Você está na página 1de 49

ONIP – CAFÉ COM ENERGIA

Benchmarking em Projetos
de Produção de Petróleo e
Gás Natural

A Experiência da Petrobras

José Antônio de Figueiredo


Petrobras
19/09/03
Benchmarking em Projetos de Produção

Conceitos e Metodologia
O Exercício de Benchmarking – Abordagem do Estudo
Correlaciona est at ist icam ent e RESULTADOS X ENTRADAS de um
pr oj et o

Ent radas de Proj et o Result ados de Proj et o


Front-End Volatilidade SMS
Loading de reservas

Mudanças Custo Competitividade


de Custos de
projeto Desenvolvimento
Técnicas est at íst icas
Práticas de de Par am et r ização
Valor - VIP Prazo Ciclos de Tempo
Desvios de Prazos
Inovação
tecnológica
Operabilidade Problemas durante
primeiro ano de
Práticas de produção
Gestão proj.
FEL - Front End Loading
(Requisitos Mínimo para Definição do Projeto)

FEL 1 Consulta ao APROVAÇÃO DO ENTREGA DA


Mercado PROJETO PLANTA À

•RESERVATÓRIO FEL 2 DIRETORIA OPERAÇÃO

•POÇO
FEL 3
•FACILIDADES

FASE 1 FASE 2 FASE 3 FASE 4 FASE 5


IDENTIFICAÇÃO E SELEÇÃO DE DETALHAMENTO DA (S) EXECUÇÃO DO OPERAÇÃO
AVALIAÇÃO DA ALTERNATIVAS ALTERNATIVA(S) PROJETO (Primeiro ano)
OPORTUNIDADE SELECIONADA(S).
PROJETO
DO PROJETO DEFINIÇÃO DO PROJETO
CONCEITUAL
PROJETOBÁSICO
Portão Portão Portão Portão Portão
1 2 3 4 5

PSD PSD PSD PV


1 PV 1
2 3 2

Segue Segue Segue

PSD- Pacote de Suporte a Decisão

PV- Ponto de Verificação


VIPs
VIPs -- Value
Value Improving
Improving Practices
Practices

As 12 VIPs : 1. Classes de qualidade da planta


2. Análise de construtibilidade
3. Customização de normas e especificações
4. Projeto para a capacidade
5. Otimização de energia
6. Manutenção preditiva
7. Modelagem de confiabilidade do processo
8. Simplificação do processo
9. Seleção de tecnologia
10. Engenharia de valor
11. Minimização de resíduos
12. 3D CAD
VIPs
VIPs -- Value
Value Improving
Improving Practices
Practices

DIRETRIZES NA APLICAÇÃO DE VIPs :

É recomendada a ut ilização de 4 a 7 VIPs (40 a 60%)

A met odologia de seleção de VIPs leva em cont a :


 Obj et ivos do proj et o
 Prazo
 Cust o
 Complexidade, et c

Limit ações arbit rárias do escopo de aplicação rest ringem os


result ados pot enciais

A int egração do FEL e das VIPs é fat or chave de sucesso


Integração
Integração entre
entre FEL
FEL ee VIPs
VIPs

Fase 1 Fase 2 Fase 3 Fase 4 Fase 5


Análise do Negócio Estudo de viabilidade Planejamento do Projeto Execução Operação

Fel 1 Fel 2 Fel 3

Engenharia de Customizaçãode Minimização de


Valor Normas Resíduos

Simplificação de Projeto para a Otimização de


Processo Capacidade Energia

Classe de
Seleção de Manutenção Engenharia Modelagem de
Qualidade da
Preditiva de Valor Confiabilidade
Tecnologia Planta

CAD 3D

Avaliações de Construtibilidade
Sistemática
Sistemática de
de Condução
Condução de
de Empreendimentos
Empreendimentos

Estratégia
Estratégia
do
Tecnológica
Negócio

Alinhamento
de
Funções Disciplina Baixo
Custo

Liderança SEGURANÇA
Tecnológica Escopo Execução
adequado às com
necessidades mudanças Ciclo de tempo MELHOR
do negócio mínimas rápido
Uso de VIPs
“Value Improving
Practices” RESULTADO

as
lidade d
Front-End
Front- Envolvimento oportuno Qua idades
Loading de contratados e facil
fornecedores

Indicadores chave para liderança Indicadores chave de desempenho


PRINCIPAIS INICIATIVAS DE
BENCHMARKING NO E&P
Principais Iniciativas de Benchmarking
no E&P

Benchm arking por m acro processo do E& P


Exercícios de benchmarking ao longo da cadeia produtiva do E&P

Ernst & Young IPA McKinsey

Último ciclo: 1999 2000 2002


Benchmarking em Projetos
de Produção de Petróleo e
Gás Natural

Projetos de Produção Offshore


Foco
IPA – Independent Project Analisys
IPA : Área de Atuação e Base de Dados
Distribuição Regional da Base de Dados da
Indústria - 351 Projetos

Middle East and


Central Asia/Russia
North Sea 4% (13)
26% (93)

US and
Canada10
% (34)

Asia-Pacific
14% (52)

U.S. Gulf of Mexico


20%(73)

Latin Africa
America 12% (41) Brasil 11% (37)
3%(9)
Base de Dados : Projetos em Águas Profundas
Distribuição Regional Assets em

Águas Profundas :
47 Projetos de
Produção (LDA>300 m)
North Sea
15% ( 7)

U.S. Gulf of Mexico


57% ( 27)

Africa
9% ( 4)
Brasil
19% ( 9)
Base de Dados da IPA

Universo de Comparação

Sistema de Avaliação Geral dos


Projetos E&P- IPA, n > 800

Indústria
n = 342
Projetos executados desde 1994
IPA
IPA :: Definição
Definição de
de Indústria
Indústria

Som ent e pr oj et os com início de ex ecução em 1994 ou


post er ior es ( pr azo m édio do ano de det alham ent o é 1996)
342 pr oj et os r epr esent ando m ais de 60 US$ bilhões em
invest im ent os ( incluindo per f ur ação)
I nvest im ent os ent r e 1 MM e 3,8 US$ bilhões
I nclui t odos conceit os de pr oj et os ( onshor e, FPSOs, SS,
subsea, plat af or m as f ix as, et c)
Repr esent ação global dos pr oj et os
A t ecnologia ut ilizada var ia da disponível no m er cado at é o
est ado da ar t e
IPA
IPA :: Definição
Definição de
de Águas
Águas Profundas
Profundas

Som ent e proj et os com início de execução em 1994 ou


post eriores ( prazo m édio do ano de det alham ent o é
1997)
38 proj et os represent ando m ais de 20 US$ bilhões em
invest im ent os ( incluindo perfuração)
I nvest im ent os ent re 34 MM e 3,8 US$ bilhões
Profundidade d’água de 300 a 2200 m et ros
Proj et os localizados no Golfo do México, Oest e da
Áf rica e Mar do Nort e
A t ecnologia ut ilizada varia da disponível no m ercado
at é o est ado da art e
IPA
IPA :: Definição
Definição de
de Classe
Classe A
A

Melhor com panhia of f shor e com pr esença global


Melhor per f or m ance em r esult ados de pr oj et o
Pr oj et os de t am anho e nat ur eza sim ilar es
Sist em a de pr oj et os pr evisíveis
Result ados de pr oj et os da com panhia Classe A:

Performance de Custos 92% Relativa à média da indústria

Previsibilidade de Custos 2% Relativa à estimativa autorizada

Tempo de Execução 97% Relativa à média da indústria

Previsibilidade de Prazo 5% Relativa à estimativa autorizada


Benchmarking de Projetos de Produção
Projetos da Petrobras Avaliados
Reservas Início de
Projetos Tipos LDA (m) (MM BOE) Execução
O Exercício de Benchmarking – Abordagem do Estudo
Abordagem do est udo: Correlaciona est at ist icam ent e os result ados
com as ent radas de um proj et o
Ent radas de Proj et o Result ados de Proj et o

Front-End Volatilidade
Loading de reservas

Competitividade
Mudanças de Custos de
projeto Técnicas de Desenvolvimento
Est at íst ica Custo
Par am ét r ica
Práticas de
Valor - VIP Ciclos de Tempo
Prazo Desvios de Prazos

Inovação
tecnológica
Problemas durante
Operabilidade primeiro ano
produção
Práticas de
Gestão proj.
IPA : Asset FEL

Contribuição Relativa das Áreas

Asset
Facilidades + Poços + Reservatório
FEL

40% 20% 40%

Pesos são baseados em análise da base de dados


Principais resultados - Pontos Fortes
Normalizado
Normalizado

Benchmark Petrobras Águas Indústria Classe A


E&P Profundas
Competitividade relativa dos
Custos de Desenvolvimento 0,72 1 0,87 0,83

Competitividade relativa dos


Custos de Construção de Poço
0,69 1 1 0,82

Competitividade relativa dos


Custos de Facilidade s 0,74 1 0,81 0,83

Índice relativo de FEL de


Reservatório 1,05 1 1,05 0,81

Índice relativo de FEL de


Construção de Poço
1,11 1 1 1

Índice relativo de FEL de


Facilidades
1,03 1 1,03 0,95

Uso Substancial de Novas


Tecnologias em Facilidades 1,14 1 0,16 0

Uso Substancial de Novas


Tecnologias em Construção de 1,86 1 0,94 0,61
Poço
Boas Práticas Bom Razoável
Principais resultados - Pontos Fortes

Petrobras – Custos de Desenvolvimento dos Campos por


BOE são melhores que os da Indústria

MELHOR

Petrobras

Águas Profundas

Indústria

Classe A

0.0 0.2 0.4 0.6 0.8 1.0 1.1


Custo Relativo de Desenvolvimento do Campo
Principais resultados - Pontos Fortes

Petrobras tem um melhor custo de Construção de Poço por BOE.


Vantagem sobre a Indústria

MELHOR

Petrobras

Águas Profundas

Indústria

Classe A

0.0 0.2 0.4 0.6 0.8 1.0 1.2


Custo Relativo de Construção de Poços
Principais resultados - Pontos Fortes

Petrobras também tem um melhor custo de Facilidades


por BOE. Vantagem sobre a Indústria

MELHOR

Petrobras

Águas Profundas

Indústria

Classe A

0.0 0.2 0.4 0.6 0.8 1.0 1.2 1.4


Custo Relativo de Facilidades

Facilidades = Subsea + UEP + Pipeline


Principais resultados - Pontos Fortes
FPSO –Ponto Fraco
Petrobras - Custos de Facilidades por
Componente MELHOR

FPSOs

Subsea

Pipelines

0.5 0.6 0.7 0.8 0.9 1.0 1.1 1.2 1.3 1.4
Índice de Efetividade de Custos
(Indústria = 1.0)

Custo Realizado
Índice de Efetividade de Custo = Custo da Indústria
ÍNDICE DE FEL
Índice de Front-End Loading = Grau de definiçao do projeto

Melhor FEL leva a melhor Performance de Custos

1.20
Índice de Custos de Facilidades

1.10
(Média da Indústria = 1.00)

Melhor FEL
Média de Custo da Indústria
1.00

0.90

0.80
Melhores Práticas Bom Razoável Pobre Deplorável

Esta figura demonstra como um bom nível de FEL contribui para um


melhor desempenho em custos de instalações em relação a Indústria de
petróleo.
Principais resultados - Pontos Fortes

Petrobras – Índice de Fel de Reservatório


Comparável à Indústria

Petrobras

Águas Profundas

Indústria

Classe A
MELHOR

Melhores Práticas Bom Razoável Deplorável

Média + Desvio Padrão Média - Desvio Padrão

Índice de FEL de Reservatório


Principais resultados - Pontos Fortes

Petrobras – Índice de Fel de Construção de Poço


Consistentemente razoável

Petrobras

Águas Profundas

Indústria

Classe A
MELHOR

Melhores Práticas Bom Razoável Deplorável

Média + Desvio Padrão Média - Desvio Padrão

Índice de FEL de Construção de Poço


Principais resultados - Pontos Fortes

Petrobras – Índice de Fel de Facilidades em Geral


Na faixa razoável

Petrobras

Águas Profundas

Indústria

Classe A
MELHOR

Melhor Bom Razoável Pobre Deplorável

Média + Desvio Padrão Média - Desvio Padrão

Índice de FEL de Facilidades


Principais resultados - Pontos Fortes

Petrobras – Uso de Novas Tecnologias em Facilidades


Altamente Inovativas – Comparáveis à Águas Profundas

100%
90%
MELHOR
Percentual de Projetos

80%
70%
60%
50%
40%
30%
20%
10%
0% 0% 0%
Convencional Moderada Substancial
Petrobras Águas Profundas Indústria Classe A
Principais resultados - Pontos Fortes

Petrobras – Uso de Novas Tecnologias em


Construção de Poço
Mais Inovadoras do que todos os grupos comparados
100%
90%
MELHOR
Percentual de Projetos

80%
70%
60%
50%
40%
30%
20%
10%
0% 0%
Convencional Moderada Substancial
Petrobras Águas Profundas Indústria Classe A
Principais resultados – Pontos Fracos
Normalizado
Normalizado

Petrobras Águas
Benchmark Indústria Classe A
E&P Profundas
Grandes Mudanças nos
Projetos 1,56 1 1,03 0,78

Participação da Operação no
Projeto 0,14 1 0,72 1,14

Problemas na Operação 1,56 1 0,86 0,88

Tempo de Ciclo dos Projetos


(entre autorização e iníci o da 1,67 1 1,03 1,06
produção)

Índice de Prazo de Execução 1,19 1 0,96 0,93

Rotatividade do Gerente do
Projeto 1,72 1 0,98 0,86

Boas Práticas Bom Razoável Pobre Péssimas Práticas


Principais resultados – Pontos Fracos

Petrobras - Grandes Mudanças nos Projetos

Petrobras

Águas Profundas

Indústria

Classe A

0 0,5 1,0 1,50 2,0


Índice relativo de Projetos com Mudanças Posteriores
Principais resultados – Pontos Fracos

Petrobras – Participação da Operação


A operação raramente é envolvida durante a definição do FEL
(facilidades)
100%
Percentual de Projetos

80%

60%

40%

20%

0% 0%
Nenhuma/limitada Parcial Total

Petrobras Águas Profundas Indústria Classe A


Principais resultados – Pontos Fracos

Petrobras – Problemas de Operabilidade


A maioria dos projetos têm dificuldades depois de iniciada a operação

Percentual de Projetos com Grandes Problemas


30%
35%
Indústria
40%
45%
Classe A
50% Águas Profundas
55%
Principais problemas no 1o. Ano: 60%
•Interrupções demoradas da produção
65%
•Investimentos significativos para reparos
•Modificações devido a problemas 70%
75%
80%
Principais resultados – Pontos Fracos
Petrobras – Ciclo de Tempo dos Projetos
Grande gap entre autorização e execução
Petrobras
EVTE

mais definição, processo de licitação


Águas Profundas

Indústria

Classe A

0 10 20 30 40 50 60
Meses
Definição Engenharia Fabricação Instalação/Hook up
Principais resultados – Pontos Fracos
Prazos de Execução dos Projetos
Petrobras estabelece prazos de execução levemente conservadores e
atrasa

Petrobras

Águas Profundas

Indústria

Classe A

0.5 0.5 0.7 0.8 0.9 1.0 1.1 1.2 1.3


Índice de Prazo de Execução (Indústria = 1.0)

Prazo de Execução Realizado Prazo de Execução Planejado


Principais resultados – Pontos Fracos

Petrobras – Continuidade dos Gerentes de Projeto


Na Petrobras o turnover é maior do que nas outras companhias

Petrobras

Águas Profundas

Indústria

Classe A

0 0,5 1,0 1,5 2,0


Percentual de Projetos com Turnover de Gerentes
Conclusões e Recomendações da IPA

Pont os de m elhor ia no sist em a de ger enciam ent o de pr oj et os:

1. Implementar processo detalhado, disciplinado e repetitivo de FEL com


gates
2. Aumentar o grau de definição (FEL) para reservatório, poços e
facilidades antes da aprovação final
3. Incrementar participação da operação durante a fase de FEL
4. Estabelecer estratégias de contratação e de BID mais eficientes
5. Capacitação de pessoal
6. Gestão do processo

PRODEP
O que é o PRODEP ?

Processo de Desenvolvimento e Execução de


Projetos de E&P – PRODEP

É uma sistemática que disciplina, uniformiza e


dissemina as melhores práticas, procedimentos e
ferramentas para o Gerenciamento de Projetos de
E&P.

O PRODEP está sendo implantado


no E&P, Cenpes e Engenharia
Objetivo do PRODEP

O PRODEP visa garantir:


• uma boa definição do projeto
(melhoria do processo de planejamento do projeto);

• uma boa tomada de decisão (segurança ao(s)


decisor(es) no processo de aprovação do projeto);

• a execução do projeto com sucesso


(execução do projeto conforme planejado e dentro dos % de
desvios previstos).
Foco
Foco do
do Prodep
Prodep –– Melhorar
Melhorar os
os Resultados
Resultados através
através da
da
Implantação
Implantação de
de um
um Modelo
Modelo de
de Gestão
Gestão

Estratégia
Estratégia
do
Tecnológica
Negócio

Alinhamento
de
Funções Disciplina Baixo
Custo

Liderança SEGURANÇA
Tecnológica Escopo Execução
adequado às com
necessidades mudanças Ciclo de tempo MELHOR
do negócio mínimas rápido
Uso de VIPs
“Value Improving
Practices” RESULTADO

as
lidade d
Front-End
Front- Envolvimento oportuno Qua idades
Loading de contratados e facil
fornecedores

Indicadores chave para liderança Indicadores chave de desempenho


Foco do Prodep – Melhorar os Resultados através da
Implantação de um Modelo de Gestão
FEL 1 Consulta ao APROVAÇÃO DO ENTREGA DA
Mercado PROJETO PLANTA À

•RESERVATÓRIO FEL 2 DIRETORIA OPERAÇÃO

•POÇO
FEL 3
•FACILIDADES

FASE 1 FASE 2 FASE 3 FASE 4 FASE 5


IDENTIFICAÇÃO E SELEÇÃO DE DETALHAMENTO DA (S) EXECUÇÃO DO OPERAÇÃO
AVALIAÇÃO DA ALTERNATIVAS ALTERNATIVA(S) PROJETO (Primeiro ano)
OPORTUNIDADE SELECIONADA(S).
PROJETO
DO PROJETO DEFINIÇÃO DO PROJETO
CONCEITUAL
PROJETOBÁSICO
Portão Portão Portão Portão Portão
1 2 3 4 5

PSD PSD PSD PV


1 PV 1
2 3 2

Segue Segue Segue

PSD- Pacote de Suporte a Decisão

PV- Ponto de Verificação


Foco
Focodo
doProdep
Prodep––Melhorar
MelhorarososResultados
Resultadosatravés
atravésda
da
Implantação
Implantaçãode
deum
umModelo
ModelodedeGestão
Gestão
Fase 1 Fase 2 Fase 3 Fase 4 Fase 5
Análise do Negócio Estudo de viabilidade Planejamento do Projeto Execução Operação

Fel 1 Fel 2 Fel 3

Engenharia de Customizaçãode Minimização de


Valor Normas Resíduos

Simplificação de Projeto para a Otimização de


Processo Capacidade Energia

Classe de
Seleção de Manutenção Engenharia Modelagem de
Qualidade da
Preditiva de Valor Confiabilidade
Tecnologia Planta

CAD 3D

Avaliações de Construtibilidade
Foco do Prodep – Melhorar os Resultados através da
Implantação de um Modelo de Gestão
Gerência de OHSAS
Projetos PMI 18000
S
ISO 9001 ISO 14001
BEST PmBOK Q M
PRACTICES
15 BS
SGI DIRETRIZES 8800
SMS S OHSAS
CII
PSP 18000
Du Pont S
CONSTRUÇÃO BEST
AUDITORIAS
MONTAGEM PRACTICES
QSMS
SIGA

BENCHMARKING
IPA
SINPEP
BEST PRCTICES PADRÕES
E&P
• FEL
• FEED
CENPES
• VIP
• CONSTRUCTABILITY
• DESIGN TO CAPACITY
• STANDARDS CUSTOMIZED

O QUÊ FAZER

REFERÊNCIAIS COMO FAZER APENAS P/ CONSULTA


INTERFACES DO PRODEP

Carteira
Projetos
E&P

Padronização
PROMINP
Materiais

Prodep

15 Diretrizes
VENDOR SMS
LIST

SAP R3
(PS)
Gestão do PRODEP - Comitês Temáticos

TEMA Conteúdo
SISTEMATIZAÇÃO  Padrões Sinpep
 Macrofluxos
 Conteúdo dos PSDs
Preservação e Disseminação das Lições Aprendidas
Avaliação/Audiorias

Aplicação das Melhores Práticas (VIPs)


PRÁTICAS DE
Diretrizes de Projeto
ENGENHARIA  ET`s Padronizadas
Padronização de Projetos
Grupos de Revisão
 Registro das Lições Aprendidas

PRÁTICAS DE Políticas de contratação


Cláusulas e Anexos contratuais
CONTRATAÇÃO Politícas para fiscalização
Aplicação das Melhores Práticas (VIPs)
Práticas de outras operadoras

CAPACITAÇÃO Identificação dos Gaps


Identificação dos públicos alvo
Planejamento do Treinamento
Acompanhamento e Avaliação da eficácia do treinamento
APLICAÇÃO DO PRODEP NOS PROJETOS DE E&P

TODOS OS PROJETOS COM INVESTIMENTOS


SUPERIORES A 25 MM US$

UN PROJETO
RIO P-43 E P-48
P-50
P-51
P-52/53/54/55/56
PRA-1
BC P-47
ES CANGOÁ/PEROA
BA CAMAMU
RNCE UPGN 3

BSOL UPGN 3
A PETROBRAS
AGRADECE A OPORTUNIDADE

f im