Você está na página 1de 2

Higiene Vocal

Objetivo Geral: Alertar para o comportamento vocal inadequado, seus efeitos e implicações no processo vocal, assim como, buscar meios para a eliminação
de comportamentos negativos atraves do auto-monitoramento.
Seus aspectos mais importantes:

1. Alimentação

Em dias de apresentação ou show, evite alimentos pesados, ou seja, gordurosos ou muito condimentados, pois podem ocasionar: má digestão, azia e outros
desconfortos. A longo prazo, se inseridos diariamente na alimentação podem ocasionar refluxo gastro-esofágico e aumento anormal de secreção.
Evite tambem alimenta-se muito próximo da hora de dormir, isso aumenta o trabalho do estomago que produz muito acido gastrico contribuindo para o
quadro de refluxo e a longo prazo ao aparecimento de nódulos. Se for inevitável, procure deixar a cabeça um pouco mai elevada ao deitar, para auxiliar na digestão.
Evite pelo menos umas duas horas antes da apresentação: Chocolate, leite e seus derivados [iorgute, margarina, mateiga, coalhada...], café, sarapatel,
buchada, sarrabulho [comidas condimentadas em geral], Bebidas geladas ou quentes demais ou gasosas [refrigerante].
Busque alimentos leves e protéicos [macarronada com pouco molho, arroz branco com peito de frango na chapa ou cozido, uma sopa de pacotinho e
torradas...], Chás [de preferencia calmantes e/ou relaxantes], maçã, pêra, beber muita água em temperatura ambiente ou sucos adstringentes diluídos [Laranja ou limão].

2. Paliativos

São métodos temporários utilizados folcloricamente e que apenas mascaram problemas vocais. NÃO os resolve.

2.1. Álcool e Sprays

O teor alcoolico de certas bebidas e sprays farmacológicos geralmentes são anestésicos, não mais que isso. Não se iluda, eles causam a falsa impressão da
melhoria do estado vocal, o que faz você cantor[a] forçá-la mais intensamente e o resultado disso pode ser desde um leve quadro de rouquidão ou uma perca
temporaria da voz, ou a longo prazo, ate mesmo uma perca parcial e irreversível da qualidade vocal.
O Alcool torna-se um vilão um pouco mais prejudicial, pois alem do efeito anestésico causa desidratação corporal e tambem ressecamento contínuo das
pregas vocais. Seu excesso pode levar aos quadros crônicos de perca da qualidade vocal. Deixe para se divertir depois do show ou palestra.
Obs: Quando há vômito, a tendencia é que ocorra a “queima” das pregas vocais devido o suco gástrico. Beba bastante liquido, de preferencia água, e
repouse.

2.2. Gargarejos e Pastilhas

Os gargarejos e pastilhas aliviam a dor laringofaríngea e suavizam os quadros de rouquidão e outras afecções do tipo inflamátórias. Também melhoram o
quadro clinico momentaneamente.
Ex: - Gargarejo de água morna com sal: ajuda aliviar quadros de obstrução na garganta devido a secreção gripal ou resfriado;
- Pastilhas do tipo Amidalin, Neopiridin e a base de Xilocaina/Lindocaína: Auxiliam a diminuir a dor durante o quadro inflamatório de garganta.
Esses métodos não subistituem a visita ao médico.

2.3. Auto-Medicação

EVITE o máximo possível usar medicamentos em caso de perca vocal, de qualidade vocal parcial ou total da voz e rouquidão. Isso pode mascarar a doença
que pode ser mais grave do que parece.
Busque o repouso vocal, evite os ensaios e shows [se for possivel desmarque ou mude a data]. Descanse, durma bem (no mínimo 24 horas de descanso
vocal) e se hidrate muito com água. Muitas vezes apenas um repouso de alguns dias traz a voz de volta.
Se os tais quadros persistirem procure um clinico geral e peça o exame de laringoscopia para tirar qualquer duvida ou iniciar um tratamento se for
necessário.
Se já faz uso de alguma medicação indicada pelo médico como: analgesicos, antiflamatórios, antibioticos e antialergicos, saiba que se faz necessario fazer a
suspensão por algum periodo de tais medicamentos, pois em alguns casos o corpo cria resistencia [inutilizando futuramente a função do medicamento] e outros
prejudicam estomago e figado se usados por longo periodo. Ou seja, não adianta resolver um problema criando-se outro.

3. Maus Hábitos
3.1. Fumo

Esse é um habito que quase sempre se torna um vicio. Muito prejudicial a saúde vocal, causa congestão e hipersecreção da mucosa, diminui a função salivar
e afeta diretamente as vias respiratórioas trazendo a sensação de “asma”, falta de ar e ainda a diminuição da capacidade pulmonar gradativa. Além disso há correlação
direta com vários tipos de cancêr: pulmonar, de boca e de laringe são os mais “populares”, dentre outras sequelas de modo indireto.
EVITE fumar e ficar em ambientes de fumantes. A fumaça aos passivos é ainda mais prejudicial pois absorvem diretamente a fumaça tóxica.
Se acaso for quase impossível, diminua o uso durante dias de shows. Busque substituto na alimentação e hidratação.
As vezes uma atividade física, auxilia na ansiedade agravada pelo fumo.

3.2. Mau Uso Vocal

Seria o uso incorreto da voz: Altura, intensidade e qualidade.


Cantar sem fazer técnica, usar o ar de reserva, ataques vocais bruscos [intensidade e alura elevadas], geralmente causadas por alterações e tensões
emocionais ou hormonais. Falar rápido e sem articulação, falar fazendo esforço são exemplos comuns do maul uso da voz.

3.3. Abusos Vocais


3.3.1. Moderados

Hábitos do cotidiando que as vezes são implicados devido a problemas respiratórios, ao ambiente ou por outro qualquer esforço vocal.
São eles: o pigarro, tosse, espirro brusco e “raspar” friccionando a garganta (no caso as pregas vocais).
Ambos provocam o atrito constante e brusco das pregas. Substitua pela deglutição da saliva, exercícios de vibração labial ou de língua e pela hidratação via
oral constante.

3.2.2. Extremos

Que exercem efeito mais traumantezante nas pregas vocais.


Gritar, fazer vocalizações forçadas sem prévio aquecimento, falar execessivamente [seja em público, telefone], usa incorreto do microfone, falar ou cantar
com as pregas debilitadas e inchadas, falar em longas distâncias em ambiente aberto.

4. O Ambiente Físico

Muitas vezes não conhecemos o ambiente ao qual vamos nos apresentar. É muito importante para um bom profissional da voz atentar para alguns itens no
local do evento: acústica, ventilação ou refrigeração, ruído no ambiente e iluminação.
DICAS
- Caso não seja possivel conhecer o local previamente, chegue antes do evento começar [isso se voçê tiver um local para ficar longe do barulho], assim você
pode conhecer o recursos de som e iluminação para uma boa performance;
- Em alguns lugares, não todos infelizmente, dispomos de camarins com ar-condicionado e isolados acusticamente. Peça que o ar esteja na temperatura mais
próxima da do ambiente, relaxe e faça calmamente os aquecimentos básicos. Se for ventilador e se houver algun próximo ao palco, verifique sua limpeza, não
queremos um cantor[a] espirando ou com as vias respiratórias obstruídas;
- Se não houver um local isolado para ficar antes do evento ou se for um evento prolongado, tente fazer corretamente os exerícios antes de sair de casa. Não
fique calado[a] por mais de 20 minutos, continue fazendo vibração labial e tente chegar 30 minutos antes da sua apresentação, até evite conversar ou gritar se o
ambiente conter muito barulho.

5. Postura

Procurar sentar e caminhar ereto sempre que possivel, isso propicia melhor respiração e projeção vocal.

6. A Vestimenta

- Busque roupas que permitam os movimentos livres do corpo.


- Não use roupas apertadas na região do pescoço e toracxico-abdominal.
- Procure usar roupas de preferencia de tecidos naturais;
- Saiba escolher a roupa certa para cada ambiente, pois as luzes podem fazer calor e ambientes mais abertos fazer frio.

7. O Estresse

Já é sabido que situações de estresse podem afetar a qualidade da emissao vocal assim como sua performance.
Evite:
- Cantar ou falar exessivamente durante períodos de tensão afetivo emocional [brigas, períodos de tristeza, alegria, medo etc];
- Distúrbios hormonais, pois afetam diretamente a qualidade vocal
- Períodos de pré e pós operátório. Os mediamentos utilizados modificam momentaneamente a qualidade da voz. Repouse, beba bastante liquido e evite falar
desnecessáriamente;
- Períodos de outras convalecencias. Dor de cabeça, cólicas intestinais, febre, unha incravada, isso tudo incomoda o cantor. Em outras doenças de cunho
respiratório como gripes, resfriados e quase pneumonias, além do desconforto de estar doente, há uma mudança na emissao da voz que é claramente visível, visto que
existem secreções no pulmão e por todo aparelho fonador e nas cavidades de ressonancia da face, implicando em excessivo esforço até mesmo para falar.
Desmarque tudo que tiver programado e se cuide. Sua voz é única, cuide dela pois ninguem poerá lhe dar uma nova, assim como fazem com as cordas da
guitarra ou pele a de um bumbo ou tamborim.

8. Qualidade do Ar

É muito importante verificar a qualidade do ar do ambiente que você permanece durante longos períodos [casa e trabalho].
EVITE: - Ambiente muito seco, empoeirado e com fumaça de qualquer tipo;
- Exposição contínua a elementos irritantes e voláteis [ácidos, álcoois, vernizes, solventes, tintas etc];
- Ar Condicionado e falta de umidade em excesso;
- Mudanças bruscas de temperatura.
Se possivel faça uma vez por semana o uso de nebulizador ou vaporizador contendo apenas soro fisiologico em temperatura ambiente e/ou lave a cavidade
nasal com auxilio de uma seringa (sem agulha) pelo menos uma vez por dia com soro [1ml em cada narina é o suficiente].

9. Outros

- Evite cantar pela manha ou logo após longos períodos de sono. Quando dormimos o corpo libera substancias naturais anestesicas, o que ocassiona e requer
um periodo mais longo de aquecimento para despertar tanto o corpo quanto a voz. O indicado seria cantar à tarde ou noite, assim já teriamos a voz naturalmente
acordada.
- Se for inevitável cantar pela manha ou o período logo após o despertar, dê preferencia para duas horas antes da apresentação.
- A voz infelizmente envelhece assim como todo o resto do corpo. NÃO tente cantar as suas músicas na mesma tonalidade sempre. Se o cansaço bater, mude
o tom! É melhor do que não cantá-las...