Você está na página 1de 2

A autoexistência de Deus foi

inventada?
November 11, 2018

Obrigado por sua série Defenders (“Defensores”), que estou assistindo.


Numa aula recente sobre a doutrina de Deus, o senhor discutiu asseidade.
Tentei encontrar informações sobre o conceito antes da percepção
científica de que o universo tem um ponto inicial, o que me levou à questão
da pré-existência de Deus. Teístas afirmam que Deus é autoexistente e não
precisou ser criado. Mas esta não seria apenas uma invenção humana para
explicar um problema difícil proposto por ateus, a saber: se Deus criou o
universo, quem criou Deus? Como interessados podem ter confiança no
conceito, sem recorrer à Bíblia?

Dr. Craig responde

Ai, caramba, Ralph! Você deve estar


procurando em tudo quanto é lugar
errado! Para o abundante
testemunho bíblico e patrístico do
conceito de asseidade divina, não é
preciso ler além do capítulo 2 de
meu livro God Over All (2016). Não
apenas os escritores bíblicos
afirmam que Deus é a única
realidade última, o criador de todas
as coisas que existem separadas
dEle, mas os pais da igreja mantinham que Deus é o único agenētos (ser
sem origem). A ideia de que o conceito de asseidade divina não existia até o
advento da cosmologia do Big Bang (e como resposta a ela!) nos anos de
1920 é risível.
A doutrina da asseidade divina não é “apenas uma invenção humana para
explicar um problema difícil proposto por ateus, a saber: se Deus criou o
universo, quem criou Deus?” Em primeiro lugar, não é um problema
difícil. Se causas devem ser postuladas para explicar por que as coisas vêm
a existir, por que pensar que elas devam ser postuladas para explicar algo
que nunca veio a existir, que é eterno? De fato, como é sequer possível que
um ser que é eterno no passado tenha uma causa anterior? Em segundo
lugar, penso que você consegue enxergar, a partir do primeiro ponto, que a
asseidade divina sequer entra no quadro: a eternidade de Deus basta para
descartar a questão. Não é preciso fazer nenhum apelo à asseidade divina.
E, claro, tampouco é preciso dizer que a eternidade divina se trata de
antiga doutrina bíblica muito anterior ao surgimento do ateísmo.

Também vale a pena dizer que uma doutrina com origem no empenho de
oferecer solução a um problema não se mostra, por isso, “apenas uma
invenção humana”, sem nenhuma realidade objetiva. Isto impossibilitaria
que se descobrissem novas soluções para qualquer problema, o que
paralisaria tanto a ciência quanto a filosofia. Obviamente, queremos que
novas soluções propostas não sejam forçadas e que elas estejam alinhas
com os dados, mas isso é normal. Só não queremos desdenhar de uma
nova perspectiva porque é proposta em resposta a uma dificuldade
constatada. É assim que a ciência costuma avançar.

Sua pergunta final: “Como interessados podem ter confiança no conceito,


sem recorrer à Bíblia?” parece um pouco fora de contexto. A preocupação
da sua pergunta até então era se o conceito de asseidade divina era uma
invenção moderna em resposta à descoberta de que o universo tem um
começo. A melhor forma de mostrar a tolice de tal alegação é exatamente
apontar para as antigas raízes bíblias da doutrina, bem antes do advento da
ciência moderna. Porém, para quem também está interessado em fortes
razões filosófico-teológicas para afirmar a asseidade divina, recomendo a
seção final do mesmo capítulo de God Over All, mencionado acima.

- William Lane Craig