Você está na página 1de 3

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Centro de Filosofia e Ciências Humanas


Faculdade de Educação

Planejamento de aula:
Professor da turma: --
Nível de ensino: Ensino Médio Série: 1º ano Turma: -- Data: --
Licenciando: Ian Ferreira Bonze e Luciana Lourenço Gomes

Tema da aula: O “Descobrimento” do Brasil? O processo de colonização portuguesa no Brasil.


Objetivo geral: Discutir o processo de dominação do território brasileiro pelos colonizadores, a partir de uma perspectiva decolonial,
enfatizando o papel das populações nativas nos movimentos de resistência indígena e analisar e desconstruir a imagem do indígena que foi
fabricada pelo discurso colonizador e que permeia nossa sociedade atual.

Objetivos específicos Conteúdos Procedimentos didáticos Recursos utilizados Tempo


Investigar a visão que os A chegada dos portugueses no Perguntar à turma quais são as Quadro branco e 15 min
alunos têm do que Brasil, em 1500. características de um índio, anotando no apresentação de slides.
significa ser um quadro as respostas apresentadas;
“indígena”
Apresentar uma imagem de um
indígena vestido com calça jeans e
celular à mão e propor um
questionamento acerca do que é um
índio;

Discutir o interesse português nas


Grandes Navegações e, posteriormente,
no território brasileiro.
Analisar o protagonismo O papel dos indígenas no Desconstruir a caracterização do Quadro branco e 25 min
dos indígenas no processo de colonização. indígena como “ignorante” e “ingênuo” apresentação de slides
processo de dominação no processo de escambo;
territorial pelos
portugueses no Brasil Apresentar o quadro A primeira missa
no Brasil, de Victor Meirelles e
questionar como o indígena é retratado
como submisso ao processo;
Discutir a participação dos indígenas na
colonização territorial, a partir da
disputa pela Baía de Guanabara e
expulsão dos franceses, tendo o apoio
de tribos indígenas, como os tamoios e
temiminós.
Discutir o papel da A participação essencial da Exposição verbal-dialogada sobre a Quadro branco e 20 min
religião católica, a partir Igreja Católica. dominação católica ao longo do apresentação de slides
da Companhia de Jesus. processo de colonização;

Questionar a catequese empregada pelos


jesuítas como uma maneira de
deslegitimar a religiosidade nativa;

Exposição verbal-dialogada sobre a


resistência indígena à mudança de
hábitos e o surgimento da ideia de
“guerra justa” – cativeiro e massacre de
indígenas.
Desconstruir a imagem A construção da imagem do Revisão das respostas apresentadas no Quadro Branco e cópias 15 min
do indígena elaborada indígena como “sem fé, lei ou começo da aula do texto.
pelos colonizadores e rei” (citação da Carta de Pero
que foi reafirmada no Vaz de Caminha). Leitura e discussão do texto “O Ritual
século XIX. do Corpo entre os Sonacirema”, a fim
de provocar o estranhamento acerca da
própria cultura.

Provocar a reflexão acerca da


importância das reservas indígenas nos
dias atuais e acerca da perseguição e
morte dos indígenas por fazendeiros
latifundiários

Promover pesquisa para casa acerca de


movimentos de resistência indígena
durante o processo colonial brasileiro.
Bibliografia:

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. “Identidade e ensino da história no Brasil”. In: CARRETERO, Mário; ROSA, Alberto e
GONZÁLEZ, Maria Fernanda. Ensino da História e memória coletiva. Porto Alegre: ArtMed, 2007.
GARCIA, Elisa. “Trocas, guerras e alianças na formação da sociedade colonial”. In: João Fragoso & Fátima Gouvêa (orgs.). O Brasil Colonial.
Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014, vol. I: 1443-1580, pp. 317-355.
Minner, H. O ritual do corpo entre os Nacirema. American Anthropologist, 58: 503-507, 1956.
SAID, Edward. “Introdução”. In: Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.