Você está na página 1de 7

IESP – INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DA PARAÍBA

EDUCAÇÃO FÍSICA

ANDRÉ MARQUES DA SILVA

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV

CABEDELO
2018
ANDRÉ MARQUES DA SILVA

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV

Relatório de Estágio apresentado ao


curso de Bacharelado em Educação
Física do Instituto de Educação
Superior da Paraíba, como pré-
requisito para obtenção da aprovação
no Estágio Curricular Supervisionado
IV – Atividade Física na Promoção da
Saúde, sob a supervisão da professora
Jeane Odete.

CABEDELO
2018
INTRODUÇÃO

Atualmente temos observado uma baixa prevalência de prática de atividade


física, principalmente no tempo de lazer. Este fato está associado com o aumento do
risco de doenças crônicas não transmissíveis, como hipertensão, diabetes tipo 2,
síndrome metabólica, doença coronariana e acidente vascular cerebral.

A prevenção primária torna-se então uma medida necessária para ser


incorporada nos programas de saúde, que tenham como objetivo a melhoria na
qualidade de vida e diminuição de gastos com assistência médico/hospitalar.

Quero neste relatório apresentar a Promoção da Saúde através de atividades


físicas em modo circuito.

Assim, como foi estudado e feito o planejamento das atividades em sala de


aula, antes e ir a campo realiza-las. Durante todo o estágio foram realizadas atividade
para promover saúde, na praia de cabo branco.
DESENVOLVIMENTO

Estudos têm mostrado que a atividade física pode cumprir um importante papel
preventivo e terapêutico e deve, portanto, ser parte integrante das práticas
terapêuticas em saúde (Lee et.al.1992; Shepard,1995)

Existem várias revisões da associação entre inatividade física e risco de


doenças cardiovasculares. As meta-análises têm indicado o dobro de risco de
doenças cardiovasculares em indivíduos inativos quando comparados com os ativos.
Nos estudos que têm avaliado a atividade física ocupacional, a inatividade (ou
sedentarismo) está associada a 90% de aumento de risco relativo (RR) de morte por
doenças cardiovasculares (RR=1,90). Alguns dos mecanismos envolvidos no controle
das doenças cardiovasculares apresentados pelos trabalhos científicos incluem
efeitos na arteriosclerose, trombose, pressão arterial, isquemia, perfil lipídico e
arritmia.

Estudos em animais têm demonstrado que o exercício protege contra os efeitos


do excesso de colesterol e outros fatores envolvidos no desenvolvimento da
aterosclerose.

Da mesma maneira, estudos longitudinais em sujeitos com doença coronariana


têm mostrado que o treinamento de endurance junto com dieta e outras alterações
dos fatores de risco ajudam na prevenção da progressão da placa ou reduzem a
gravidade da aterosclerose nas coronárias. Os mecanismos pelos quais o exercício a
longo prazo tem efeito protetor da arteriosclerose incluem o incremento significante
da proporção de células T circulantes que têm propriedades ateroprotetivas. Nas
pessoas com aterosclerose o exercício estimula um efeito protetor nas células
endoteliais e nas células T.

Existem também evidências de que o desenvolvimento da placa de


aterosclerose está associado com o processo inflamatório e que o exercício está
associado por sua vez com uma redução de marcadores inflamatórios (proteína C-
reativa, células sangüíneas brancas, fibrinogênio, fator VIII) sugerindo que o exercício
está relacionado com uma redução da inflamação.
A chave do envelhecimento “bem sucedido” parece estar em garantir um estilo
de vida ativo. Para tanto os programas de promoção da atividade física na comunidade
para indivíduos acima de 50 anos de idade têm crescido em popularidade nos últimos
anos. Neste novo conceito de vida ativa as atividades físicas realizadas no lar, no
trabalho e no tempo livre são as que garantem uma vida ativa e saudável quando o
objetivo é a promoção de saúde com a prática regular da atividade física.
CONCLUSÃO

Os pontos fortes desde projeto foi a disponibilidade da professora em auxiliar a


solucionar problemas, e o local escolhido para realizar as atividades A falta de alguns
equipamentos para uma melhor variação de estações de exercícios. Mas nada que
deixa a desejar no desempenho das realizações.

Outro ponto a deixar em evidencia, seria uma maior divulgação do serviço


gratuito oferecido pela instituição Iesp, semanas antes do projeto iniciar aclamar nas
redes sociais o mesmo, seria de grande valia e diferença.

Finalizo este estágio grato e satisfeito por tudo realizado, espero poder
vivenciar mais experiências como estas no decorrer do meu futuro próximo.
REFERENCIA

 Shepard RJ. Physical activity, fitness and health:the current consensus. Quest
1995; 47:228-303

 AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE. Position stand on exercise


and physical activity for older adults. Med. Sci. Sports Exerc., v.30, p.992-1008,
1998.

 BUCKSCH, J. Physical activity of moderate intensity in leisure time and the risk
of all cause mortality. Br. J. Sports Med., v.39, p.632-8, 2005.