Você está na página 1de 2

ESTILOS INTERPESSOAIS DE COMPORTAMENTO

Estaremos aqui abordando 4 estilos de negociadores, 4 modelos defendidos por especialistas


em comportamento humano. Afim de tornar pratica a análise da dinâmica do comportamento.

Tal estudo mostra que existem duas escalas de estilos, a qual mostra a manifestação e dimensão
dos diversos comportamentos humanos.

CONTROLE SOBRE OS OUTROS – a percepção de nossos interlocutores, nós parecemos


influenciar o pensamento e as ações dos outros. Controle sobre os outros.

CONTROLE SOBRE SI – Uma pessoa tende a limitar, a escolher a expressão das próprias emoções.
Sempre na percepção dos outros.

Cada estilo social, confronta-se com uma tarefa, ou persegue um objetivo e suas prioridades
e\ou expectativas, com relação as modalidades de relação. É importante frisar que todos os
estilos são eficazes, e que aspectos de competência e determinação, são independestes dos
estilos.

ANALÍTICOS

Pessoa com foco, método, padrão, normas, procedimentos, e todos os processos envolvidos nas
tarefas. Estas, buscam informações detalhadas, cumprem o que prometem. São cautelosos
fazendo crescer o nível de segurança e certeza. Necessitam evidencias por vias escritas e provas.
Executam sozinhas as tarefas, sem dividir informações importantes aos outros que possam usar
de maneira inadequada tais dados.

CONTROLADORES

Pessoas controladas em si, e ao ambiente a qual se encontram. Geram a impressão de quererem


os resultados mais rápidos e claros. Pois na relação com outros, são fechados, mas gostam de
pressionar. Insistentes quanto a algo que lhes convém, mas que negativamente podemos dizer
que são insensíveis. Diante de grandes variáveis, buscam o que detiver menores alternativas.
Estes trabalham rápidos, não aceitando falhas e quanto menos explicações diante dos
resultados esperados. Expressam o que realmente pensam e sentem, gerando assim, dificuldade
de convívio. Controle e resultado, pode se dizer que são impulsos psicológicos fortes sobre tais
indivíduos.

EXPRESSIVOS

São criativos, contínuos na busca de projetos criativos, e prolíficos na geração de ideias. São
altamente expressivos em suas emoções, sejam estas negativas ou positivas. Entusiasmados,
envolventes e intuitivos, se mostram as vezes desleixados quanto a objetividade, e
procedimentos analíticos. Para estes, os dados quantitativos detêm apenas serventia, quanto a
prova dos seus resultados e intuições. Necessitam ser reconhecidos pelos outros, nos diversos
adjetivos qualitativos. Mas se negam a ser criticados. Pulsões, generalizações, são marcas
comuns em seus atos, compartilhando assim suas ideias com todos, mas não se preocupam em
cumprir as mesmas. Da mesma forma cobrar dos outros, promessas feitas a estes, não estão
entre em seus objetivos.

SOCIÁVEIS.

Se orientam via a acordos e a relacionamentos interpessoais. Não impõe vontades, ideias de


maneira agressiva, mas curte integrarem\serem aceitos em grupos. São tidos como mediadores,
são extrovertidos apaziguadores de confrontos das mais diversas formas. Sua sensibilidade é
trabalhada sobre emoções e sentimentos dos outros, no intuito da integralidade dos diversos
grupos e indivíduos. É um amigo de todos, pois busca uma aceitação dos diversos grupos e
indivíduos entre si. Com o trabalho da diversidade, seus signos são a lealdade e testemunhos
coerentes de outras pessoas.

Estes apresentam dificuldades em dizer não, e consequentemente vão sofrer na exibição do que
realmente pensam ou sentem. Conclusivamente podemos esperar que tais pessoas demorem a
decidir, em relação aos outros.

Como podemos ver, são muitas as variáveis expostas nos comportamentos dos indivíduos, no
processo de decisão de cada indivíduo, no objetivo de alcançar suas decisões. Assim, tornasse
importante reconhecer os estilos interpessoais, como forma auxiliadora de um relacionamento
eficaz entre as partes. Aqui, podemos vemos ver que os aspectos técnicos as quais nos compete
sobre cada processo, se tornam claramente insuficientes, a partir do momento em que não
detemos competência interpessoal na relação de cada indivíduo conforme os estilos
interpessoais. Em suma, mais do que nunca, a palavra indivíduo, da qual vem a ser indivisível, se
mostra de grande valia, na necessidade de reconhecer no outro, sua individualidade como
pessoa, através do estilo pessoal de relacionamento.