PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÂTICA REGISTRADO(A) SOB N°

„ „A~~S ~ ACÓRDÃO

*02318622*

Vistos,

relatados

e

discutidos

estes

autos

de

APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n° 562.093-5/0-00, da Comarca de JACAREÍ, apelante em que é recorrente PREFEITURA MUNICIPAL o JUÍZO DE "EX OFFICIO", sendo sendo

JACAREÍ

apelada

LUCIANA HIROMI YASUNICI DE OLIVEIRA:

ACORDAM, Público proferir do a

em de

Décima

Segunda do

Câmara de

de São

Direito Paulo, aos

Tribunal seguinte

Justiça decisão:

Estado

"Negaram

provimento

recursos, v.u.", de conformidade com o voto do Relator, que integra este acórdão.

O

julgamento

teve

a

participação

dos

Desembargadores PRADO PEREIRA FERREIRA e LUIZ BURZA NETO.

(Presidente, sem voto), EDSON

São Paulo, 15 de abril de 2009.

VENICIO SALLES Relator

objetivando a redução da carga horária de trabalho de 40 para 3y0 horas semanais. contra a Prefeitura\de Jacareí.pedido amparado em laudo pericial e previsto no estatuto do funcionalismo local .856/94 e com o conseqüente pagamento do restante das horas trabalhadas como extras.fisioterapeuta . inadmissível.093. 1.redução da carga horária laborai. Cuioa-se de ação ordinária ajuizada por servidora pública municipal.PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO / APELAÇÃO CÍVEL n° 562. no entanto. com base na Lei Federal n° 8. . bem como (TVecebiinento de adicional de insalubridade decorrente da natureza da ativyoade desde a sua admissão.sentença mantida Reàxame oficial e recurso da Municipalidade improvulos.5/0-00 COMARCA: JACAREI RECORRENTE: JUÍZO EXOFFICIO APELANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE JACAREÍ APELADA: LUCIANA HIROMI YASUNICI DE OLIVEIRA (AJ) Voto n° 6456 Servidor público municipal — Jacareí estatutário . face à prevalência do estatuto local . ocupante do cargo de fisioterapeuta sob o regime estatutário.adicional de insalubridade em grau médio .ação procedente em parte .

na medida em que a legislação local estipula a carga de 40 horas semanais para todos os servidores municipaus. não foi objeto de recurso e somente é aqui mencionada para reforçar a exatidão do julgamento monocrático. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO A sentença julgou a ação procedente em parte. rejeitando o pleito no tocante à redução da carga horária laborai. aliás. sem exceção.atN^^v. não cabendo ressalva para o cargo ocupado pela autora.. Há remessa oficial (fls. Como fiem lançado na sentença confrontada. \A v 6456 Apelação Cível n° 562 093 5/0-00 . 2. as normas do regime estatutário municipal prevalecem sobre a lei ordinária federal apontada pela requerente com respeito à carga horária de trabalho. 234/238). Ayquestão. é incontroversa. 239/246). insistindo inexistir insalubridade no trabalho da autora (fls. Não há contrarrazões. Os recursos não comportam acolhimento. A Municipalidade apelou do julgado. r E o relatório.laçarei .

cujo artigo 211 remete à legislação trabalhista para determinar o percentual da vantagem (artigos 189 e 192 da Consolidação das Leis do Trabalho). Sucede que. YAdemais. correspondendo a um adicional de 20% nos vencimentos (fls. no exercício da atividade de fisioterapeuta.Jacareí . conforme ficou estampado no laudo pericial. na medida em que tem como proposTíb a mera fixação do grau de insalubridade da atividade do servidor. a Lei Complementar n° 13/93 (fls. direito que a Municipalidade insiste em não reconhecer à autora. hanseníase. e não constitutivo.PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Conflito há com relação ao pagamento do adicional de insalubridade. possui inegável efeito aeclaratório. precisando fazer uso de máscara e luvas de proteção. que em muitos casos padecem de patologias infecciosas. 61/62). que identificou na função e no ambiente de trabalho da autora insalubridade potencial em grau médio. 203/211). De outro!lado. não se sustenta o argumento da Prefeitura de que o direito à vantagem teria origem no laudo pericial. HIV e escaras decorrentes de AVC. O laudo que detecta a existência de agtentes ou condições nocivas à saúde do servidor. tais como pneumopatias. o laudo técnico ou pericial tem natureza de ATO ADMINISTRATIVO. de conformidade ao disposto na seção V do capítulo III do Estatuto dos Servidores Públicos Municipais de Jacareí. presentes no ambiente funcional ou decorrente da natureza da atividade. a apelada fica exposta à possibilidade de contágio de afecção trazida pelos pacientes atendidos. haurindo seus efeitos v 6456 Apelação Cível n° 562 093 5<()-00 .

pelosymotivos expendidos. no grau apontado pelo laudo pericial. desde a sua admissão no quadro do funcionalismo de Jacareí. Portanto. nega-se provimento ao recurso oficial e à apelação da Municipalidade. que faz jus ao recebimento da vantagem. indiscutível o direito da autora. não agregando a esta qualquer carga eficacial. nos moldes 3. tratando-se de cargo de provimento mediante concurso público. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO da LEI instituidora do benefício. VENICI0 S4LLES Re/ator v 6456 Apelação Cível n° 562 093 5/0-00 .Jacareí . Assim:.n#&ÇÍ4fr.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful