P. 1
ARISTÓTELES - O HOMEM COMO ANIMAL POLÍTICO

ARISTÓTELES - O HOMEM COMO ANIMAL POLÍTICO

|Views: 28|Likes:
Publicado porArnaldo Leite

More info:

Published by: Arnaldo Leite on Jun 10, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/29/2013

pdf

text

original

ARISTÓTELES – O HOMEM COMO ANIMAL POLÍTICO Aristóteles foi um pensador que teve uma das obras mais amplas

da história do pensamento ocidental. Seus estudos perpassaram praticamente todas as áreas do conhecimento de seu tempo. Em sua obra ele discutiu, por exemplo, lógica, política, física, dentre outras. Em todas elas ele teve grande destaque, tendo em vista que foi seu método que norteou todos os estudos científicos e filosóficos por mais de dez séculos. Dentre tantas obras de Aristóteles é conhecido seu tratado sobre política intitulada: A Política. Nesta obra, ele fala sobre a capacidade do homem de viver em sociedade, característica tida por ele como a que melhor lhe identifica. Para ele o homem é naturalmente um animal político, ou seja, é da natureza do homem viver em sociedade. Aristóteles busca na natureza esta explicação por que ele segue uma linha oposta a do seu mestre Platão. Este compreendia que para cada modelo imperfeito no mundo sensível havia um modelo perfeito no mundo das ideias, ou seja, existe um modelo ideal de governo e é papel do governante (rei filósofo) buscá-la no mundo das ideias e pô-la a serviço dos homens no mundo sensível. Em Aristóteles, todas as explicações para os eventos naturais encontravam na realidade (natureza) sua fundamentação. Tais divergências nos métodos afastaram Aristóteles de Platão. Em Aristóteles a sociedade tinha na natureza seu fundamento e sua finalidade era a conservação do homem, por isso era forma mais nobre de associação. Em sua filosofia a natureza não fundamenta apenas a possibilidade de associação do homem, mas determina também as relações entre eles. Por exemplo, Aristóteles defende que a natureza dotou uns com a capacidade de serem senhores, outros com a capacidade de serem escravos. Para os primeiros, dotou-os de habilidades intelectuais e debilidade física, uma vez que para se governar precisa-se apenas do intelecto. Já, para os últimos, como tem apenas que executar trabalhos braçais, a natureza dotou-os somente de força física, deixando-os, portanto, débeis intelectualmente. O pensamento aristotélico teve grande destaque na Antiguidade e na Idade Média. A novidade de seu pensamento foi seu pioneirismo em se fundamentar na natureza para explicar seus eventos ainda que seu método tenha se desenvolvido de modo dedutivo, ou seja, se fazia por meio de deduções lógicas, prescindindo, portanto, da observação. Mais tarde, com os questionamentos sobre a validade de seu método, pensadores como Galileu e Bacon, procuraram instituir uma nova forma de se fazer ciências, onde o método indutivo, que requeria a observação, deveria nortear as pesquisas científicas.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->