Você está na página 1de 4

Falta apenas pesquisar glicose e escrever o procedimento, dê uma aumentada nas conclusões

:D

Determinação da Concentração de Glicose e Sacarose Utilizando um Polarímetro.

Objetivos: Observar como a rotação do plano da luz polarizada varia com os açucares, glicose e
sacarose.

Introdução:

Em física, polarização é uma propriedade de ondas eletromagnéticas. Ao contrário de ondas


mais familiares como as ondas aquáticas ou sonoras, as ondas eletromagnéticas são
tridimensionais e a polarização é uma medida da variação do vetor do campo elétrico dessas
ondas com o decorrer do tempo. A Polarimetria é a ciência da medição da polarização da luz.
Um feixe de luz polarizada ao passar através de uma molécula sofre quase sempre uma
pequenina rotação no respectivo plano devido à interação com as partículas carregadas
eletricamente da molécula. Dependendo da molécula pode haver um desvio do plano de
rotação da luz polarizada. O equipamento utilizado para fazer essa medição é conhecido como
polarímetro. Quando o tubo polarimétrico contiver uma substância que não possuir atividade
ótica (água, por exemplo) e o analisador estiver cruzado com o polarizador, nenhuma luz
passará e o campo visual do instrumento apresentar-se-á escuro. Esta será a situação
correspondente ao zero gravado no limbo do instrumento. Se o tubo estiver uma substância
oticamente ativa, o feixe luminoso, ao atravessá-lo, sofrerá um desvio no seu plano de
polarização - para que o campo visual volte a ficar escuro será necessário girar o analisador até
cruzá-lo com a nova direção da polarização da luz. Este desvio poderá ser lido no limbo do
instrumento e constituirá o ângulo desvio da luz polarizada.

Outro fenômeno relacionado com caráter transversal das ondas eletromagnéticas é a rotação
do plano de polarização, propriedade que é chamada de atividade óptica. Moléculas que
desviam a luz para a direita são chamadas dextrógiras(D) e quando o desvio é para a esquerda,
as moléculas são chamadas levógiras(L). A importância disso reside no fato de que uma
molécula dextrógira e uma levógira da mesma substância são imagens especulares uma da
outra.

O açúcar de cozinha é uma molécula do tipo dextrógira, sendo um dos seus principais
constituintes a molécula de D-sacarose.
Os açúcares de um modo geral são substâncias quirais (a molécula tem um átomo de carbono
assimétrico, ou seja está ligada a 4 grupos diferentes), isto é fazem rodar o plano de
polarização da luz polarizada. A rotação especifica é uma constante físico-química, que é
medida com um polarímetro, sendo importante para caracterização das substâncias quirais. O
termo quiral é um termo usado em Química, para definir objetos não sobreponíveis à sua
própria imagem no espelho.

A inversão do açúcar provoca a quebra da sacarose em dois açúcares que formam a sua
molécula: D-glicose e L-frutose. A molécula de glicose formada é dextrógira, mas a molécula de
frutose formada é muito levógira.

Uma substância natural com características semelhantes ao açúcar invertido industrialmente


produzido é o mel de abelhas. As abelhas secretam a enzima invertase (a enzima sacarase ou
invertase (β-fructofuranosidase) é uma enzima que catalisa a hidrólise da sacarose (açúcar não
redutor) em glucose e frutose), que transforma grande parte da sacarose contida no néctar
proveniente dos vegetais em glicose (D) e frutose (L).

Um dos motivos do porque é importante determinar a concentração de açúcares, seria como


foi citado na referência 6, no qual estudou-se se a sacarose influenciava no desenvolvimento
do fruto de cafeeiro. Tendo em vista que o Brasil, é um importante produtor de café.

Materiais e métodos:

Reagentes e Periculosidade:

Sacarose (C12H22O11): uma substância conhecida desde antigamente. É produzido em larga


escala por diversos países, principalmente para usos alimentares, pois é um alimento natural e
amplamente utilizado como ingrediente. É um dissacarídeo não redutor constituído de dois
monossacarídeos, D-glicose e D-frutose. É conhecido genericamente com o nome de açúcar e
está distribuído em todo o reino vegetal, sendo o carboidrato de reserva de energia e material
indispensável para a dieta humana. É uma substância orgânica cristalina tendo duas fontes
naturais importantes: beterraba (Beta vulgaris) e cana-de-açúcar (Sacharum officinarum), esta
última é cultivada em 103 países sendo responsável por 60-70% da sua produção.

Glicose

Conclusões:
A partir da pesquisa teórica, será esperado em sala observar fatores interferentes na
mensuração da rotação específica de açúcares. Notar a variação das rotações em graus e levar
em consideração a diferença das concentrações das soluções de enantiômeros.

Bibliografia:

[1] Halliday, D. Resnick, R. e Krane. Fundamentos de Física: Gravitação, Ondas e


Termodinâmica. Vol 2. LTC Edt. 4a.ed. 1996.

[2] Prof. Newton B. Oliveira - newton@ufba.br <http://www.fis.ufba.br/dfes/fisica4.htm>


último acesso em 03/09/2015.

[3] Mono e Dissacarídeos: Propriedades dos açúcares,


<http://www.esalq.usp.br/departamentos/lan/pdf/Mono%20e%20Dissacarideos%20-
%20Propriedades%20dos%20Acucares.pdf> último acesso em 03/09/2015.

[4] Bagatin, O; Simplício, F. I.; Santin S. M. O. e Santin O. Rotação da luz polarizada: Abordagem
histórica com proposta experimental. Química Nova. n° 21, 2005.

[5] Estudo Cinético da Enzima Invertase <


http://www.barreto.uac.pt/bq2_prat/01invertase_introd.pdf> Último acesso em 04/09/2015.

[6] Jesus, A. M. S.; Villa, F.; Lara, A. C. C.; Pasqual, M. Avaliação do efeito das concentrações de
sacarose e dos estádios de desenvolvimento do fruto no cultivo in vitro de embriões de frutos
de cafeeiro. Rev. Ceres. Vol. 58. 2011.

[7] Ferreira, V. F.; Rocha, D. R.; Silva, F. C. Potencialidades e oportunidades na química da


sacarose e outros açúcares. Química Nova. Vol. 32. São Paulo, 2009.