Você está na página 1de 5

SÍNDROME ECZEMATOSA

I ASPECTOS GERAIS

A) Eczemas são dermatites caracterizadas pela presença de eritema, edema, vesiculação, secreção, formação de crostas, escamas e liquenificação, sendo que tais aspectos se sucedem ou se associam

B) São acompanhados de prurido, um sintoma constante

C) Podem ser classificados em:

1)

Agudo: eritema, edema, vesiculação e secreção

2)

Subagudo: eritema e edema menos intensos, predominando as manifestações de

3)

secreção com formação de crostas Crônica: eczema de evolução prolongada, com liquenificação

D) Pode ser causada por agentes exógenos (contactantes) ou endógenos (endotantes)

E) Podem-se agrupar as seguintes formas:

1)

Eczema de contato

2)

Eczema atópico

3)

Eczema numular

4)

Eczema de estase

5)

Eczema disidrótico

6)

Eczema microbiano

II ECZEMA OU DERMATITE ECZEMATOSA DE CONTATO

A) Causada por substâncias do meio ambiente que entram em contato com a pele, sendo considerada de origem exógena

B) Pode ser verificado com um eczema em sua fase aguda, subaguda ou crônica, localizado na região do corpo do indivíduo com a qual entrou em contato com o agente desencadeante

C) Com relação à etiopatogenia, a dermatite de contato é classificada em:

1)

Dermatite de contato por irritante primátio (DCIP)

(i)

Causada pela exposição a agentes com propriedades de provocar dano tecidual, sendo que não existe mecanismo imunológico na formação da reação inflamatória

(ii)

Irritantes comuns: sabões, detergentes, desinfetante, xampus, limpadores industriais, solventes, ácidos, óleos, solventes orgânicos, plantas, pesticidas, secreção de animais

(iii)

O teste de contato é inútil, uma vez que não há mecanismo imunológico associado

(iv)

Subtipos:

(a)

DCIP absoluto

Ação cáustica de substâncias em contato com a pele é instantânea

Paciente refere sintomas do tipo ardor e queimação

Surge eritema local, acompanhado ou não da formação de bolhas

Geralmente desencadeado por contato acidental com ácidos e substâncias alcalinas

(b)

DCIP absoluto de efeito retardado

A ação cáustica manifesta-se cerca de 12 a 24 horas após o contato com a pele

(c)

DCIP relativo

Mais frequente dermatite de contato

Necessário vários contatos com a pele para que a substância aja como um irritante

Pode surgir após dias, semanas, meses ou anos de exposição ao agente causador, dependendo do tempo e da periodicidade

Observa-se, na clínica, quando compatível com eczema crônico, com predomínio de liquenificação sobre o eritema

Cerca de 80% das dermatites das mãos, como o eczema do lar –

“eczema da dona de casa” – e outros eczemas ocupacionais, são desencadeados por irritação primária relativa

2)

A urina e as fezes são irritantes primários relativos; a dermatite de fraldas é exemplo de dermatite de contato Dermatite de contato alérgica (DCA)

(i)

Decorre do aparecimento de sensibilidade à substância em contato com a pele

(ii)

É uma reação do tipo celular-mediada

(iii)

Envolve processamento antigênico e apresentação realizada pelas células de Langherhans, na fase de sensibilização. Posteriormente, com a formação de células T de memória, após segunda exposição ao contactante, são liberadas múltiplas citocinas que levarão ao processo inflamatório que constitui a

dermatite eczematosa. Por fim, na fase de resolução, são liberadas citocinas imunossupressoras, particularmente a IL-10, determinando o término da reação inflamatória.

(iv)

O tempo de sensibilização é de cerca de 5 dias

D) O diagnóstico é realizado com base:

1)

História clínica

2)

Quadro clínico

(i)

Localização

 

(a)

Mãos – fatores ocupacionais

(b)

Face – cosméticos

(c)

Pés – calçados

3)

Teste de contato (patch test)

(i)

Contribui para confirmar o diagnóstico/ investigar causa de doença de contato alérgica

(ii)

Cuidados:

(a)

Não usar na fase aguda da dermatose

(b)

Substância pode provocar reação irritante muito intensa/ queimação antes de retirar

(c)

Anti-histamínicos não interferem, corticosteroides interferem

E) Tratamento

1)

Exclusão do agente responsável

2)

Tópico

(i)

Fase aguda

 

(a)

Compressas ou banhos com KMnO 4

(b)

Líquido Burow / Água boricada

(c)

Corticoides (cremes)

 

(ii)

Fase crônica

 

(a)

Pomadas de corticoides

(b)

Curativos oclusivos

3)

Sistêmico

(i)

Corticosteroidee – 20 a 80 mg / prednisona

(ii)

Antibióticos (infecções secundárias)

(iii)

Antihistamínicos

III ECZEMA OU DERMATITE ECZEMATOSA ATÓPICA

A) Também chamada de eczema constitucional ou neurodermite disseminada, é uma manifestação eczematosa frequentemente associada à asma e/ou rinite alérgica e, eventualmente, à urticária

B) Apresenta curso crônico, com períodos de crises e de acalmia, de surtos de eczema, manifestando-se isolada ou simultaneamente ou intercalando-se com as crises de asma ou rinite

C) Patogenia: indivíduo cujo limiar de reatividade é anômalo, motivo pelo qual reage anormalmente a inúmeros estímulo – contactantes, ingestante, inalantes e injetantes

D) Mecanismo envolve fatores genéticos, imunológicos e não imunológicos

1)

Fatores não imunológicos

(i)

Fenômenos psicofisiológicos: relação de dermatite atópica com fenômenos emocionais de todo tipo

(ii)

Prurido: limiar de prurido mais baixo nos atópicos

(iii)

Sudorese

(iv)

Xerose cutânea – relacionada a distúrbios na sudorese e alterações do manto lipídico

2)

Fatores imunológicos

(i)

Imunidade humoral – IgE sérica elevada

(ii)

Imunidade celular – Infiltrado inflamatório composto predominantemente por céluas T helper (CD4), com poucos linfócitos T (CD8); grande número de células apresentadoras de antígenos

(iii)

Intensa degranulação de mastócitos: liberação de histamina, leucotrienos C4, D4 e E4, que provocam eritema, edema, vasopermeabilidade e quimiotaxia de

leucócitos

(iv)

Há evidências da diminuição da capacidade fagocitária de neutrófilos, levando a suscetibilidade a infecções: virais (molusco contagioso / verrugas), bacteriano (Staphylococcus aureus), fúngicas

E) Diagnóstico

1)

Critérios maiores – critérios considerados absolutos para a diagnose da dermatite

(i)

Prurido

(ii)

Morfotopografia

 

(a)

Criança: regiões aguda e subagudas na fronte e regiões malares

(b)

Adulto: liquenificação nas áreas flexurais, poplíteas e região do pescoço

 

(iii)

Tendência à cronicidade e/ou recidivas frequentes

2)

Critérios menores – manifestações que costumam ocorrer com frequência nos atópicos

(i)

História pessoal ou familiar de manifestações atópicas

(ii)

Positividade aos testes cutâneos imediatos

(iii)

Xerose

(iv)

PItiríase alba

(v)

Prega de Dennie-Morgan – presença de duas ou mais pregas nas pálpebras inferiores

(vi)

Exagero das linhas palmares

(vii)

Palidez perioral

F) Eczema atópico infantil

1)

A partir do 3º mês

Complicação comum é a infecção secundária, devido ao intenso prurido. Infecção

2)

Regiões malares/ face/ couro cabeludo/ dobras antecubitais e poplíteas e, nos

3)

casos mais graves, generalizar-se

4)

pelo vírus do herpes simples ou da vacina é um quadro grave Tendência a melhorar após 2 anos

G) Eczema atópico pré-puberal

1)

Pode ser aparecer como uma continuação eczema infantil ou surgir alguns anos

2)

após o término deste São comprometidas regiões de dobras (poplítea, pré-cubital e regiões como face, punhos e dorso das mãos e dos pés)

3)

Quadro de liquenificação com escoriações, isto é, uma dermatite crônica. Há,

4)

entretanto, fases de agudização com eritema, vesiculação e secreção, podendo, inclusive, ocorrer generalização do quadro. Quadro pode agravar-se ou desaparecer

H) Eczema atópico do adulto

1)

Atinge preferencialmente as áreas de flexão como pescoço, antecubital, poplítea e

2)

a face (particularmente, periorbital) Caracteriza-se por liquenificação e escoriações, sendo o prurido variável

3)

A evolução se dá por surtos, com períodos de melhora e de agudização, e o quadro pode, eventualmente, generalizar-se

I) Diagnóstico

1)

Anamnese

2)

Morfotopografia

3)

Prurido

4)

Cronicidade

J) Tratamento

1)

Cuidados gerais

(i)

Evitar frio ou calor excessivos

(ii)

Banhos mornos

(iii)

Hidratação

(iv)

Roupas de algodão

(v)

Corte das unhas

(vi)

Ambiente – isento de de poeira que contenham aeroalergênicos IgE dependentes

2)

Corticoides tópicos

3)

Anti-histamínicos

4)

Antibióticos tópicos / sistêmicos

IV ECZEMA OU DERMATITE NUMULAR

A) Quadro eczematoso de causa desconhecida, provavelmente multifatorial e no qual exista componente de infecção bacteriana

B) Mais frequentes em adultos e idosos

C) Frquentemente associado à pele seca ou desencadeado pelo uso excessivo de sabão e água

D) Manifestações clínicas

1)

Placas ovais, múltiplas, mais comum nas extremidades

2)

Formam-se crostas, muitas vezes melicéricas, pela infecção secundária

3)

Em algumas lesões, há tendência para involução central, com progressão lenta na periferia, dando lugar a formações anulares ou circinadas

E) Tratamento

1)

Evitar o uso de sabões, detergente e antissépticos nas áreas afetadas e proteger a

2)

pele Corticoide tópico

3)

Antibiótico sistêmico

4)

Anti-histamínicos

V ECZEMA OU DERMATITE DE ESTASE

A) Doença crônica, geralmente das pernas, decorrente de estase venosa na região, manifestação da insuficiência venosa crônica

B) Ocorre principalmente em mulheres

C) Sinais prodrômicos da afecção: edema e dermatite ocre

1)

Formação de varizes

2)

Extravasamento de plasma devido a aumento da pressão hidrostática edema

3)

Liberação de plasma e hemácias

4)

Depósito de hemossiderina, pigmento derivado da hemoglobina dermatite ocre

5)

Ressecamento devido à déficit da drenagem

6)

Formação de vesículas e posterior exsulceração

7)

Porta de entrada para bactérias Formação de erisipela

8)

Bactérias destroem vasos linfáticos no processo infeccioso

9)

Resulta em elefantíase devido à perda da drenagem de modo irreparável

D) Tratamento

1)

Depende da fase do eczema

2)

Corticoides tópicos ou sistêmicos

VI ECZEMA DISIDRÓTICO OU DISIDROSE

A) Quadro de lesões vesiculosas nas palmas e plantas

B) Caráter recidivante

C) Fatores etiológicos

1)

Dermatófides

2)

Infecção bacteriana

3)

Drogas: penicilina

4)

Contatantes: irritação primária / sensibilização

5)

Atopia

6)

Fatores emocionais

D) Manifestação clínica: quadro de aparecimento súbito, agudo, recorrente, caracterizado por lesões vesiculosas, estritamente limitado às palmas das mãos e/ou às plantas dos pés

E) Tratamento

1)

Eliminação da causa

2)

Corticoides tópicos com ou sem antibióticos

3)

Corticoides e antibióticos sistêmicos

4)

Anti-histamínicos

VII LÍQUEN SIMPLES CRÔNICO OU NEURODERMITE CIRCUNSCRITA

A) Placa liquenificada, bastante pruriginosa, de evolução crônica, progressiva

B) Resposta reativa cutânea que se inicia por estimulantes exógenos que podem ser

picadas de instos ou irritantes relativos químicos ou físicos

C) O fator mais importante é o estado emocional em que há, sempre, na base, ansiedade ou obsessão compulsiva

D) Leva à liquenificação que determina prurido, formando-se, assim, uma reação em cadeia

E) Diagnóstico

1)

2) Histopatológico

Quadro clínico

F) Tratamento

1)

Interromper ciclo vicioso

2)

Corticoide tópico oclusivo

3)

Corticoide intra-lesional

4) Antihistamínicos