Você está na página 1de 46

Manual de instruções

Ônibus
ZF-AS Tronic lite
6 AS 1010 BO, 6 AS 1110 BO
Alavanca seletora de marcha ZF
Copyright © ZF Friedrichshafen AG

O presente documento está protegido por direitos autorais.


A duplicação total ou parcial e a reprodução deste documento são
expressamente proibidas sem a autorização prévia da ZF Friedrichshafen AG.
Contravenções serão punidas nos termos do Código Civil e Penal.
O presente documento é uma tradução do texto original alemão.
Introdução

Antes de colocar o veículo em funcionamento pela primeira Seu veículo está equipado com um sistema de transmissão
vez, ler atentamente este manual de instruções. automático ZF-AS Tronic lite.
Quanto melhor o usuário conhecer a transmissão ZF-AS Tronic
Além disso, observe as indicações especiais apresentadas lite, mais econômico será seu modo de condução.
no manual de instruções da montadora, como p. ex. Este manual de instruções contém todas as informações
agregados auxiliares. necessárias para que o usuário possa utilizar plenamente as
vantagens técnicas da transmissão ZF-AS Tronic lite.
ATENÇÃO
Devido à variedade de tipos, as ilustrações desse manual de Para garantir a segurança e o bom funcionamento do produto,
instruções nem sempre são idênticas às das transmissões. Por observe estritamente as instruções de manutenção.
essa razão, somente uma variante será exibida como exemplo. Para efetuar trabalhos de manutenção na transmissão e em
caso de ocorrer eventuais problemas na mesma, os técnicos
autorizados do serviço de assistência técnica da ZF estão à
sua inteira disposição. Os respectivos endereços podem ser
obtidos junto à ZF em Friedrichshafen.

Uma boa viagem com a ZF-AS Tronic lite deseja-lhe a

ZF Friedrichshafen AG
Transmissões para ônibus
D-88038 Friedrichshafen

Reservado o direito a alterações técnicas. Telefone: +49 (0) 75 41 77-0


Primeira edição: 2008 Telefax: +49 (0) 75 41 77-908000
Internet: www.zf.com

1346 758 514 - 2012-04 3


Indicações de segurança

As seguintes indicações de segurança são utilizadas neste


manual de instruções: PERIGOS PARA O MEIO AMBIENTE!
Lubrificantes, materiais auxiliares e produtos de
limpeza não devem atingir o solo, a água subterrânea
ATENÇÃO ou a rede de esgotos.
Serve como indicação a processos especiais de trabalho, • Solicitar as fichas de dados de segurança
métodos, informações, etc. referentes aos respectivos produtos junto às
devidas autoridades responsáveis pela proteção
ambiental e seguir as mesmas.
CUIDADO • Recolher o óleo usado em um recipiente com
É utilizado quando um método de trabalho divergente ou tamanho adequado.
incorreto pode levar a danos no próprio produto. • Óleo usado, filtros sujos, lubrificantes, bem como
produtos de limpeza devem ser eliminados de
acordo com as regulamentações relativas à
proteção ambiental.
PERIGO! • Ao utilizar lubrificantes e produtos de limpeza,
É utilizado quando, por falta de cuidado, pessoas-ou seguir as instruções do respectivo fabricante
material podem sofrer danos.

1346 758 514 - 2012-04 4


Índice

1 Dados técnicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7 3.3 Deixar o veículo descer em declive . . . . . . . . . . . 17


3.4 Alterar o modo de condução: manual/automática 17
2 Descrição do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9 3.5 Troca de marcha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18
3.5.1 Troca de marcha na condução automática . . . . . 18
2.1 Descrição geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9
3.5.2 Troca de marcha manual . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18
2.2 Sistema de transmissão ZF-AS Tronic lite . . . . . . 10 3.5.3 Potência de frenagem do motor na troca
de marcha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
2.3 Alavanca seletora de marcha ZF . . . . . . . . . . . . . 11
3.6 Inversão do sentido da condução: à frente/
2.4 Indicações no display . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12
em marcha à ré . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20
2.4.1 Display: condução automática . . . . . . . . . . . . . . 12
2.4.2 Display: condução manual . . . . . . . . . . . . . . . . . 12 3.7 Parar o veículo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
2.5 Pedal do acelerador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12 3.8 Desligar o motor/estacionar o veículo . . . . . . . . . 22
2.6 Condução automática . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13 3.9 Rebocar o veículo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23
2.7 Condução manual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13 3.10 Rebocar (fazer o veículo “pegar no tranco”) . . . . 23
2.8 Agregados auxiliares (opção) . . . . . . . . . . . . . . . 13 3.11 Proteção da embreagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24
3.12 Proteção contra sobrerrotação do motor . . . . . . . 25
3 Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14 3.13 Dinamômetro de rolo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26
3.1 Partida do motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14 3.14 Display da ZF-AS Tronic lite . . . . . . . . . . . . . . . . 27
3.2 Partida do veículo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15 3.15 Falhas no sistema (mensagens de erro) . . . . . . . 32
3.2.1 Partida do veículo em marcha à frente . . . . . . . . 15
3.16 Aplicação com temperatura abaixo de 0 °C . . . . 34
3.2.2 Partida do veículo em marcha à ré . . . . . . . . . . . 15
3.16.1 Estacionar o veículo com temperatura abaixo
3.2.3 Partida do veículo com dispositivo auxiliar
de 0 °C . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35
de partida (opcional) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16

1346 758 514 - 2012-04 5


Índice

4 Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
4.1 Óleo da transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
4.1.1 Tipo de óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
4.1.2 Quantidade de óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
4.1.3 Intervalo de troca do óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
4.2 Troca do óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37
4.2.1 Drenagem do óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37
4.2.2 Colocação do óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
4.3 Controle do nível do óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39
4.4 Respiro da transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39
4.4.1 Respiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39
4.4.2 Sistema de respiro com mangueira . . . . . . . . . . . 40
4.5 Verificação visual do chicote elétrico . . . . . . . . . . 40
4.6 Manutenção do sistema hidráulico . . . . . . . . . . . 40
4.7 Preenchimento e respiro do atuador
após a substituição de componentes . . . . . . . . . 41
4.7.1 Verificação do nível no reservatório,
enchimento do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41
4.7.2 Sangria do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
4.8 Plaqueta de identificação . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44

1346 758 514 - 2012-04 6


Dados técnicos

1 Dados técnicos

Tipo de transmissão 6 AS 1010 BO 6 AS 1110 BO


Torque de entrada máx. Nm1) 1050 1100
Relações de transmissão Marcha à frente 6,75 – 0,78 6,42 – 0,74
Marcha ré 6,06 5,76
Velocímetro eletrônico z=6
Montagem 2) horizontal à esquerda
Sistema de mudança 6 marchas Marchas à frente sincronizadas, engate da marcha ré com garra
Acionamiento 6 marchas automático
Peso 3) aprox. kg 152
Quantid. de para montagem padrão aprox. 9,3
óleo em litro
na troca de óleo aprox. 9,0
Tipo de óleo de acordo com a respectiva lista válida de lubrificantes da ZF TE-ML 02

1) O valor de referência depende do tipo e dos dados do veículo, bem como de suas condições de aplicação.
2) Observar também as instruções da ZF para a montagem da AS Tronic lite (1346 765 501).
3) sem colocação do óleo de transmissão e equipamento adicional, inclusive colocação do óleo do sistema de automatização

1346 758 514 - 2012-04 7


Sistema de transmissão ZF-AS Tronic lite

027660
Fig. 1 ZF-AS Tronic lite 6 AS 1010 BO

1346 758 514 - 2012-04 8


Descrição do sistema

2 Descrição do sistema

2.1 Descrição geral

O sistema automático de transmissão ZF-AS Tronic lite está A ZF-AS Tronic lite é uma transmissão sincronizada.
acoplado ao motor através de uma embreagem seca padrão.
O comando da embreagem é efetuado pelo sistema de As trocas de marcha são efetuadas automaticamente pelo
transmissão; não existe mais um pedal da embreagem para sistema de transmissão.
este fim.
O display que se encontra no painel de instrumentos mostra
Ao contrário das transmissões powershift, nas seguintes situa- ao condutor todas as informações necessárias do sistema
ções a linha de transmissão da ZF-AS Tronic lite se abre: como, por exemplo, nível de marcha, falhas, etc.
• durante as trocas de marcha,
O atuador da transmissão, o Powerpack e o atuador da
• em velocidades muito reduzidas, para evitar que o motor embreagem constituem os componentes mais importantes
apague, e para a automatização completa da transmissão.
• quando o veículo estiver parado
O atuador da transmissão é composto por cilindros de
Isto significa que não há transmissão de torque. mudança e sensores.

A eletrônica da transmissão integrada no Powerpack processa


PERIGO! todos os sinais que recebe e aciona a troca de marcha por
Para evitar que o veículo comece a se locomover meio de válvulas solenóides e pelo sistema hidráulico.
involuntariamente para frente ou para trás, é
necessário que o freio seja acionado. O atuador da embreagem possui comando hidráulico e é
responsável pelo acionamento completo da embreagem.

1346 758 514 - 2012-04 9


Descrição do sistema

2.2 Sistema de transmissão ZF-AS Tronic lite

6 5

1 2
Legenda
S
A/M D N
T
1 Alavanca seletora de R

O
P

marcha ZF
2 Display
3 Pedal do acelerador
4 Pedal do freio
5 Transmissão
6 Atuador da
transmissão 4 3
7 Atuador da
embreagem
8 Powerpack 7 9 8 10
9 Reservatório
10 Acumulador hidráulico

029410
Fig. 2 Estrutura do sistema

1346 758 514 - 2012-04 10


Descrição do sistema

2.3 Alavanca seletora de marcha ZF

+ = Troca para 2 marchas superiores (ponto final de encaixe)


+ = Troca para 1 marcha superior (1º ponto de eincaixe)

A/M = Troca do modo automático para o modo manual


(e vice-versa)
D N

A/M D N
A/M
R

D = Condução (drive)
R N = Neutro
R = Marcha ré

– = Troca para 1 marcha inferior (1º ponto de eincaixe)


– = Troca para 2 marchas inferiores (ponto final de
encaixe)

024528/024529
Fig. 3 Alavanca seletora de marcha

Com a alavanca seletora de marcha selecione o modo de Dando-se vários toques na alavanca seletora de marcha é
condução e, caso necessário, as marchas. possível efetuar trocas para uma marcha superior ou inferior
passando diversos níveis.
Após a seleção das posições « + », « + », « – », « – » e « A/M »,
a alavanca seletora de marcha retorna à sua posição inicial Nas posições « D », « N » e « R », a alavanca seletora de marcha
« D ». permanece em sua posição.

1346 758 514 - 2012-04 11


Descrição do sistema

2.4 Indicações no display 2.4.2 Display: condução manual

Este manual de instruções contém apenas a descrição das Dependendo da configuração do veículo, o modo de condução
indicações das funções da transmissão no display. As demais manual poderá estar bloqueado.
indicações no display deverão ser verificadas no manual de
instruções da montadora. O display indica apenas a marcha
engatada; neste caso,
O display possui três funções: indicar o modo de operação a 4ª marcha.
e a respectiva marcha engatada, emitir sinais de alerta e indicar 024374
falhas no sistema.

2.5 Pedal do acelerador


2.4.1 Display: condução automática
Não é preciso alterar a posição do pedal do acelerador durante
O modo de condução automática é indicado no display com a operação de troca de marcha.
um « A » (opcionalmente com 2 setas e 4 barras).
O acionamento da embreagem é efetuado através do comando
Exemplo: eletrônico da transmissão em função do acionamento do pedal
A transmissão está funcionando do acelerador.
na condução automática « A ».
A transmissão está engatada Durante a troca de marcha, o motor é influenciado pelo
024412
na 4ª marcha. comando eletrônico da transmissão.

Exemplo:
Opcionalmente 2 setas e 4 barras.
A transmissão está engatada na 3ª
marcha. 024376

1346 758 514 - 2012-04 12


Descrição do sistema

2.6 Condução automática 2.7 Condução manual

Quando o veículo estiver parado, acionar o freio de serviço O modo de condução manual não está liberado para todos os
e colocar a alavanca seletora de marcha na posição « D ». tipos de veículo.
O sistema de transmissão engata a marcha de partida. Quando o veículo estiver parado, acionar o freio de serviço
Assim que o pedal do acelerador for acionado, a embreagem e colocar a alavanca seletora de marcha na posição « D ». Ao
fecha automaticamente e o veículo começa a se locomover. posicionar a alavanca seletora de marcha em « A/M », o sistema
Durante a condução, o sistema de transmissão efetua de transmissão muda para o modo de condução manual.
automaticamente as trocas para uma marcha superior ou
inferior. Assim que o pedal do acelerador for acionado, a embreagem
fecha automaticamente e o veículo começa a se locomover.
Na condução automática, o sistema de transmissão evita O condutor engata com a alavanca seletora de marcha
as trocas de marchas que podem levar a uma aceleração a respectiva marcha desejada.
excessiva ou afogamento do motor.
O condutor deve evitar conduções com aceleração excessiva.
A qualquer momento, o condutor pode mudar manualmente
para uma marcha superior ou inferior – como por exemplo, em Se o pedal do acelerador for acionado quando uma marcha
situações difíceis de condução – sem tirar o pé do acelerador. muito elevada estiver engatada, o motor poderá apagar.

2.8 Agregados auxiliares (opção)

Os tipos de transmissão 6 AS 1010 BO e 6 AS 1110 BO


podem ser equipados com um retarder elétrico ou
hidrodinâmico.

1346 758 514 - 2012-04 13


Operação

3 Operação 3.1 Partida do motor

ATENÇÃO • Acionar o freio de


Dependendo da montadora e do tipo do veículo poderá haver estacionamento.
A/M D N
divergência nos elementos e nas operações de manuseio.
Por isso, também observar as indicações contidas no manual • O seletor de marcha deve estar
de instruções da montadora. posicionado em « N ». R
(Transmissão posicionada em
024688
neutro)

PERIGO! • Ligar a “ignição”.


Não é permitido sair do veículo enquanto o motor
estiver em funcionamento e uma marcha estiver – Auto-verificação do sistema de
engatada. mudança 024367
(No display aparece « CH »)

• Ligar o motor.

– A auto-verificação será
concluída. « N » aparece 024369
no display, a transmissão
está na posição em neutro.

ATENÇÃO
Não é possível engatar nenhuma marcha enquanto o motor
estiver desligado.

1346 758 514 - 2012-04 14


Operação

3.2 Partida do veículo 3.2.2 Partida do veículo em marcha ré

3.2.1 Partida do veículo em • O veículo tem que estar parado.


marcha à frente
A/M D N • Acionar o freio de serviço e mudar
• O veículo tem que estar parado. a alavanca seletora de marcha de
« N » para « R ».
• Acionar o freio de serviço e mudar R – « R » é exibido no display A/M D N
a alavanca seletora de marcha de (a embreagem permanece
« N » para « D ». 024678
aberta)
– A condução automática está R
ativada.
024684
– No display aparece a marcha • Acionar o pedal do acelerador e,
engatada para a partida do ao mesmo tempo, soltar o freio
veículo. (a embreagem fecha
(O próprio sistema seleciona 024422
automaticamente).
a marcha para colocar o veículo – O veículo se movimenta para trás.
em movimento; a embreagem 023669
permanece aberta.)
• Acionar o pedal do acelerador e, ao mesmo tempo, soltar PERIGO!
o freio de estacionamento. Se o veículo estiver descendo em ponto morto,
– O veículo começa a se movimenta (a embreagem fecha não é possível engatar a marcha ré!
automaticamente). Parar imediatamente o veículo.
Somente a informação no display é válida como
PERIGO! indicação do sentido da condução engatada na
O veículo poderá começar a se locomover mesmo se transmissão.
o pedal do acelerador não for acionado. Ao partir com
o veículo em um aclive, engatar a marcha e apenas
soltar o freio de estacionamento no momento de
acionar o pedal do acelerador; caso contrário,
o veículo começará a se movimentar para trás.

1346 758 514 - 2012-04 15


Operação

3.2.3 Partida do veículo com dispositivo auxiliar de


partida (opcional) PERIGO!
• Depois de tirar o pé do pedal do freio, o freio
permanece ativado apenas por um instante.
Opcionalmente, o veículo poderá ser equipado com um
O veículo pode começar a descer.
dispositivo auxiliar eletrônico de partida (Easy Start).
• Mesmo com o Easy Start ativado, o veículo pode
O dispositivo auxiliar de partida tem como objetivo evitar que
começar a descer involuntariamente no caso de
o veículo comece a descer involuntariamente em aclives ou
aclives muito íngremes.
declives no momento de partir.

• Ligar o motor (ver capítulo 3.1).


ATENÇÃO
• O momento exato de liberar o freio depende da posição
• Acionar o freio de serviço e soltar o freio de
do pedal do acelerador, da posição da embreagem e da
estacionamento.
velocidade do veículo.
• Selecionar « D » ou « R » com a alavanca seletora de marcha.
• O freio também é desativado quando a transmissão
– A condução automática está ativada. for colocada na posição em neutro ou se durante um
determinado período de tempo o pedal do freio e o pedal
– No display aparece a marcha engatada para a partida do
do acelerador não forem mais acionados.
veículo.

• Soltar o freio de serviço.


– Devido ao dispositivo auxiliar de partida, o freio ainda
permanece ativado por um instante.

• Acionar o pedal do acelerador.


– O freio é liberado.
– O veículo começa a se locomover.

1346 758 514 - 2012-04 16


Operação

3.3 Deixar o veículo descer em declive 3.4 Alterar o modo de condução:


manual*/automática
Condição: o motor está ligado.
Esta alteração é possível a qualquer momento, mesmo durante
a condução.
PERIGO!
Se o motorista deixar o veículo descer sem que uma Alterar o modo de condução de
marcha tenha sido engatada – seletor de marcha manual para automática
posicionado em «N » – o motor não possui potência
de frenagem! • Colocar o seletor de marcha na A/M D N
Nunca deixar o veículo descer no sentido contrário à
posição « A/M ».
marcha engatada.
R
Alterar o modo de condução de
automática para manual 024685
Se, após soltar o freio, o veículo
estiver se movimentando para frente –
• Colocar o seletor de marcha na posição « A/M ».
transmissão na posição em neutro –
e o motorista mudar o interruptor de A/M D N
« N » para « D », o sistema seleciona
a marcha mais adequada à respectiva
velocidade do veículo. R
024678
A embreagem fecha sem que o pedal
do acelerador seja acionado e a linha
de transmissão será fechada.

ATENÇÃO
* Dependendo da configuração do veículo, o modo de condução manual poderá
Não é possível deixar o veículo descer em declive.
estar bloqueado.

1346 758 514 - 2012-04 17


Operação

3.5 Troca de marcha 3.5.2 Troca de marcha manual*

3.5.1 Troca de marcha na condução automática • Pressionar a alavanca seletora de


marcha na direção « + » ou « – ».
Todas as trocas para uma marcha superior ou inferior são
efetuadas automaticamente. A/M D N

Estas trocas dependem dos seguintes R


fatores:
• Situação de condução 024679
• Carga do veículo 024412
• Posição do pedal do acelerador Dependendo da montadora e do tipo do veículo, depois de um
• Velocidade determinado período de tempo, o sistema de mudança volta
• Nº de rotações do motor a funcionar na condução automática se as trocas de marcha
não forem mais efetuadas manualmente.

Opção: Opção:
2 barras e 4 setas Na troca de marcha manual, o sistema
= condução automática; de mudança deixa de funcionar na
024376
a 3ª marcha está engatada. condução automática.

• Ao selecionar « A/M » com A/M D N


a alavanca seletora de marcha,
a condução automática é R
reativada.
024685

* Dependendo da configuração do veículo, a troca de marcha manual poderá


estar bloqueada.

1346 758 514 - 2012-04 18


Operação

Troca de marcha pulando marcha 3.5.3 Potência de frenagem do motor na troca de


marcha
Pular uma marcha:
• pressionar a alavanca seletora de marcha até o limite na
direção « + » ou « – ». PERIGO!
A potência de frenagem do motor é interrompida
ATENÇÃO durante a operação de troca de marcha. A velocidade
• A qualquer momento é possível trocar de qualquer uma do veículo poderá aumentar em declives.
das marchas para a posição em neutro. Essa troca é
prioritária.
• Não é necessário mudar a posição do pedal do acelerador O sistema desativa o freio motor durante as operações de troca
durante a operação de troca, pois o motor possui controle de marcha. Assim que a marcha for engatada, o freio motor é
automático. novamente ativado automaticamente.
• Um comando de troca de marcha não é efetuado se esta
troca puder fazer com que as rotações máximas do motor Com o freio motor acionado, o sistema volta a funcionar na
(rotação de ajuste) sejam excedidas. condução automática de forma que a potência de frenagem
máxima do motor seja atingida em declives.

PERIGO!
Mesmo durante a condução é possível mudar para
a posição em “neutro”. Se a marcha for mudada para
a posição em “neutro”, a linha de transmissão é
interrompida.
Nesse caso, o motor não possui capacidade de
frenagem.

1346 758 514 - 2012-04 19


Operação

3.6 Inversão do sentido da condução: à frente/em


marcha à ré

Inversão do sentido da condução


PERIGO! de « D » para « R »
O sentido da condução deve ser invertido somente
quando o veículo estiver parado; caso contrário, • O veículo tem que estar parado
a transmissão muda para a posição em neutro. A/M D N
• Acionar o freio de serviço
• Selecionar « N »
R
• Selecionar « R »
Inversão do sentido da condução 024680
de « R » para « D »
• O veículo tem que estar parado
A/M D N
• Acionar o freio de serviço
• Selecionar « N » R
• Selecionar « D »
024686

1346 758 514 - 2012-04 20


Operação

3.7 Parar o veículo


PERIGO!
• Sem acionar o pedal do acelerador, reduzir a velocidade • Quando o veículo estiver parado com o motor em
utilizando o freio de serviço até que o veículo pare. funcionamento e uma marcha engatada, basta acionar
– A embreagem abre automaticamente antes que o veículo o pedal do acelerador para que o veículo seja colocado
chegue a parar, evitando que o motor “apague”. em movimento!
• Antes de sair do veículo com o motor em funcionamento,
CUIDADO colocar a transmissão na posição em neutro e acionar
Para proteger os componentes mecânicos da embreagem, o freio de estacionamento.
no caso de paradas mais longas (acima de 1 a 2 minutos • Acionar o freio de estacionamento quando o veículo
como, por exemplo, congestionamentos, antes de atravessar estiver sendo conduzido em pista escorregadia poderá
ferrovias, etc.), colocar a transmissão na posição em neutro. levar ao desligamento do motor. Neste caso, o auxílio de
Neste caso, a embreagem se fecha, aliviando o dispositivo direção não se encontra mais disponível!
de desacoplamento.

• Toda vez que o veículo estiver parado, sempre acionar o freio


de serviço ou de estacionamento.

ATENÇÃO
Para proteger os componentes da embreagem, a transmissão
ZF-AS Tronic lite está equipada com um engate automático em
neutro. Se dentro de um período de tempo pré-determinado
o pedal do acelerador ou o pedal do freio não for acionado,
a transmissão passa automaticamente para a posição em
neutro e a embreagem fecha. Antes que isso ocorra, o display
apresenta o aviso « NS ».

1346 758 514 - 2012-04 21


Operação

3.8 Desligar o motor/estacionar o veículo


PERIGO!
Não é possível estacionar o veículo quando uma
• Estacionar o veículo.
marcha estiver engatada. O veículo poderá começar
• Acionar o freio de a se locomover involuntariamente se o freio não
estacionamento. estiver acionado. Acionar o freio de estacionamento.

• Posicionar o seletor de marcha A/M D N


em neutro « N ». ATENÇÃO
• Desligar o motor pela chave da R Se a transmissão não for colocada na posição em neutro
ignição. antes de desligar o motor, esta operação será efetuada
024681 automaticamente quando a ignição for desligada.
• Colocar calços nas rodas
(como, por exemplo,
em aclives).

A/M D N

R
024687

1346 758 514 - 2012-04 22


Operação

3.9 Rebocar o veículo 3.10 Rebocar (fazer o veículo “pegar no tranco”)

No momento de rebocar o veículo, também observar Não é possível fazer o motor “pegar no tranco”.
e necessariamente seguir as instruções da montadora!

• Até uma distância máxima de 100 km:


– Colocar a transmissão em neutro.
– Velocidade máxima permitida de reboque: 60 km/h!
• A uma distância acima de 100 km:
– Desacoplar o eixo articulado do eixo traseiro.
• No caso de haver danos na transmissão ou se não for
possível colocar a transmissão na posição em neutro:
– Desacoplar o eixo articulado do eixo traseiro.

ATENÇÃO
Se não for possível verificar se a posição em neutro está
engatada (por exemplo, no caso de interrupção na alimentação
de corrente), desacoplar o eixo articulado do eixo traseiro.

1346 758 514 - 2012-04 23


Operação

3.11 Proteção da embreagem ATENÇÃO


Selecionar um modo de funcionamento no qual a embreagem
Se a embreagem correr o risco não pode ser sobrecarregada, como por exemplo:
de ser sobrecarregada devido
• Aumentar a velocidade do veículo (para fechar a embreagem)
a diversas operações de partida
do veículo, uma logo após • Parar o veículo
024379
a outra, ou condução em
marcha lenta, no display
Apesar de a embreagem ser automatizada, o motorista tem
aparecerá « CL ».
influência decisiva sobre o tempo de vida útil da embreagem.
Para reduzir o nível de desgaste da embreagem, recomenda-se
evitar a condução desnecessária do veículo em marcha
lenta.

1346 758 514 - 2012-04 24


Operação

3.12 Proteção contra sobrerrotação do motor

Com o objetivo de proteger tanto o motor como a transmissão, Condução automática*


o sistema eletrônico somente permite trocas de marcha que se
A fim de proteger o motor contra danificações devido
encontram em determinadas faixas de rotações definidas pela
a sobrerrotação (marcação em vermelho), a marcha é trocada
montadora.
automaticamente para uma marcha superior.
Neste caso, a velocidade do veículo poderá aumentar em
declives.
PERIGO!
Se for efetuada a troca automática para uma marcha
superior quando o veículo estiver sendo conduzido em
um declive, a velocidade do veículo poderá aumentar. Condução manual
PERIGO DE ACIDENTE! No modo de condução manual, quando o veículo estiver sendo
conduzido em um declive, a marcha não é trocada
automaticamente para uma marcha superior. Principalmente no
CUIDADO caso de condução em declive, o condutor tem que cuidar para
O motor poderá ser danificado se o veículo for acelerado que o motor não exceda a faixa permitida de rotações.
quando conduzido em declive e o motor entrar na faixa de O próprio condutor é responsável para que estas rotações não
sobrerrotação. sejam excedidas.

* Padrão ZF. Para verificar configuração divergente do veículo,


consultar o manual de instruções da montadora.

1346 758 514 - 2012-04 25


Operação

3.13 Dinamômetro de rolo

Depois de posicionar o veículo sobre o dinamômetro de rolo,


colocar a transmissão na posição em neutro.

• Quando o rolo estiver rodando,


o sistema reconhece a função
“veículo em movimento”. Ao
engatar uma marcha, a A/M D N
embreagem fecha.

• Quando o rolo estiver rodando, R


não é possível engatar a 024688
marcha ré.

• Não é possível utilizar a condução automática.

PERIGO!
O veículo poderá começar a se locomover e descer do
rolo mesmo que o pedal do acelerador não for
acionado.

1346 758 514 - 2012-04 26


Operação

3.14 Display da ZF-AS Tronic lite

O display fornece informações sobre o estado da transmissão.

Indicações de operação

• Condução manual
– A transmissão está engatada na 4ª marcha.

024374

• Condução automática
– É indicada no display pela letra « A » antes do número, como por exemplo « A4 »
(A transmissão está engatada na 4ª marcha.)
024412
(opcionalmente com 2 setas e 4 barras)

024376

• « CH » = Autoverificação do sistema
– A indicação aparece quando a ignição for «ligada».

024367

• Transmissão posicionada em neutro


– Não há marcha engatada na transmissão.

024369

1346 758 514 - 2012-04 27


Operação

• A transmissão está engatada na marcha ré.

024372

Sinais de alerta

• « BP » = Acionar o pedal do freio


– Engatar a marcha, acionar o pedal do freio

027961

• « CL » = Embreagem (Clutch Load)


A embreagem está sobrecarregada.
– Solução: capítulo 3.11 Proteção da embreagem
024379

• « CW » = Indicação de desgaste da embreagem (Clutch Wear)


– Procurar uma oficina especializada para troca da embreagem.
– É possível prosseguir com a condução com muito cuidado.
024380

• « EE » = Falha eletrônica (Electronic Error)


– É indicado quando a comunicação entre o display e a eletrônica da transmissão for interrompida.
– Há uma falha no sistema. Não é possível prosseguir com a condução.
024381

1346 758 514 - 2012-04 28


Operação

• « ES » = Auxílio para partida (Easy Start)


O dispositivo auxiliar de partida está temporariamente inoperante.

024382 PERIGO: O veículo poderá começar a se locomover involuntariamente.

• « FP » = Soltar o pé do pedal do acelerador


– Deixar o pedal do acelerador em posição de ponto morto.
– Se a indicação não apagar, há uma falha no sistema. Não é possível prosseguir com a condução!
024383

• « FS » = Posição do seletor de marcha


– Seleção de marcha não permitida (a posição do seletor de marcha não corresponde ao estado de
funcionamento da transmissão)
028668

• « HT » = Temperatura excessivamente elevada (High Temperature)


– A temperatura da transmissão está muito elevada; deixar o sistema de transmissão esfriar.

024384

• « NO » = Nenhum indicador de funcionamento (No Operation)


– Parar o veículo.
– Se a indicação não apagar, há uma falha no sistema. Não é possível prosseguir com a condução!
029916

1346 758 514 - 2012-04 29


Operação

• « NS » = Colocar a transmissão em neutro (Neutral Shift)


– Posicionar o seletor de marcha em neutro « N ».

024385 ATENÇÃO
Dependendo do tipo do veículo e para proteger os componentes mecânicos do dispositivo de
desacoplamento da embreagem, depois de um determinado período de tempo a transmissão passa
automaticamente para a posição em neutro.

Falhas no sistema
Consultar também o capítulo 3.15.

S
• « STOP » + « chave fixa » = falha grave no sistema
T • Parar o veículo. Não é permitido prosseguir com a condução. É necessário procurar um mecânico.
O
P
024388
PERIGO: Não parar o veículo em locais expostos a perigo.

• « Chave fixa » = Falha grave no sistema


• Aparece quando a condução do veículo é possível somente com restrições.
• Procurar uma oficina especializada o mais rápido possível.
024387
ATENÇÃO
No caso de determinadas falhas do sistema, a condução automática é desativada; o sistema de
transmissão permanece na condução manual.

1346 758 514 - 2012-04 30


Operação

Exemplo: indicação do número do erro 4127

• « 41 » 1º e 2º dígitos do número da falha

029939

• « 27 » 3º e 4º dígitos do número da falha

029940

1346 758 514 - 2012-04 31


Operação

3.15 Falhas no sistema (mensagens de erro) Indicar o número do erro ativo:


ATENÇÃO
• Se no display aparecer um «símbolo de chave fixa», há
Somente é possível acessar os números dos erros quando
uma falha no sistema.
o motor estiver desligado.
Eventualmente a condução será possível somente com
restrições.
• Ligar a ignição (não colocar o motor em funcionamento).
Se no display aparecer um « STOP » e um « símbolo de
chave fixa», há uma falha grave no sistema. Não é • A alavanca seletora de marcha deve estar posicionada em
permitido prosseguir com a condução. « N ».
• Selecionar « D » com a alavanca seletora de marcha.
O que fazer em caso de falha no sistema? • Pressionar a alavanca seletora de marcha para a posição
« + ».
Com o veículo parado, a mensagem de erro e a consequente
reação podem ser apagadas se o condutor:

• Desligar a ignição e esperar até que a indicação no display


apague. A/M D N A/M D N
• Se mesmo depois de «desligar a ignição» a indicação no
display não apagar, desligar o sistema pelo interruptor R R
principal da bateria.
024678/024743
• Ligar novamente a ignição.
• Se a mensagem de erro ainda estiver presente, procurar
necessariamente uma oficina mecânica especializada. Ao
No display aparecerá o número do erro com 4 dígitos. Esse
entrar em contato com o mecânico, indicar o(s) número(s)
número corresponde à falha atual ativa.
do(s) erro(s).

1346 758 514 - 2012-04 32


Operação

Representação do número de erro Indicar todos os números de erros gravados:

Por exemplo: número de erro SPN 4127. ATENÇÃO


Somente é possível acessar os números dos erros que se
encontram na memória de erros quando o motor estiver
antes depois desligado.

• Ligar a ignição (não colocar o motor em funcionamento).

• A alavanca seletora de marcha deve estar posicionada em


029939 029940
« N ».

• Posicionar a alavanca seletora de marcha em « D » e


simultaneamente acionar o freio de pedal (freio de serviço).

• Pressionar a alavanca seletora de marcha para a posição


« + ».

O display indica sucessivamente todos os erros gravados.

1346 758 514 - 2012-04 33


Operação

3.16 Aplicação com temperaturas abaixo de 0 °C

Observar e manter estritamente as instruções da montadora do veículo.

Temperatura externa Até –20° C –20° C até –30° C –30° C até –40° C
Tipo de óleo Segundo a lista de Segundo a lista de Segundo a lista de
lubrificantes da ZF TE-ML 02 lubrificantes da ZF TE-ML 02 lubrificantes da ZF TE-ML 02
Partida do motor Autorizado Autorizado Pré-aquecer a transmissão
antes de dar partida no motor.
Observar – Fase de aquecimento de no Pré-aquecer, por exemplo,
ao dar a partida mínimo 10 minutos com com ar quente, que não deve
rotações elevadas em ponto ultrapassar a marca dos
morto de aprox. 1500 rpm 110 °C na transmissão.
Transmissão na posição em CUIDADO
neutro Não aquecer os componentes
do sistema de automação.
Restrições Nenhuma A transmissão está pronta A transmissão está pronta
para entrar em funcionamento para entrar em funcionamento
e todas as funções estão e todas as funções estão
ativadas quando a mesma ativadas quando a mesma
tiver atingido uma tiver atingido uma
temperatura acima de –20 °C. temperatura acima de –20 °C.
As trocas de marcha podem As trocas de marcha podem
demorar um pouco mais. demorar um pouco mais.

1346 758 514 - 2012-04 34


Operação

3.16.1 Estacionar o veículo com temperatura abaixo


de 0 °C

Somente é permitido estacionar o veículo ou armazenar


a transmissão durante um período mais longo de tempo se
a temperatura externa não exceder os –40 °C.

1346 758 514 - 2012-04 35


Manutenção

4 Manutenção

A manutenção regular aumenta a segurança no funcionamento A quantidade de óleo pode ser verificada na plaqueta de
da transmissão. Por isso, é extremamente importante observar identificação da transmissão.
e manter os intervalos de manutenção.
Transmissão Quantidade de óleo em litro
primeira colocação troca do óleo
4.1 Óleo da transmissão
6 AS 1010 BO
aprox. 9,3 aprox. 9,0
4.1.1 Tipo de óleo 6 AS 1110 BO

• Somente é permitido colocar óleo na transmissão que Quantidades de óleo em montagem normal
consta na lista válida de lubrificantes da ZF TE-ML 02.

• A lista de lubrificantes da ZF pode ser obtida junto a todos


os representantes da ZF ou na Internet no site:
http://www.zf.com. 4.1.3 Intervalo de troca do óleo
• Recomendamos a utilização do ZF-Ecofluid M. Para verificar os intervalos de troca do óleo, consultar a lista de
lubrificantes da ZF TE-ML 02.

4.1.2 Quantidade de óleo ATENÇÃO


Para manter o nível de segurança no funcionamento da
Para a referência da quantidade exata de óleo e seu transmissão, observar e manter estritamente os intervalos de
procedimento correto de colocação, (ver capítulo 4.2.2). troca do óleo como indicado na lista.
Controle do nível do óleo (ver capítulo 4.3).

1346 758 514 - 2012-04 36


Manutenção

4.2 Troca do óleo

4.2.1 Drenagem do óleo

CUIDADO
Não permitir que o óleo atinja o solo, a água subterrânea
ou a rede de esgotos. Recolher o óleo em um recipiente
adequado e eliminá-lo sem causar danos ao meio ambiente.

ATENÇÃO
Efetuar a troca do óleo logo após um maior tempo de
condução enquanto o óleo da transmissão ainda estiver quente
e fluindo.

PERIGO! 1
O contato com a transmissão bem como com o óleo 029368
da transmissão podem causar queimaduras! Fig. 4 Visto por baixo
Bujão de drenagem do óleo (1) com botão
magnético
• Desparafusar o bujão de drenagem do óleo (1) da Torque de aperto: 60 Nm
transmissão e recolher o óleo em um recipiente adequado.

• Limpar o tampão magnético do bujão de drenagem do óleo


(1), trocar o anel de vedação e parafusá-lo com 60 Nm.

1346 758 514 - 2012-04 37


Manutenção

4.2.2 Colocação do óleo

Colocação do óleo com o veículo estacionado em local plano.

• Desparafusar o bujão (2) da abertura para colocação do


óleo.

• Colocar o óleo por esta abertura.

• O nível de óleo estará correto quando o óleo colocado atingir


a borda inferior da abertura para colocação do óleo ou assim
que o óleo transbordar.

• Fechar novamente a abertura para colocação do óleo com


o bujão (2) e com um anel de vedação novo.
Torque de aperto: 60 Nm

• Após uma breve condução de teste, verificar novamente 2


o nível do óleo e, caso necessário, completar o óleo.

029369
Fig. 5 Visão lateral direita
Bujão (2) na abertura para colocação do óleo
Torque de aperto: 60 Nm

1346 758 514 - 2012-04 38


Manutenção

4.3 Controle do nível do óleo 4.4 Respiro da transmissão

O óleo da transmissão aquece durante a condução. Desta


PERIGO!
Um nível excessivamente baixo de óleo no sistema maneira, forma-se uma sobrepressão que é constantemente
de transmissão leva a danos na transmissão. aliviada através de um respiro.
PERIGO DE ACIDENTE!
Verifique em intervalos regulares o nível do óleo da
transmissão. Se o óleo da transmissão estiver quente: 4.4.1 Respiro
PERIGO DE QUEIMADURA!
Garantir que o respiro sempre esteja em perfeitas condições
• Somente efetuar o controle do nível do óleo com o veículo de funcionamento. O respiro (ver seta) tem que estar limpo
estacionado em local plano. e não deve ter a superfície bloqueada.
Não aplicar diretamente jato de água (água na transmissão:
• Não controlar o nível do óleo imediatamente após perigo de corrosão).
a condução do veículo (o resultado da medição será
incorreto). Somente efetuar o controle depois que o óleo
da transmissão tiver esfriado (< 40 °C).
• Desparafusar o bujão (fig. 5, pos. 2).
• Se o nível de óleo estiver abaixo da abertura para colocação
do óleo, é necessário colocar mais óleo (ver capítulo 4.2.2).
• Fechar novamente a abertura para colocação do óleo com
o bujão (2) e com um anel de vedação novo.
Torque de aperto: 60 Nm
029362
ATENÇÃO Fig. 6 Respiro da transmissão
Depois de cada controle, verificar se o sistema de transmissão
não apresenta nenhum vazamento.

1346 758 514 - 2012-04 39


Manutenção

4.4.2 Sistema de respiro com mangueira 4.5 Verificação visual do chicote elétrico

Os veículos que, devido à sua aplicação, precisam ser limpos • Verificar se o chicote elétrico apresenta danos.
freqüentemente devem ser equipados com um sistema de
• Verificar se os conectores estão perfeitamente encaixados.
respiro com mangueira.
Os conectores devem ser montados de modo que não
fiquem esticados.
Durante a inspeção do veículo, verificar o seguinte no sistema
de respiro com mangueira:
• A mangueira não deve apresentar danos, dobras ou pontos 4.6 Manutenção do sistema hidráulico
de fricção.
• O sistema de automação tem enchimento de vida útil com
• A mangueira está instalada de forma continuamente
óleo hidráulico.
ascendente, sem formação em sifão.
• Nas inspeções do veículo, observar se há vazamentos.
• Evitar que a temperatura máxima permitida da mangueira
(por exemplo, perto dos canos de escapamento,
turbocompressor do escapamento) seja excedida.
• A extremidade da mangueira tem que se encontrar em uma
área seca e ter uma queda de aproximadamente 150 mm.

028138
Fig. 7 Sistema de respiro com mangueira
1346 758 514 - 2012-04 40
Manutenção

4.7 Preenchimento e respiro do atuador após 4.7.1 Verificação do nível no reservatório, enchimento
a substituição de componentes do sistema

Os atuadores da AS Tronic lite foram projetados como sistema Antes de proceder à verificação do nível de fluido no
cujo preenchimento dura a vida útil toda. Por isso, em reservatório, despressurizar o sistema utilizando uma
circunstâncias normais de uso, não é necessário preencher ferramenta de diagnóstico (Testman pro da ZF ou aparelho
o nível com fluido hidráulico, a menos que algum componente de diagnóstico equivalente da montadora do veículo).
tenha sido substituído.
CUIDADO
CUIDADO Se o sistema estiver sob pressão, o nível estará bem abaixo
• Somente controlar o nível de enchimento com o sistema da “marcação MAX”.
despressurizado (“marcação MAX”).
• Somente utilizar fluidos hidráulicos da classe de
PERIGO!
lubrificantes 02K que constam na lista de lubrificantes da Se devido a uma troca de componentes ou por outra
ZF TE-ML 02. razão qualquer for necessário completar o nível de
fluido hidráulico, cuidar para que o óleo não entre em
contato com componentes ou peças extremamente
quentes do veículo como, por exemplo, o escapa-
mento. Perigo de incêndio!

Em seguida, desligar a ignição (borne 15 sem corrente


elétrica) e verificar o nível de fluido do reservatório.
O nível de fluido tem que estar em uma faixa bem próxima à
“marcação MAX” que se encontra no reservatório (ver fig. 8).

1346 758 514 - 2012-04 41


Manutenção

Se eventualmente faltar fluido hidráulico, somente completar


o nível com o sistema despressurizado até atingir a “marcação
MAX”.
Nível de enchimento
do sistema max
Após a troca do atuador da transmissão ou do atuador da
despressurizado embreagem, necessariamente sangrar o sistema (verificar
o capítulo 4.7.2).
Em seguida, com o sistema despressurizado, verificar o nível
de enchimento do reservatório e completar com o fluido
Reservatório hidráulico até atingir a “marcação MAX”.

Depois da troca do Powerpack, primeiramente completar


o nível do reservatório até a “marcação MAX” com o sistema
despressurizado. Em seguida, proceder à sangria do sistema
conforme descrito no capítulo 4.7.2.
Despressurizar o sistema mais uma vez, controlar o nível de
enchimento e completar o nível do reservatório até a “marcação
MAX”.
024457
ATENÇÃO
Fig. 8 Nível de fluido no reservatório
Ao colocar o sistema completo em funcionamento pela
primeira vez com componentes novos e sem óleo (Powerpack +
atuador da transmissão + atuador da embreagem), colocar no
máximo 1,15 l de óleo para não exceder o nível da “marcação
MAX”. Se apenas alguns componentes forem substituídos de
forma que o sistema já esteja parcialmente preenchido com
óleo, a quantidade de óleo a ser completada será
respectivamente menor.

1346 758 514 - 2012-04 42


Manutenção

4.7.2 Sangria do sistema


PERIGO!
Todos os trabalhos no sistema de transmissão
Lado voltado para a capa seca da embreagem somente deverão ser efetuados por pessoal técnico
Conexão especializado e autorizado. Perigo de acidente devido
Cilindro de mudança hidráulica ao nível elevado de pressão no sistema!

Antes de iniciar a rotina de serviço “Sangrar atuador da


> 0° transmissão“, observar para que o veículo esteja estacionado
em local plano e, desta forma, a transmissão esteja
posicionada em sua posição normal de montagem.
024455

Para poder sangrar o atuador da embreagem, é preciso


Fig. 9 Posicionamento do atuador da embreagem
observar para que o veículo seja posicionado de tal forma que
para proceder à sangria
o atuador da embreagem esteja no mínimo em uma posição
relativamente paralela ao solo.
No caso ideal, a ligação hidráulica traseira do atuador da
Por se tratar de um sistema hidráulico, o sistema do atuador da
embreagem deverá estar um pouco mais elevada do que o lado
AS Tronic lite sempre tem que ser sangrado após todo trabalho
do atuador voltado para a capa seca da embreagem (ver fig. 9).
realizado nas tubulações hidráulicas ou depois da troca de
qualquer componente (Powerpack, atuador da transmissão,
Esta posição pode ser atingida da seguinte forma:
atuador da embreagem).
Com motor dianteiro:
Para este fim, existem rotinas adequadas de serviço KWP2000
• Estacionar o veículo em um leve declive.
à disposição, que têm que ser ativadas através do sistema de
diagnóstico Testman pro da ZF ou outro aparelho de • Levantar o veículo pelo eixo traseiro utilizando um macaco.
diagnóstico equivalente da montadora do veículo.

1346 758 514 - 2012-04 43


Manutenção

Com motor traseiro: 4.8 Plaqueta de identificação


• Estacionar o veículo em um leve aclive.
A plaqueta de identificação contém os dados mais importantes
• Levantar o veículo pelo eixo dianteiro utilizando um macaco. da transmissão.
Ela encontra-se na lateral da transmissão.

Após a operação de sangria propriamente dita, a rotina de Indicar obrigatoriamente os seguintes dados em caso de
serviço “Sangrar atuador da embreagem” verifica se o atuador dúvidas ou reparos:
da embreagem foi satisfatoriamente sangrado. 1. Tipo da transmissão
2. Nº da lista de peças da transmissão
Se o procedimento de ventilação não for efetuado com êxito , 3. Nº de série da transmissão
a continuação do funcionamento do sistema de mudança de
velocidades AS Tronic lite não é liberada. ZF FRIEDRICHSHAFEN AG
Somente quando a execução repetida da rotina de ventilação MADE IN HUNGARY
alcançar o nível suficiente, o bloqueio será removido.
ECOLITE 6 AS 1010 BO 1
PARTS LIST NO. MODEL SERIAL NO.
Depois de cada operação de sangria do sistema, efetuar
adequadamente uma condução de teste, a fim de verificar se 2 1346 072 001 003605 3
o sistema está funcionando perfeitamente. CUSTOMER
SPEC. NO.
TOTAL 6,75 - 0,78 SPEEDO IMP/U 6.00
RATIO
RATIO
n= xn
P.T.O. N ENGINE
OIL CAPACIT OIL GRADE SEE
IN LITERS 9,3 LUBRIC. LIST TE-ML 02

029366
Fig. 10 Plaqueta de identificação (exemplo)

1346 758 514 - 2012-04 44


45
ZF Friedrichshafen AG
88038 Friedrichshafen
Deutschland · Germany
Telefon/Phone +49 7541 77-0
Telefax/Fax +49 7541 77-90 8000
www.zf.com

PtBr 1346 758 514a - 2012-04