Você está na página 1de 19

Boletim informativo da Ordem Esotérica da Aurora Dourada – OEAD

Março de 2019

Frater Kosmos - Imperator

A Newsletter Cruz & Triângulo é uma publicação para membros e não membros da OEAD - Ordem Esotérica da
Aurora Dourada. Distribuição Gratuita. Pode ser distribuída online, desde que não se altere o conteúdo. Ela
procura trazer conhecimentos sobre tudo que se refira à Golden Dawn, e seus artigos são provenientes de
diversas fontes, autores e grupos GD. Muitos dos artigos são inéditos e ainda não publicados em língua
Portuguesa. Não representam, necessariamente, a opinião oficial de nossa Ordem. Opiniões podem variar!

Dúvidas, perguntas, sugestões, enviar artigos para publicação? Contate-nos pelo site www.auroradourada.com

1 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
Conteúdo
Editorial 2
As Origens dos Mistérios de Eleusis 3
Desenho de Perséfone para colorir 6
A Cruz & Triângulo 8
Uma Iniciação na Golden Dawn 9
Armadilhas na Senda da Magia 13
A Terceira Ordem da Golden Dawn 16

Editorial
Em todo o mundo moderno, os membros das diversas Ordens Golden Dawn são os
guardiões dos antigos Mistérios da Luz. Originalmente fundada em 1888 por S.L. MacGregor
Mathers, a moderna Aurora Dourada continua a despertar a magia antiga dentro dos milhares de
membros que estudam e praticam seus ensinamentos e rituais.

A Ordem existe principalmente como uma escola exterior de Artes Herméticas e,


conforme um iniciado ou iniciada avança através dos graus, os mistérios da Cabala, Tarot,
Astrologia e Alquimia são gradualmente revelados. Além disso, os aspirantes aprendem os
fundamentos da prática mágica, e tudo isso concorre para levar a pessoa ao nível de Adepto.

Esta newsletter oferece artigos e insights em muitos dos assuntos abordados pela
Ordem, os quais podem ser de interesse para os estudantes do sistema Golden Dawn.

Porém, os textos aqui não são conteúdo sub rosa, ou seja, a newsletter é pública e pode
ser lida por membros e não membros.

2 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
As Origens dos Mistérios de Eleusis

por Frater S.R.


“Konx Om Pax,” (Luz avançando em um raio único) era a frase pronunciada nos
Mistérios de Eleusis. Mas o que eram estes Mistérios, e qual o significado deste raio de Luz? A
resposta jaz oculta pelo mito, pelos milênios, e por um véu de segredo, que era um elemento
integral das religiões de Mistérios.

Os Mistérios Eleusinos eram os Mistérios de Demeter e Perséfone, celebrados em Eleusis,


localizada ao oeste de Atenas (Grécia). Eram considerados como os mais importantes da
Antiguidade.

Esta, que era a maior das religiões de Mistérios, atraía muitos homens e mulheres e até
mesmo crianças. O salão de iniciação acomodava cerca de cinco mil pessoas de uma só vez, e
estava quase certamente lotado numa base regular, a despeito do alto custo para associar-se nesta
religião (algo equivalente a vários salários mínimos hoje!).

Todas as religiões de Mistérios prometiam algo maior na vida após a vida, numa época
da história quando a maioria das pessoas acreditava que, ou não existia uma vida após esta vida,
ou que tal vida futura consistia de apenas duas possibilidades: tormento eterno no Tártaro ou, de
preferência, uma tediosa e nebulosa existência nos Campos Elísios.

Os Mistérios de Demeter davam esperança, e a crença de que havia algo maior além dos
portais da morte.

Demeter era a irmã de Zeus. Ela era uma deusa pacífica de plantio e colheita, e era
reverenciada por fazendeiros. Ela frequentemente presenteava os mortais com milho e trigo.
Demeter permanecia próxima à Terra, mas evitando o materialismo e a guerra. O povo via em
Demeter a mãe-terra e a deusa da agricultura, mas os iniciados a conheciam como a Luz celestial,
genitora das almas, a Inteligência Divina, mãe dos deuses.

3 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
Ela e Zeus tinham uma filha chamada Perséfone, a quem ela amava. Perséfone, porém,
estava destinada a cair vítima das maquinações de outros deuses.

Afrodite estava perturbada pelo fato de Hades, deus do Submundo, não ter esposa ou
amante e, assim, ela pediu a seu filho, Eros, para atingir Hades com uma flecha dourada.

Ferido pela flecha, Hades deixou o Submundo e a primeira pessoa que viu foi Perséfone,
que estava colhendo flores com suas amigas. Sob a compulsão da flecha de Eros, Hades avançou
com sua carroça e raptou Perséfone no campo de flores.

Hades então golpeou a terra, que abriu por debaixo dele e, em meio aos gritos de
Perséfone e o estrondo da terra, eles desapareceram
no Submundo.

Demeter ficou arrasada pela desaparição de


sua filha, e não sabendo onde procurar por ela,
começou a vagar pela Terra. A certa altura de suas
viagens, ela parou na cidade de Eleusis. Uma garota
viu Demeter sentada numa pedra, parecendo triste.
Ela correu para contar o fato a seu pai, que se
aproximou da deusa e a convidou para sua casa.
Inicialmente Demeter recusou a oferta de
hospitalidade, dizendo a ele para ficar em paz e
aproveitar da presença de sua filha, pois ela mesma
tinha perdido a sua. Ele finalmente a convenceu a
entrar em sua casa e descansar. Lá dentro, Demeter
aprendeu que o filho do homem, Triptolemus,
estava doente e febril. Demeter curou a saúde do
garoto com um beijo.

Quando a noite caiu, Demeter retornou ao rapaz e,


pronunciando um encantamento sobre ele, três
vezes, deitou-o na lareira em chamas. A mãe dele,
não sabendo que Demeter era uma deusa, saltou e pegou Triptolemus do fogo. Neste ponto, a
deusa deixou que sua radiância brilhasse, revelando sua verdadeira natureza. Ela disse à mulher
que, caso ela não tivesse interferido, seu filho teria se tornado imortal, mas ele ainda se tornaria
um grande homem, ensinando às pessoas os funcionamentos secretos da terra. Então Demeter
envolveu-se em uma nuvem e, montando em sua carruagem, desapareceu de Eleusis.

As viagens de Demeter levaram-na à Sicília e aos bancos do rio Ciane. A ninfa do rio tinha
testemunhado o rapto de Perséfone mas não podia dizer à Demeter pois temia a fúria de Hades.
Em vez disso, ela pegou o cinturão que Perséfone havia deixado cair quando correra do deus do
Submundo, e fez com que ele flutuasse até os pés da deusa da agricultura. Pensando que a terra
tivesse alguma culpa, Demeter retirou sua bênção da terra, causando fome, seca, praga e dilúvios.
Finalmente, Aretusa, outra ninfa que tinha sido transformada em uma fonte para escapar das
afeições de um deus do rio, disse a Demeter que a terra era inocente e que tinha sido aberta sem
querer para Hades, que tinha raptado Perséfone. Ela também contou a Demeter que tinha visto
sua filha no Submundo, parecendo muito triste, mas que também ela tinha se tornado a rainha dos
mortos.

4 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
Demeter foi diretamente ao Olimpo e exigiu de Zeus que ele forçasse Hades a libertar Perséfone.
Zeus consultou os Destinos, contra quem mesmo Zeus não tinha poder, e disse a Demeter que ela
só poderia ter Perséfone de volta caso a mesma não tivesse comido coisa alguma no Submundo.
Hermes foi enviado ao Hades para exigir sua libertação, mas Perséfone tinha sorvido a doce polpa
de umas sementes de uma romã que Hades lhe tinha dado e não pode ser libertada.

Eventualmente, um acordo foi elaborado, no qual Perséfone passaria metade de seu tempo no
Hades do Submundo, e que a outra metade na luz, com sua mãe, Demeter.

Demeter restaurou sua bênção à terra, e voltou à Eleusis. Ali ela instruiu Triptolemus, o garoto
que ela tinha deitado no fogo, nas artes da agricultura e nos segredos da terra, que agora passaria
a viver ciclos de morte e renascimento, como Perséfone retirada para a terra dos mortos e então,
reunida à sua mãe na terra dos vivos.

Triptolemus cresceu e tornou-se um homem, construiu um templo para Demeter em Eleusis e


estabeleceu os Mistérios Eleusinos, que permaneceu sendo a mais popular das religiões de
Mistérios por séculos, até que a versão Romana do Cristianismo, com sua violência, a suprimisse.

Muito pouco é conhecido dos ensinamentos originais dos Mistérios de Eleusis, pois os juramentos
de segredo eram bem mantidos. Qualquer pessoa suspeita de revelar os Mistérios era julgada por
impiedade. Sabe-se, no entanto, que os iniciados eram ensinados que a morte é para ser abraçada,
não para ser temida. O papel de Demeter como deusa da agricultura, e sua conexão com o
Submundo deram sinais visíveis ao iniciado, de que a morte é seguida por um renascimento.

Toda primavera, quando Perséfone deixa para trás o reino da morte e se levanta em direção à terra
dos vivos, ela deve sentir grande alegria ao ver aquele primeiro raio de Luz, pois por muito tempo
tem ela habitado na escuridão. Talvez, então, ela pronuncie as palavras, “Konx Om Pax” ao
abandonar a noite e buscar o dia.

5 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
Desenho de Perséfone para colorir. Imprima a página e dê asas à criatividade!

6 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
A Cruz e o Triângulo
A capa do livro de Israel Regardie, a Golden Dawn, tem dado a impressão para muita gente de que o
símbolo da Golden Dawn é um Sol com um Hexagrama (junção dos dois triângulos do Fogo e
Água). Porém, o verdadeiro símbolo da Ordem é uma cruz vermelha acima do triângulo branco.

Estes símbolos representam as forças e manifestações da divina luz, concentrada no triângulo branco
das Supernais como a síntese. A cruz vermelha de Tipheret é posicionada cima do triângulo branco,
não para dominar este último, mas para fazer com que ele desça e se manifeste na Ordem Externa,
como se o Christos, o morto e ressuscitado, tendo erguido o símbolo do auto-sacrifício, tocasse e
trouxesse em ação na matéria física, a tríade divina de luz. A cruz e o triângulo representam vida e
luz. Juntos, a cruz e triângulo agem como receptáculos da luz divina que é atraída para o templo pelo
Hierofante durante a circunambulação mística – simbólica do levantar da luz. Estes símbolos
sublimes também desempenham um importante papel na Cerimônia do Neófito, especialmente
quando o novo candidato/a deve fazer o juramento. Eles permanecem como ponto focal para a
energia projetada durante todo o ritual. Quando quer que o Salão do Neófito seja montado para teu
trabalho mágico pessoal, tal como carregar um talismã, a cruz e triângulo deveriam estar sobre o
altar, atuando como um núcleo para a cerimônia e atraindo as forças divinas em manifestação.
Naturalmente, a pessoa pode fazer a cruz e o triângulo de cartolina, isopor ou papelão duro, mas
estes materiais podem ser substituídos mais tarde por uma cruz e triangulo de madeira, mais duráveis
e de maior apelo estético.

7 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
Uma Iniciação na Golden Dawn
Este artigo foi escrito pelo Dr. J.L. Oxford

Depois de me graduar na Universidade Northwestern com um diploma em medicina, eu


decidi que eu gostava de Chicago o bastante para entrar em uma prática privada em um
subúrbio distante do “El”. O fato de que havia uma estação que levava aos trens elevados
perto do meu escritório me ajudou muito nos negócios, e ele se tornou lucrativo. Muito
lucrativo.

Jamais pretendi ficar em Chicago (fui nascido e criado em Oklahoma e recebi uma bolsa
de estudo parcial para Norwestern), mas as “algemas douradas” dos lucros de um negócio
bem sucedido me mantiveram lá. Os negócios cresceram, e antes que eu soubesse, eu
havia me casado, estava viúvo, e de algum modo havia passado trinta anos ajudando
pessoas necessitadas.

Pelo fim do último século (ainda me parece estranho dizer isso) uma mudança surgiu. A
medicina deixou de ser uma prática que pessoas como eu entraram a fim de ajudar os
outros e se tornou apenas um negócio. As decisões que eram feitas não eram baseadas
nas necessidades do paciente, mas na proporção do custo-benefício para os negócios.
Adicionando isso ao aumento enorme dos custos do seguro e as toneladas da papelada
esquecida pelos doutores, pode-se ver porque perdi meu desejo e coração pela medicina.

Então, em 1993 eu vendi tudo a um HMO, fiz investimentos com a ajuda de meu contador,
então eu jamais precisaria trabalhar de novo, e busquei tranquilamente a vida de um
cavalheiro aposentado.

Pelo ano seguinte, viajei pelo mundo. Então reformei minha casa. Aprendi a jogar tênis e
golfe (nem todos os doutores jogam golfe às quartas-feiras). Comprei um enorme trailer de
viagem e visitei cada estado que pude. Você sabia que o famoso artista, Salvador Dali,
tem um museu na Flórida? Sabia que a cidade do Kansas, com o improvável nome de
“Liberal”, afirma ser o lar da Dorothy de O Mágico de Oz? Visitei lugares como esse por
todo o país. Quando voltei para casa, sabia que ainda havia algo faltando. Não sabia o que
era.

Durante os vários meses que se seguiram, frequentei bibliotecas. Primeiro, fui até uma
biblioteca local. Depois, fui à uma em Northwestern e finalmente visitei a principal
biblioteca de Chicago. Explorei livros de filosofia e física, psicologia e biologia, ecologia e
teologia, mesmerismo e misticismo.

Depois de passar meses explorando milhares de livros, lentamente comecei a perceber o


que exatamente eu procurava. Se eu pudesse colocar em uma palavra, seria “conexão”.
Após a morte da minha esposa, esqueci todas as nossas amizades e me dediquei apenas
ao meu trabalho. Depois de me aposentar, fiz tudo por conta própria. Eu tinha uma
conexão com a minha casa, mas isso é algo material que não duraria. Não tinha conexão
com nenhuma outra pessoa. E não tinha conexão com nada além da vida diária. Sentia-
me sozinho, perdido e abandonado. Perguntei-me se este era o mesmo sentimento que
Jesus teve quando ele chorou: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?”

8 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
Ao invés de não fazer nada além de nadar em um oceano de meu próprio sofrimento
(jamais fui desse tipo de pessoa), eu ataquei com vingança, determinado a sair dessa
situação. Como resultado de meus estudos, vi que haviam vários grupos, conhecidos
como lojas, templos ou Ordens, onde as pessoas trabalhavam juntas para obter
autoconhecimento e um melhor entendimento de Deus e sua relação com Deus. O mais
famoso grupo desse perfil era a Maçonaria, mas eu decidi não ingressar, simplesmente
porque as mulheres não dispunham de igual status. Outros grupos pareciam durar pouco
tempo ou ter um estranho gosto religioso ou ritualístico. Eu tenho certeza que há bons
grupos lá fora, o problema é que eu não consegui encontrar nenhum que me agradasse.

Continuando os estudos, encontrei alusões a uma Ordem misteriosa e ponderosa.


Procurando por fontes, eu aprendi cada vez mais sobre um gripo conhecido como Ordem
Hermética da Golden Dawn, reconhecida por muitos como a principal Loja tanto para
desenvolvimento quanto para prática de exercícios espirituais. Lentamente, minhas
pesquisas me levaram a descobertas ainda maiores acerca deste grupo de aventureiros
espirituais. Fundada no final de 1800, a Ordem cresceu, teve obstáculos políticos, mas
continuou a se mover sob a guia de pessoas que se tornaram alguns dos escritores
místicos mais prolíficos e importantes dos últimos 150 anos. E muitos outros escritores,
sejam eles reconhecidos ou não, tiveram grande débito aos pensamentos expressos por
aquelas pessoas sábias.

No início da Segunda Guerra Mundial, um dos membros, um homem chamado Israel


Regardie, publicou os documentos e instruções da Ordem. Fiquei surpreso em saber que
cinquenta anos depois, edições deste livro ainda estavam sendo impressas.
Eventualmente, eu tive esse enorme volume, A Golden Dawn, em minhas mãos. Parecia
incrivelmente mágico e misterioso, poderoso e quase assustador. Eu o comprei, levei-o
para casa, e esperei receber iluminação.

Três dias depois, saí de meu estúdio – sem barbear, descuidado, cansado devido à falta
de sono, e totalmente frustrado e desapontado. O que era tudo aquilo?

Eu não conseguia entender metade das “palestras de conhecimento” e me era difícil seguir
os complexos rituais. “Documentos Z”? O que eles são? O que significam?

Tirei o dia seguinte de folga, saí para jogar com um grupo de pessoas no golfe e joguei
dezoito buracos, fiz uma boa refeição e dormi por treze horas. Quando, eu acordei, ainda
estava escuro. O sol ainda não havia nascido.

Fui para a cozinha fazer café. No caminho, eu percebi uma luz vinda do meu local de
estudos. Pensando ter deixado uma luz acesa, eu abri a porta de meu sanctum, mas as
luzes não estavam acesas. Minha cópia do livro A Golden Dawn estava brilhando.

Era um brilho estranho, para dizer o mínimo. Era como uma neblina brilhante, a cor do azul
cianeto. Parecia pulsar ao redor do livro. Pendurando ou flutuando dentro da neblina,
haviam brilhos brancos, partículas incrivelmente intensas de luz. Quando esfreguei os
olhos, o brilho desapareceu.
Não sei se o brilho era objetivo ou subjetivo, mas eu sei que estes poucos segundos, ele
era tão real ou tão sólido quanto você ou eu. Esquecendo o café, sentei-me à mesa com o
livro e comecei a folhear as páginas. Parecia parar sempre em uma mesma página, então
eu abri o livro ali. Era a página 116, a primeira página da iniciação ao grau de Neófito na
Golden Dawn. Conforme lia o começo do ritual, me trouxe outros significados, de um modo
que era inteiramente diferente da leitura que fiz alguns dias atrás. As palavras e ideias me
levaram a inacreditáveis profundezas da minha própria alma.

9 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
Me sentei outra vez, pensando: “É isso? Eu preciso ser iniciado na Golden Dawn?” O livro,
aparentemente por vontade própria, fechou-se com estrondo, lançando partículas de luz
por entre as páginas como se fossem ciscos de poeira em um raio lunar. “Acho que essa é
uma resposta afirmativa”, eu ri.

Subjetiva ou objetiva, a mensagem era clara. Eu senti no meu coração e no meu sangue,
na minha mente e na minha alma. Eu queria… não, eu precisava ser iniciado na tradição
spiritual conhecida como Golden Dawn.

Sim, eu me lembrei das minhas leituras, de que a Golden Dawn havia encerrado muito
anos atrás. Mesmo assim – e não ria – o primeiro lugar que eu procurei foi na lista
telefônica. Como você provavelmente adivinhou, não há “Ordem da Golden Dawn” na lista
(embora há uma empresa consultora com um nome similar). “Onde,” eu me perguntei, “se
entra em contato com o resto da Golden Dawn em Illinois?”
Acessei a Internet e pesquisei “iniciação.” Isso trouxe de volta quase um milhão e meio de
websites! Eu estava feliz em saber que eu não era um dos únicos interessados no
assunto.

Mas eu queria tipo particular de iniciação na Golden Dawn. Meu instrumento de pesquisa
me permite pesquisa dentro dos resultados, então eu limitei minha busca a apenas
iniciação na Golden Dawn. Eu fui descendo a janela exibindo o resultado das pesquisas
até que minha boca se abriu de surpresa. De fato, havia um livro de auto iniciação na
Golden Dawn. Eu segui os links e pude pedir o livro. Uma semana depois, o livro chegou
pelo correio.

A obra Self-Initiation into the Golden Dawn Tradition de Chic Cicero and Sandra Tabatha
Cicero é enorme. Tem 18×25,5cm, com mais de 750 páginas, e pesa quase 1,5kg (eu
pesei o livro na balança da cozinha). Seu grande tamanho o fez assustador para mim. Por
pelo menos outros 5 dias, ele ficou na mesa da cozinha, fechado mas sempre "me
acenando”.

Um dia, finalmente decidi olhar o livro. E foi o que eu fiz – olhei para ele. Era tão grande!
Por que eu estava investindo em tamanho empreendimento nesta época da minha vida?
Esse volume era tão grande quanto um livro médico da faculdade.

“Mas aprendi muito com esses livros,” pensei, “e tive que passar por eles poucas vezes.”
Eu percebi que esse livro me levaria aos graus da Ordem. Comecei a me perguntar o quão
grande cada nível seria. Eu finalmente abri o livro e comecei a ler seu conteúdo.

Que alívio! Os seis graus da obra se estendiam de cerca de 100 páginas para menos 150
páginas cada. Agora percebia porque esse livro era tão grande. Se eles tivessem sido
colocados separadamente, teriam sido livros muitos pequenos. Eles provavelmente
custariam muito mais, também, porque cada um precisaria de capas separadas. Isso ia, de
fato, ser muito fácil. Preparei-me para trabalhar.

Na introdução, há vários exercícios que os autores recomendam. Isso inclui trabalho


meditativo, exercício físico, e visualização. Eu fielmente pratiquei estas coisas diariamente
por três meses. Em retrospecto, não acho que a iniciação seria de algum valor sem este
trabalho. Não foi difícil, e tudo isso me deu tempo de estudar e aprender a natureza das
entidades ou divindades que observam a iniciação. Está tudo explicado no livro.

Eu também não tinha todos os símbolos e varinhas mágicas, então fiz alguns desenhando-
os em cartolina grossa (bem, uma fotocopiadora com capacidade de ampliação ajudou

10 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
com isso). Algumas coisas não estavam perfeitas, mas intenção certamente estava lá. O
altar eram duas caixas cobertas com uma toalha preta.

Finalmente, tinha estudado tudo. Tinha feito tudo que podia. Organizei o altar como o
diagrama mostrava. Eu acendi as velas. Tudo estava preparado. Podia sentir meu coração
batendo em meu peito. Sabia que algo especial estava prestes a acontecer.

Segui as direções entrando “no templo [minha área do ritual] e caminhando no sentido
horário para o leste.” Então, fiz o Ritual Menor de Banimento do Pentagrama, que estive
praticando segundo as instruções do livro. No Leste, eu disse a famosa saudação
declarativa:

Hekas, Hekas, Este Bebeloi!


[Longe, longe deste lugar fique o profano!] (p. 22)

Você já viu o filme, Karatê Kid? Logo antes do clímax, o jovem garoto – cansado, batido e
ferido – pede ajuda ao seu mentor. Seu mentor, Sr. Myagi, bate palmas. Se você ouvir
com atenção, você ouvirá que ao mesmo tempo, soa um som de bateria. Toda a atmosfera
da cena muda. A energia do momento muda. E assim que eu disse esta frase, o mesmo
aconteceu comigo. Era como se meu universo mudasse e agora fizesse parte de algo
maior. Estranhas entidades que eu havia apenas imaginado agora apareciam diante de
mim e ondas de energia ou poder encheram o ar.

Levando o livro comigo e lendo os discursos, meu trabalho com visualização trouxe à
realidade o que eu estava fazendo. Não era eu lendo as palavras, eram as divindades (as
quais as pessoas que te iniciam meramente representam) aqueles que estavam fazendo o
verdadeiro trabalho.

O discurso de cada entidade estalou na minha mente, me dando clareza do que eles
realmente fazem dentro do ritual, e quando iniciado, em sua vida. O Keryx conduz todos os
movimentos na iniciação.

Minha lâmpada é o símbolo do Conhecimento Oculto e minha varinha mágica é o símbolo


de seu poder dirigido. (p.27)

Se eu mantivesse meus olhos no Keryx, eu sempre poderia ver o caminho diante de mim.
O Hegemon “[guarda] o portão do Conhecimento Oculto” (p.27), então, se eu observasse o
Hegemon, eu sempre poderia seguir o caminho que o Keryx apontava.

O Hiereus é o “Mestre das Trevas… [e segura] a Espada do Julgamento e a bandeira do


crepúsculo da noite…” (p.27). Eu sabia que o Hiereus sempre me protegeria do mal e me
guiaria de volta ao amparo do Hegemon.

Santo és tu, Senhor do Universo!


Santo és tu, quem a natureza não criou!
Santo és tu, o Vasto e Poderoso!
Senhor da Luz e das Trevas!

Eu senti como se eu estivesse em um transe enquanto eu continuava com a iniciação:


Sou o herdeiro de um mundo que morre, que foi erguido e introduzido nas Trevas. A Mãe
das Trevas me cegou com seu cabelo. O Pai das Trevas me escondeu sob suas asas.
Meus braços e pernas ainda estão cansados das guerras travadas no Paraíso.

11 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
Não purificado e não consagrado, tu não podes entrar em nosso Salão Sagrado.

Eu estava purificado com água e consagrado com fogo. Ajoelhado, eu estava pronto para
fazer o juramento.

… na Presença do Senhor do Universo, que trabalha em silêncio e quem nada além do


silêncio pode expressar, e nesta Sala dos Neófitos da corrente da Golden Dawn, eu, de
livre vontade, por estes meios, juro solenemente… dedicar minha vida à busca dos
mistérios da tradição mágica da Golden Dawn e realizar a Grande Obra. Eu solenemente
prometo perseverar com coragem e determinação nos trabalhos da Ciência Divina, assim
como perseverarei com coragem e determinação através desta cerimônia que é a sua
imagem.

Eu estava trêmulo enquanto dizia as seguintes palavras:


Ascendo-me como Neófito do grau 0 = 0 da Golden Dawn. (p. 31)

Você pode pensar que, tendo alcançado meu objetivo, eu iria parar, mas o oposto era
verdade. Afinal, a palavra “iniciar” significa “começar,” e não terminar. O livro Self-Initiation
into the Golden Dawn Tradition continuou com o que eu precisava aprender para ir para o
próximo nível da tradição, e até mesmo incluía um auto-teste para ter certeza de que eu
conhecia o material e estava pronto para continuar. Estou trabalhando nisso agora.

Antes que alguém me pergunte, eu não acho que eu seja um membro de um grupo da
Golden Dawn, mas eu acho que eu sou iniciado como um verdadeiro neófito na tradição
da Golden Dawn.

Então eu não afirmo nada além daquilo que vivenciei, e ainda estou trabalhando em
avançar nos estudos e práticas. Mas o que eu tirei disso?

Eu poderia te dizer que eu encontrei uma nova direção na minha vida, que me dá
autoconfiança e satisfação espiritual. Poderia te dizer que tenho um maior entendimento
da natureza espiritual do universo e a maneira que ele funciona. Tudo isso seria verdade,
mas não é muito prático. Aqui estão algumas coisas que aconteceram comigo desde
minha auto iniciação:

Em Atlantic City, pela primeira vez, eu fui a um cassino e voltei como vencedor. Eu
passava de uma máquina a outra a tempo de ganhar outro grande prêmio.

Quando eu dirigia com destino a vários lugares, eu acabava estacionando em lugares


muito próximos às entradas.

A dor em meu joelho desapareceu.


Eu preciso de 60-90 minutos de sono a menos do que antes.
Não mais preciso de café de manhã a fim de me despertar.
Minhas poucas habilidades artísticas se aperfeiçoaram.
Minha velocidade de leitura e memória do que leio se aperfeiçoou imensamente.

Estas são algumas das coisas práticas que aconteceram comigo nos meses que se
passaram desde minha auto iniciação. Mas são essas mudanças espirituais em mim
mesmo e em minha apreciação do universo, que torna cada dia mais emocionante e
excitante.

12 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
Como cientista vitalício, não posso dizer que haja uma relação causa e efeito direta entre
minha auto iniciação e as mudanças em minha vida. Mas eu sei que minha vida é melhor
do que era. E eu não mudaria isso por nada.
***************************************************************
Não cremos ser necessário acrescentar algo ao maravilhoso relato acima, sobre a eficácia
da auto-iniciação (para aqueles que estejam preparados). Como descrito no texto, o ritual
ensinado no livro inicia a pessoa 'na corrente'. Para iniciação em um 'grupo Golden Dawn'
ativo e empoderado pelos Chefes Secretos, você precisa encontrar um grupo que lhe seja
agradável e que fale ao seu coração. Existem muitos grupos e templos hoje em dia. Nem
todos estão sob a influência da Terceira Ordem e muitos agora não passam de pompa e
ritual, tendo perdido a transmissão energética.
Mas qualquer grupo poderá lhe trazer algum conhecimento ou experiência, no mínimo.
Dica aos indecisos: A única maneira de conhecer o sabor do pudim, é comendo ele!
Se você deseja obter mais informações sobre auto-iniciação na Golden Dawn, Chefes
Secretos, iniciações presenciais e outros temas, convidamos a conhecer este website:
www.auroradourada.com

******

Armadilhas na Senda da Magia


O Caminho da Magia sempre apresentou, aos aventureiros que percorrem esta jornada
em busca de Divinos Poder, Amor e Sabedoria, uma incrível quantidade de becos sem saída e
armadilhas embutidas que podem barrar seu crescimento e ascensão, não só como magista, mas
como ser humano. Há muito o que escrever sobre isto, mas hoje abordaremos os maiores
impedimentos ou pedras de tropeço que podem aparecer diante de ti para impedir teu
desabrochar como Mago ou Maga da Luz. Os três inimigos sutis chamam-se Glamour, Controle
e Ego.

Ordens mágicas e esotéricas, professores e escritores de ocultismo correm este risco de


ficarem tentados a apresentar-se ao mundo de maneira demasiadamente glamourosa. Todos
conhecem o tipo. O típico estudante avançado que começa a vampirizar poder da admiração que
despertam nos iniciantes e leigos em geral. Tal bajulação pouco a pouco insinua-se na mente do
mago e ele começa a crer que "isto é assim mesmo", que a coisa toda não passa de uma “fase do
Caminho” e, em breve, vemos nosso/a magista começar a se comportar como um astro de
Hollywood! Afinal, as pessoas comentam sobre ele/a nas redes sociais, seus livros estão sendo
publicados, uma legião de admiradores canta louvores à sua sabedoria, ele ou ela deu entrevistas
na TV. Eis a Glória, enfim!

O próximo passo na ladeira da vergonha espiritual surge quando os novos "Adeptus


Maximus" começam a acreditar que suas opiniões são a palavra final sobre um determinado

13 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
assunto. Tornam-se "autoridades" cuja opinião deve não só ser respeitada, mas acatada como
verdade absoluta. A seguir, começa a agir o sutil veneno do controle. Eles passam a exercer
controle sobre seus fãs e alunos, e a criar "regras" e exigências que, por sua vez, colocam mais
um tijolo no castelo de seu ego. Você tem a liberdade de pensar o que quiser, dizem eles
abertamente. Mas na prática a frase real é "pense o que quiser, desde que esteja de acordo com
minha opinião abalizada sobre o assunto."

Não só com instrutores individuais ou pop-stars da magia na Internet ocorrem estes


desvios no Caminho Mágico. Ordens e grupos esotéricos estão igualmente sujeitos a situações
semelhantes, quando usam o segredo como ferramenta de controle e mistificação, quando a
pompa dos títulos lhes sobe à cabeça, quando as regras e hierarquias da Ordem ou grupo
começam a ocupar demais as mentes dos seus integrantes. Os líderes assumem ares misteriosos
e aludem, em suas conversas, a objetivos grandiosos que aqueles que estão nos graus mais
baixos podem apenas sonhar obter, mas que lhes será muito difícil atingir. O triste da coisa é que
tais comportamentos são muito comuns, e atraentes ao ego inferior. Os aspirantes novatos,
percebendo tais fracassados na iniciação como líderes, exemplos e pessoas que obviamente
possuem certo poder e aura de sucesso, começam instintivamente a copiar esse comportamento,
perpetuando uma situação deplorável conforme eles mesmos vão adquirindo certos
conhecimentos e poder, e assim a glorificação do pequeno ego continua pelas próximas
gerações. Tal padrão é o empregado por cultos que almejam o domínio das massas, que
sucumbem a personalidades marcantes como as mariposas são atraídas para a luz. E o mais
triste é que todos estão falando em fazer o "Bem".

Quando os tais magos, escritores ou líderes de grupo começam a cometer suas "gafes", a
ter acessos de fúria, ou usam grupos, desculpas "mágicas" e glamour para deitar com seus/suas
fãs, os seus seguidores, em típico comportamento de rebanho, perdoam a todos os deslizes de
seu "pastor escolhido." As pessoas fecham os olhos para os erros de seus parceiros amorosos e
de seus líderes políticos, religiosos ou místicos e, muitas vezes, chegam mesmo a copiar tais
comportamentos aberrados.

Por outro lado, esta situação serve a um propósito muito útil: impedir que os idiotas
tenham acesso à magia realmente poderosa. Existe muito trabalho interior a ser realizado antes
que verdadeiro Poder Espiritual possa ser manejado com segurança por pretensos adeptos.

Claro, existem diversos tons de cinza, e um escritor deseja ser lido. Ou, se você é um
instrutor, precisa tornar atraente sua didática para aqueles que a Vida lhe trouxer para instruir. É
preciso precaver-se, no entanto, com a mensagem que está sendo transmitida. O que este
"grande mago" ou escritor está transmitindo ao mundo? Está apenas transmitindo a mensagem
de que ele é alguém carismático a ser admirado e exaltado, ou está, como deveria, exaltando a
técnica e excelência do Caminho em si? O objetivo mágico-espiritual não é o de se tornar um
superstar do Facebook envolvido em disputas indignas de um verdadeiro adepto. O Caminho da
Magia da Luz é nos tornar seres iluminados, vestidos com a armadura da real humildade e
poder, espargindo esclarecimento em meio à escuridão reinante.

Então, caso você esteja iniciando a sua jornada, solitariamente ou em algum grupo de
magos ou bruxos e, de repente, descubra que está entrando em algum tipo de culto de
personalidade para com o "grande fulano" ou "excelso sicrano", procure lembrar que eles são
tão humanos quanto você. Eles espirram, peidam e tossem igualzinho a você. Isto serve
igualmente para aquele que vos escreve. Não toleramos tietagem, atitude que é muito diferente
de um sincero elogio.

Lembre-se também que a Fonte de Todo Poder se esconde com enorme sutileza e
desconcertante humildade nesta Criação, e que aqueles que estão a seguir a trilha da
"glamorização de si mesmos" ainda possuem muito que aprender e estão ainda bem distantes do
verdadeiro poder, o qual não necessita de glamour ou exibição. Poder traz responsabilidades

14 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
imensas, poder nos desafia diariamente, quando menos esperamos. Poder coloca você a
trabalhar em serviço da humanidade.

Você tem uma personalidade maravilhosa, mas é preciso não colocar o pequeno eu
acima daquilo que verdadeiramente merece ser glorificado. Eu conheci iniciados exemplares,
pessoas que, só de olhar, nos tornava mais felizes, tal o impacto de sua presença. Examinados
mais de perto, apesar de sua personalidade luminosa, são pessoas humildes, sem vaidades
doentias.

Assim, jamais entregue seu poder, sua vontade e sua verdade a falsos mestres. Os reais
mestres e sábios existem, mas é uma rara oportunidade encontrar um deles, e poder receber sua
luz é uma maravilha sem limites. Mas eles são realmente humildes. Esta é a mensagem da
Eterna Golden Dawn.

Frater Kosmos
Artigo escrito com inspiração nos textos de uma de nossas instrutoras, Josephine McCarthy

15 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
A Terceira Ordem da Golden Dawn
Por David Griffin – tradução livre por Frater Kosmos

Estimados Magistas,

Hoje examinaremos os mais elevados níveis de atingimento espiritual e mágico em


nosso fabuloso Sistema.
Vamos dar uma olhada agora no nível de Mestre; ele é onde você eventualmente
estará quando persistir e continuar com teus estudos.
Tentar falar sobre esta elevada fase de desenvolvimento é extremamente difícil e,
alguns diriam, quase impossível.
É um bocado semelhante a tentar descrever um estado de total felicidade para alguém
que jamais vivenciou algo além das experiências mais padronizadas.
No estágio de Mestre, o/a Magista chega a estágios muito avançados onde o mais alto
e Divino Gênio torna-se muito proeminente, tanto que sua velha identidade
dificilmente continua a existir, em qualquer sentido real.
Basicamente, teu eu inferior terá sido suplantado pelos mais elevados níveis aos quais
o alto Self e Gênio Divino te levou como uma pessoa completa e um ente espiritual
desenvolvido. Mas, naturalmente, você não terá chegado a qualquer ponto finito de
chegada, pois todos os estágios continuam teu refinamento enquanto alma.
Desde o estágio inicial de neófito até os níveis mais altos de adepto, estas são apenas
fases de um processo contínuo, purificador e iniciático, por meio do qual você
continua a se tornar melhor do que era, e mais do que humano, e quanto mais alto você
vai, mais o verdadeiro você, como alma pura, com uma conexão, e o fortalecimento
desta conexão à Força-Deus, se manifesta.
O Adepto Exemptus está numa tal harmonia com o universo e com sua própria alma
mais alta que o processo de cruzar o abismo simplesmente acontece sem qualquer
decisão consciente ou esforço.
Eventualmente, você se descobrirá caminhando através do abismo, e o cruzamento do
abismo é atingido tão facilmente e prontamente, desde que ele acontece no momento
apropriado, quando você atinge estes mais elevados estágios de desenvolvimento.
Tem existido um bocado de conceptualização enganada sobre “Cruzar o Abismo”.
Alguns declararam que isto representa a Noite Escura da Alma de São João de la Cruz.

16 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
Não existe nenhuma necessidade de importar misticismo estrangeiro para dentro do
sistema Rosacruz. Em realidade, o cruzamento do abismo representa uma transição da
ilusão do eu da vida diária até a realização do Self.
Isto representa também uma transição em métodos espirituais. O Adepto deve
abandonar sistemas simbólicos de Magick no mundo externo, e de fato sacrificar toda
dependência de simbolismo externo, inteiramente.
Apenas desta maneira pode o Adepto tornar-se um verdadeiro Mestre Rosacruz, e
descobrir o que isso significa – que tudo que você precisa para completar a Grande
Obra, ou Opus Magnum, você já tem dentro de você.
A Travessia do Abismo também representa uma transição do mundo exterior para o
mundo interior, um desprender-se da dimensão física para despertar nos Planos
Internos.
Um dos maiores mal-entendidos no que se refere a este processo é o fato de que o
Adepto que é você, com teu eu mundano, na verdade não cruza o abismo de todo.
Você deixa teu senso usual de eu para trás, para experimentar o que você
verdadeiramente é. É você do outro lado, também. Apenas um você muito maior,
pois você é muito maior e muito mais vasto do que poderia imaginar.
Todos os rumores sobre os perigos da travessia do Abismo são devidos ao fato de que
as pessoas escolhem cruzar antes de estarem prontas. De fato, isso pode ser perigoso se
a pessoa não estiver preparada para estas correntes de energia. As práticas espirituais da
Terceira Ordem não são brincadeira. Elas podem ser perigosas para o despreparado. Há
um bom motivo para termos um sistema de graus.
Mas, uma vez que você esteja preparado/a, então a Travessia do Abismo até os mais
elevados níveis de desenvolvimento espiritual e mágico é um passo natural, sem
esforço.
Pois, assim como uma fruta madura está em seu potencial mais doce e mais pleno,
assim você, enquanto alma, quando atingir este ponto de desenvolvimento, irá
naturalmente se tornar a mais doce e melhor versão de você mesmo/a.
É dito e ensinado que aqueles que cruzam o abismo estão além da necessidade de
reencarnação nestes planos inferiores e, de fato, formam a invisível Terceira Ordem, e
se tornam os perfeitos guardiães das tradições e mistérios ocidentais, existindo no reino
de Briah.
Porém, isto é uma escolha, e uma pessoa pode escolher reencarnar; eles podem se tornar
Magister do Templo, demonstrando que eles transcenderam o universo material e o
plano físico.
Neste ponto da maestria do Adepto, a pessoa tem acesso a todo o conhecimento humano
sem precisar aprender, a pessoa pode controlar cada aspecto de seu corpo e funções
mentais.
Eles, conforme continuam progredindo ao próximo estágio, o de Magus, até mesmo se
tornam capazes de ter completo controle sobre toda matéria e podem facilmente realizar
milagres e transmutar matéria.

17 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
Além deste nível, existe apenas completa união e o tornar-se uno com a Força-Deus na
esfera de Kether.
É muito difícil descrever este processo, porque palavras não lhe fazem justiça.
Nós temos um sistema de Três Ordens, mas é um processo contínuo de crescimento
espiritual e desdobramento nos mistérios e Magick.
Muito pouco pode ser revelado, neste contexto, sobre os graus de Maestria na Terceira
Ordem da Golden Dawn, mas algo me é permitido dizer.
Os Graus da Terceira Ordem são três “Magisteria”. O primeiro é Magister Templi
(8=3), o segundo Magisterium é Magus (9=2) e o terceiro e mais elevado Magisterium é
Ipsissimus (10=1). Assim, o Mestre Hermético aperfeiçoado é um Mestre tríplice, assim
como Hermes Trimegistus.
Os exercícios espirituais destes graus são as mais elevadas práticas não só das tradições
Ocidentais, Herméticas e Rosacruzes, mas eles são comuns aos mais altos graus de
TODAS as grandes tradições iniciáticas do mundo, do Oriente e Ocidente!
Naturalmente, existem diferenças únicas, culturais, mas quer você treine com um
Mestre Hermético, um Mestre Taoísta ou um Mestre Tântrico, as mais altas práticas
são, essencialmente, aquelas da ALQUIMIA INTERNA.
Este caminho espiritual, chamado de “Alquimia Interna”, é também conhecido como
“Caminho Real”. Era praticado pelos Faraós do Egito e pelos Imperadores Chineses.
Este caminho alquímico é também chamado de “Caminho Eterno”, pois é uma senda de
imortalidade.
Aqui, no Ocidente, os Rosacruzes de Ouro chamaram este caminho alquímico único de
“Caminho Egípcio e Aeterno”. Os três mais elevados graus de nossa Terceira Ordem,
que correspondem às três Sephirot Supernas na Árvore da Vida, não são apenas graus
simbólicos.
Cada um destes graus da Terceira Ordem também representam um estado de
atingimento espiritual. Em outras palavras, cada grau alude a uma “separação e projeção
alquímica” ou SEPARATIO E PROJECTIO.
Isto ocorre através de um processo de transmutação física de CHUMBO em OURO.
Isso alude à transmutação da PRIMA MATERIA ou primeira matéria (a essência da
qual você cria a Pedra Filosofal). Mas antes que você possa chegar até aí, você primeiro
precisa passar através dos estágios de PRATA e criar MERCÚRIO FILOSÓFICO.
Então, o que significa isso tudo? Isto é declarado em jargão em código Hermético, um
código de linguagem alquímica secreta chamada de “Linguagem dos Pássaros”. Vamos
traduzir em Português claro.
A verdadeira PRIMA MATERIA é a matéria de teu corpo físico, que corresponde ao
CHUMBO, pois chumbo é o metal alquímico que corresponde a Saturno, ou Cronos, o
governante do mundo do TEMPO, onde teu corpo físico vive.
Todo o objetivo da “Grande Obra” chamada de OPUS MAGNUM é a transmutação da
matéria de teu corpo físico, CHUMBO, em pura energia solar, ou OURO, com o
objetivo de fabricar um CORPO SOLAR DE LUZ. Mais sobre isso num segundo!

18 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com
O primeiro estágio da OPUS corresponde ao grau de Magister Templi e representa o
atingimento da separação de teu corpo ASTRAL de teu corpo físico, e sua projeção do
mesmo no PLANO ASTRAL. Este é o mundo dos SONHOS governado pela LUA
(PRATA). Assim, o teu Corpo Astral é chamado de CORPO LUNAR. A primeira
separação alquímica é o verdadeiro significado da PROJEÇÃO ASTRAL.
O próximo estágio da Opus (Magus) envolve a separação de teu CORPO MENTAL e
sua projeção no PLANO MENTAL.
O terceiro e final estágio da Grande Obra, a “Terceira Separação” envolve o
atingimento da separação e projeção de teu CORPO SOLAR DE LUZ.
A consciência pode apenas sobreviver, como nós a conhecemos, enquanto encarnada.
Atingimento de mesmo a primeira separação alquímica garante a imortalidade
consciente, porque teu corpo Astral (Lunar) sobrevive a tua morte física.
Mas um Mestre Rosacruz aperfeiçoado, como Hermes Trimegistus, é um MESTRE
PERFEITO tríplice, que no momento da morte física se ergue como uma Fênix num
CORPO SOLAR DE LUZ aperfeiçoado!
Este tanto, e não mais, posso eu agora revelar sobre os Mistérios da Terceira Ordem.

Em liberdade, cavalaria e verdade,


Bispo David Griffin
Imperator LVX ex Septentrionis
Hermetic Order of the Golden Dawn®
Alpha Ωmega Rosicrucian Mystery School

19 - Copyright© 2019. Todos os direitos reservados para a Ordem Esotérica da Aurora Dourada www.auroradourada.com