Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ – UESC

DEPARTAMENTO DE LETRAS E ARTES - DLA


INGLÊS INSTRUMENTAL
PROFª. PATRÍCIA ARGÔLO ROSA

A LEITURA NO INGLÊS INSTRUMENTAL

O que você entende por leitura e compreensão?

A leitura no Inglês Instrumental inclui uma variedade de objetivos e


atividades. Ler numa língua estrangeira não é nenhum “bicho de sete cabeças”.

Analisaremos os seguintes tópicos:

1. Diferentes níveis de compreensão.


2. Tipos diferentes de leitura.
3. Alguns aspectos psico-linguísticos do processo de leitura.
4. Como manusear textos em inglês.

1. DIFERENTES NÍVEIS DE COMPREENSÃO

Dependendo do nosso objetivo, do nosso conhecimento da língua estrangeira


em questão, e do nosso conhecimento do assunto a ser trabalhado, nossa
compreensão do texto poderá se dar conforme esta escala:

Nenhuma compreensão compreensão total

Se dividirmos esta escala em três partes, teremos 3 níveis de


compreensão:

1 2 3

Que correspondem a :
a) Compreensão geral:

Saber de onde vem o texto, qual o seu tópico (assunto), mas não saber o que o
autor diz sobre o mesmo. Por exemplo.: saber que o texto vem de uma
enciclopédia.

b) Compreensão dos pontos principais:

Ter uma compreensão geral e entender os argumentos principais do autor, sem


se preocupar com os pequenos detalhes. Ex.: saber que o texto da enciclopédia
sobre a história do Peru, argumenta que os nativos sofreram danos sociais,
enquanto que os espanhóis tiveram vantagens econômicas, com as maciças
exportações de prata peruana para a Espanha. Nesta compreensão dos pontos
principais o leitor reconhece que o autor simpatiza mais com os nativos
peruanos do que com os espanhóis, isto é, o leitor lê “entre linhas ”e vê a
atitude do autor em relação ao tema.

c) Compreensão detalhada:

Esses detalhes podem ser importantes ou de pouco interesse, dependendo da


necessidade do leitor. Você pode notar que na nossa língua materna nós
queremos chegar aos níveis a e b, não somente ao c. Fazemos isso
freqüentemente quando estamos escolhendo o que ler, o que comprar, ou
quando damos uma olhada no jornal da manhã. E depois de lermos um livro não
podemos nos lembrar de todos os detalhes. O que interessa, em última análise,
é quase sempre somente as idéias importantes, não os detalhes.
Concluímos, portanto, que o melhor é seguir os seguintes passos:

1. Dar uma olhada rápida para conseguir uma compreensão geral;


2. Decidir se interessa ou não voltar para entender mais depois;
3. Procurar entender os pontos principais (também lendo rapidamente sem se
deter nos problemas do vocabulário, etc.);
4. Decidir se interessa ou não procurar entender os detalhes, se necessário;
5. Procurar vencer os obstáculos para entender os detalhes de menor
importância.

Este enfoque de leitura implica em retornar quantas vezes forem


necessárias, sem frustrações.
2. TIPOS DIFERENTES DE LEITURA

Os tipos diferentes de leitura são determinados principalmente por dois


fatores:
a) Técnica:

2.1. “Skimming”- dar uma olhada rápida num texto para obter idéias gerais
sobre o mesmo (corresponde ao nível “a”, já mencionado). Esta técnica
implica em observar o texto por alguns segundos apenas.

2.2. “Scanning” – buscar uma informação específica num texto. Esta técnica
geralmente supõe que a informação está no texto em algum lugar. É
muito usada quando procuramos, por exemplo, uma informação num
dicionário, enciclopédia, catálogo, etc.

2.3. Seletividade – selecionar, no texto, o que merece mais atenção.

b) Objetivo do leitor:

2.4. Ler para aplicar – significa ler com a intenção de decidir se a mensagem
do texto serve para si ou vai ser útil para o seu propósito.
2.5. Leitura crítica – este tipo de leitura envolve o espírito crítico do leitor,
pois o mesmo tem que decidir se o texto tem sentido, se é bom ou não,
se aplicável aos seus propósitos, etc. Apesar da tendência que a maioria
das pessoas tem de acreditar que os livros contém verdades
incontestáveis, o leitor deveria Ter sempre uma postura crítica diante
de textos que lê e perguntar a si mesmo:

☺ Concordo com isso? Por que?


☺ Os argumentos usados são convincentes?
☺ Quais as partes relevantes para mim?
☺ Os fatos são verdadeiros? Etc.

2.6. Ler por divertimento – É quando o nosso objetivo principal é satisfazer a


curiosidade natural, buscar prazer na leitura.
2.7. Ler para obter informação – Implica que o propósito é saber algo que não
sabíamos antes.
É muito importante determinar, antes de ler, qual é nosso onjetivo para adotar
a técnica apropriada.

3. ALGUNS ASPECTOS PSICO-LINGUÍSTICOS DO PROCESSO DE


LEITURA

Normalmente temos encarado a leitura de um modo tal que nos


desencoraja a ler um texto numa língua estrangeira. Conforme os métodos
pelos quais fomos treinados, o processo de leitura implica a olhar cada letra
em cada palavra e em cada página, começando na parte esquerda e seguindo
as linhas, uma a uma até o final da página. Tendemos a crer que ler é apenas
um processo de observar as idéias da página, sendo, portanto, um processo
passivo.
Sabemos, no entanto, que a nossa mente não se comporta como uma
câmera ou como um computador. Ler é um processo ativo, e não um registro
passivo de informações na memória. Se nossa mente fosse um computador,
ela reteria todas as informações, sem considerá-las ou analisá-las,
selecioná-las, etc. Na verdade, nossa mente filtra as informações que
recebe, interpretando-as, eliminando-as, etc.
Por outro lado, sabemos que nossos olhos não se movem de uma palavra
para outra. Os olhos do leitor se movem aos pulos, de um ponto da página para
outro e este ponto, chamado fixação, inclui somente letras ou palavras
subjacentes, mas geralmente inclui diversas palavras e algumas linhas de cada
vez. Leia a frase nos triângulos abaixo, em velocidade ‘normal’:
Uma Please Foi
Piedra en el don’t spit muito
camino on the floor interessante
Falar com aquele
Jornalista.

Você notou algo errado nelas?


A maioria das pessoas não notam, justamente porque elas estão lendo
naturalmente. Os olhos do leitor não procedem de palavra em palavra.
O processo de leitura é ativo porque inclui predição, elaboração de
hipóteses, inferências, etc. Quando lemos, estamos constantemente
predizendo o que será dito a seguir, tentando ver sentido no que foi lido
(inferindo), verificando se nossas hipóteses estão corretas, etc. (essas
hipóteses geralmente são inconsciente).
4. COMO MANUSEAR TEXTOS EM INGLÊS.

Chegar a uma complexa compreensão detalhada numa língua estrangeira é


tarefa difícil num curso tão rápido de Inglês Instrumental. Porém, as
semelhanças entre Português e o Inglês, tanto na gramática quanto no
vocabulário, ajudam muito. Você vai ver que as estratégias de leitura se
aplicarão até em suas leituras em Português.

Olhar palavra por palavra no dicionário é totalmente desaconselhável. Ao


invés disso, aplique as seguintes estratégias: