema, tenta soluções na base da
tentativa e do erro;
RACIOCÍNIO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO

 10 anos - Estágio operatório-concreto percebe a variação


do comprimento, peso e velocidade do objeto é afetado,
varia, mas não consegue distinguir qual faz a diferença;

 15anos - Estágio operatório formal  percebe todos os


fatores de interferência e varia estes.
RACIOCÍNIO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO

 Por que acontecem essas mudanças no raciocínio-


formal?

 Uma combinação de maturação cerebral e expansão de


oportunidades ambientais, estímulos apropriados.

 Escolarização e cultura influenciam o desenvolvimento das


potencialidades;

Raciocínio Formal – capacidade aprendida onde o seu valor


e importância varia de cultura para cultura;
RACIOCÍNIO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO

 Influências sociais e culturais;

 Reflete o amadurecimento dos lobos frontais do cérebro,


ajudando a explicar os avanços cognitivos;

 Varia de adolescente para adolescente.


MUDANÇA NO PROCESSO DA INFORMAÇÃO

Mudança Mensurável na Cognição do Adolescente

Mudança Estrutural e Mudança Funcional

 Mudança Estrutural: 1) Mudança na capacidade da


memória de trabalho permitindo lidar com problemas
complexos e decisões de múltiplas informações;

 2) Crescente quantidade de conhecimento guardado na


memória de longo prazo (declarativa, procedural e
conceitual).
MUDANÇA NO PROCESSO DA INFORMAÇÃO

 Conhecimento Declarativo  “saber que..”


conhecimento factual, adquirido. Ex: 2+2=4;

 Conhecimento Procedural  “saber como..”


habilidades adquiridas. Ex: dirigir carro, multiplicar,
somar, dividir;

 Conhecimento Conceitual  “saber por que..” é um


entendimento interpretativo. Ex: Entender numa equação
que o resultado será o mesmo se a mesma quantidade for
adicionada ou subtraída dos dois lados.
MUDANÇA NO PROCESSO DA INFORMAÇÃO

Mudança Funcional
 Processo para obter, manipular e reter a informação. Ex:
aprender, lembrar, raciocinar, sendo melhorados na
adolescência.
Mudanças Funcionais Importantes
1) Aumento contínuo na velocidade do pensamento;

2) Desenvolvimento adicional da função executiva. Ex:


Atenção seletiva, tomada de decisão, controle inibitório de
respostas impulsivas e gerenciamento da memória de
trabalho.
DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM

 O vocabulário cresce a medida que a leitura torna-se mais


complexa;

 Definem e discutem abstrações como o amor, justiça,


liberdade;

 Usam com frequência os termos entretanto, caso contrário,


portanto, para expressar relacionamentos lógicos;
DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM

 Assumem uma perspectiva social, se adaptando ao discurso


do outro;

 Varia com o gênero, etnia, região, vizinhança, escola,


grupo;

 Capacidade de criar expressões, gírias, neologismos e


brincar com as palavras.
RACIOCÍNIO MORAL: TEORIA DE KOHLBERG

 O dilema de Heinz;

 Nível I: Moralidade pré-convencional (4 a 10 anos):


o controle externo e as regras são obedecidas para se obter
recompensas, evitar punição, ou por interesse pessoal;

 Nível II: Moralidade convencional ou moralidade


com o papel convencional (10 a 13 anos): os padrões
das figuras de autoridade são internalizados;
RACIOCÍNIO MORAL: TEORIA DE KOHLBERG

 Nível III: Moralidade pós-convencional ou


moralidade dos princípios morais autônomos
(início da adolescência ou vida adulta ou nunca):
as pessoas seguem princípios morais internalizados e
podem decidir entre padrões morais conflitantes.
 Julgamentos morais correlacionam-se com idade,
escolaridade, QI, e nível socioeconômico;

 Pesquisas recentes apontam um maior raciocínio moral


com a presença dos pais, do grupo e da cultura;

 Mulheres cuidado, homens justiça.


RACIOCÍNIO MORAL: TEORIA DE KOHLBERG

 Questões educacionais e vocacionais

Escola
Local de experiência central na vida do adolescente;

Oportunidade para novas informações, aperfeiçoamento


de habilidades, atividades esportivas, artísticas, amigos
dentre outros;
RACIOCÍNIO MORAL: TEORIA DE KOHLBERG

Alguns adolescentes não consideram a escola como uma


oportunidade, mas como um obstáculo para a vida;

Estilos parentais, nível socioeconômico, e a qualidade do


ambiente familiar influenciam o desempenho escolar;

Gênero, etnia, influência dos amigos, qualidade de ensino


e autoconfiança também.
FATORES QUE INFLUENCIAM O DESEMPENHO
ESCOLAR

Motivação e auto eficácia do estudante:

• motivação intrínseca, desejo de aprender pelo valor da


aprendizagem;

 Cognições orientadas para o futuro: esperanças e sonhos


sobre futuros empregos;

 Auto eficácia: aprendem a fazer as coisas e regular a sua


própria aprendizagem, são propensos a ter sucesso na
escola;
FATORES QUE INFLUENCIAM O DESEMPENHO
ESCOLAR

Gênero
 Meninas leem mais que os meninos, se saem melhor em
tarefas que envolvem linguagem e escrita;

 Meninos em atividades que envolvem funções visuais,


espaciais úteis em matemática e ciências.

Influência da família: nível educacional dos menos


favorecidos;
FATORES QUE INFLUENCIAM O DESEMPENHO
ESCOLAR

Influência da escola: diferenças sutis como os


professores tratam meninos e meninas nas aulas de
matemática;

Influência da vizinhança: meninos se beneficiam mais


de vizinhança favorecida e afetados por desfavorecidas;
 Papéis de homens e mulheres favorecem as escolhas de
cursos e ocupações de meninos e meninas;

Influências culturais: varia entre as nações.


FATORES QUE INFLUENCIAM O DESEMPENHO
ESCOLAR

Influência da escola: diferenças sutis como os


professores tratam meninos e meninas nas aulas de
matemática;

Influência da vizinhança: meninos se beneficiam mais


de vizinhança favorecida e afetados por desfavorecidas;
 Papéis de homens e mulheres favorecem as escolhas de
cursos e ocupações de meninos e meninas;

Influências culturais: varia entre as nações.


FATORES QUE INFLUENCIAM O DESEMPENHO
ESCOLAR

Estilos de parentalidade, etnia e influência dos


pares

 Pais democráticos: estimulam os filhos a


experimentarem os dois lados de uma questão, admitem
participação em decisões da família;

 Pais autoritários: dizem aos adolescentes para não


discutir ou questionar os adultos, exigem sempre notas
melhores. “Entenderão melhor quando crescerem.”
FATORES QUE INFLUENCIAM O DESEMPENHO
ESCOLAR

 Pais permissivos: indiferentes as notas, não controlam o


acesso a TV, não comparecem em reuniões da escola, não
ajudam nem verificam as tarefas de casa.
FATORES QUE INFLUENCIAM O DESEMPENHO
ESCOLAR

Escola: A qualidade da educação, a expansão da


tecnologia.

ABANDONO DA ESCOLA

 Estudantes de baixa renda são mais propensos a


abandonar a escola;

 Estudantes de grupos minoritários por ter um ensino


ineficiente;
FATORES QUE INFLUENCIAM O DESEMPENHO
ESCOLAR

 Baixas expectativas dos professores ou tratamento


diferencial desses estudantes, menos apoio dos professores
do ensino fundamental;

 Percepção de irrelevância do currículo para grupos


culturalmente pouco representados.
PREPARAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO SUPERIOR OU
VOCAÇÕES

Influência sobre as aspirações dos estudantes:


Valores dos pais com relação ao desempenho escolar, as
crenças na auto eficácia e o modo como se preparam para a
carreira;

Orientação para os estudantes que não vão para a


faculdade: Orientação, aconselhamento vocacional,
programas de treinamento profissional para cursos;

Adolescentes no mercado de trabalho: Emprego nos


setores de prestação de serviços e comércio, emprego meio
turno, emprego pago e atividades extracurriculares.
REFERÊNCIAS

ABERASTURY, A.; KNOBEL, M. Adolescência


normal. Porto Alegre: Artes Médicas. 2007.
GROSSMAN, E. A construção do conceito de
adolescência no Ocidente. Revista Adolescência
e Saúde: 7(3), 2010.

PAPALIA, D.; OLDS, S.; FELDEMAN, R. D.


Desenvolvimento humano. Porto Alegre:
Artmed, 2013.
 OBRIGADA!
francianeftsilva@hotmail.com