Você está na página 1de 15

TRANSTORNOS

AFETIVOS

 Alterações na regulação do
humor, comportamento e
afeto que vão além das
flutuações normais que
muitas pessoas apresentam
Humor e afeto

 Humor designa um estado afetivo


prevalente que nos transtornos se torna
tão intenso e persistente que interfere no
funcionamento social e psicológico.

 Afeto é a expressão externa do humor


ligada a idéias: expressão facial,
modulação da voz, a gama de expressão
emocional
Alterações no afeto

 Embotamento afetivo- grave ↓intensidade


 Aplainamento afetivo- ausência total ou quase
 Afeto restrito- ↓ do grau de expressão emocional
externa
 Incongruência afetiva- paratimia
 Labilidade afetiva- rápida alteração sem relação
com eventos externos
Desafios

 Confundir sintomas somáticos com doença


física
 O cliente pode ter auto-cuidado↓pela falta
de motivação e energia
 Alteração de relaçoes familiares e sociais
surgindo frustração, raiva e culpa.
 Dificuldades financeiras
 Risco de suicídio
Causas: genéticas,
biológicas e psicológicas
 Freqüência maior em familiares de 1º grau
 Problemas com
neurotransmissores:norepinefrina,
dopamina, acetilcolina e serotonina
 Processo de informações de modo negativo
e definitivo (Teoria cognitiva)
 Doença decorrente da sensação de
impotência, falta de controle ante os
eventos da vida (Teoria comportamental)
 Superego muito “duro” e sentimentos de
perda e agressividade. Perda
interpretada como rejeição, indigno de
amor. Sua raiva pode levar a uma
rejeição maior ainda então é
redirecionada a si mesmo (Teoria
psicanalítica)
Transtornos Bipolares

 São transtornos afetivos


caracterizados por oscilações graves
e patológicas do humor, com
elevações e depressões extremas do
humor.
 Entre as oscilações acontecem
períodos de normalidade.
Milhoes de pessoas mal-
humoradas
 3 mi de pessoas no USA com TAB
 Homens e mulheres atingidos igualmente
 Homens com mais episódios maníacos
 Mulheres com mais episódios depressivos
 Inicio geralmente entre 20 e 30 anos
(pode ser antes)
 50% tem desempenho profissional
prejudicado e funcionamento psicossocial
difícil
Relevância

♫ 4ª doença de peso mundialmente


♫ Aumento da prevalência (2020 -
♫ Cronicidade de 12% e recorrência
de 80%

♫ 1/10 adultos, 2/3 sem ajuda


Fase maníaca – sinais e
sintomas
 Humor expansivo ou irritado
 Atividade psicomotora↑
 Extroversão social exagerada
 Atenção ↓, resposta rápida a estímulos
externos
 Fala rápida, fuga de idéias
 Necessidade de sono e alimento ↓
 Impulsividade
 Alteração do juízo crítico
Fase depressiva – sinais e
sintomas
 Baixa auto-estima
 Inercia avassaladora
 Retraimento social
 Sentimento de desespero, apatia ou
auto-reprovação
 Dificuldade de concentração ou em
pensar
 Retardo psicomotor
 Fala e respostas lentas
 Disfunçaõ sexual
 Despertar precoce e dificuldade em
pegar no sono
 Hipotonia
 Perda de peso
 Marcha lenta
 Constipação intestinal
Ideação suicida
Familiares dão apoio fraco ou inexistente
Abuso familiar ou outros abusos
Transtornos de saúde crônicos ou debilitantes
Odio ou vingança de parentes
Reação excessiva ao stress

Drogas não lícitas (abuso)


Êxito no suicídio é maior entre homens

Relacionamento em dificuldades
Idade abaixou de 19 e acima de 65
Sexo (mulheres tentam mais)
Centro do pensamento com distorções
Ocasiões de sentimentos intensos de desespero e
impotência
Ideação suicida

 Remova objetos perigosos do ambiente


 Manter paciente sob vigilância e supervisão
 Manter acompanhante se possível
 Cuidado com os medicamentos
 Envolver o cliente e outras pessoas
significativas no planejamento dos cuidados.
 Mantenha aberta vias de comunicação, fazendo-
o sentir que não está sozinho ou sem recursos ou
esperança
 Pergunte ao paciente acerca de idéias
sobre morte e morrer
 Esteja ciente que o risco de suicídio
aumenta com a melhora da depressão
 Mantenha o paciente em quarto próximo
ao posto de enfermagem e junto com
outro paciente

 A técnica final na prevenção de


suicídios é a manutenção de ligações
emocionais com outras pessoas