Você está na página 1de 2

Identidade Visual Corporativa Mutante

Alana Rossi

A identidade visual de uma instituição representa muito mais do que apenas a


representação simbólica de uma marca. Ela pode ser usada como uma estratégia de
alavancagem, podendo representar a cultura, princípios e valores da companhia,
transmitindo ao publico a sua mensagem a partir da visualização.

Uma boa identidade visual deve ser vista como prioridade em qualquer
estratégia de negócios. Quando bem desenvolvido, o processo de surpreender e
converter clientes se torna mais fácil. Quando esta é deficiente ou mal desenvolvida, a
realidade é dura, porém direta: dificilmente alguém valorizará o seu negócio.

Para uma marca ser igualmente reconhecida de forma positiva e ter sucesso no
seu nicho, é necessário defini-la e destacar suas melhores qualidades, fazendo-a parecer
única e interessante. Dessa forma, a marca será reconhecida quando o cliente estiver
comprando ou tomando uma decisão.

O conjunto de aspectos que compõe a identidade visual vai muito além de um


cartão de visita para atrair possíveis clientes de forma esteticamente superficial: pense
nele basicamente como a “personalidade” de uma empresa sintetizada e exposta ao
mundo. Por isso, quanto melhor e mais clara a estratégia, mais espaço a marca ganha
no dia a dia do consumidor.

As marcas que trabalham com a identidade visual mutante, tendem a reforçarem


ainda mais a sua autenticidade, sendo definidas como não-convencionais por
representarem o progresso. Especialmente no século que vivemos atualmente, a
mudança e transformação se torna algo vital para as empresas, por terem que estar
constantemente se adaptando aos efeitos de um mundo globalizado que diariamente
tem novidades em todos os seus setores.

Um caso de marca mutante exemplo a ser dado é do banco Itaú (empresa a qual
atualmente faço parte), um banco conservador, com anos de história, que vem se
modelando as novas tendências e culturas mais seguidas pela sociedade.
Recentemente, a instituição aderiu a mudança da sua identidade visual em prol da
comunidade LGBTQ+, a qual vem crescendo exponencialmente. Essa estratégia se da
pela humanização da marca, a qual busca mostrar seu valor de inclusão das minorias.

Neste mesmo viés, facilmente podemos perceber no dia a dia cada vez mais
marcas aderindo a esta estratégia, na tentativa de estarem cada vez mais presentes em
todos os cenários de seus consumidores.