Você está na página 1de 4

OS DEVERES DA FAMÍLIA, DO ESTADO E DA SOCIEDADE EM GERAL,

ANALÍSE CRÍTICA.

Analise critica a Constituição de 1988


combinada com o ECA/1990.

Por CARLOS GUIDO DE ARAUJO; 2006.

Cabe a família, o estado e a sociedade, cuidar


para que nenhum dos processos de desenvolvimento da criança e do
adolescente sofra nenhum desvio, se caso isso ocorrer, uma dessas pontas
falhou, seja por ação ou omissão, ou até em função da conduta da criança
ou do adolescente.
A família deve cuidar da criança e do adolescente,
educando (estudos, profissionalização etc), garantindo aspectos relativos a
vida (saúde, alimentação etc) e de envolvimento e social (cultura, lazer etc).
Ao estado cabe garantir as políticas (saúde,
educação, cultura, moradia, dentre outras.) necessárias para criança possa
ser assistida e possa se desenvolver bem.
A sociedade de forma geral cabe contribuir no
processo da boa formação das crianças e adolescentes, participar de
espaços públicos onde se discute políticas para a infanto-adolescência e
denunciar quando houver algum tipo de violação dos direitos dos mesmos.

Com base na Introdução acima citaremos artigos da Constituição Federal


de 1988 relacionados ao Estatuto da Criança e do Adolescente.

Art. 226 - A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado.


Criança: Art. 5º, Parágrafo único, II, Personalidade e Capacidade - Pessoas
Naturais - Pessoas e Art. 1.533, Celebração do Casamento - Casamento -
Direito Pessoal - Direito de Família - Código Civil - CC - L-010.406-2002;
Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA - L-008.069-1990
Adolescente: Adolescente; Bem de Família Legal; Criança; Domicílio;
Família; Família, Criança, Adolescente e Idoso; Idoso; Legitimação para as
Instituição e Destinação do Bem de Família; Requisitos do Bem de Família;
Ordem Social

§ 8º - O Estado assegurará a assistência à família na pessoa de cada um


dos que a integram, criando mecanismos para coibir a violência no âmbito
de suas relações.
obs.dji.grau.2: Art. 1º, L-011.340-2006 - Violência Doméstica e Familiar
Contra a Mulher - Todas as Formas de Discriminação Contra as Mulheres e
Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência
Contra a Mulher - Juizados de Violência Doméstica e Familiar
obs.dji.grau.4: Família; Violência Familiar
Art. 227 - É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança
e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à
alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à
dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária,
além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação,
exploração, violência, crueldade e opressão.

§ 1º - O Estado promoverá programas de assistência integral à saúde da


criança e do adolescente, admitida a participação de entidades não
governamentais e obedecendo os seguintes preceitos:
I - aplicação de percentual dos recursos públicos destinados à saúde na
assistência materno-infantil;
II - criação de programas de prevenção e atendimento especializado para
os portadores de deficiência física, sensorial ou mental, bem como de
integração social do adolescente portador de deficiência, mediante o
treinamento para o trabalho e a convivência, e a facilitação do acesso aos
bens e serviços coletivos, com a eliminação de preconceitos e obstáculos
arquitetônicos.

§ 2º - A lei disporá sobre normas de construção dos logradouros e dos


edifícios de uso público e de fabricação de veículos de transporte coletivo, a
fim de garantir acesso adequado às pessoas portadoras de deficiência.
§ 3º - O direito a proteção especial abrangerá os seguintes aspectos:

I - idade mínima de quatorze anos para admissão ao trabalho, observado o


disposto no Art. 7º, XXXIII;
II - garantia de direitos previdenciários e trabalhistas;
III - garantia de acesso do trabalhador adolescente à escola;
IV - garantia de pleno e formal conhecimento da atribuição de ato
infracional, igualdade na relação processual e defesa técnica por
profissional habilitado, segundo dispuser a legislação tutelar específica;
V - obediência aos princípios de brevidade, excepcionalidade e respeito à
condição peculiar de pessoa em desenvolvimento, quando da aplicação de
qualquer medida privativa da liberdade;
VI - estímulo do Poder Público, através de assistência jurídica, incentivos
fiscais e subsídios, nos termos da lei, ao acolhimento, sob a forma de
guarda, de criança ou adolescente órfão ou abandonado;
VII - programas de prevenção e atendimento especializado à criança e ao
adolescente dependente de entorpecentes e drogas afins.
obs.dji.grau.4: Constituição Federal; Família

§ 4º - A lei punirá severamente o abuso, a violência e a exploração sexual


da criança e do adolescente.
§ 5º - A adoção será assistida pelo Poder Público, na forma da lei, que
estabelecerá casos e condições de sua efetivação por parte de
estrangeiros.

§ 6º - Os filhos, havidos ou não da relação do casamento, ou por adoção,


terão os mesmos direitos e qualificações, proibidas quaisquer designações
discriminatórias relativas à filiação.

§ 7º - No atendimento dos direitos da criança e do adolescente levar-se-á


em consideração o disposto no Art. 204.
obs.dji.grau.1: Art. 204, Assistência Social - CF

Art. 228 - São penalmente inimputáveis os menores de dezoito anos,


sujeitos às normas da legislação especial.
O Estatuto da Criança e do Adolescente no seu Art. 101. Verificada
qualquer das hipóteses previstas no já escrito Art. 98 da mesma norma a
autoridade competente poderá determinar, dentre outras, as seguintes
medidas:
I - encaminhamento aos pais ou responsável, mediante termo de
responsabilidade;
II - orientação, apoio e acompanhamento temporários;
III - matrícula e freqüência obrigatórias em estabelecimento oficial de ensino
fundamental;
IV - inclusão em programa comunitário ou oficial de auxílio à família, à
criança e ao adolescente;
V - requisição de tratamento médico, psicológico ou psiquiátrico, em regime
hospitalar ou ambulatorial;
VI - inclusão em programa oficial ou comunitário de auxílio, orientação e
tratamento a alcoólatras e toxicômanos;
VII - abrigo em entidade;
VIII - colocação em família substituta.

Art. 229 - Os pais têm o dever de assistir, criar e educar os filhos menores,
e os filhos maiores têm o dever de ajudar e amparar os pais na velhice,
carência ou enfermidade.
Art. 22, Disposições Gerais - Direito à Convivência Familiar e Comunitária -
Direitos Fundamentais - Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA - L-
008.069-1990 – onde aos pais incumbe o dever de sustento, guarda e
educação dos filhos menores, cabendo-lhes ainda, no interesse destes, a
obrigação de cumprir e fazer cumprir as determinações judiciais.

Com alusão a estes artigos chegamos a conclusão


que os deveres da família e do Estado estão muito bem definidos, faltando
apenas segundo crítica pessoal que seja mais bem definido a penalidade
para as questões dos Atos Infracionais, todavia respeitando a questão e a
julgando diferentemente pois cada caso será um caso em separa.
Ainda fazendo uma análise dessa política e mais
profunda das responsabilidades do Estado, mesmo estando definidas tanto
pela Norma Maior quanto pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, se faz
necessária à criação e implementação de mais política pública assistências
para definir o punir até os país com relações as suas crianças e a seus
adolescente, pois como foi dito certa vez são “as crianças do Brasil”.