Você está na página 1de 2

Seminário Adventista Latino-Americano de Teologia Mestrado Intra-Corpus em Teologia Arqueologia Bíblica Professor: Dr.

Elias Brasil de Souza Aluno: Isael Santos Souza Costa Resenha Crítica

Ashley, Scott, ed. The Bible and Archaeology: Sections 1-2. Cincinnati, OH: United Church of God, 2001. The Bible and Archeology: Sections 1-2 trata-se de uma compilação de assuntos diversos desde a temática da arqueologia bíblica. São 24 artigos escritos por Mario Seiglie que se dividem em duas seções básicas, a primeira preferenciando assuntos concernentes ao Antigo Testamento com ênfases mais específicas ao período da monarquia e a segunda, por sua vez, com tematizações detidas desde o exílio babilônico até os assuntos característicos do período neotestamentário. No primeiro artigo tematizado “como a arqueologia confirma a Bíblia” o autor apresenta consideráveis descobertas arqueológicas com a objetivação de corroborar a autenticidade histórica de relatos bíblicos. Neste segmento apontam-se a Roseta e da de Behinstun. Seguindo-se o próximo artigo “Arqueologia e Gênesis: O que mostra o registro?”, dispõe-se na apresentação de artefatos que evidenciem o texto de Gênesis quanto aos temas da tentação, o dilúvio e a torre de Babel. Também se enfatiza a historicidade de Abraão e Ur, os terafins, i.e., ídolos usados por Raquel, pautam-se a vida do povo nos tempos de José, os trajes por eles usados e também as maneiras similares aquelas sinalizadas na Bíblia. O quarto artigo, “Arqueologia e o livro do Êxodo: saída do Egito” apresenta-se em duas partes elementares. Diz-se de tijolos achados semelhantes aos mencionados em Êxodo e que dez divindades mais importantes no panteão egípcio foram os alvos da dez pragas descritas no dado livro. O sexto artigo, “Arqueologia e o livro de Josué: A Conquista” apresenta uma disposição histórica iniciando-se com as descobertas de Garstang sobre Jericó, sua queda em 1930 e a refutação que Kathleen Kenyon fez em 1950. O sétimo artigo, “Arqueologia e o livro de Juízes”, aborda a datação do período dos juízes a partir do estudo das cerâmicas, ficando evidente a convivência de israelitas e cananeus neste período. Os oitavo e nono artigos abordam o período monárquico nos reinados davídicos e salomônicos com reiteros diversos de sua geográfica e construções que corroboram relatos bíblicos.

Os artigos vigésimo segundo abordam a historicidade daquele montante informativo que se acha no livro de Atos dos apóstolos. Apontamse evidências de realizações militares e também da queda e respectivos exílios assírios e babilônicos. O décimo quinto se expressa com informações que ressaltam o período intertestamentário denotando que as indicações proféticas de Daniel quanto aos impérios Persa e Grego se cumpriram como predito. semelhantemente os anos iniciais do seu ministério e um capítulo que se reserva de igual modo aos aportes referentes aos relatos do final do seu ministério.Nos artigos décimo ao décimo terceiro discorrem-se achados históricos que apontam a veracidade dos reinos divididos. O décimo quarto. O conteúdo dos artigos décimo ao nono concentram-se nos dados arqueológicos que infiram informações sobre o evento Cristo os seus primeiros anos. . informações de exilamento. Ficando os vigésimos terceiro e quarto trabalhando o referido nas epístolas e também no livro de Apocalipse. o do Norte e do Sul. fatos do exílio à restauração. das cidades mencionadas em dado livro. portanto. Com achados que mencionam personagens reais desta dada época.