Você está na página 1de 9

Semiologia

SEMIOLOGIA PEDIATRICA

É o estudo dos sinais e sintomas na pediatria.

DIVISÃO ETARIA DA PEDIATRIA


a) Recém nascido  0 a 28 dias
b) Lactente  29 dias a 1 ano e 11 meses
c) Pré-escolar  2 anos a 6 anos e 11 meses (ou a 5 anos)
d) Escolar  7 anos a 9 anos e 11 meses
e) Adolescência  10 anos a 20 anos
f) Primeira infância  0 a 2 anos
g) Segunda infância  2 a 10 anos

ANAMNESE
OBS: Anámnesis  relato dos padecimentos, trazer de volta as coisas que ocorreram.

Perguntar bem, com detalhes e objetivamente. Saber bem o que perguntar, para poder
perguntar.
Diagnóstico  60% História + exame físico bem feito = 75% a 90%

Passos da anamnese na pediatria:


1) IDENTIFICAÇÃO
 Nome completo;
 Idade e data de nascimento;
 cor;
 gênero;
 naturalidade;
 procedência;
 endereço;
 religião;
 escolaridade;
 profissão
 ocupação.

2) QUEIXA E DURAÇÃO

3) HISTÓRIA CLÍNICA
 Completa
 Sequencial
 Detalhada
 Estabelecer um bom vinculo medico paciente (Empatia)

4) QUEIXA E DURAÇÃO (QD) E HISTÓRIA DA MOLÉSTIA ATUAL (HMA)


QD motivo que levou a procurar o medico e o tempo de inicio. Escrever do jeito que o
paciente fala.
Semiologia

5) HMA regras  termo técnico, cronologia e detalhe


Conversar com o paciente com as palavras populares, mas escrever com palavras
técnicas.
 Modo de interrogar sóbrio, afetivo, serio e atenciosos.
 Anamnese passiva
 Nunca aceitar passivamente os diagnósticos fornecidos por familiares.
 Todos os caracteres propedêuticos dos sintomas devem ser referidos na HPMA,
afirmando ou negando
 Referir resultados de exames laboratoriais, de imagem e outros, e tratamento já
realizados.  nesse momento coloca os resultados dos exames na história.

6) INTERROGATÓRIO SOBRE OS DIFERENTES APARELHOS (ISDA)

Perguntar relacionado com as coisas que são geradas pela doença falada na Historia da
moléstia atual, sempre relacionando.
 Geral  febre, adinamia, apetite, perda de peso
 Pele  erupções cutâneas, prurido, palidez, descamações
 Cabeça e pescoço  cefaleia, tonturas, trauma, tumorações
 Olhos  visão, secreção, prurido, lacrimejamento
 Ouvidos  audição, dor, secreção
 Nariz  coriza, secreção, obstrução, sangramentos, prurido
 Boca e orofaringe  dor, feridas, problemas dentários
 Respiratório  tosse, dor, dispneia, chiado, secreção
 Cardiovascular  cianose, dispneia, dor pré-cordial, palpitações

7) HISTÓRIA DA GESTAÇÃO, PARTO E NASCIMENTO


Tudo desde que ocorreu a fecundação e o paciente começou a existir.
 PRÉ-NATAL  Infecção, medicamentos, sangramentos, hipertensão
 NATAL  Tipo de parto, intercorrências, APGAR (choro ao nascer), peso,
comprimento, perímetros cefálicos, torácico, abdominal.
 PERIODO NEONATAL alojamento conjunto, aleitamento materno, UTI,
medicamentos, icterícia (fototerapia).

8) ANTECEDENTES MORBIDOS PESSOAIS


 Doenças próprias da infância
 Outras doenças, alergias, internações, cirurgias.

9) ANTECEDENTES NUTRICIONAIS
 Tempo de aleitamento em leite materno
 Quando começou a tomar outro tipo de leite  aleitamento artificial
 Quando começou a papinha  alimentação complementar
 Modo de preparo
 Alimentação da família
 Dia alimentar (recordatório de 24 horas)

10) CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO


a) Crescimento
Semiologia

 Peso e estatura  variações


 Perímetro:
a) Cefálico
b) Torácico
c) Abdominal
 Inicio da dentição

b) Desenvolvimento
 Sorriso social, sustentação da cabeça, virar na cama, sentar, engatinhar, andar,
primeiras palavras, controle de esfíncteres.
 Desempenho escolar
 Sociabilidade

11) ANTECEDENTES VACINAIS

12) ANTECEDENTES FAMILIARES


 Atopias, asma, convulsões, anemia hereditárias, consanguinidade

13) HABITAÇÃO E FATOTES SOCIO-ECONOMICOS


 Características do domicilio
 Saneamento básico
 Numero de adultos, crianças, idade e parentesco
 Animais domésticos
 Renda familiar
 Escolaridade e profissão dos pais.

EXAME FISICO GERAL


1) INSPEÇÃO
 Processo de observação
 Ferramentas: olhos e nariz
 Processo continuo durante a anamnese e o exame físico
 Cuidados  iluminação básica e iluminação tangencial
2) PALPAÇÃO
 Pode usar: superfície palmar, dorso da mão... e outros
3) PERCUSSÃO
 Direta
 Bimanual
Sons da percussão:
a) Timpanico intensidade alta, timbre alta, duração moderada, som como
tambor. Ex: bolha gástrica, pulmão com atelectasia.

b) Hipersonoridade intensidade muito alta, timbre baixo, duração longa, som


como estrondo. Ex: pulmões endisematosos
Semiologia

c) Atimpanico  som claro pulmonar. Intensidade alta, timbre baixo, duração


longa, somo oco. Ex: tecido pulmonar saudável.

d) Maciço  intensidade suave a moderada, timbre moderado a alto, duração


moderada, som com baque surdo. Ex: sobre o fígado

e) Abafado  intensidade suave, timbre alto, duração curta, som “bem surda”.
Ex: sobre o musculo.

4) AUSCULTA

ROTEIRO DO EXAME FÍSICO


1) ANTROPOMETRIA
Peso:
 <2 anos  balanca até 16kg
 >2 anos  balança de adulto

Comprimento e Altura:
 <2 anos
 > 2 anos

2) PERIMETRO CEFALICO  toda consulta até 3 anos de idade, toda consulta deve
fazer

3) ECTOSCOPIA  Analise do corpo do paciente, pedir para tirar a roupa. Avaliar se o


paciente é mesolineo (normolineo), endolineo(brevelineo) ou ectolineo (longilíneo).
Também avaliar a ectoscopia da face. Crianças com olhar de sol-poente são comuns
ter macrocefalia.

EXAME FISICO GERAL


1) Pele e anexos

PADRÃO DE FEBRE
A) FEBRE CONTÍNUA  tem febre todo dia, ela pode variar. Variações de até 1ºgrau
B) FEBRE REMINTENTE  febre todo dia, mas varia até 2 graus
C) FEBRE INTERMITENTE  febre todo dia, mas com um dia sem febre
D) FEBRE RECORRENTE  febre que vai e volta, com mais de um dia sem febre

PRESSÃO ARTERIAL
Normal para 1 ano:
 PA SISTÓLICA: nX2 +90 (n é a idade)

Sistólica
 PA DIASTÓLICA: + 10
2
Semiologia

EXAME FÍSICO ESPECÍFICO


Ele é cefalocaudal.

CABEÇA
1)) Fontanelas  ver formato do crânio. Escafocefalia, braquicefalia, turricefalia. Devo
palpar as fontanelas para ver o desenvolvimento.

1) Cabeça
2) Olhos
3) Orelhas  implantação baixa de orelha. Para achar passo um linha vertical nas
bordas do olho, e uma linha horizontal nos cantos do olho, o certo é a linha passar
na orelha.

4) Tonsilas  temos 4 graus de tonsilas (++++), sendo a amigdala estando no


plano da parede +, e o tamanho das amigdalas inflamadas se encontrando ++++.
Podendo ter exsudato e hiperemia.

PESCOÇO
Pode ter cisto, abcesso, linfoma e outros.

TÓRAX
1) Aparelho Respiratório frequência, tipo de tórax.
a) Frequência
Taquipineia:

0-2 > 60

2-12 >50

1 ano a 5 <40

;;;;;;

2) EXAME FISICO TORAX

3) INSPEÇÃO ESTÁTICA  Torax de sapateiro (pectus escavatum) ou peito de pombo.

4) INSPEÇÃO DINÂMICA
 Presença de assimetria/ expansabilidade torácica
 Rítmico respiratório
a) taquipneia,
b) bradipneia,
Semiologia

c) Respiração de Cheyne-Stokes,
d) Biot
e) Kussumaul  acidose metabólica, ou em cetoacidose diabética.
f) Cantani  profundas inspirações, sem apneia, muito mais intensa. Parece
estar sempre cansada, respirando fundo.
g) Dispneia suspirosa  comum em adolescentes, apresenta um leve suspiro
durante a respiração.
 Insuficiência respiratória (taquipineia, uso de musculatura acessória, tiragem
intercostal e subcostal).

5) PALPAÇÃO DO TÓRAX

6) PERCUSSÃO TÓRAX

7) AUSCULTA PULMONAR
 Aquele que se inica na ausculta do apatelho respiratório deve, necessariamente,
se submeter a um treinamento exaustivo, oubindo inúmeras vezes o pulmão
normal.
 02 sons pulmonares normais: Murmúrio vesicular ruído laringotraqueal (sopro
glótico)  sopro do ar passando na glote
 Sopro tubário  quando tiver alguma obstrução no tubo da traqueia  som
anormal. É o sopro glótico ouvido em lugar que não devia ouvir, pois solidificou,
como em pneumonia.
 Ruídos adventícios (origem na arvore brônquica alveolares ou espaço pleural).

 Tipos de ruídos:
Secos  onde não tem liquido (cornagem/roncos/sibilos)
Úmidos  formando onde tem liquido inflamatório (estertores
crepitantes/bolhosos)

Roncos e sibilos são causados por extreitamento da parede do tubo, do lumen. Sendo
sibilos mais agudos.

8) AUSCULTA CARDIACA

ABDOMEN
 InspeçãoForma, simetria, aspecto, movimentos peristálticos, circulação
venosa anômala, cicatriz umbilical.

 Ausculta: ruídos hidroaéreos.

 Percussão
Semiologia

 Palpação: sensibilidade, tensão, ascite, tumorações, visceromegalias: fígado e


baço.

 AUSCULTA

o Divide o abdome em 4 quadrantes


o Começa no quadrante inferior esquerdo e segue no sentindo anti-horario

• PALPAÇÃO
o Divisão em 9 regiões

o Segueosentindohoráriocomeçaemfossailicadireita(reginguinal direita)

• Palpação

Para determinar Usar


Posição, textura, tamanho, consistência, liquido, Superfície palmar dos dedos e
crepitação, forma de uma massa ou estrutura coxins dos dedos
Superfície ulnares dos dedos e
Vibração
mãos

Superfície dorsal das mãos


T emperatura
Semiologia

GENITAIS

MENINOS: deformidade do pênis, exposição da glande, presença dos testículos.

MENINAS: tamanho do clitóris, ninfas, orifício uretral, hímem. REGIÃO ANAL E


SACROCOCCÍGEA

Fissuras, fístulas, saNgramentos, plicomas. deformidades da coluna


lombossacra.

EXTREMIDADES

Simetria, mobilidade, desvios, crepitação, dor.


Deformidades: pé torto congênito, pés planos
No recém-nascido: manobra de Ortolani e Barlow. Na criança maior: avaliar a
coluna na posição ereta

NEUROLÓGICO

 Nível de consciência, orientação, atitude, marcha, equilíbrio, tônus, força muscular,


sensibilidade cutânea. Escala de Glasgow.

 Reflexos arcaicos: moro, sucção, prensão palmo-plantar, marcha reflexa, sinal do


arqueiro.
Semiologia

 Sinais de irritação meníngea: rigidez nucal, Kernig, Brudzinski

 Tremores, clônus, movimentos tônicos ou mioclõnicos