Você está na página 1de 35
OS PROJECTOS EDUCATIVOS A PARTIR DA CRECHE O Projecto Pedagógico na Creche Maria Teresa de
OS PROJECTOS EDUCATIVOS A PARTIR DA CRECHE
O Projecto Pedagógico na Creche
Maria Teresa de Matos
* Projecto Pedagógico de Sala Projecto Curricular de sala Creche Pre Escolar Princípios Orientadores Orientações
*
Projecto Pedagógico de Sala
Projecto Curricular de sala
Creche
Pre Escolar
Princípios Orientadores
Orientações Curriculares Educação PE
Projecto Pedagógico de Sala
Projecto Curricular de Sala
O trabalho desenvolvido em creche, dos 3 meses até as 3 anos é
caracterizado por um conjunto de especificidades muito próprias,
essencialmente porque recebe crianças muito pequeninas e com
necessidades que passam por um conjunto de cuidados básicos
essenciais ao seu desenvolvimento associados/integrados num conjunto
de
opções – Prioridades Educativas – Intencionalidade Educativa.
É portanto necessário definir estratégias adequadas, que devem ser
registadas no PROJECTO EDUCATIVO, NO PROJECTO PEDAGÓGICO um
projecto vivo, reflectido, partilhado… que possua as Orientações
Educativas, claras, de acordo com as especificidades, do CONTEXTO
EDUCATIVO onde são referidos Princípios de trabalho na Creche as
vivências mais significativas.
Programa Textos contendo as orientações nacionais sobre objectivos, conteúdos e metodologias de aprendizagem. Umas
Programa
Textos contendo as orientações nacionais sobre objectivos, conteúdos e
metodologias de aprendizagem.
Umas das suas características é a prescrição, o carácter normativo e
obrigatório das suas previsões.
“O conjunto de prescrições oficiais, relativamente ao ensino, emanado
pelo poder central” deste modo “o programa reflecte o marco geral
comum a que deve adequar-se o ensino” (Zabalza, 1992).
Projecto
“é uma intenção de transformação do real, guiada por uma
representação do sentido dessa transformação que tem em conta as
condições reais de modo a orientar uma actividade” (Castoriadas, 1975,
in Lopes da Silva, 1998)
Plano
“é um momento técnico dessa actividade quando condições, objectivos
e meios podem ser determinados com exactidão (
).
O plano é apenas
uma visão fragmentária e provisória do projecto” (Castoriadas, 1975, in
Lopes da Silva, 1998)
ESTADO BEBÉ/S CRIANÇAS FAMILIAS BEBÉ/S CRECHE É preciso triangular as estratégias, não só em termos
ESTADO
BEBÉ/S
CRIANÇAS
FAMILIAS
BEBÉ/S
CRECHE
É preciso triangular as estratégias, não só em termos de grande grupo,
mas ainda face ao conhecimento de cada família, que é única, tem história
e
se relaciona de uma forma singular com o contexto educativo. Os graus
e
níveis de participação são muitos variados e não há uma medida única e
normalizada. A “perspectiva normativa” deve ser contrariada e devem ser
valorizados os modelos de relação de cada família, potenciando a sua
efectividade e desenvolvimento
Alguns princípios fundamentais
LEI BASES DO SISTEMA EDUCATIVO LEI QUADRO DA EDUCAÇÃO PRE ESCOLAR PROJECTO EDUCATIVO DE ESCOLA/
LEI BASES DO SISTEMA EDUCATIVO
LEI QUADRO DA EDUCAÇÃO PRE ESCOLAR
PROJECTO EDUCATIVO DE ESCOLA/ AGRUPAMENTO
PROJECTO CURRICULAR DE ESCOLA/ AGRUPAMENTO
PROJECTO CURRICULAR DE SALA/ TURMA = PROJECTO PEDAGÓGICO
PROJECTO EDUCATIVO DO PRE ESCOLAR…
PROJECTO CURRICULAR DE SALA/ TURMA
PROJECTO EDUCATIVO DE CRECHE
PROJECTO PEDAGÓGICO DE SALA
VISIBILIDADE NAS PRATICAS EDUCATIVAS
FASES DE CONSTRUÇÃO DE UM PROJECTO • Fundamentação teórica (porquê as decisões tomadas) • Planeamento
FASES DE CONSTRUÇÃO DE UM PROJECTO
• Fundamentação teórica (porquê as decisões tomadas)
• Planeamento (estrutura organizativa para as decisões
tomadas)
• Implementação (execução – como, quando, onde, …)
• Avaliação (informação sobre como, quando e onde as
crianças aprendem …)
Documentos Fundamentais Vivos, de fácil consulta, boa divulgação PEE - PROJECTO EDUCATIVO DE ESCOLA PROJECTO
Documentos Fundamentais
Vivos, de fácil consulta, boa divulgação
PEE - PROJECTO EDUCATIVO DE ESCOLA
PROJECTO EDUCATIVO DE CRECHE
PCE - Projecto Curricular de Escola
PPS - PROJECTO PEDAGÓGICO DE SALA
Operacionalização
Através de registos diversos
Modelo de Qualidade Para Creches Como Referencial Projecto Educativo de Instituição CRIANÇAS, Trabalho em Creche
Modelo de Qualidade
Para Creches
Como Referencial
Projecto Educativo
de
Instituição
CRIANÇAS,
Trabalho em Creche
possui uma forte
componente de
FAMILIAS,
Projecto Educativo
por Valência
CUIDADOS associados
Por exemplo CRECHE
a uma forte
INTENCIONALIDADE
EDUCATIVA.
CONTEXTOS
EDUCATIVOS
Projecto
Pedagógico de Sala
Plano de
Actividades
•Colectivo /grupo
•PID Plano Desenvolvimento.
Individual
Definições de Projecto: * o que temos intenção de fazer num futuro mais ou menos
Definições de Projecto:
* o que temos intenção de fazer num futuro mais ou
menos próximo….
* imagem de uma situação, de um estado que pensamos
alcançar.
Tudo
aquilo
(fins
e
meios)
que
o
homem
pretende
modificar
no
mundo
ou
em
si
próprio
em
determinado sentido…
* plano para a realização de um acto; desígnio;
representação; redacção provisória de uma medida
qualquer; esboço; representação gráfica e escrita com
orçamento de uma obra que se vai realizar; na filosofia
existencial, aquilo para que tende o homem e é
constitutivo do seu ser verdadeiro.
A primeira questão que se deve destacar para referenciar um projecto educativo é que este
A primeira questão que se deve destacar para referenciar um
projecto educativo é que este deverá ser o principal elemento
identificador de uma escola.
O projecto educativo pode ser, assim, comparável ao ideário da
escola. Não se trata porém de um mero enunciado de princípios ou de
objectivos.
O projecto educativo é um elemento caracterizador de uma escola
associado a um plano especificado de acção educativa e com
elementos de realização (viáveis, pertinentes e adequados).
Este deve ser baseado na realidade mas contendo o conjunto de
aspirações que possibilitam a realização dos “ideais”.
A escola tem um conjunto de elementos identificadores: história;
aspecto físico; inserção social, cultural e temporal; um conjunto de
orgãos interactivos que lhe permite realizar todas as suas funções,
objectivos a atingir, modos de relacionamento com os elementos
institucionais e humanos; e, um projecto de vida, com princípios e
valores – Projecto Educativo.
É na adopção do seu Projecto Educativo que a escola como um todo expressa correntemente
É na adopção do seu Projecto Educativo que a escola como um todo
expressa correntemente a sua identidade e a sua autonomia entre o que é
sugerido pelo Poder central e o que é considerado adequado ao contexto de
inserção, aos alunos que se pretende formar e ao conjunto de aspirações e de
práticas sociais e pedagógicas dos docentes.
Um projecto educativo diz respeito à organização do estabelecimento de
ensino e tem um âmbito mais alargado, implica todos os intervenientes que
directa ou indirectamente têm a ver com a educação das crianças num
determinado contexto organizacional: os profissionais que trabalham num ou
vários estabelecimentos educativos, os pais, as instituições e serviços da
comunidade que podem contribuir para as finalidades da escola,
O Projecto Educativo permite uma auto organização com a finalidade de
responder às necessidades de desenvolvimento interno do
estabelecimento, tendo em conta as necessidades da comunidade em que
este se encontra inserido. Contribui para o desenvolvimento interno da
instituição, engloba melhorias na organização e gestão e pretende melhorar toda
a actividade que se relaciona com as crianças, os docentes e não docentes.
Alguns princípios fundamentais
Alguns princípios fundamentais
•A Creche constitui uma das primeiras experiências da criança num sistema organizado, exterior ao seu
•A Creche constitui uma das primeiras experiências da criança num
sistema organizado, exterior ao seu círculo familiar, onde irá ser
integrada e no qual se pretende que venha a desenvolver
determinadas competências e capacidades.
•Por diferentes motivos inerentes à sociedade actual, a família já não
consegue realizar sozinha a tarefa de educar uma criança, como
tradicionalmente acontecia.
•Numa sociedade, onde cada vez é maior o número de mulheres
que trabalham a tempo inteiro, a efectiva partilha das tarefas do
universo público e privado convida a que mulheres e homens dividam
responsabilidades em matéria de educação dos filhos, competindo
ainda, ao Estado e à sociedade civil proporcionar apoio e suporte às
famílias.
Temos de compreender as formas como as crianças aprendem. Este é um processo complexo, em
Temos de compreender as formas como as crianças aprendem.
Este é um processo complexo, em que se tem que promover um
ambiente que facilite a brincadeira activa e de descoberta, a
interacção, a exploração, a criatividade e a resolução de
problemas por parte das crianças.
Só desta forma é que elas poderão desenvolver o máximo das
suas competências e capacidades. Assim:
CUIDADOS BÁSICOS SEMPRE ASSOCIADOS/ARTICULADOS
COM UMA INTENCIONALIDADE EDUCATIVA EXPRESSA EM
DOCUMENTOS E PRINCIPALMENTE EM ACÇÕES E PRATICAS
VISIVEIS DIARIAMENTE
Isto implica: • Pensar a criança como um aprendiz efectivo e activo, que gosta de
Isto implica:
• Pensar a criança como um aprendiz efectivo e activo, que gosta
de aprender;
•Criar um ambiente flexível e responsivo que possa ser
adaptado imediatamente aos interesses e necessidades de cada
criança, promovendo o acesso a um leque de oportunidades de
escolhas e que lhe permita crescer confiante e com iniciativa;
• Estabelecer relações que encorajem a criança a participar de forma
activa. Crianças muito novas aprendem melhor através de
aprendizagens activas em que se encontrem envolvidas e que
possuam significado para elas, pelo que a brincar será o melhor
contexto em que estas crianças aprenderão;
• Procurar conhecer o grupo de crianças pelo qual se encontra responsável, aprendendo a observar
• Procurar conhecer o grupo de crianças pelo qual se encontra
responsável, aprendendo a observar o seu comportamento e
interacções;
• Estabelecer uma rotina diária consistente que reforce e valorize a
continuidades. Desta forma, as crianças desenvolverão um
sentimento de pertença a um ambiente que podem prever no seu
quotidiano;
• Dinamizar oportunidades para que a criança possa comunicar os
seus sentimentos e pensamentos (p.e. através da possibilidade de
estar sozinha com o adulto de referência);
• Dispor de adultos que estão interessados e envolvidos na
prestação dos cuidados à criança.
Documento reorganizado em Word GESTÃO DA QUALIDADE DAS RESPOSTAS SOCIAIS - CRECHE ELABORAÇÃO DO PROJECTO
Documento reorganizado em Word
GESTÃO DA QUALIDADE DAS RESPOSTAS SOCIAIS - CRECHE
ELABORAÇÃO DO PROJECTO PEDAGÓGICO Considerações gerais
A elaboração do Projecto Pedagógico para cada grupo de crianças deve ser adequado em termos
linguísticos, sociais e culturais, procurando reconhecer as crianças como seres únicos e individuais.
• O estabelecimento ao estruturar e planificar o conjunto de actividades a realizar por cada grupo de
crianças pertencentes a uma sala, deve ter em atenção os seguintes princípios/regras:
Promover um conjunto de cuidados, de forma equilibrada e adequada ao nível da segurança, higiene
e nutrição, promotoras do desenvolvimento global das crianças;
• Desenvolver condições adequadas de acordo com as características individuais de cada criança,
recorrendo a diferentes estratégias tais como a experimentação, a inquirição e a observação de
actividades/brincadeiras.
• Encorajar as crianças a explorarem o meio que as rodeia (p.e. aprender as funções dos objectos, a
classificar objectos em grupos, a experimentar novos espaços e novos materiais, a colocar questões
sobre o que as rodeia, a manter conversações com os colaboradores, a descobrir novas áreas como
a linguagem e a desenvolver actividades criativas);
• Procurar promover um ambiente seguro e promotor do desenvolvimento de
actividades/brincadeiras de exploração motora e sensorial por parte das crianças
• Características do espaço interior e exterior, Características do equipamento e material
lúdico-pedagógico), respeitando as características individuais de cada uma e a sua
tolerância face aos estímulos;
• Procurar assegurar, de forma equilibrada e adaptada às competências das crianças,
ocasiões de brincar no interior e exterior do estabelecimento;
Documento reorganizado em Word GESTÃO DA QUALIDADE DAS RESPOSTAS SOCIAIS - CRECHE Estrutura 1 A
Documento reorganizado em Word
GESTÃO DA QUALIDADE DAS RESPOSTAS SOCIAIS - CRECHE
Estrutura 1
A - CONTEXTUALIZAÇÃO;
B - PERÍODO A QUE SE REPORTA;
C - CARACTERIZAÇÃO DO GRUPO DE CRIANÇAS A QUE SE DESTINA;
D - CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA;
Estrutura 2 E – DEFINIÇÃO DO PROJECTO PEDAGÓGICO • Definição dos objectivos operacionais; • Conjunto
Estrutura 2
E – DEFINIÇÃO DO PROJECTO PEDAGÓGICO
• Definição dos objectivos operacionais;
• Conjunto de estratégias e métodos para operacionalização desses
objectivos;
Plano de actividades Sócio-pedagógicas;
Plano de Formação/Informação;
F
– METODOLOGIA DE DIVULGAÇÃO DO PROJECTO PEDAGÓGICO
G – OBSERVAÇÕES
Documento reorganizado em Word GESTÃO DA QUALIDADE DAS RESPOSTAS SOCIAIS - CRECHE Plano de Actividades
Documento reorganizado em Word
GESTÃO DA QUALIDADE DAS RESPOSTAS SOCIAIS - CRECHE
Plano
de
Actividades
Sócio-pedagógicas que consiste no conjunto de
actividades, estruturadas e espontâneas, adequadas a um determinado conjunto de
crianças e nas quais se encontram subjacentes intenções educativas promotoras do
desenvolvimento global de cada criança (físico, social, emocional, linguístico e
cognitivo).
Independentemente do currículo pedagógico adoptado pelo estabelecimento e de
acordo com o grupo etário e respectivas competências das crianças a que se destina, a
elaboração do Plano de Actividades Sócio-pedagógicas tem em consideração as
diferentes áreas pertinentes ao desenvolvimento global das crianças, designadamente:
Desenvolvimento
motor
(desenvolvimento
da
motricidade
fina
e
grossa);
• Desenvolvimento cognitivo (principalmente as áreas relacionadas com
o desenvolvimento da linguagem oral e escrita, o pensamento lógico-
matemático e científico);
• Desenvolvimento pessoal e social;
• Pensamento criativo através da expressão do movimento,
da música, da arte, as actividades visuo-espaciais.
PLANO DE ACTIVIDADES DE SALA A. Período a que se reporta B. Planificação / Avaliação
PLANO DE ACTIVIDADES DE SALA
A. Período a que se reporta
B. Planificação / Avaliação e Proposta de Reformulação
• Planeamento de Cuidados Especiais
Documento reorganizado em Word GESTÃO DA QUALIDADE DAS RESPOSTAS SOCIAIS - CRECHE IMPLEMENTAÇÃO DO PROJECTO
Documento reorganizado em Word
GESTÃO DA QUALIDADE DAS RESPOSTAS SOCIAIS - CRECHE
IMPLEMENTAÇÃO DO PROJECTO PEDAGÓGICO
Com base no Projecto Pedagógico, o responsável por cada sala elabora o
respectivo Plano de Actividades da Sala
ELABORAÇÃO DO PLANO DE ACTIVIDADES DE CADA SALA
Os planos de actividade de sala devem ser realizados com uma periodicidade
regular, preferencialmente diária.
Na operacionalização deste plano de actividades importa ter um conjunto de
sugestões ao nível do relacionamento inter e intrapessoal descritas no Anexo
A – Relacionamento.
RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO PROJECTO PEDAGÓGICO - 1 A – PERÍODO A QUE SE REPORTA
RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO PROJECTO PEDAGÓGICO - 1
A – PERÍODO A QUE SE REPORTA A AVALIAÇÃO
B – ENTIDADES ENVOLVIDADAS NA IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO
C – ALTERAÇÕES AO GRUPO DE CRIANÇAS
D – AVALIAÇÂO DO PROJECTO PEDAGÓGICO
1- Alteração aos objectivos operacionais
2- Alterações ao conjunto de Estratégias e métodos
3- Avaliação do nível de execução do plano de actividades sócio pedagógicas
4- Plano de Formação/Informação
5- Outros aspectos relevantes
RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO PROJECTO PEDAGÓGICO – 2 E – Resultados da avaliação da satisfação
RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO PROJECTO PEDAGÓGICO – 2
E – Resultados da avaliação da satisfação das famílias e dos colaboradores
F – Resultados da Avaliação da supervisão
G – Avaliação da metodologia de divulgação do projecto pedagógicoi
H – Apreciação global do projecto pedagógico
I – Proposta de intervenção futura
Na construção do projecto pedagógico, referenciar teoricamente estudos, publicações, autores… que possam
Na construção do projecto pedagógico,
referenciar teoricamente estudos, publicações, autores…
que possam sustentar as opções educativas inscritas no:
PROJECTO – Registo Escrito
e
VIVÊNCIAS NA PRATICA – Acções no quotidiano
Todo o trabalho desenvolvido na Creche tem como grande objectivo promover o desenvolvimento integral da
Todo o trabalho desenvolvido na Creche tem como grande objectivo
promover o desenvolvimento integral da criança ao nível sócio-afectivo,
cognitivo e psicomotor, valorizando acima de tudo as relações ricas e
estimulantes entre as crianças e com os adultos.
Áreas de desenvolvimento :
•Físico-Motora,
•Pessoal e Social,
•Aprendizagem e Cognição
•Higiene, Saúde e segurança (dos 18 aos 36 meses)
De acordo com o Documento Gestão da Qualidade das Respostas Sociais CRECHE
A criança é o centro de toda a actividade e é a partir das suas
características individuais e de seu enquadramento no grupo que a
equipa de sala organiza e projecta o seu trabalho.
O equilíbrio permanente entre o que a criança necessita, o que a
Educadora sabe que é necessário, bem como diálogo com a família,
serão sempre uma prioridade de actuação
Alguns princípios fundamentais
O PROCESSO DE APRENDIZAGEM PRECISA DE TRÊS FACTORES MUITO IMPORTANTES A SABER: 1 - Possibilidade
O PROCESSO DE APRENDIZAGEM PRECISA DE TRÊS FACTORES MUITO
IMPORTANTES A SABER:
1 - Possibilidade de experienciar (descobrir, sentir…)
2 - Estar bem fisicamente e emocionalmente (saúde)
3 – Sentir e estar em ambiente calmo e seguro (segurança)
A CRIANÇA APRENDE BEM COM ALGUÉM QUE…
É conhecedor, tem conhecimentos, é experiente, que esclarece, que sabe o
que fazer… ESTIMULAÇÂO CORRECTA
Que ajuda, transmite confiança, apoia, tem calma, compreende…
SENSIBILIDADE
Que dá oportunidade de escolha, respeita os gostos, as ideias, as emoções…
AUTONOMIA
Da organização do contexto educativo às finalidades educativas na Creche
Gabriela Portugal – À Redescoberta da Creche III – 25 Setembro 2008 - Piaget
EDUCAR EM CRECHE CONDIÇÕES FISICAS/ ESPAÇOS e MATERIAIS e RECURSOSHUMANOS/PROFISSIONAIS PRINCIPIOS EDUCATIVOS Da
EDUCAR EM CRECHE
CONDIÇÕES FISICAS/ ESPAÇOS e MATERIAIS
e
RECURSOSHUMANOS/PROFISSIONAIS
PRINCIPIOS EDUCATIVOS
Da organização do contexto educativo às finalidades educativas na Creche
Gabriela Portugal – À Redescoberta da Creche III – 25 Setembro 2008 - Piaget
COMO ESTÁ ORGANIZADA A MINHA CRECHE ? SERÁ QUE DESENVOLVE E POTENCIA AS CAPACIDADES DAS
COMO ESTÁ ORGANIZADA A MINHA CRECHE ?
SERÁ QUE DESENVOLVE E POTENCIA AS CAPACIDADES DAS CRIANÇAS ?
GRAU DE ESTRUTURAÇÂO
INFRA ESTRUTURAS
INTERVENÇÕES ESTIMULANTES
MATERIAIS E ACTIVIDADES
SENSIBILIDADE DO CONTEXTO
ATMOSFERA E RELAÇÕES
INICIATIVAS E INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS
GRAU DE AUTONOMIA NA CRECHE
LIBERDADE DE ESCOLHA
REGRAS E ACORDOS
PARTICIPAÇÃO DA CRIANÇA NA SUA AUTONOMIA
Da organização do contexto educativo às finalidades educativas na Creche
Gabriela Portugal – À Redescoberta da Creche III – 25 Setembro 2008 - Piaget
PRINCÍPIOS EDUCATIVOS EM CRECHE- Segundo Gabriela Portugal Princípio 1 – envolver as crianças nas coisas
PRINCÍPIOS EDUCATIVOS EM CRECHE- Segundo Gabriela Portugal
Princípio 1 – envolver as crianças nas coisas que lhes dizem respeito
Princípio 2 – investir em tempos de qualidade procurando-se estar completamente disponível
para as crianças
Princípio 3 – aprender a não subestimar as formas de comunicação únicas de cada criança e
ensinar-lhe as suas
Princípio 4 – investir tempo e energia para construir uma pessoa “total”
Princípio 5 – respeitar as crianças enquanto pessoas de valor e ajudá-las a reconhecer e a lidar
com os seus sentimentos
Princípio 6 - ser verdadeiro nos nossos sentimentos relativamente às crianças
Princípio 7 – modelar os comportamentos que se pretende ensinar
Princípio 8 – reconhecer os problemas como oportunidades de aprendizagem e deixar as
crianças tentarem resolver as suas próprias dificuldades
Princípio 9 – construir segurança ensinando a confiança princípio
Princípio10 – procurar promover a qualidade do desenvolvimento em cada fase etária, mas
não apressar a criança para atingir determinados níveis desenvolvimentais
Educação de Bebés em Creche – Perspectivas de Formação Teóricas e Práticas Gabriela Portugal
Alguns princípios fundamentais
Embora seja um desafio organizar um PROJECTO DE QUALIDADE destinado a várias crianças, os benefícios
Embora seja um desafio organizar um PROJECTO DE QUALIDADE
destinado a várias crianças, os benefícios que daí resultam são
imensos.
Quando os horários e as rotinas diárias são previsíveis e estão bem
coordenados em vez de em permanente mudança, é mais provável que
os bebés e crianças se sintam seguros e confiantes. Saber o que irá
acontecer no momento seguinte, por exemplo, quando acorda da
sesta, ajuda as crianças a sintonizarem-se com o ritmo do dia.
Quando o dia avança seguindo um percurso conhecido, as crianças
podem sinalizar as suas necessidades individuais de alimentação,
sono, higiene, mudar a fralda ou ir à casa de banho e, depois de
participarem nestas rotinas de cuidados, podem juntar-se de novo ao
decurso dos acontecimentos que interromperam.
Ao início do dia, se as crianças souberem o que vão fazer quando os
pais os deixam, a separação dos pais e a aproximação ao educador e
aos colegas torna-se mais fácil. À medida que vivem os rituais e as
repetições de uma programação diária consistente, bebés e crianças
ganham um sentido de continuidade e de controlo.
Organização de tempos, rotinas, horários…
PRIORIDADES EDUCATIVAS/ PRINCÍPIOS ORIENTADORES Criação de todo um ambiente físico e afectivo que permita e
PRIORIDADES EDUCATIVAS/ PRINCÍPIOS ORIENTADORES
Criação de todo um ambiente físico e afectivo que permita e estimule uma
Aprendizagem activa por parte de cada criança. Assim a organização dos espaços e
materiais é fundamental para dar resposta às necessidades de desenvolvimento do
grupo.
•Os princípios da Pedagogia Interactiva, surge como uma forte influência, a partir da
qual se implementa e se reflecte sobre a qualidade das Interacções e de que modo
estas são fundamentais para a aprendizagem activa das crianças.
•Rotinas securizantes e organizadoras da actividade diária de cada criança e do
grupo
•A Observação directa das crianças bem como registos diversos (filmes, fotos…) são
fundamentais para que os adultos possam aprender mais sobre os bebés e possam
assim intervir de uma forma mais adequada junto do seu grupo e a cada criança
individualmente.
•Documentos legais da Segurança Social, possuem também diversos indicadores de
apoio a uma correcta, sensata intervenção pedagógica junto dos bebés
• Criação de mecanismos de formação em contexto de trabalho de um modo continuo
bem como permanente actualização de conhecimentos, formação externa com
recurso as outros colegas ou especialistas
Alguns princípios fundamentais
Alguns princípios fundamentais
Alguns princípios fundamentais
“As crianças são importantes e sem importância; espera-se delas que se comportem como crianças mas
“As crianças são importantes e sem importância; espera-se delas
que se comportem como crianças mas são criticadas nas suas
infantilidades; é suposto que brinquem absorvidamente quando se
lhes diz para brincar, mas não se compreende porque não pensam
em parar de brincar quando se lhes diz para parar; espera-se que
sejam dependentes quando os adultos preferem dependência, mas
deseja-se que tenham um comportamento autónomo; deseja-se
que pensem por si próprias, mas são criticadas pelas suas
“soluções” originais para os problemas”
(Pollard, 1985:39)
in Pinto, Manuel e Sarmento, Manuel Jacinto (1997) As Crianças
Contextos e identidade. Universidade do Minho. Centro de
Estudos da Criança, pag 13
Maria Teresa de Matos Educadora de Infância responsável pelo Berçário Coordenadora da Creche e Jardim
Maria Teresa de Matos
Educadora de Infância responsável pelo Berçário
Coordenadora da Creche e Jardim de Infância
Colégio do Vale
teresadematos@netcabo.pt
Felicidades Pessoais e Profissionais