Você está na página 1de 19

Revista Ampla de Gestão Empresarial

www.revistareage.com.br

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA 5S: EMPRESA


MANUTENÇÕES INDUSTRIAIS

Aline Cássia Henrique Rodrigues1


Ana Paula Camargo Lisboa1
Renata Muller Bertholdo1
Adelmo Magalhães de França²

RESUMO

O presente trabalho busca explorar a teoria do Programa 5s e aplicá-lo na Muller


Manutenções Industriais, uma empresa de pequeno porte que busca melhorias no
ambiente de trabalho e, ao mesmo tempo, expandir com foco em qualidade,
buscando vantagens competitivas frente ao mercado. Após uma revisão
bibliográfica, foi realizado um plano de ação para a implantação da metodologia na
organização. Os problemas foram levantados, colaboradores treinados,
responsabilidades e ações delegadas. O "Dia D" criado para a sensibilização e
implantação dos sensos aconteceu com a colaboração de todos os funcionários. Os
resultados obtidos foram melhoria no ambiente de trabalho, ganho de eficiência
operacional, diminuição de riscos e falhas, mudanças no clima e na cultura da
organização com a simples melhoria da rotina de trabalho e preparação para a
implantação de outros programas de qualidade.

Palavras-chave: Housekeeping. Programa 5s. Qualidade Total.

___________________
1
Graduandos do Curso de Administração das Faculdades Integradas do Vale do Ribeira (FVR), Registro, SP.
² Graduado em Economia (FECAP). Mestrado em Economia (PUC-SP). Professor das Faculdades Integradas do Vale do
Ribeira.

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
69

1 INTRODUÇÃO

O Programa 5S tem por objetivo principal melhorar o ambiente de trabalho e


estimular os colaboradores a se orgulharem do seu local de trabalho, por meio da
educação e desenvolvimento das pessoas, promovendo mudanças de
comportamento e atitude. A implantação do Programa 5S é importante para a
empresa Muller Manutenções Industriais Ltda. que devido a constantes mudanças
ocorridas durante os anos em atividade, tais como a alta competitividade e a
necessidade de atender a seus clientes de maneira adequada, fornecendo produtos
e serviços com qualidade e segurança.
A Empresa Muller Manutenções Industrial foi criada por Carlos Muller Filho e
iniciou suas atividades no ano de 1970, na Avenida Doutor Carlos Botelho, no centro
de Pariquera-Açú, estado de São Paulo. Na época, seu nome fantasia era Oficina do
Ferreiro e ficava ao lado do extinto armazém de arroz, onde hoje são as instalações
do supermercado Magnânimo Magmax. Realizando serviços de manutenção,
reforma e concerto de máquinas e equipamentos de pequeno, médio e grande porte,
comércio de peças e acessórios para máquinas e equipamentos. Seus principais
clientes são fábricas serralharias, agricultores rurais, Prefeituras e o Hospital
Regional do Vale do Ribeira onde é feito manutenções nas máquinas da lavanderia.
Em 1977, mudou as instalações da oficina para a Avenida Cílio Zanella, nº
501, na Vila Clementina, nos fundos de sua casa onde está localizada até hoje.
Suas novas instalações permitiam uma melhor qualidade de vida no trabalho. A
partir daí, passou a ter seus filhos como funcionários, sempre tendo uma dificuldade
para contratar colaboradores pela falta de mão de obra especializada na região. No
ano de 1983 a oficina passou a se chamar Muller Implementos Agrícola Ltda.
Após a morte de seu proprietário, Carlos Muller Filho, em 1993, seu filho
mais velho Grey tomou frente do negócio de família e assumiu a empresa até o ano
de 2006. Nesse período a oficina passou a ser conhecida como Oficina do Grey. Em
2006, Admar Muller, o filho caçula assumiu a administração da empresa.
No ano de 2008, foi aberta uma nova firma, a Admar e Calos Muller Neto
Ltda. - ME que tem como sócios Admar Muller, Carlos Muller Neto e Rosemeire
Muller Bertholdo, e mudou seu nome para Muller Manutenções Industriais. Seu
quadro efetivo conta com 5 (cinco) funcionários altamente qualificados exercendo as

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
70

seguintes funções: Administrador, Gerente de produção, Subgerente de produção,


Soldador e Almoxarife. Com 43 anos de estrada a oficina passou a ser conhecida
pela sua qualidade nos mais diversos serviços, fidelizando clientes desde seu
primeiro ano.
O Programa 5S tem por objetivo principal melhorar o ambiente de trabalho e
estimular os colaboradores a se orgulharem do seu local de trabalho, por meio da
educação e desenvolvimento das pessoas promovendo mudanças de
comportamento e atitude.
O problema presente dentro da Muller Manutenções Industriais é a falta de
organização, espaço e limpeza dentro de seu ambiente de trabalho. Muitas
ferramentas e materiais são perdidos por conta da falta de organização. Um
problema frequente é o furto de equipamentos que, no final do expediente de
trabalho são esquecidos, muitas vezes, fora das instalações pelos funcionários e
pelos proprietários. O descarte impróprio de materiais, como retalhos de chapas, a
céu aberto, faz com que o mesmo não seja reutilizável por conta da ferrugem
presente no produto.
Na área administrativa esse problema também está presente, em um dos
escritórios, além de conter arquivos administrativos, existe uma prateleira onde se
encontra material usado no torno. Esses materiais são guardados nesta sala por se
encontrar mais próxima do equipamento. Na sala principal, onde funciona o
financeiro da empresa, há uma mesa utilizada somente em reuniões, essa mesa
ocupa um espaço significante no escritório, já que no mesmo falta espaço para
arquivo.
Há constante sujeira, tanto no ambiente da área de produção quanto no
escritório, pois a Oficina está localizada em uma rua sem pavimentação e seu pátio
também acumula poeira. O vestiário, onde os funcionários se trocam e guardam
seus pertences, é limpo duas vezes ao mês pela proprietária, porém, os funcionários
não mantém o ambiente limpo e organizado, o mesmo acontece com o banheiro.
Muitas empresas dão o primeiro passo para a Qualidade Total com a
implantação do programa 5S's, enfatizando a importância de se ter um ambiente de
trabalho limpo e bem organizado.
Como a implantação dos 5S’s vai resolver os problemas dentro da Muller
Manutenções Industriais?

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
71

O objetivo do trabalho é implantar o sistema de Qualidade Total através do


Programa 5S para a melhoria continua no ambiente de trabalho, promovendo a
qualidade de vida dos funcionários e a satisfação do cliente.
Os objetivos específicos são descrever a situação da empresa antes da
implantação do programa; analisar o modelo utilizado na implantação; descrever o
processo de implantação, suas etapas e sequências; propor melhorias e sugestões
ao processo de implantação.
A implantação do Programa 5S é de suma importância para a empresa,
devido ao cenário de constantes mudanças, a alta competitividade e a necessidade
de atender ao consumidor de maneira adequada, fornecer a seus clientes produtos e
serviços com a máxima qualidade e segurança.
A escolha pelo Programa 5S ocorreu devido ao fato de ser algo bastante
simples, que pode trazer grandes resultados para a empresa, pois o programa visa
estabelecer um ambiente de trabalho agradável, organizado e limpo, além de
promover nos trabalhadores a conscientização, disciplina e atendimento aos
padrões. No Brasil inúmeras empresas vêm desenvolvendo ou implantado o 5S,
como uma mola propulsora ou base para implantação do Programa de Qualidade
Total.
A Implantação do Programa 5s realizada na empresa envolve os setores de
produção e administrativo. Para obter as informações foram realizadas visitas
técnicas à oficina, para que fosse possível realizar um diagnóstico das necessidades
de mudança. Os instrumentos de coletas de dados foram: observação através dos
registros por meio de fotos de antes e após a implantação; aplicação de questionário
para obter informações sobre os interesses dos colaboradores no 5S e entrevista
com os proprietários para saber o objetivo no programa.
Dessa forma, definimos ações de melhoria para a empresa com atividades
voltadas para o Programa 5S, de acordo com a metodologia apresentada. Tais
ações são descritas pelas seguintes etapas:
1ª Etapa: Preparação – foi realizada uma apresentação explicativa sobre o
programa 5S com todos os funcionários mostrando os principais aspectos, objetivos,
utilização e benefícios, com o intuito de esclarecer, motivar e conseguir o
envolvimento de todos os inseridos no processo.

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
72

2ª Etapa: Implantação – foi elaborado um plano de implantação ou plano de ação, e


realizada a implantação dos seguintes sensos:
Seiri (senso de utilização): consiste na seleção de materiais desnecessários e que
devem ser descartado após criteriosa avaliação de sua utilização.
Seiton (senso de ordenação): processo para a ordenação, arrumação e organização
da área estudada, como identificação dos locais para cada material utilizado.
Seiso (senso de limpeza): consiste em estabelecer um cronograma de limpeza e
manutenção no ambiente.
Seiketsu (senso de saúde): definição de padronização dos processos de trabalho,
abordando a qualidade de vida ao usuário do processo.
Shitsuke (senso de autodisciplina): é a preparação para o autogerenciamento,
autodisciplina para a manutenção do processo.
3ª Etapa: “Dia D” - Ou Dia da Limpeza deve ser planejado e programado com
antecedência, nesse dia as atividades de rotinas serão suspensas para não causar
transtornos aos clientes, fornecedores e colaboradores. O “Dia D” é o dia aonde
todos irão se dedicar a limpeza e a organização do local de trabalho, seguindo a
metodologia dos 5S.
4ª Etapa: Manutenção – O treinamento e a conscientização deverão continuar
sendo trabalhados constantemente entre os funcionários. A manutenção é a parte
mais difícil da implantação, pois exige dedicação, disciplina e esforço de seus
colaboradores e envolvidos no projeto.

2 EMBASAMENTO TEÓRICO

2.1 O QUE É O 5S

O 5S é um conjunto de cinco conceitos simples que, ao se serem praticados,


são capazes de modificar o humor, o ambiente de trabalho, a maneira de conduzir
as atividades rotineiras e atitudes (Lapa, 1998).
O termo 5S é derivado de cinco palavras japonesas, todas iniciadas com a
letra S. Na interpretação dos ideogramas que representam essas palavras, do
japonês para o inglês, conseguiu-se encontrar palavras que iniciavam com a letra S

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
73

e que tinham um significado original em japonês. Porém, o mesmo não ocorreu com
a tradução para o português. A melhor forma encontrada para expressar a
abrangência e profundidade do significado desses ideogramas foi acrescentar o termo
“Senso de” antes de cada palavra em português que mais se aproximava do significado
original. Assim, o termo original 5S ficou mantido mesmo na língua portuguesa
(Lapa, 1998). Senso, segundo Ferreira (1999) é a "faculdade de apreciar, de julgar".
Significa, também, "entendimento; juízo, tino". Portanto, rigorosamente falando,
nunca se "implanta” um senso, mas se "planta" e se "cultiva", num processo
educacional que exige lideranças competentes, pacientes e persistentes, que
realmente gostem de pessoas.

Surgimento do 5S
O programa 5S foi criado no Japão após a derrota deste país na II Guerra
Mundial. O Japão completamente destruído e arrasado encontrou no 5S, uma
maneira de reestruturar suas indústrias, visando melhorar a qualidade dos produtos.
De acordo com Osada (1992), o Japão é um país pobre em recursos
naturais, porém, nele há um recurso em abundância, que é à disposição das
pessoas. Portanto, foi devido a este recurso que a implantação de programas de
qualidade no Japão, em que disciplina e persistência são fatores fundamentais para
sua manutenção, obtiveram tanto êxito e fez com que fosse possível a
reestruturação de suas indústrias.
O mercado internacional se tornou o foco das indústrias japonesas. Para
Hradesky (1989), o Japão aplicou técnicas inovadoras em busca da qualidade e
obteve sucesso, uma vez que seus clientes, a imensa maioria do exterior, estavam
cada vez mais satisfeitos com os produtos japoneses do período pós-guerra. Tendo
em vista os resultados obtidos pelas indústrias japonesas, a repercussão dos
programas de qualidade atingiu as indústrias ocidentais. Foi a partir deste momento
que se iniciou estudos para a implantação deles em outros países, sendo difundido a
vários continentes.
No Brasil, o 5S foi formalmente lançado em 1991 e a sua prática tem
produzido consequências visíveis no aumento da autoestima, respeito ao próximo,
ao ambiente e crescimento pessoal (Bueno, 2003). No início da sua implantação

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
74

apenas os três primeiros “S” eram abordados, tendo sido incorporado depois o 4º e o
5º.

Programa Cinco Sensos (5S) – Housekeeping

Senso de Utilização (seiri)


Em sentido amplo significa: "Utilizar os recursos disponíveis, com bom senso
e equilíbrio, evitando ociosidade e carências" (Silva, 1996).
No programa, significa diferenciar o útil do desnecessário, destinar as coisas
desnecessárias ao ambiente de trabalho para determinado local classificando as
mesmas ou descartando-as quando necessário. Quanto mais organizado for o local
de trabalho do indivíduo, este se tornará mais produtivo, não perdendo tempo com
materiais obsoletos.
Alguns procedimentos podem ser adotados para maior aproveitamento do
senso:
- Analisar tudo o que está no local de trabalho;
- Separar o necessário do que é desnecessário;
- Verificar utilidade de cada item perguntando: agrega valor?;
- Manter estritamente o necessário.

Senso de Organização (seiton)


Sentido amplo adotado: “Dispor os recursos de forma sistemática e
estabelecer um excelente sistema de comunicação visual para rápido acesso a eles"
(Silva, 1996).
Depois de ter sido liberado espaço na área de trabalho com a aplicação do
seiri, as coisas que sobraram e que efetivamente necessitam continuar na área de
trabalho, devem ser organizadas de maneira lógica e coerente; essa organização
recebe o nome de seiton.
Deve ser buscada com esse procedimento a simplificação, que é seu
conceito-chave. Estando os materiais localizados facilmente para que se possa
perceber se estes se encontram fora de seus devidos lugares, constatando isso de

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
75

maneira rápida, simples e imediata. Identificar o que se está guardando para que se
possa encontrar com facilidade (Ballestero-Alvarez, 2001).
Procedimentos que devem ser utilizados na prática deste senso:
- Definir arranjo físico da área de trabalho;
- Padronizar nomes;
- Guardar objetos semelhantes no mesmo lugar;
- Usar rótulo e cores vivas para identificação;
- Buscar comprometimento de todos na manutenção da ordem.

Senso de Limpeza (seiso)


Ter um senso de limpeza equivale a: "Praticar a limpeza de maneira habitual
e rotineira e, sobretudo, não sujar" (Silva, 1996).
Este senso busca criar um ambiente de trabalho organizado e limpo para a
melhor execução das tarefas por parte do colaborador. Segundo Silva (1996), cada
indivíduo deve limpar a sua própria área de trabalho e, sobretudo, ser
conscientizado para as vantagens de não sujar. Visa, principalmente, à criação e
manutenção de um ambiente físico agradável.
A limpeza, muitas vezes, atua como um momento de terapia para o
funcionário, pois ela se transforma em oportunidade para refletir quanto a melhor
disposição dos materiais no ambiente.
Práticas que podem ser adotadas:
- Educar para não sujar;
- Limpar instrumentos de trabalho após uso;
- Conservar limpas mesas, gavetas, armários, equipamentos e móveis em
geral;
- Inspecionar enquanto executar a limpeza;
- Descobrir e eliminar as fontes de sujeira.

Senso de Saúde (seiketsu)


Em uma frase significa: "Manter as condições de trabalho, físicas e mentais,
favoráveis à saúde" (Silva,1996).

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
76

Respalda-se na manutenção das condições de trabalho, com a preocupação


maior com a saúde, seja nos níveis físico, mental e emocional. Estando os três
primeiros sensos desenvolvidos, há que se ter a preocupação com a saúde.
Aspectos de higiene, segurança no trabalho e saúde pessoal devem ser
considerados.
A busca da melhora do ambiente de trabalho desenvolve nas pessoas a
perspectiva de querer trabalhar em um ambiente limpo, o que traz como
consequência a mudança de hábito de seus colaboradores no que se refere à saúde
pessoal de cada indivíduo.
Sugestões que podem ser adotadas para obter maiores resultados com este
senso:
- Pensar e agir positivamente;
- Manter bons hábitos e higiene pessoal;
- Manter limpos e higienizados ambientes de uso comum;
- Conservar o ambiente de trabalho com aspecto agradável;
- Evitar qualquer tipo de poluição;
- Melhorar as condições de trabalho.

Senso de Autodisciplina (shitsuke)


Em sentido amplo, o senso de autodisciplina pode ser expresso, no 5S,
como: “Ter todas as pessoas comprometidas com o cumprimento dos padrões
técnicos e éticos e com a melhoria contínua em nível pessoal e organizacional"
(Silva, 1996).
Ter o senso de autodisciplina é desenvolver o hábito de observar e seguir
normas, regras, procedimentos, atender especificações, sejam escritas ou informais.
Este hábito é o resultado do exercício da força mental, moral e física. Poderia ainda
ser traduzido como desenvolver o "querer de fato", "ter vontade de", "se predispor a"
(Lapa, 1998).
A disciplina consiste na realização de forma espontânea por parte das
pessoas de todas as tarefas abordadas anteriormente, com o envolvimento de todos
e máximo esforço para manter as tarefas sendo executadas de maneira correta.
Pode-se dizer que: "Não se esqueça: tirou, guardou; abriu, fechou; emprestou,

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
77

devolveu; acabou, repôs; estragou, consertou; saiu; voltou". Ou seja, desenvolver na


consciência de cada colaborador que qualquer tarefa que for iniciada necessita ser
terminada (Ballestero-Alvarez, 2001).
A disciplina no posto de trabalho é um esforço conjunto na busca de
desenvolver todas as tarefas a serem executadas de maneira correta, para que não
venham a prejudicar o processo produtivo. A ênfase deste senso está na criação de
um ambiente de trabalho agradável, em que todos os usuários deste ambiente
tenham bons hábitos.
Alguns procedimentos podem ser adotados para melhor aplicação do senso:
- Compartilhar visão e valores;
- Educar para a criatividade;
- Ter padrões simples;
- Melhorar comunicação em geral;
- Treinar com paciência e persistência.
Os conceitos de disciplina parecem ser fáceis de serem alcançados, mas as
experiências de implantação do programa identificam este senso como sendo um
dos de maiores dificuldades, pois envolve comportamentos pessoais, ou seja,
hábitos que as pessoas possuem desde a infância e que devem ser alterados
gradativamente (Costa, 1999).

Aplicação do 5S

Os 5S e os padrões operacionais
Padrões operacionais são descrições que especificam os métodos,
procedimentos e condições de trabalho de tal forma que, ao serem adotados, a
qualidade requerida do resultado do trabalho possa ser obtida. O sucesso na adoção
dos conceitos 5S constitui um passo importante e fundamental no desenvolvimento
de atitudes positivas na condução da padronização das tarefas (Lapa, 1998).
Ao mesmo tempo, tais padrões devem garantir a execução das tarefas de
forma fácil, correta e segura, sem riscos e num ambiente relaxado.
Padrões operacionais não descrevem apenas sequências de tarefas ou
ações, mas devem especificar também os recursos necessários para sua execução.

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
78

Isto se torna relevante, pois, a partir do conhecimento disto, o executante pode


controlar a eficiência do seu trabalho em termos de facilidade de execução,
qualidade do resultado e segurança nas ações.
Em outras palavras, a repetitividade do resultado das tarefas não é
assegurada sem a existência de padrões operacionais a serem seguidos,
constituindo isto uma das etapas da jornada em busca da produtividade. A adoção
de padrões operacionais conduz, portanto, para uma redução de erros e falhas e
consequente eliminação de desperdício, seja de tempo, energia ou materiais.
Entretanto, é difícil consolidar a adoção de padrões operacionais em
ambientes e situação de desordem relativa a equipamentos, peças, materiais,
ferramentas, etc. Da mesma forma, a existência de objetos estranhos, poeira, lama,
lixo, aparas e outros nos locais de trabalho, podem não somente influenciar
negativamente na saúde e integridade dos executantes como também causar danos,
defeitos e falhas em equipamentos. O resultado disto são quebras inesperadas de
equipamentos, ferramentas não disponíveis, deterioração de peças e materiais, etc.
Deste modo, o sucesso na adoção de padrões operacionais pode ser obtido
somente depois de estabelecido os padrões ambientais de Utilização, Ordenação e
Limpeza, bem como o desenvolvimento do Senso de Saúde e educação para
execução dos padrões, disciplinadamente. Em outras palavras, a adoção dos
conceitos de 5S constitui um passo importante e fundamental no desenvolvimento
de atitudes positivas na condução da padronização de tarefas.

Os 5s e a eficiência no trabalho
Observando a execução de tarefas, nota-se que diversas ações não
significam diretamente "trabalho produtivo" isto é, não agregam valor. Tais ações
improdutivas envolvem manuseio, transporte de objetos (materiais, peças,
ferramentas, etc.), procura de algum item, locomoção, escolha de alguma coisa,
solicitação de algo, mudança de posição, dentre outros. Certamente, nestas
situações, os distúrbios causados pelos movimentos de desperdício mencionados,
não contribuem para que as pessoas se concentrem na execução do serviço, além
de significarem perda de tempo.

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
79

A identificação dos itens necessários no local de execução da tarefa, o


descarte dos itens desnecessários, a disposição destes em locais próximos ao uso
ou aplicação, a identificação dos mesmos de modo que qualquer pessoa possa
reconhecer e localizar facilmente, a facilidade de acesso e retorno ao local após uso,
a limpeza, a disciplina em manter o ambiente organizado, constitui ações que
eliminam este desperdício e aumentam a eficiência do trabalho.

Os 5s e a segurança no trabalho
A busca de procedimentos seguros conduz à elaboração de padrões
operacionais ideais. Operação segura é garantida quando os padrões operacionais
são observados, constituindo o 5S uma boa ferramenta para obtenção de condições
ambientais seguras, onde as pessoas podem exercer sua função confortavelmente,
além de constituir um instrumento poderoso de educação na adoção de atitudes
proativas, na busca da melhoria do ambiente de trabalho.
Objetos desnecessários nos locais de trabalho podem ser agentes
causadores de acidentes. A definição de área para trânsito de pessoas, carga e de
materiais indicadas claramente, sinalização adequada de áreas são ações de
prevenção de acidentes.
A regulamentação de uso/manuseio de materiais perigosos, avisos de
advertência com sinalização visível são fundamentais para que cada pessoa possa
visualmente reconhecer e conduzir ações seguras nos locais de trabalho.
Obstáculos próximos ou obstruindo saídas de emergência ou extintores de
incêndio, devem ser removidos para permitir ações rápidas em caso de emergência.
A identificação de locais perigosos e riscos no ambiente de trabalho é o primeiro
passo para adoção de medidas corretivas (eliminação de poeira, fumaça, mau
cheiro, excesso de umidade e calor, etc.) buscando contribuir para a manutenção da
saúde e integridade das pessoas.
Do mesmo modo, o ambiente de trabalho pode fazer com as pessoas se
sintam bem, ou desmotivadas, caso não seja tão satisfatório quanto desejam. Talvez
você esteja em posição de garantir condições de trabalho seguras e oferecer um
ambiente saudável. Além disso, você pode achar interessante conhecer a legislação

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
80

a respeito, a fim de garantir que sua empresa esteja cumprindo as obrigações legais
relativas a seus funcionários (Maitland, 2000).

A Prática dos 5S
Apesar da simplicidade dos conceitos e da facilidade de aplicação na
prática, a sua implantação efetiva não constitui uma tarefa simples. Isto porque a
essência dos conceitos é a promoção de mudança de atitudes e hábitos das
pessoas. Hábitos e atitudes essas, construídos se incorporados pela convivência e
experiência dessas pessoas ao longo de suas vidas. Ao tomar-se conhecimento
destes conceitos tão óbvios, as pessoas sentem-se seduzidas a iniciar já a sua
implantação.
Mas certamente, as atitudes e hábitos decorrentes da prática do 5S irá se
chocar com os hábitos e atitudes incorporadas na maneira de ser e agir do ser
humano. Este constitui um aspecto crítico da implantação: a dificuldade de "romper"
com os conceitos e pré-conceitos existentes nas pessoas. É preciso que seja criado
clima adequado e condições de alavancagem desta mudança. É preciso dar suporte
àqueles que estão conseguindo "romper" e ajudar àqueles que ainda não o fizeram,
para que possam seguir a mesma direção dos outros. Este rompimento precisa ser
espontâneo para que tenha condições de se perpetuar, removendo de forma
definitiva, velhos hábitos e atitudes e substituindo-os por outros.
A prática destes conceitos de maneira forçada pode promover mudanças
apenas aparentes, existentes até que cesse a força que o impeliu a adotar aquela
atitude de falsa mudança. Portanto, a Implantação do Programa 5S precisa ser
sistematizada e planejada em todos os passos, de modo a garantir a longevidade da
mudança incorporada pela adoção daqueles conceitos simples. Quanto maior e mais
complexa a organização, maior será a necessidade desta estruturação e mais
detalhada ela devera ser.
No ambiente familiar, a implantação é muito mais simples, não somente pelo
número de pessoas envolvidas, mas principalmente pela natureza das relações
entre estas pessoas, onde a credibilidade, a confiança, o respeito mútuo e a união
estão fortemente sendo exercitados, construídos e compartilhados entre os seus
membros.

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
81

Da mesma forma, a natureza e intensidade das relações presentes no


ambiente organizacional vão influenciar fortemente e podem constituir fator de
sucesso ou insucesso na implantação dos 5S. A implantação será tão mais facilitada
quanto mais o clima organizacional se aproximar do modelo das relações familiares.

2.2 FASES DA IMPLANTAÇÃO

Pode-se utilizar a ferramenta do PDCA para a implantação e manutenção do


5S (Lapa, 1998). O método PDCA que se baseia no controle de processos, foi
desenvolvido na década de 1930, pelo americano Shewhart, mas foi Deming seu
maior divulgador, ficando mundialmente conhecido ao aplicar nos conceitos de
qualidade no Japão (Milet, 1993). Neste sentido, a análise e medição dos processos
são relevantes para a manutenção e melhoria dos mesmos, contemplando inclusive
o planejamento, padronização e a documentação destes. O uso dos mesmos pode
ser assim afirmado por Lapa (1998).
P (Plan = Planejar): Definir o que queremos, planejar o que será feito, estabelecer
metas e definir os métodos que permitirão atingir as metas propostas.
D (Do = Executar): Tomar iniciativa, educar, treinar, implementar, executar o
planejado conforme as metas e métodos definidos.
C (Check = Verificar): Verificar os resultados que se está obtendo, verificar
continuamente os trabalhos para ver se estão sendo executados conforme
planejados.
A (Action= Agir): Fazer correções de rotas se for necessário, tomar ações
corretivas ou de melhoria, caso tenha sido constatada na fase anterior a
necessidade de corrigir ou melhorar processos.

2.3 PROGRAMA 5S E A GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL

A qualidade tem sua existência desde que o mundo é mundo. Ao longo da


história, o homem procurou o que mais se adequasse a suas necessidades, fossem
de ordem material, intelectual, espiritual ou social. A relação cliente-fornecedor tão

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
82

propalada nos dias atuais, na verdade sempre existiu no seio familiar, entre amigos,
nas organizações de trabalho, escola e na sociedade em geral (Bueno, 2003).
Vive-se hoje o cenário da busca incessante da Qualidade Total em todos os
tipos de organizações, seja de produtos, seja na área de serviços, como fator de
sobrevivência e competitividade (Bueno, 2003).
As organizações recebem pressões de todos os lados e competem entre si
pela sobrevivência. Algumas esperam por crises para efetuar mudanças
necessárias, outras se antecipam ao futuro. Do ponto de vista genérico, todos
exigem qualidade como “uma vida melhor” (Silva, 1996).
Dissemina-se pelo mundo uma filosofia de vida e de trabalho que,
teoricamente, incorpora as posturas necessárias à sobrevivência com dignidade:
Qualidade. É preciso reconhecer que, nem todas as organizações e pessoas que
falam em qualidade a praticam. Em alguns casos, a palavra se torna uma mera
fachada, para que tudo continue como sempre foi (Silva, 1996). O sistema integrado
de gestão tendo como princípio a qualidade recebe o nome Total Quality
Management - TQM, ou de Gestão pela Qualidade Total GQT, e nomes específicos
adaptados à necessidade de cada organização.
Segundo Juran & Gryna (1991), são atividades usuais do GQT:
- Estabelecimento de objetivos abrangentes;
- Determinação de ações necessárias para alcançá-los;
- Atribuição de responsabilidades por tais ações;
- Fornecimento de recursos para cumprir estas responsabilidades;
- Fornecimento do treinamento necessário;
- Estabelecimento de meios para avaliar o desempenho em face dos
objetivos;
- Estabelecimento de um processo de análise crítica dos objetivos, em
intervalos pré-determinados.
O GQT busca envolver a alta administração da empresa no esforço pela
qualidade e no desenvolvimento do planejamento da qualidade na empresa em nível
estratégico, global, coma participação de departamentos, segundo suas
características específicas, e, principalmente, com a inclusão de todos os processos
da empresa, não só o de produção.

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
83

Assim, o GQT cria uma ação estratégica da qualidade, que envolve os


desdobramentos dos objetivos gerais da empresa para incluir qualidade, a definição
clara de responsabilidade pela qualidade em vários níveis e a criação de recursos
exclusivos para a qualidade.
O 5S contempla praticamente todos os elementos essenciais do GQT como,
por exemplo, treinamento, melhoria, motivação, trabalho em equipe, gerenciamento,
etc. Assim sendo, a boa pratica do 5S facilita a implementação do GQT.
Naturalmente, as empresas com o GQT em implantação é conveniente que o 5S
seja praticado como parte integrante do sistema (Umeda, 1997).
Conforme Bueno (2003), o Programa 5S prepara o ambiente para o GQT e
gera resultados imediatos como:
- Melhoria da qualidade dos serviços;
- Menor desperdício de materiais, de energia e de mão-de- obra e redução
de custos;
- Ganhos de imagem da empresa internamente e junto a clientes;
- Espírito de equipe e elevação da moral dos empregados;
- Mais qualidade de vida para todos;
- Redução dos riscos de acidentes;
- Atmosfera de cooperação, participação, responsabilidade e criatividade;
- Combate às formas de poluição;
- Fornece a base cultural para novas melhorias;
- Desperta o sentido de aperfeiçoamento;
- Aprimora a relação entre a empresa e o trabalhador;
Desta forma viabiliza a implantação de outros programas (BPF, ISO,
HACCP) e acelera a modernização da empresa.

3 ANÁLISE DOS RESULTADOS

Para a implantação do programa do 5S na empresa Muller Manutenções,


primeiramente, foi necessária a realização de um levantamento para avaliar a
situação inicial do ambiente. Essa análise foi necessária para a definição dos
problemas existentes e verificação da possibilidade de implantação do programa.

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
84

Depois de levantados os dados, foi possível elaborar um plano de ação, definindo as


atividades que seriam realizadas e o cronograma de atuação.
Com base no plano de ação elaborado, ocorreram as primeiras modificações
no ambiente, com a implantação do primeiro senso (utilização). Primeiramente, foi
feita uma análise de tudo que estava no local de trabalho, como ferramentas e
materiais, na área operacional, e documentos e materiais de escritório, na área
administrativa. Após, deu-se início a separação destes materiais. Os materiais sem
condições de uso foram descartados; os materiais em boas condições de uso foram
remanejados em sua área de acordo com as necessidades de cada colaborador.
A implantação do segundo senso (organização) ocorreu de forma tranquila e
com a participação de todos os colaboradores. Foram reorganizados alguns móveis
e definido os locais em que cada material seria guardado, tornando fácil o seu
acesso para cada colaborador. Esse senso ajudou a solucionar um dos principais
problemas da oficina, que era a desorganização.
Com o terceiro senso (limpeza), buscou-se mostrar aos colaboradores a
importância desse momento, instruindo-os a conservar mesas, armários,
equipamentos limpos e a inspecionar enquanto executam a limpeza.
Com a realização destas etapas, foi possível observar que os colaboradores
sentiram-se satisfeitos em retirar de local de trabalho materiais que não estavam
mais sendo utilizados e que estavam somente ocupando espaço, com o fácil acesso
ao seu material de trabalho e com o ambiente mais limpo e agradável para realizar
suas tarefas. O quarto e quinto sensos (saúde e autodisciplina) estão sendo
aplicados na empresa.
Todas as mudanças foram realizadas no que foi chamado de Dia D do 5S.
Nesse dia, foi possível observar que a filosofia dos 5 Sensos realmente havia sido
disseminada entre os colaboradores, pois os mesmos deixaram o ambiente
organizado e limpo e adotaram com uma atitude melhor em relação ao seu trabalho.

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
85

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Neste trabalho, pudemos observar que a implantação do programa 5S na


empresa Muller Manutenções Industriais foi bem aceita e, consequentemente, bem
sucedida, pois foi compatível com o objetivo proposto mostrando bons resultados no
que se diz respeito ao programa 5S.
Os resultados obtidos com a implantação do programa são claramente
observados, refletidos no comportamento dos colaboradores e na satisfação dos
donos da empresa. É importante falar que houve melhoria na utilização dos recursos
usados no ambiente de trabalho e no conforto e bem-estar dos colaboradores. O
local de trabalho tornou-se mais prático e agradável aos colaboradores e os
problemas como perda ou desperdício de materiais ou sujeira foram resolvidos.
A implantação do Programa 5S proporcionou uma melhora significante no
ambiente físico e organizacional do setor, proporcionando:
 Maior agilidade nos processos;
 Ambiente limpo e saudável;
 Uso correto dos materiais;
 Organização (acesso e disposição dos materiais);
 Melhor disposição dos colaboradores em manter os materiais e máquinas
organizadas.
As maiores dificuldades encontradas para a implantação do programa foram
o fato de não ter sido possível haver paralisação no departamento, exceto para o dia
D do 5S, que foi realizado em um sábado (fora da semana de expediente) e em
relação ao Senso de Autodisciplina, que não vem alcançando grandes resultados,
mas o caminho para essa melhoria já foi proposto. Lembrando que os 5S têm como
objetivo eliminar desperdícios de produtos, materiais, tempo e dinheiro aumentando
a produtividade e, consequentemente, a eficiência e eficácia das empresas.
Podemos concluir que a implantação do programa 5S foi de muita
importância para a empresa, pois trouxe uma melhor qualidade, em vários aspectos,
tanto em relação ao espaço físico, produtivo e clima organizacional. Serviu de base
para um futuro programa de qualidade na empresa, caso a mesma decida adotar.

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727
Implantação do Programa 5S: Empresa Manutenções Industriais
Rodrigues, A. C. H. ; Lisboa, A. P. C. ; Bertholdo, R. M. ; França, A. M.
86

4 REFERÊNCIAS

BALLESTERO-ALVAREZ, M. E. B. (Coord.). Administração da Qualidade e da


Produtividade: abordagens do processo administrativo. São Paulo: Editora Atlas,
2001.
BUENO, W. C. Comunicação Empresarial: teoria e pesquisa. Barueri: Manole,
2003.
COSTA, M. L. da S.& ROSA, V. L. do N. Primeiros passos da Qualidade no
canteiro de obras 5S no canteiro. 2. ed. São Paulo: O Nome da Rosa; 1999.
FERREIRA, A.B.H. Novo Aurélio – Dicionário da Língua Portuguesa. 3. ed. Rio
de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.
HRADESKY, J. L. Aperfeiçoamento da qualidade e da produtividade: guia
prático para a implementação do controle estatístico de processo. Rio de
Janeiro: McGraw-Hill, do Brasil, 1989.
JURAN, J. M. & GRYNA, F. M. Controle da Qualidade - Handbook. São Paulo:
Makron, McGraw-Hill, 1991. vol. 1.
LAPA, Reginaldo Pedreira. Praticando os 5 sensos. Rio de Janeiro: Qualitymark,
1998.
LAPA, Reginaldo Pedreira. Programa 5s. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1998.
LAPA, Reginaldo; FRAZEN, Edson A. (Compilado). Programa de Qualidade 5S.
Disponível em: http://www.ptnet.com.br/5sensos/aplicaco.htm. Acesso em: 22 ago.
2013.
MAITLAND, Ivan. Como Motivar as Pessoas. São Paulo: Noel, 2000.
MILET, Paulo Barreira; MILET, Evandro Barreira; PEREIRA JR, Paulo Jorge C. Os
Princípios da Qualidade Total Aplicado a Informática. Ed. LTC, 1993.
OSADA, Takashi. 5S’s – Cinco Pontos-Chaves para o Ambiente da Qualidade
Total. 3ª Edição. São Paulo/SP. Editora IMAM – 1992.
SILVA, João Martins. O ambiente da qualidade na prática 5S. Belo Horizonte:
Fundação Christiano Ottoni, 1996.
UMEDA, M. As sete chaves para o sucesso do 5S, Belo Horizonte – Fundação
Cristiano Otoni, 1997.

Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, V. 3, N° 1, art. 5, p 68-86, abril 2014, ISSN 2317-0727