Você está na página 1de 2

Universidade do Sul de Santa Catarina

Campus Pedra Branca


Curso: Direito
Disciplina: Direito Civil IV
Professora MSc. Jane Cesca

NOÇÕES GERAIS DOS CONTRATOS

1 – IMPORTÂNCIA DO ESTUDO DOS CONTRATOS

A figura jurídica mais importante de todo o Direito Civil.


O contrato está para o civilista, assim como o crime está para o penalista.
Desde os primórdios da civilização, quando abandonamos o estágio da barbárie, ao invés
de utilizar a violência para perseguir os seus fins, o homem passou a recorrer às formas de
contratação, objetivando imprimir estabilidade às relações jurídicas que pactuava, segundo, é
claro os seus próprios propósitos.

2 – CONCEPÇÃO HISTÓRICA DO CONTRATO: DO INÍCIO DOS TEMPOS AO


CONTRATO DE ADESÃO

Foi na época clássica (direito romano), que se começou a introduzir efetivamente o


elemento do acordo contratual no conceito de contractus, assim se alcançando o conceito
técnico e mais estrito de contratos, como “contrato obrigacional”.
Bem vindo à modernidade!
O princípio da igualdade formal, até então considerado absoluto, converteu-se em
princípio da hipocrisia!
Contratos de cartões de crédito, de fornecimento de água e luz, de telefonia fixa ou
celular, de empréstimo, de seguro, de transporte aéreo, terrestre ou marítimo, de financiamento
habitacional, de alienação fiduciária, de consórcio, de leasing, de franquia, de locação em
shopping center, de concessão de serviços públicos, de serviços via internet, de TV a cabo,
enfim, as mais importantes figuras contratuais são pactuadas, hoje, sob a forma de contrato de
adesão, modalidade contratual forjada no início do século XX, e cuja especial característica
consistiria exatamente no fato de apenas uma das partes ditar o seu conteúdo, redigindo as suas
cláusulas, impondo-se a outra, portanto, aceitar ou não a proposta que lhe fora apresentada.
Preleciona Georges Ripert: “Não se trata, é claro, dum desfavor lançado em bloco sobre
todos os contratos de adesão, pelo contrário, a generalidade, a pernanência, a rigidez que se
descobre nestes contratos são as mais seguras garantias da sua utilidade... A vontade que se
afirma e atrai a si outras vontades representa um poder econômico indispensável à vida de um
país”.
“São os abusos deste poder econômico que é necessário impedir”.

3 – CONCEITO

O contrato é uma das espécies de negócio jurídico.

“Contrato é o acordo de duas ou mais vontades, na conformidade da ordem jurídica, destinado a


estabelecer uma regulamentação de interesses entre as partes, com o escopo de adquirir,
modificar ou extinguir relações jurídicas de natureza patrimonial”. (Maria Helena Diniz).

“Contrato é um ato jurídico bilateral, dependente de pelo menos duas declarações de vontade,
cujo objetivo é a criação, a alteração ou até mesmo a extinção de direitos e deveres de conteúdo
patrimonial”.  (Flávio Tartuce)
“Contrato é o acordo de duas ou mais vontades, na conformidade com a ordem jurídica,
destinado a estabelecer uma regulamentação de interesses entre as partes, produzindo efeitos
jurídicos, como escopo de adquirir, modificar ou extinguir relações jurídicas de natureza
patrimonial”.  (Carlos Roberto Gonçalves)

Função social do contrato. O contrato é o instrumento imprescindível e o elemento


indispensável à circulação dos bens. Através do contrato harmonizam-se interesses não
coincidentes.

Fundamento da obrigatoriedade dos contratos. Uma vez firmado, o contrato liga as partes
concordantes, estabelecendo um vínculo obrigacional entre elas. O vínculo estabelecido se impõe
aos contratantes de maneira que somente poderá ser desatado, em tese, pela vontade de todas as
partes.

A lei torna obrigatório o cumprimento do contrato, e o faz para assegurar as relações


estabelecidas.

4 – ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DO CONTRATO – PLANO DE EXISTÊNCIA

Para um negócio jurídico e, consequentemente um contrato existir, quatro elementos se


fazem necessários, de maneira simultânea.

a) Manifestação da vontade: é a intenção das partes em celebrar o negócio jurídico;

b) Agente: para manifestar a vontade, a vontade contratual não se manifesta sozinha, sendo
necessária a presença de sujeitos para declará-la;

c) Objeto do contrato: é a prestação da relação obrigacional estabelecida (prestação de dar,


fazer ou não fazer);

d) Forma: a exteriorização do contrato deve ser realizada de alguma forma. Trata-se, pois, do
veículo de condução da vontade: forma oral, escrita, mímica etc.

Esses quatro elementos caracterizam a existência jurídica do contrato, porém não


asseguram a sua validade ou eficácia.

5 – ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DO CONTRATO – PRESSUPOSTOS DE


VALIDADE

O contrato sendo essencialmente um ato jurídico (negócio jurídico), reclama para sua
validade, com fulcro no art. 104 do CC os seguintes requisitos:

a) agente capaz;
b) objeto lícito, possível e determinável;
c) forma prescrita ou não defesa em lei.