Você está na página 1de 1

Possuem imunidade à jurisdição brasileira os funcinários consulares de carreira,quando no exercício de

Imunidades suas funções, também aos empregados consulares , que fazem parte do corpo técnico e administrativo
consulares do consulado. Não possuem imunidade penal os membros da família , nem os empregados pessoais.

Asseguram ao congressista absoluta liberdade de ação , através da


exposição livre do seu pensamento, das suas ideias e, sobretudo, do seu voto.
que é um privilégio de direito penal substantivo e visa a assegurar
a liberdade de palavra e de debates (prevista na CF)
substantiva

privilégio de natureza processual e tem por fim garantir a inviolabilidade pessoal , evitando
que o parlamentar seja submetido a processos tendenciosos ou prisões arbitrárias. Desde a
expedição do diploma, os membros do Congresso Nacional não poderão ser presos, salvo
em flagrante de crime inafiançável. Nesse caso, os autos serão remetidos dentro de vinte e
quatro horas à Casa respectiva, para que, pelo voto da maioria de seus membros ,resolva
Imunidades sobre a prisão. A respectiva casa pode sustar o andamento do processo , desde que não
parlamentares tenha havido decisão com trânsito em julgado. Tem a casa prazo improrrogável de 45 dias
para deliberar sobre a eventual sustação do efeito. Devem ser ouvidos em lugar previamente
agendado com o juiz , quando forem testemunhas; não cabendo qualquer tipo de condução
coercitiva. Possuem sigilo parlamentar . Não impossibilita a investigação pocial, de forma
que o Parlamento não pode sustar o curso do inquérito contra qualquer de seus membros.
processual

Possuem as mesmas imunidades que os federais


24. Imunidades Deputados Estaduais
Diplomáticas - II
somente imunidade substantiva , desde que no exercício do
mandato e na circunscrição do seu Município . Não tem imunidade
Vereadores processual nem foro privilegiado.Possuem prisão especial.

Em razão da soberania da nação, uma sentença estrangeira não pode produzir efeitos no Brasil
em a homologação feita por um tribunal pátrio, porque, se assim fosse feito, estar-se-ia, em
última análise, aplicando em território nacional leis estrangeiras. A competência para a
homologação é do Superior Tribunal de Justiça

reparação civil do dano causado à vítima

aplicação da medida de segurança


Hipóteses para a homologação hipóteses prevista na Lei de Lavagem de Dinheiro
Eficácia de sentença (Divisão dos bens sequestrados)
estrangeira
gerar reincidência

servir de pressuposto da extraterritorialidade condicionada


Efeitos da sentença impedir o sursis
condenatória estrangeira que
independem de homologação prorrogar o prazo para o livramento condicional

gerar maus antecedentes