Você está na página 1de 1

mg/dL

[metanol]

mg/dL [metanol] INTOXICAÇÃO POR METANOL EXPERIÊNCIA DE UM CASO CLÍNICO Nuno Correia  ; Marcio Ferreira
INTOXICAÇÃO POR METANOL EXPERIÊNCIA DE UM CASO CLÍNICO
INTOXICAÇÃO POR METANOL
EXPERIÊNCIA DE UM CASO CLÍNICO

Nuno Correia ; Marcio Ferreira ; Paula Dias ; Ana Caló ; Catarina Pinho ; Catarina Faria ; Inês Silva ; Susana Ferreira ; Eunice Loureiro ; Guiomar Castro ; Carla Silva ; Maria João Silva ; Filipe Conceição ; Luis Lopes

SERVIÇO DE MEDICINA INTERNA; ESTUDANTES - FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO UNIDADE DE CUIDADOS INTERMÉDIOS DO SERVIÇO DE URGÊNCIA. HOSPITAL DE SÃO JOÃO Director do Serviço de Medicina Interna: Prof. Doutor Paulo Bettencourt; Coordenador da UCISU: Dr. Filipe Conceição nunovox@gmail.com

da UCISU: Dr. Filipe Conceição  nunovox@gmail.com HOSPITAL DA ÁREA HOSPITAL CENTRAL Homem, 22 anos,
HOSPITAL DA ÁREA HOSPITAL CENTRAL
HOSPITAL DA ÁREA
HOSPITAL CENTRAL

Homem, 22 anos, estudante universitário Contexto: ansiedade + conflitos familiares

Acidemia metabólica

pH 7,26; AG 18,6 mmol/L

Fluidoterapia agressiva

Etanol 20% por SNG

Dose de carga de 350ml + perfusão a 35ml/h

Tiamina 100mg ev

Piridoxina 50mg ev

NaHCO 3 perfusão ev

U. C. INTENSIVOS

PLANO

ev  NaHCO 3 perfusão ev U. C. INTENSIVOS PLANO Encontrado no domicilio pela mãe em

Encontrado no domicilio pela mãe em coma, com sinais de

vómito, cerca de 1h após

pela mãe em coma, com sinais de vómito, cerca de 1h após • Hemodiálise contínua +

Hemodiálise contínua +

intermitente (3 sessões)

Fomepizole ev

Folinato de cálcio

ingestão oral voluntária de cerca de 0,5 L de metanol 90%

entubação orotraqueal (ventilação espontânea) + lavagem gástrica

U.C. Intensivos U.P.C. Intermédios Urgência Enfermaria Medicina Interna
U.C. Intensivos
U.P.C. Intermédios Urgência
Enfermaria Medicina Interna

TRATAMENTO E EVOLUÇÃO DOS NÍVEIS SÉRICOS DE METANOL

Hosp Area Hospital Central 100 LG Hemodiálise EtOH FOMEPIZOLE Ácido Folínico NaHCO 3
Hosp Area
Hospital Central
100
LG
Hemodiálise
EtOH
FOMEPIZOLE
Ácido Folínico
NaHCO 3
Hemodiálise EtOH FOMEPIZOLE Ácido Folínico NaHCO 3 1 2 3 4 5 6 7 METANOL 90%

1

2

3

4

5

6

7

METANOL 90%

Dias pós-exposição

INDICAÇÕES PARA INIBIDORES DA ÁLCOOL DESIDROGENASE (ADH) ETANOL  FOMEPIZOLE •Forte evidência de ingestão de
INDICAÇÕES PARA INIBIDORES
DA ÁLCOOL DESIDROGENASE (ADH)
ETANOL  FOMEPIZOLE
•Forte evidência de ingestão de metanol
•Metanol sérico > 20 mg/dL
•Gap osmolar > 10mmol/dL
•pH arterial < 7,3
•CO 2 sérico < 20 mmol/l
INDICAÇÕES PARA HEMODIÁLISE
• Metanol >50 mg/dL
• Acidemia severa (pH< 7,3; HCO 3 <15 mmol/L)
• e/ou lesão óptica
PAPEL DO ÁCIDO FOLÍNICO
Promoção do metabolismo
do ácido fórmico (metabolito do metanol)
PAPEL DA ALCALINIZAÇÃO
Limitar a quantidade de ácido fórmico livre,
prevenindo neurotoxicidade

Complicações: Pneumonia e

infecção urinária nosocomiais

Evolução favorável Sem sequelas orgânicas

Hosp Área:

Hospital da área

EtOH: etanol 20%

LG: lavagem gástrica (sem carvão activado)

etanol 20% LG: lavagem gástrica (sem carvão activado) METANOL  Extubação OT ao 6º dia 100

METANOL

Extubação OT ao 6º dia

(sem carvão activado) METANOL  Extubação OT ao 6º dia 100  Avaliação oftalmológica sem evidência
(sem carvão activado) METANOL  Extubação OT ao 6º dia 100  Avaliação oftalmológica sem evidência
(sem carvão activado) METANOL  Extubação OT ao 6º dia 100  Avaliação oftalmológica sem evidência
(sem carvão activado) METANOL  Extubação OT ao 6º dia 100  Avaliação oftalmológica sem evidência
100
100

Avaliação oftalmológica sem evidência de lesões

Sem disfunção neurológica ou de outros órgãos

Alta ao 14º dia Follow-up: Medicina Interna, Psiquiatria e Oftalmologia

TAKE HOME MESSAGES

A ingestão de metanol é rara e potencialmente fatal pelo que é crítico o seu rápido reconhecimento e tratamento precoce

Metanol ácido fórmico acidose metabólica grave com AG

Manifestações: alterações neurológicas; instabilidade hemodinâmica; depressão respiratória; alterações oculares (snow field vision); alterações gastro-intestinais

A prioridade é a inibição precoce da ADH com etanol ou fomepizole

A possibilidade de rebound de metanol pós-diálise obriga a monitorização dos níveis de metanol e prolongamento do antagonista após a hemodiálise

O fomepizole, apesar do elevado custo, oferece vantagens relativamente ao etanol (menos efeitos laterais, mais fácil manuseamento no tratamento), pelo que tem sido o agente preferido de acordo com a literatura

REFERÊNCIAS

Brent J, McMartin K, Phillips S, et al. Fomipazole for the treatment of methanol poisoning. N Engl J Med 2001:344:424-429 Velez LI, Shepherd G, Lee YC, Keyes DC (September 2007). "Ethylene glycol ingestion treated only with fomepizole". J Med Toxicol 3 (3): 1258. Mégarbane B, Borron SW, Baud FJ. Current recommendations for treatment of severe toxic alcohol poisonings. Intensive care medicine.

2005;31:189-95

Frenia, M. L. and Schauben, J. L. (1993). Methanol inhalation toxicity. Ann Emerg Med 22, 1919-2