PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÂTICA REGISTRADO(A) SOB N°

„ „A~~S ~ ACÓRDÃO

*02318622*

Vistos,

relatados

e

discutidos

estes

autos

de

APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n° 562.093-5/0-00, da Comarca de JACAREÍ, apelante em que é recorrente PREFEITURA MUNICIPAL o JUÍZO DE "EX OFFICIO", sendo sendo

JACAREÍ

apelada

LUCIANA HIROMI YASUNICI DE OLIVEIRA:

ACORDAM, Público proferir do a

em de

Décima

Segunda do

Câmara de

de São

Direito Paulo, aos

Tribunal seguinte

Justiça decisão:

Estado

"Negaram

provimento

recursos, v.u.", de conformidade com o voto do Relator, que integra este acórdão.

O

julgamento

teve

a

participação

dos

Desembargadores PRADO PEREIRA FERREIRA e LUIZ BURZA NETO.

(Presidente, sem voto), EDSON

São Paulo, 15 de abril de 2009.

VENICIO SALLES Relator

adicional de insalubridade em grau médio . com base na Lei Federal n° 8.ação procedente em parte . Cuioa-se de ação ordinária ajuizada por servidora pública municipal.5/0-00 COMARCA: JACAREI RECORRENTE: JUÍZO EXOFFICIO APELANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE JACAREÍ APELADA: LUCIANA HIROMI YASUNICI DE OLIVEIRA (AJ) Voto n° 6456 Servidor público municipal — Jacareí estatutário . face à prevalência do estatuto local .redução da carga horária laborai.856/94 e com o conseqüente pagamento do restante das horas trabalhadas como extras. ocupante do cargo de fisioterapeuta sob o regime estatutário. inadmissível. objetivando a redução da carga horária de trabalho de 40 para 3y0 horas semanais. bem como (TVecebiinento de adicional de insalubridade decorrente da natureza da ativyoade desde a sua admissão.093. contra a Prefeitura\de Jacareí. 1. .PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO / APELAÇÃO CÍVEL n° 562.fisioterapeuta . no entanto.pedido amparado em laudo pericial e previsto no estatuto do funcionalismo local .sentença mantida Reàxame oficial e recurso da Municipalidade improvulos.

Há remessa oficial (fls. Ayquestão. Não há contrarrazões. Os recursos não comportam acolhimento. r E o relatório. aliás. \A v 6456 Apelação Cível n° 562 093 5/0-00 . rejeitando o pleito no tocante à redução da carga horária laborai. é incontroversa. A Municipalidade apelou do julgado. Como fiem lançado na sentença confrontada. as normas do regime estatutário municipal prevalecem sobre a lei ordinária federal apontada pela requerente com respeito à carga horária de trabalho. na medida em que a legislação local estipula a carga de 40 horas semanais para todos os servidores municipaus. não foi objeto de recurso e somente é aqui mencionada para reforçar a exatidão do julgamento monocrático. 2. insistindo inexistir insalubridade no trabalho da autora (fls. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO A sentença julgou a ação procedente em parte.atN^^v.. 234/238). 239/246). não cabendo ressalva para o cargo ocupado pela autora. sem exceção.laçarei .

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Conflito há com relação ao pagamento do adicional de insalubridade. possui inegável efeito aeclaratório. na medida em que tem como proposTíb a mera fixação do grau de insalubridade da atividade do servidor. precisando fazer uso de máscara e luvas de proteção. que em muitos casos padecem de patologias infecciosas. YAdemais. e não constitutivo. presentes no ambiente funcional ou decorrente da natureza da atividade. direito que a Municipalidade insiste em não reconhecer à autora. correspondendo a um adicional de 20% nos vencimentos (fls. haurindo seus efeitos v 6456 Apelação Cível n° 562 093 5<()-00 . HIV e escaras decorrentes de AVC. a apelada fica exposta à possibilidade de contágio de afecção trazida pelos pacientes atendidos. O laudo que detecta a existência de agtentes ou condições nocivas à saúde do servidor. de conformidade ao disposto na seção V do capítulo III do Estatuto dos Servidores Públicos Municipais de Jacareí. o laudo técnico ou pericial tem natureza de ATO ADMINISTRATIVO. De outro!lado. no exercício da atividade de fisioterapeuta. hanseníase.Jacareí . Sucede que. cujo artigo 211 remete à legislação trabalhista para determinar o percentual da vantagem (artigos 189 e 192 da Consolidação das Leis do Trabalho). 61/62). tais como pneumopatias. não se sustenta o argumento da Prefeitura de que o direito à vantagem teria origem no laudo pericial. que identificou na função e no ambiente de trabalho da autora insalubridade potencial em grau médio. 203/211). conforme ficou estampado no laudo pericial. a Lei Complementar n° 13/93 (fls.

pelosymotivos expendidos. tratando-se de cargo de provimento mediante concurso público. no grau apontado pelo laudo pericial. indiscutível o direito da autora. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO da LEI instituidora do benefício. que faz jus ao recebimento da vantagem. VENICI0 S4LLES Re/ator v 6456 Apelação Cível n° 562 093 5/0-00 . não agregando a esta qualquer carga eficacial. Portanto.n#&ÇÍ4fr. nega-se provimento ao recurso oficial e à apelação da Municipalidade.Jacareí . desde a sua admissão no quadro do funcionalismo de Jacareí. nos moldes 3. Assim:.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful