Você está na página 1de 15

1

COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA


GRAMÁTICA – PROF. FERNANDO LIRA C) As línguas são sistemas simbólicos, de representação
da realidade, e prendem-se a determinações
TEXTO 1 históricas.
D) As questões linguísticas são questões de todos nós,
Como herança de uma compreensão equivocada do uma vez que dizer manifesta nossa condição de
2

que seja uma língua e, consequentemente, do que seja a humanos conscientizados.


gramática, carregamos até hoje a ideia de que “questões de E) Falar ou calar, no tempo e no jeito certo, não se
língua” se reduzem a “questões de gramática”; mais restringem meramente a um exercício de gramática.
precisamente, a questões de certo e errado. A grande maioria
das pessoas somente vê a língua sob o prisma da correção
02) Do ponto de vista da organização geral do texto 1, analise
gramatical. Estudam português, por exemplo, para “não falar
as afirmações abaixo.
errado”. Como se a correção gramatical fosse a única exigência
de um texto bem falado ou bem escrito. 1) Nos dois parágrafos introdutórios, a autora apresenta
Por isso, as questões linguísticas ficaram restritas ao ideias consensualmente aceitas pela sociedade, para,
professor de português, melhor dizendo, ao professor de a partir do terceiro parágrafo, discordar delas.
gramática, ou à área de Letras. Esses é que têm que se 2) No terceiro e quarto parágrafos, a autora apresenta
interessar por tais questões. Aos outros, nada do que é argumentos para defender seu ponto de vista. A
linguístico lhes diz respeito. expressão introdutória do quarto parágrafo indica
Ora, a língua não pode ser reduzida a uma questão de que novas ideias serão acrescidas ao texto.
“certo e errado”. Seus usos incluem muitos outros elementos e 3) O parágrafo conclusivo desempenha o relevante
mobilizam muito mais conhecimentos do que aqueles papel de responder aos questionamentos feitos na
puramente gramaticais. Nem pode ser circunscrita a um introdução do texto, e isso está indicado pela
determinado campo da atividade humana. Todos nós sabemos presença do conectivo ‘logo’.
que tudo passa pela linguagem; tudo tem origem na linguagem, 4) As informações apresentadas no primeiro parágrafo
isto é, no discurso coletivo, que vai passando de um grupo a servem de justificativa para as afirmações do
outro. segundo; isso explica por que este segundo parágrafo
Além disso, e vendo as coisas mais amplamente, foi introduzido pelo conectivo ‘por isso’.
convém lembrar que as línguas são sistemas simbólicos, de
representação da realidade, que, dessa forma, estão em íntima Estão corretas:
dependência da história, da cultura, da vida em geral de cada
comunidade. Estão envolvidas com as dimensões todas que A) 1 e 3 apenas.
constituem a vida das pessoas e, dessa forma, estão presas a B) 2 e 3 apenas.
determinações históricas, políticas, culturais. (...) C) 2, 3 e 4 apenas.
A língua não é, pois, um sistema de signos isolado do D) 1, 2 e 4 apenas.
resto do mundo. Tudo o que acontece, tudo o que é pensado, E) 3 e 4 apenas.
que é previsto, que é concebido aparece refletido na
linguagem. Não com a total fidelidade de um espelho ou de
03) A autora do texto 1 posiciona-se contrariamente à idéia
uma fotografia. Tampouco como se a língua fosse uma espécie
tão amplamente difundida de que:
de nomenclatura disponível para que se possa simplesmente
dar nomes corretos a todas as coisas. A língua envolve,
A) os usos de uma língua mobilizam diversos conheci-
conforme já se disse, diferentes fatores em interação, e seus
mentos, não apenas os gramaticais.
usos nunca podem ser vistos, apenas, como materiais
B) a língua mantém estreita relação com a história e com
linguísticos. (Falta a escola perceber isso!)
a vida sociocultural de uma comunidade.
Logo, as questões linguísticas são questões de todos
C) expressar-se por meio da linguagem é, também, uma
nós, de todo o público, sobretudo aquelas questões mais
maneira de o cidadão intervir no mundo.
amplas e mais relevantes. Até porque falar ou calar, no tempo e
D) a elaboração de um bom texto, falado ou escrito, requer
no jeito certo, não é apenas uma questão de exercitar a
mais do que apenas o domínio da gramática.
gramática; são formas de o cidadão intervir, se manifestar,
E) não cabe às pessoas em geral tratar de questões
tomar seu lugar e agir, no complexo mundo das relações
linguísticas, e, sim, ao professor de português.
humanas. Ou seja, dizer é uma forma de manifestar nossa
condição de humanos conscientizados.
04) É estabelecida, no texto 1, uma estreita relação de depen-
dência entre:
Antunes, Irandé. Lutar com palavras: coesão e
coerência. São Paulo: Parábola, 2005, p.187-189. Adaptado.
A) os usos da língua e o exercício da cidadania.
01) A alternativa que representa uma síntese do texto 1 é: B) questões linguísticas e questões gramaticais.
C) correção gramatical e habilidade na escrita.
A) A grande maioria das pessoas somente vê a língua sob
D) estudo do português e bom desempenho linguístico.
o prisma da correção gramatical, do “certo e errado”.
E) questões gramaticais e determinações sócio-históricas.
B) Herdamos uma compreensão equivocada do que seja
uma língua e, consequentemente, do que seja a
gramática.

COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA


05) “A língua não é, pois, um sistema de signos isolado do destacado tem valor aditivo e também pode ser
resto do mundo.” O termo sublinhado tem valor: grafado na forma ‘tão pouco’.
4) “... são formas de o cidadão intervir, se manifestar,
A) conclusivo. tomar seu lugar e agir, no complexo mundo das
B) causal. relações humanas. Ou seja, dizer é uma forma de

3
C) temporal. manifestar nossa condição de humanos conscientiza-
D) condicional. dos.” Nesse trecho, a expressão em destaque
E) explicativo. introduz uma correção.

06) “As questões lingüísticas são questões de todos nós, de Está(ão) corretas, apenas:
todo o público, sobretudo aquelas questões mais amplas e
mais relevantes.” O sentido desse trecho se manterá se o A) 1e2
termo sublinhado for substituído por: B) 2e3
C) 3
A) ademais. D) 1
B) principalmente. E) 4
C) outrossim.
D) exceto. 09) A palavra ‘imprescindível’ se aplica a algo que não se pode
E) salvo. dispensar, assim como:

07) “As línguas são sistemas simbólicos, de representação da 1) ‘indelével’ se aplica a algo que não se pode apagar.
realidade, que, dessa forma, estão em íntima dependência 2) ‘inexorável’ se aplica a algo que não é discreto.
da história, da cultura, da vida em geral de cada 3) ‘inóspito’ se aplica a um lugar em que não se pode
comunidade.” O que se pretendeu dizer nesse trecho viver.
equivale a: 4) ‘inopinado’ se aplica a algo que é imprevisto.
5) ‘inexeqüível’ se aplica a algo que não se pode realizar.
A) Sempre que as línguas forem sistemas simbólicos, de
representação da realidade, elas estarão em íntima Estão corretas apenas:
dependência da história, da cultura, da vida em geral
de cada comunidade. A) 1e3
B) Para que as línguas sejam sistemas simbólicos, de B) 2e3
representação da realidade, elas devem estar em C) 1e5
íntima dependência da história, da cultura, da vida D) 2e4
em geral de cada comunidade. E) 1, 3, 4 e 5
C) Pelo fato de as línguas serem sistemas simbólicos, de
representação da realidade, elas estão em íntima TEXTO 2
dependência da história, da cultura, da vida em geral
de cada comunidade. - Pois não! Bom-dia, sou o delegado titular e aqui estou para
D) Embora as línguas sejam sistemas simbólicos, de colher seu depoimento. Sou todo ouvidos, pode relatar!
representação da realidade, elas estão em íntima - Muito prazer, senhor delegado. Obrigado por me receber.
dependência da história, da cultura, da vida em geral Tenho dez anos, estou aqui porque me sensibilizei pela
de cada comunidade. campanha desencadeada em nossa cidade em nome da tal da
E) Nem sempre as línguas, sendo sistemas simbólicos, “tolerância zero”, contra todas as formas de violência; e como
de representação da realidade, estão em íntima tenho sido vítima de violência diária, acreditei que poderia
dependência da história, da cultura, da vida em geral trazer meu depoimento! Posso falar?
de cada comunidade. - Claro, como disse, sou todo ouvidos! Quem causa tanta
violência? De onde vêm essas humilhações que o senhor
08) No que se refere a alguns elementos lingüísticos presentes recebe diariamente?
no texto 1, analise as afirmações a seguir. - Vêm de uma instituição denominada “Escola”. Existe em todo
o país e existem várias nesta cidade. Algumas são públicas,
1) No trecho “carregamos até hoje a ideia de que outras particulares, mas todas se igualam na prepotência, no
“questões de língua” se reduzem a “questões de desrespeito aos meus direitos e em esmagar todo meu sonho
gramática”; mais precisamente, a questões de certo e de liberdade!
errado.”, a expressão sublinhada funciona para - O jovem poderia ser mais claro? Apresentar seu depoimento
introduzir uma especificação. de forma mais explícita?
2) No trecho “Por isso, as questões linguísticas ficaram - Claro que sim. Veja o senhor que todo dia sou arrancado da
restritas ao professor de português, melhor dizendo, cama na hora em que não quero, enfiado em um veículo
ao professor de gramática, ou à área de Letras.”, a barulhento e entupido de alunos que vivem fazendo piadas a
expressão destacada introduz uma reiteração. meu respeito. Depois de intermináveis e atormentadas voltas,
3) “Não com a total fidelidade de um espelho ou de uma chego invariavelmente humilhado e cansado, e sou obrigado a
fotografia. Tampouco como se a língua fosse uma ficar em uma sala de aula sufocante, na carteira que não quero,
espécie de nomenclatura...”. Nesse trecho, o termo sem poder falar, carregando livros que não escolhi, aprendendo

COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA


coisas que não me interessam, contendo minha vontade de ir 13) Em seu depoimento, o garoto utiliza diversos termos e
ao banheiro, ouvindo coisas nas quais não creio e, se me atrevo expressões que foram selecionados com o propósito de
a conversar com algum amigo, imediatamente sou reprimido e enfatizar sua revolta em relação ao que queria denunciar.
ameaçado pela tortura de recuperações... Após intermináveis Dentre as alternativas abaixo, assinale aquela que não
horas de suplício posso, como qualquer prisioneiro, sair ao apresenta esses termos e/ou expressões.
4

pátio por alguns momentos, disputar aos berros um lanche na


cantina, ser chutado pelos mais velhos para, pouco depois, A) arrancado da cama.
retornar ao drama de narrativas intermináveis, ameaças B) humilhado e cansado.
frequentes, sustos inevitáveis e, ao cabo disso tudo, o desgaste C) reprimido e ameaçado
de rotina, mais rotina, outra vez rotina. Sinceramente, senhor D) enfiado em um veículo.
delegado, o senhor acredita que isso é viver? Aceita como E) carregando livros.
justo, na fase mais bela da minha vida, o suplício desse
desgosto? 14) “Está tomando meu tempo com inúteis queixumes.” O
- Ora, meu garoto, creio que você está exagerando. Está sendo trecho destacado corresponde a:
excessivamente “azedo”. Está tomando meu tempo com inúteis
queixumes. Todos devem passar por isso e nem assim ficam A) com queixas inusitadas.
despedaçados. A escola é parte integrante da vida e, quer saber B) com tolices desnecessárias.
o que mais, caso encerrado! O senhor tem mais alguma coisa a C) com lamúrias vãs.
dizer? D) com reclamações infindáveis.
- Gostaria, senhor delegado. Será que um dia, finalmente, a E) com murmurações insidiosas.
vida será parte integrante da escola?
15) Com base na sistematização de algumas regras da orto-
Antunes, Celso. Casos, fábulas, anedotas ou inteligências, capacidades,
competências. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003, p. 83-84 grafia portuguesa, assinale a alternativa correta.

10) Com o texto 2, o autor pretendeu: A) A grafia correta é ‘pobreza’; logo, o correto é
‘camponeza’ e ‘fregueza’.
A) denunciar os maus tratos sofridos pelas crianças, em B) A grafia correta é ‘pretensioso’; mas, o correto é
algumas escolas brasileiras. ‘despretencioso’ e ‘despretenciosamente’.
B) criticar a indiferença com que o cidadão é tratado na C) A grafia correta é ‘inglês’; logo, o correto é ‘cortês’ e
maioria das delegacias do país. ‘pedrês’.
C) refletir acerca do cotidiano escolar, que, em muitos D) A grafia correta é ‘estender’; logo, o correto é
casos, se distancia da vida dos alunos. ‘estensão’ e ‘estensivo’.
D) conclamar os leitores a se engajarem na luta pelos E) A grafia correta é ‘finalizar’; logo, o correto é
direitos da criança e do adolescente. ‘pesquizar e ‘frizar’.
E) defender a ideia de que “a escola é parte integrante
da vida”. TEXTO 3

11) Após ouvir o depoimento do garoto, a resposta do delega- Unificação linguística, que clareza!
do demonstra:
Tem aí meia dúzia de urnigos1, na calada da noite,
A) impotência; “eu queria ajudar, mas não posso!” arquitetando um plano pra “unificação” da língua portuguesa.
B) angústia; “não cabe a mim resolver o problema.” Escrevi o trecho abaixo em português de Portugal pra vocês
C) revolta; “este garoto está sendo violentado!” verem como será fácil essa unificação.
D) indiferença; “de fato, isto não é um problema!” “Estava a conduzir meu automóvel numa azinhaga com um
E) interesse; “como posso ajudar este garoto?” borracho muito gira ao lado, quando dei com uma bossa na
estrada de circunvalação que uma bera teve a lata de deixar.
Escapei de me espalhar à justa. Em havendo um bufete à frente
12) “Sou todo ouvidos, pode relatar!”. No texto 2, a expressão
convidei a chavala a um copo. Botei o chiante na berma e
sublinhada equivale a:
ordenamos ao criado de mesa, um sande de fiambre em
A) Todos os ouvidos estão curiosos para saber o que carcaça eu, e ela um miau. O panasqueiro, com jeito de
você vai dizer. marialva paneleiro, um chalado da pinha, embora nos tratando
B) Estou disposto a escutar atentamente o que você tem nas palminhas, trouxe-nos a sande com a carcaça esturrada (e
a dizer. sem caganitas!), e, faltando-lhe o miau, deu-nos um prego
C) Não posso responder ao que você tem para me dizer. duro.”
D) Vou guardar segredo, após ouvir o que você tem a Como talvez vocês não tenham entendido alguma coisa,
dizer. traduzo em brasileiro, também conhecido como português do
E) O que você tem para relatar vai entrar por um ouvido Brasil.
e sair pelo outro. “Eu dirigia meu carro por um caminho de pedras tendo ao lado
uma gata espetacular, quando vi um lombo na estrada de
contorno que um louco teve o descaramento de fazer. Por
pouco não bati nele. Como havia em frente uma lanchonete,
convidei a mina a tomar um drinque. Coloquei o carro no

COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA


acostamento e pedimos ao garçom sanduíche de presunto com 19) A ‘ironia’ é um dos efeitos pretendidos pelo autor do texto
pão de forma eu, e ela sanduíche de lombinho. O gozador, com 3. Um dos mecanismos que ele emprega para conseguir
jeito de Dom Juan bicha, muito louco, embora nos tratando esse efeito é dizer uma coisa com a intenção de significar
muito bem, trouxe o sanduíche com o pão queimado (e sem exatamente o seu oposto. Esse mecanismo está eviden-
azeitonas!) e, não tendo sanduíche de lombinho, trouxe um de ciado em:

5
churrasquinho duro.”
A) “Tem aí meia dúzia de urnigos...”.
1. Palavra portuguesa que significa o que significa. B) “... arquitetando um plano”.
C) “traduzo em brasileiro”.
Millôr Fernandes. Revista Isto é Senhor, 19/06/1991, p.8. Adaptado. D) “também conhecido como português do Brasil”.
16) Por meio do texto 3, seu autor defende que: E) “Unificação linguística, que clareza!”

A) a unificação pretendida por alguns só é possível para TEXTO 4


o português falado, nunca para a modalidade escrita A importância do ato de ler
da língua.
B) a língua de Portugal e a língua do Brasil, embora Rara tem sido a vez, ao longo de tantos anos de
apresentem diversas semelhanças, não são a mesma prática pedagógica, por isso política, em que me tenho
língua. permitido a tarefa de abrir, de inaugurar ou de encerrar
C) a língua brasileira e a portuguesa devem ser unifica- encontros ou congressos. Aceitei fazê-lo agora, de maneira,
das; do contrário, não é possível haver comunicação. porém, menos formal possível. Aceitei vir aqui para falar da
D) devido às semelhanças existentes entre as línguas importância do ato de ler.
brasileira e portuguesa, o projeto de “unificação” Me parece indispensável, ao procurar falar de tal
linguística será de fácil execução. importância, dizer algo do momento mesmo em que me
E) será difícil a unificação entre a língua de Portugal e a preparava para aqui estar hoje; dizer algo do processo em que
do Brasil, porque a língua de Portugal é muito mais me inseri enquanto ia escrevendo este texto que agora leio,
erudita e formal. processo que envolvia uma compreensão crítica do ato de ler,
que não se esgota na descodificação pura da palavra escrita ou
17) O texto 3 aborda, explicitamente: da linguagem escrita, mas que se antecipa e se alonga na
inteligência do mundo.
A) as diferenças culturais entre portugueses e brasilei- A leitura do mundo precede a leitura da palavra, daí
ros. que a posterior leitura desta não pode prescindir da conti-
B) as variedades regionais da nossa língua, que se refle- nuidade da leitura daquele. Linguagem e realidade se prendem
tem no vocabulário. dinâmica-mente. A compreensão do texto a ser alcançada por
C) a manipulação feita em nossa língua por pessoas que, sua leitura crítica implica a percepção das relações entre o
na calada da noite, planejam modificá-la. texto e o contexto.
D) a superioridade da versão europeia de nossa língua, Ao ensaiar escrever sobre a importância do ato de ler,
em comparação à versão americana. eu me senti levado – e até gostosamente – a “reler” momentos
E) a instabilidade lexical do português, que está em fundamentais de minha prática, guardados na memória, desde
constante mudança, devido à introdução de estran- as experiências mais remotas de minha infância, de minha
geirismos. adolescência, de minha mocidade, em que a compreensão
crítica da importância do ato de ler se veio em mim constitui-
18) Se compararmos o trecho escrito em português de ndo. Ao ir escrevendo este texto, ia “tomando distância” dos
Portugal com o trecho escrito em português do Brasil, diferentes momentos em que o ato de ler se veio dando na
veremos que há similaridades entre eles. Por exemplo, nos minha experiência existencial. Primeiro, a “leitura” do mundo,
trechos “O panasqueiro (...), embora nos tratando nas do pequeno mundo em que me movia; depois, a leitura da
palminhas, trouxe-nos a sande com a carcaça esturrada (e palavra, que nem sempre, ao longo de minha escolarização, foi
sem caganitas!)” e “O gozador (...), embora nos tratando a leitura da “palavramundo”.
muito bem, trouxe o sanduíche com o pão queimado (e
Freire, Paulo. IN: Infante, Ulisses. Curso de gramática aplicada aos textos. São
sem azeitonas!)” os termos sublinhados expressam, em
Paulo: Scipione, 2001, p.71-72. Adaptado.
ambos os casos:
20) “A leitura do mundo precede a leitura da palavra”. No
A) tempo. contexto em que se insere essa afirmação, a “leitura do
B) condição. mundo” significa:
C) explicação.
D) concessão. A) a decodificação dos diversos textos escritos que circu-
E) proporção. lam ao nosso redor.
B) a compreensão dos textos falados com os quais
temos contato antes de aprender a ler.
C) a percepção e a compreensão da realidade que nos
circunda.
D) a leitura, feita pelos adultos às crianças, antes que
elas iniciem a vida escolar.

COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA


E) os exercícios de leitura que fazemos na escola, nas A) Em primeiro lugar – consequentemente.
séries anteriores à alfabetização. B) Primeiramente - em seguida.
C) Na primeira vez – logo depois.
21) No que se refere ao sentido pretendido pelo autor do D) Logo – após.
texto 4, analise o que se afirma a seguir. E) De início – segundo.
6

A) No trecho: “Rara tem sido a vez, ao longo de tantos 24) Assinale a alternativa em que se indica corretamente a
anos de prática pedagógica, por isso política, em que relação semântica presente nos seguintes enunciados do
me tenho permitido a tarefa de abrir...”, a parte texto 4:
sublinhada nos informa que, para o autor, a prática
pedagógica e a prática política são indissociáveis. A) “Aceitei vir aqui para falar da importância do ato de
B) No trecho: “dizer algo do processo em que me inseri ler.” (condição).
enquanto ia escrevendo este texto que agora leio...”, B) “Ao ensaiar escrever sobre a importância do ato de
o elemento destacado indica simultaneidade tempo- ler, eu me senti levado – e até gostosamente – a
ral entre as ideias apresentadas. “reler” momentos fundamentais de minha prática...”
C) No trecho: “A compreensão do texto a ser alcançada (tempo).
por sua leitura crítica implica a percepção das C) “Me parece indispensável, ao procurar falar de tal
relações entre o texto e o contexto.”, pode-se identi- importância, dizer algo do momento mesmo em que
ficar uma relação semântica de causa e consequência. me preparava para aqui estar hoje...” (oposição).
D) No trecho: “... depois, a leitura da palavra, que nem D) “A leitura do mundo precede a leitura da palavra...”
sempre, ao longo de minha escolarização, foi a leitura (causa).
da “palavramundo”.”, o termo destacado é um E) “Ao ir escrevendo este texto, ia “tomando distância”
neologismo, criado pelo autor para conseguir expres- dos diferentes momentos em que o ato de ler se veio
sar com maior precisão aquilo que desejava dando na minha experiência existencial...”
expressar. (consequência).

Estão corretas: TEXTO 5

A) 2 e 4 apenas
B) 1 e 3 apenas
C) 1 e 4 apenas
D) 1, 2 e 4 apenas
E) 1, 2, 3 e 4

22) Indique a alternativa que apresenta a correta relação


entre os termos destacados (texto 4) e seus referentes.

A) “Aceitei fazê-lo agora...” (linha 4) – abrir, inaugurar ou


encerrar encontros ou congressos.
B) “...ao procurar falar de tal importância...” (linhas 7/8) Tirinha do livro de Ulisses Infante, p.419
– a importância de vir aqui.
25) A interpretação da tirinha nos permite concluir que ela
C) “... daí que a posterior leitura desta não pode
objetiva, prioritariamente, levar o leitor a refletir sobre:
prescindir...” (linha 17) – a leitura do mundo.
D) “A compreensão do texto a ser alcançada por sua
A) o funcionamento da linguagem humana.
leitura crítica implica...” (linhas 19/20) – compreen-
B) a rotina a que estão submetidos os homens.
são.
C) a dificuldade de comunicação do mundo moderno.
E) “... processo que envolvia uma compreensão crítica
D) a complexidade da língua portuguesa.
do ato de ler, que não se esgota na descodificação
E) a multiplicidade de sentidos que têm as palavras.
pura da palavra escrita...” (linhas 11/14) – compreen-
são crítica.
LITERATURA – PROF. JORGE ALBERTO
23) Observe os recursos lingüísticos utilizados pelo autor do 26) (FMTM-MG) “Esta Província de Santa Cruz, além de ser tão
texto 4 para expressar uma ordenação temporal no fértil como digo, e abastada de todos os mantimentos
seguinte trecho: “Primeiro, a “leitura” do mundo, do necessários para a vida do homem, é certo ser também
pequeno mundo em que me movia; depois, a leitura da muito rica, e haver nela muito ouro e pedraria, de que se
palavra, que nem sempre, ao longo de minha escola- tem grandes esperanças.”
rização, foi a leitura da “palavramundo”.” Para indicar a
mesma ordenação, o autor também poderia ter selecio- Como demonstra esse excerto, de Pero de Magalhães
nado: Gândavo, a literatura dos que aqui estiveram nos séculos
XVI e XVII:

COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA


A) Procura indicar, com a maior exatidão possível e com I. Na Era Colonial, tivemos três grandes períodos
verdadeiro espírito científico, as potencialidades literários: Quinhentismo, Barroco e Arcadismo. Tanto
econômicas do novo território. no Quinhentismo como no Arcadismo houve a
B) Mostra a atitude de superioridade e menosprezo com retomada dos valores clássicos e renascentistas,
que o europeu encarava a nova terra e a selvageria de negados pelo medievalismo da época barroca.

7
seus habitantes. II. O Barroco foi a afirmação dos ideais contrarre-
C) Constituiu a primeira manifestação de sentimento formistas, marcados pela restauração da fé e refletiu
nacionalista, que iria crescendo à medida que se toda a dualidade e desequilíbrio ao qual estava
desenvolveria a literatura brasileira. submetido o Homem da época.
D) Adquiriu – não sendo propriamente ficção – III. O Arcadismo ou Neoclassicismo foi o resgate dos
inestimável valor documental, por transmitir a ideais clássicos no plano temático e, estética-mente, a
primeira visão da terra virgem, encarada, por isso retomada do soneto e do verso decassílabo típica-
mesmo, como um lendário paraíso perdido. mente barroco.
E) Contém mais ficção – como consequência do espanto
do descobridor diante das novas terras – do que É (são) correto(s) o(s) tópico(s):
propriamente informação.
A) I e II Apenas.
27) (UFSE) Nas manifestações literárias dos dois primeiros B) I e III Apenas.
séculos de nossa história podem estar presentes as C) II e III Apenas.
seguintes características: D) Apenas II.
E) Apenas III.
I. intenção catequética e informação sobre a terra;
II. relato de viagem e pregação religiosa; 30) (JAT) Sobre o Barroco, movimento cultural que teve seu
III. sentimento nacionalista e participação em campanha apogeu no século XVII e representou a ideologia da
republicana. Contra-reforma, analise as afirmações a seguir em V ou F:

Estão corretas somente as características indicadas em: O Barroco representou o choque entre duas
mentalidades: a visão antropocêntrica e a teocên-
A) Apenas I. trica. No plano artístico, isto representou uma arte
B) Apenas I e II. marcada por dualidades, quer seja na pintura, com a
C) Apenas II. manifestação de tons claros e escuros, quer na
D) Apenas II e III. Literatura, com a presença de antíteses e paradoxos.
E) Apenas III. A literatura Barroca primava pela sofisticação, quer
em uma linguagem de vocabulário de alto nível, com
28) (UFSM-RS) O Quinhentismo, enquanto manifestação lite- inversões sintáticas e o desenvolvimento de dois
rária, pode ser definido como uma época em que: estilos: o cultismo (valorização do raciocínio lógico) e
conceptismo (enfoque no jogo de palavras, no
I. Não se pode falar, ainda, na existência de uma trocadilho).
literatura brasileira, pois a cultura portuguesa O tema da efemeridade da vida é uma constante
estabelecia as formas de pensamento e expressão desenvolvida no Barroco. O homem barroco, na
para os escritores na colônia; angústia de viver o momento presente, divide-se
II. Pode-se falar na existência de uma literatura entre o pecado e a salvação, como percebemos nos
brasileira porque, ao descreverem o Brasil, os textos sermões de Pe. Antônio Vieira, onde o desejo de
mostram um forte instinto de nacionalidade, na usufruir a vida material se contrapõe com o desejo de
medida em que todos os escritores eram nativos da ser salvo espiritualmente.
terra; Embora sofisticado na linguagem literária, com
III. A produção escrita se prende à descrição da terra e inversões sintáticas, vocabulário erudito, e a presença
do índio ou a textos escritos pelos jesuítas, ou seja, de dois estilos, a arquitetura e a decoração de
uma produção informativa e doutrinária. interiores primaram pela simplicidade e despoja-
mento, o que mostra uma contradição em meio a
Está(ão) correta(s): uma arte extremamente sofisticada.

A) Apenas I. A alternativa que traz a sequencia correta é:


B) Apenas I e III.
C) Apenas II. A) V–F–F–F
D) Apenas II e III. B) V–F–F–V
E) Apenas III. C) V–V–F–F
D) F–F–F–V
29) (JAT) A Literatura Brasileira é dividida em duas grandes E) F–F–V–F
eras: a Colonial e a Nacional. Acerca da Era Nacional,
foram feitas as seguintes observações. Analise-as em V ou
F:

COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA


Leia atentamente o fragmento do sermão do padre Antônio Leia o poema abaixo e responda as questões de 33 a 35.
Vieira e responda às questões 31 e 32.
À INSTABILIDADE DAS COUSAS DO MUNDO
A primeira cousa que me desedifica, peixes, de vós, é
que comeis uns aos outros. Grande escândalo é este, mas a Nasce o sol, e não dura mais que um dia,
8

circunstância o faz ainda maior. Não só vos comeis uns aos Depois da Luz se segue a noite escura,
outros, senão que os grandes comem os pequenos. Se fora pelo Em tristes sombras morre a formosura,
contrário era menos mal. Se os pequenos comeram os grandes, Em contínuas tristezas a alegria.
bastara um grande para muitos pequenos; mas como os
grandes comem os pequenos, não bastam cem pequenos, nem Porém, se acaba o Sol, por que nascia?
mil, para um só grande [...]. Os homens, com suas más e Se é tão formosa a Luz, por que não dura?
perversas cobiças, vêm a ser como os peixes que se comem uns Como a beleza assim se transfigura?
aos outros. Tão alheia cousa é não só da razão, mas da mesma Como o gosto, da pena assim se fia?
natureza, que, sendo criados no mesmo elemento, todos
cidadãos da mesma pátria, e todos finalmente irmãos, vivais de Mas no Sol, e na Luz falta a firmeza,
vos comer. Na formosura não se dê constância,
(VIEIRA, Antônio. Obras completas do padre Antônio Vieira: sermões. E na alegria, sinta-se tristeza.
Prefaciados e revistos pelo Pe. Gonçalo Alves. Porto:
Lello e Irmão – Editores, 1993. v. III, p. 264-265.) Começa o Mundo enfim pela ignorância,
E tem qualquer dos bens por natureza
31) (UFV-MG) O texto de Vieira contém algumas caracterís- A firmeza somente na inconstância.
ticas do Barroco. Dentre as alternativas abaixo, assinale
33) (UESPI / ADAPTADA) Sobre Gregório de Matos, podemos
aquela em que NÃO se confirmam essas tendências este-
afirmar que:
ticas:
I. Realizou poemas líricos, satíricos e religiosos. É na
A) A utilização da alegoria, da comparação, como
poesia religiosa que o poeta mais se aproxima dos
recursos oratórios, visando à persuasão do ouvinte.
padrões temáticos e estéticos do Barroco, enquanto
B) A tentativa de convencer o homem do século XVII,
que na satírica, ele se distancia do contexto
imbuído de práticas e sentimentos comuns ao
ideológico da época.
semipaganismo renascentista, a retomar o caminho
II. Na sátira, seus poemas chegam a ser ofensivos,
do espiritualismo medieval, privilegiando os valores
criticando abertamente e de forma sagaz toda a
cristãos.
sociedade da época.
C) A presença do discurso dramático, recorrendo ao
III. Os poemas satíricos criticam aspectos sociais e a
princípio horaciano de “ensinar deleitando” “elite caramuru” da Bahia, poupando as pessoas de
tendência didática e moralizante, comum à Contra- origem mais simples.
Reforma.
D) O tratamento do tema principal a denúncia à cobiça Considerando as três afirmativas é verdadeiro dizer que:
humana através do conceptismo, ou jogo de idéias.
E) O culto do contraste, sugerindo a oposição bem x A) I, II e III estão erradas.
mal, em linguagem simples, concisa, direta e B) Somente II e III estão corretas.
expressiva da intenção barroca de resgatar os valores C) Somente I e II são corretas.
greco-latinos. D) Somente II está correta.
E) Todas estão corretas.
32) (EAD-UFPI/2009.2) Uma das características presentes no
estilo de Vieira, expressa no texto acima diz respeito ao 34) (FACID) Além do uso de antíteses, uma outra característica
seguinte aspecto: da poesia barroca de Gregório de Matos faz-se presente
no texto. Assinale a alternativa em que se encontra essa
A) A descrição de situações cotidianas com o intuito de constante:
louvar a graça divina.
B) O uso do púlpito da igreja para a denúncia das ações A) a religiosidade
consideradas imorais e injustas. B) a temática da inconstância das coisas do mundo
C) A crítica à Igreja por não edificar nos homens o C) o bucolismo
verdadeiro espírito cristão. D) o pastoralismo
D) A visão da literatura como obra de construção E) o humor negro
estética sem relação com o cotidiano mundano.
E) O elogio da natureza como fonte de compreensão da
35) (UFT/2010) Analise as afirmativas abaixo sobre o texto “À
vida humana.
instabilidade das coisas no mundo”, de Gregório de Matos:

I. Considerando que a arte literária reflete o contexto


histórico em que se encontra inserida, é certo dizer
que o texto de Gregório de Matos pertence ao

COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA


Barroco, movimento literário associado à Reforma e à E) A melhor produção literária do autor é constituída de
Contra-Reforma e expressa, de forma estética, as poesias líricas, em que desenvolve temas constantes
angústias existenciais do homem seiscentista. da estética barroca, como a transitoriedade da vida e
II. O soneto gregoriano abarca a temática do tempo das coisas.
fugaz e da sorte instável que se desenvolve a partir de

9
um jogo de imagens e idéias que se contrapõem: 38) (FACID) Leia o fragmento do Sermão do Mandato do Pe.
nasce X não dura (v.1), luz X noite escura (v.2), tristes Antônio Vieira:
sombras X formosura (v.3), tristezas X alegria (v.4).
III. O texto estrutura-se segundo os princípios do “Quem estima vidros, cuidando que são diamantes,
conceptismo, voltado para a ornamentação diamantes estima e não vidros; quem ama defeitos,
exagerada de um estilo marcado pela presença de cuidando que são perfeições, perfeição ama e não
paradoxos (v.1-8). defeitos”.
IV. O sentido de efemeridade abarcado pelo título do
poema é justificado, no decorrer do texto, por Assinale a alternativa que não condiz com as caracterís-
expressões tais como: “falta firmeza” (v.9), “não se dê ticas barrocas:
Constância” (v.10), “firmeza somente na
inconstância” (v.14) que fazem parte do campo A) O Barroco conceptista evidencia-se na produção dos
semântico do vocábulo instabilidade. sermões de Vieira e, nesse caso, percebe-se a
V. Na tentativa de conciliar os opostos, assumindo uma tendência filosófica do padre que primou pela
postura fusionista, o soneto de Gregório de Matos excelência do jogo de idéias.
encerra-se com uma justaposição de contrários, B) No fragmento, há um jogo habilidoso de palavras,
marcada pelo uso da antítese: “A firmeza somente na determinando o caráter cultista do autor.
inconstância” (v.14). C) Vieira dá uma clara demonstração das idéias que
viriam a servir de sustentáculo para uma arte
A partir da análise das questões, podemos concluir que as marcada pelo paralelismo e pelas antíteses.
alternativas: D) A disposição antitética do raciocínio denuncia outro
gosto dos barrocos: a contraposição de idéias.
A) I, II e III estão corretas E) Prevalecem no fragmento o raciocínio intricado e o
B) I, II e IV estão corretas paradoxo.
C) I, IV e V estão corretas
D) II, III e IV estão corretas 39) (UNIVASF) O mais importante pensador e intelectual em
E) II, III e V estão corretas língua portuguesa do seu tempo, o Padre Antônio Vieira
defendeu, tanto sua obra (sermões, cartas e livros) quanto
36) (UFPE) Com referência ao Barroco, todas as alternativas nos seus atos práticos, todas as grandes questões do seu
são corretas, exceto: século: a escravidão negra e indígena, a perseguição aos
judeus (por parte da Igreja), as invasões holandesas no
A) O Barroco estabelece contradições entre espírito- Brasil, do declínio econômico de Portugal e seu destino
carne, alma-corpo, mote-vida. profético de ser o Quinto Império, como estaria vaticinado
B) O homem centra suas preocupações em seu próprio no livro de Daniel, na Bíblia. Quais características não
ser, tendo em mira seu aprimoramento, com base na identificamos na extensa e erudita obra de Vieira?
cultura greco-latina.
C) Apresenta, como característica marcante, o espírito A) Sendo um cultor da oratória conceptista, Vieira
de tensão, conflito entre tendências opostas: de um constrói seus Sermões partindo sempre de um fato
lado, o teocentrismo medieval e, de outro, o real ou de algo observado.
antropocentrismo renascentista. B) Buscando sempre uma analogia entre o seu momento
D) Arte vinculada à Contra-Reforma. presente e o texto bíblico, Vieira seduz o
E) O Barroco caracteriza-se pela sintaxe obscura, uso ouvinte/leitor e o instiga a refletir e reagir sobre os
de hipérbole e de metáforas. temas da sua pregação.
C) Orientado por objetivos morais, políticos ou
37) (OBJETIVO-SP) A respeito de Gregório de Matos, assinale a religiosos, Vieira busca sempre atingir seu alvo com
alternativa INCORRETA: invulgar eloquência e força de persuasão.
D) Seus Sermões se caracterizam por um vocabulário
A) Alguns de seus sonetos sacros e líricos transpõem, pouco seleto e uma sintaxe previsível e pobre.
com brilho, esquemas poéticos de Gôngora e de E) Em sua quase totalidade, os Sermões de Vieira
Quevedo. seguem a estrutura clássica tripartite: intróito (ou
B) Suas sátiras são frequentemente deslocadas e exórdio), desenvolvimento (ou argumento) e pero-
licenciosas. ração.
C) Na poesia sacra, o homem não busca o perdão de
Deus; não existe o sentimento de culpa, ignorando-se
a busca do perdão divino.
D) As suas farpas dirigiam-se diversas vezes contra os
fidalgos caramurus.

COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA


Leia o texto abaixo e responda às questões 40 e 41. Para responder à questão de número 42, compare os dois
trechos a seguir.
Tu, Marília, agora vendo
Do Amor o lindo retrato Texto 1 - (Zé Rodrix e Tavito)
Contigo estarás dizendo
10

Que é este o retrato teu. Eu quero uma casa no campo


do tamanho ideal
Sim, Marília, a cópia é tua, pau-a-pique e sapê
Que Cupido é Deus suposto: Onde eu possa plantar meus amigos
Se há Cupido, é só teu rosto meus discos
Que ele foi quem me venceu. meus livros
e nada mais
(Marília de Dirceu. Parte I. Internet: <educaterra.terra.com.br>)

40) (ARL) Analise as afirmações sobre o autor do texto acima e Texto 2 - (Cláudio Manuel da Costa)
a escola literária correspondente:
Se o bem desta choupana pode tanto,
1) Poeta tomou parte na Inconfidência Mineira como o Que chega a ter mais preço, e mais valia,
mais ativo intelectual de idéias libertárias do Que da cidade o lisonjeiro encanto;
movimento. Foi um crítico e satírico impiedoso do
então governador Luís da Cunha Meneses, chamado Aqui descanse a louca fantasia;
“Fanfarrão Minésio”, nas famosas Cartas Chilenas, E o que té agora se tornava em pranto,
conjunto de textos que circularam de forma anônima; Se converta em afetos de alegria.
2) A Escola árcade, também denominada de 42) Embora muito distantes entre si na linha do tempo, os
neoclassicismo, faz homenagem à vida simples dos textos aproximam-se, pois o ideal que defendem é:
pastores. Os poetas clássicos da Grécia, em
comunhão com a natureza, vestiam-se de modo a A) o uso da emoção em detrimento da razão, pois esta
imitá-los e reuniam-se em parques e jardins para retira do homem seus melhores sentimentos.
gozar a vida natural. B) o desejo de enriquecer no campo, aproveitando as
3) A vida pessoal do poeta em nada acrescentou em sua riquezas naturais.
obra, vez que, por ser neoclássico, manteve uma C) a dedicação à produção poética junto à natureza,
atitude racional e impessoal no tema amoroso. fonte de inspiração dos poetas.
D) o aproveitamento do dia presente – o carpe diem –,
Está (ão) correta(s): pois o tempo passa rapidamente.
E) o sonho de uma vida mais simples e natural, distante
A) 1 e 2 apenas. dos centros urbanos.
B) 2 e 3 apenas.
C) 1, 2 e 3. (PUC-RS/ADAPTADA) INSTRUÇÃO: Para responder à questão
D) 2 apenas. 43, assinale com V (verdadeiro) ou com F (falso) as afirmativas
E) 1 e 3 apenas. sobre o Romantismo.

41) (UNB/2008-adaptada) A partir do fragmento acima, As obras em poesia da 1ª geração traduziram com
analise as afirmações relativas ao Arcadismo. mais propriedade o espírito nacionalista da época.
A poesia de Castro Alves denunciou as atrocidades
1) O fragmento apresenta linguagem rebuscada, que cometidas em relação aos negros.
contrasta com o ambiente pastoril. O índio brasileiro é tema reincidente somente nos
2) A recorrência à mitologia faz-se presente no fragmen- textos poéticos.
to do poema pela associação entre “Amor” (v.2) e Álvares de Azevedo, Castro Alves e Gonçalves Dias
“Cupido” (v.6-7). são poetas românticos de grande expressão.
3) Deduz-se do verso “Que ele foi quem me venceu” Diferentemente dos outros poetas da época,
(v.8) uma tendência ao passionalismo pré-romântico. Gonçalves Dias traduz a realidade circundante do
comportamento burguês através de sua subjetivi-
Está (ão) correta(s): dade, ao mostrar o cotidiano desta classe social em
seus poemas.
A) 1 e 2 apenas.
B) 2 e 3 apenas. 43) A sequência correta, resultante do preenchimento dos
C) 1, 2 e 3. parênteses, de cima para baixo, é:
D) 2 apenas.
E) 1 e 3 apenas. A) F–V–F–V–F
B) F–F–F–F–V
C) V–F–V–V–V
D) V–V–F–V–F
E) F–V–V–F–V

COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA


Leia o texto abaixo e responda as questões de 44 a 47. 48) (UFPE) Faça a associação, numerando os parênteses.

“Podemos gostar de Castro Alves ou Gonçalves Dias, 1. Gonçalves Dias


poetas superiores a ele; mas a ele só nos é dado amar ou 2. Álvares de Azevedo

11
repelir. Sentiu e concebeu demais, escreveu em tumulto, sem 3. Castro Alves
exercer devidamente o senso crítico, que possuía não obstante
mais vivo do que qualquer poeta romântico, excetuando Primeiro grande poeta romântico, autor de Os
Gonçalves Dias. Mareiam a sua obra poemas sem relevo nem Timbiras.
músculo, versalhada que escorre desprovida de necessidade Poeta da dúvida e do amor, mas sobretudo da morte
artística. O que resta, porém, basta não só para lhe dar – tema frequente em sua poesia – que lhe adveio
categoria, mas, ainda, revelar a personalidade mais rica da prematuramente.
geração.” Inovador pela utilização da temática indianista, com a
(Antonio Cândido, Formação da literatura brasileira) valorização do nacionalismo.
44) (FUVEST) Com relação a gostar e amar ou repelir, pode- Alia a sensualidade de sua poesia lírica à preocupação
mos depreender que: social, compondo belos poemas épicos.
Culto, vive a contradição entre o saber livresco e a
A) gostar de não pressupõe, no texto, nenhuma diferen- inexperiência existencial. Em Noite na Taverna, livro
ça quanto a amar. de contos, “finge conhecer a vida”.
B) é possível gostar de Castro Alves ou Gonçalves Dias,
mas não se pode apreciar o autor não nomeado. A associação correta, de cima para baixo, é:
C) amor ou repulsa implicam envolvimento mais afetivo
que racional. A) 2, 3, 1, 2 e 1.
D) se gosta de Castro Alves ou Gonçalves Dias, porque B) 1, 2, 1, 3 e 2.
são superiores ao autor da questão. C) 2, 1, 3, 1 e 3.
E) se ama ou se repele o autor não citado por ele ser D) 1, 2, 3, 3 e 1.
inferior aos dois citados. E) 1, 2, 1, 2 e 3.

45) (FUVEST) Assinale a expressão que melhor denota o juízo 49) (UFRPE/2009.2) Álvares de Azevedo, um dos poetas do
pejorativo de Antonio Candido acerca de boa parte da Romantismo brasileiro, se afasta da cor local que tanto
poesia do autor não nomeado: marcou as obras dos seus contemporâneos, a exemplo de
Gonçalves Dias. Sobre Azevedo, considere as proposições
A) “a ele só nos é dado *...+ repelir”. a seguir e assinale a alternativa correta.
B) “sentiu e concebeu demais”.
C) “escreveu em tumulto”. A) Seu lirismo se inscreve dentro da nostalgia romântica,
D) “versalhada”. traduzindo-se na sensação da dor e da insatisfação.
E) “o que se resta”. B) Apesar de cultivar certo satanismo de fantasia, o
tema da morte não permeia os seus versos.
46) (FUVEST / ADAPTADA) Com respeito ao senso crítico de C) Muitos dos seus poemas fazem uso do verso branco
que fala o autor do texto, pode-se dizer que: para melhor traduzir seus inúmeros poemas de
temática indianista.
A) O poeta não citado não possuía o menor senso crítico, D) Azevedo cultivou em alguns dos seus versos a lírica
a julgar pelas suas poesias. trovadoresca, chegando em alguns poemas e versejar
B) Castro Alves possuía pouco senso crítico. em sextilhas.
C) O poeta não nomeado não exercia na realização de E) Seu teatro se caracteriza por serem tragédias de
suas poesias o senso crítico manifesto fora delas. evocações históricas, particularmente sobre o século
D) Entre Gonçalves Dias, Castro Alves e o autor XVI.
subentendido, o que possuiria maior senso crítico é
Castro Alves. 50) Na poesia lírica-amorosa de Castro Alves, observa-se:
E) Dos três poetas referidos é Gonçalves Dias quem
possui o senso crítico mais vivo. A) Uma posição platônica em relação ao amor, sobre o
qual versifica em linguagem racional e contida.
47) (FUVEST) Podemos concluir que o poeta subentendido: B) A idealização da mulher, cantada constantemente
como objeto inacessível ao poeta.
A) É também um poeta romântico. C) A preocupação de ocultar, por meio de excesso de
B) É um relevante secundário, sem qualidades relevan- figuras de linguagem, os mais recônditos desejos do
tes. poeta.
C) É um escritor disciplinado, a despeito do tumulto D) Uma renovação em relação aos seus antecessores,
interior. pela expressão ousada dos impulsos eróticos.
D) Escreveu maior quantidade de bons do que de maus E) A mesma timidez revelada nos devaneios líricos do
poemas. poeta da geração byroniana.
E) Deve ser posterior ao movimento romântico.

COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA


INGLÊS – PROF. LUIS MENESES B) According to the Big Bang Theory, an explosion
caused the formation of the universe.
TEXT C) The universe is made of hydrogen and helium.
D) The universe is more than ten billion years old.
The Big Bang Model is a theory that to explain the
E) N.D.A
12

evolution of the universe. According to this theory, at some


time between ten and twenty billion years ago, all matter and
energy were compressed into a small ball only a few kilometers 56) Marque a correta:
in diameter. It was, in effect, one atom that contained all the The children often ______ in the park look!
components of the entire diameter. It was, in effect, one atom
that contained all the components of the entire universe in the A) are walking – walk
form of pure energy. B) is walking – walks
Then, at a moment in time that astronomers refer to C) walks – are walking
as T = 0 (T equals zero), the bail exploded, hurling every into D) walks – walk
space. Expansion occurred. As the energy cooled, most of it E) walk – are walking
became matter on the from of protons, neutrons, and
electrons. These original particles combined to from hydrogen 57) Marque a correta:
and helium, and continued to expand. This expansion of matter Bob ______ TV when his mother _____ home.b
formed galaxies with stars and planets.
A) watched – was arriving
Choose the correct alternatives according to the text. B) were watching – arrived
C) watched – were arriving
51) The text states that galaxies were formed D) watched – were arriving
E) didn’t watched - arrived
A) The billion years ago.
B) Fifteen billion years ago. 58) Marque a correta:
C) As a result of the expansion of matter.
D) Twenty billion years ago. Black cat and a broken mirror _____ bring good luck.
E) Two billion years ago. My car ____ produce solid waste.
____ modern man believe in old superstitions?
52) The text implies that ____ some gases contribute to air pollution?

A) Energy and matter are the same thing. A) don’t – do – doesn’t – does
B) Protons, neutrons, and electrons are not matter. B) doesn’t – don’t – do – does
C) Energy can be transformed into matter. C) don’t – doesn’t – does – do
D) Galaxies stopped expanding when energy cooled. D) do – don’t – does – doesn’t
E) N.D.A E) does – does – do – don’t

53) The name Big Bang describes 59) Marque a correta:


Many buildings ____ many floors some time ago.
A) The explosion of a ball of compressed energy.
B) Matter in the form of neutrons, protons, and A) didn’t had
electrons. B) has
C) The combination of hydrogen and helium to form C) have
galaxies. D) did not have
D) The hurling of energy into space. E) doesn’t have
E) N.D.A
60) Marque a correta:
54) The Big is a model because
The players hurt ____ during the game.
A) It gives a conclusive explanation for the formations of The boy and girl looked at ____ during the party.
galaxies with stars and planets. I will do ____ test and you will do ____, ok?
B) It explains why hydrogen and helium combine. ____ Tells ____ good stories.
C) Astronomers use it to find time zero.
D) It tries to explain the formations of the universe. A) each other – themselves – your – mine – he – they
E) N.D.A B) themselves – one another – mine – your – they – me
C) themselves – one another – mine – your – they – me
55) The sentence that best summarizes the text is: D) themselves – each other – my – yours – we – them
E) one another – ourselves – mine – hers – he – her
A) The Big Bang Theory does not explain the evolution of
the universe.

COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA


ESPANHOL – PROF. IRISMAR 52) Los verbos de las opciones abajo, sacados del texto,
expresan la idea de cambio. La excepción es:
Lea el texto abajo y conteste a las preguntas.
REDECORAR A) aceptarse.

13
La vida ya no es lo B) operarse.
que era. Toda la vida C) actualizar.
hemos escuchado esta D) redecorar.
melancólica protesta E) rediseñar.
que atribuía al presente
peores condiciones que 53) La finalidad de la búsqueda de transformación está en:
al pasado o que necesi-
taba hacer constar, A) "una redecoración salvadora".
pesarosamente, cuánto B) "un cambio de trabajo".
habían cambiado las C) "una vida para toda la vida".
amables cosas de ayer. Ahora, sin embargo, lo temible es D) "la pesantez de la identidad".
sentirnos inmutados, acechados por la amenaza de la E) "el infierno de la repetición".
mismidad. Por todas partes se atiende a gentes que están
tratando de modificar su vida, rediseñar sus metas, transformar 54) En el eslogan "Ten un hijo, redecora tu vida." (segundo
sus deseos, actualizar sus vicios, revisar su carácter, sus párrafo), el empleo de los verbos en imperativo expresa el
horarios y su decoración interior. propósito de:
Ikea lanzó recientemente un eslogan que decía: "Ten
un hijo, redecora tu vida". O también: "Cásate de nuevo, A) informar.
redecora tu vida". No se puede tener sin cesar la misma casa, B) negar.
pero tampoco al mismo habitante dentro. Redecórate, dice C) autorizar.
Ikea: un hijo, una separación, un cambio de trabajo, una D) protestar.
terapia, un implante de pelo, cualquier giro es urgente para no E) convencer.
sufrir la sensación de estar condenado a estrellarse en el
infierno de la repetición. 55) La forma verbal subrayada que indica la presencia del
La vida, como los demás objetos, grandes y pequeños, autor del texto es:
caros y baratos, ha dejado de ser un bien para siempre. Se trata
de un objeto más y no debe aceptarse, dentro del sistema, una A) "...saben de este oscuro cansancio del yo."
vida para toda la vida. Cada dos por tres se cambia de moda, de B) "...gentes que están tratando de modificar..."
vecinos, de vocación, y el lote se toma como una redecoración C) "No se puede tener sin cesar la misma casa..."
salvadora. La vida en sí misma, la vida a secas, cansa más que D) "Toda la vida hemos escuchado esta melancólica
nunca y es necesario aliñarla, porque pocas veces como hoy se protesta..."
ha sentido más la pesantez de la identidad. La vida sigue E) "...el ideal ahora es llegar a ser uno distinto..."
pareciendo demasiado corta, pero progresivamente más larga
para aguantarse en una sola edición de sí, afrontando la fatiga 56) En el tercer párrafo, frente a las posibilidades de cambio,
de ser una y otra vez el sujeto conocido de los años o la el autor les advierte a los lectores de:
temporada anterior.
Los profesionales de la publicidad, convertidos en los A) la revaloración de los principios del pasado.
exactos psicoanalistas de nuestro tiempo, saben de este oscuro B) la transformación del hombre en objeto de consumo.
cansancio del yo. Frente a la olímpica idea de llegar a ser uno C) los beneficios de la búsqueda de lo pasajero.
mismo, el ideal ahora es llegar a ser uno distinto y en surtida D) la conveniencia del consumo de amenidades.
amenidad. ¿Casarse de nuevo? ¿Redecorar la casa? ¿Operarse E) las ventajas causadas por el consumismo desmedido.
los párpados? ¿Cambiar detónica? ¿Adelgazar diez kilos?
¿Viajar a la Amazonia? ¿Adoptar un niño? ¿Aprender chino? 57) En "Cada dos por tres" se cambia de moda, de vecinos..."
Cualquier cosa antes que prorrogar la fastidiosa monogamia del (tercer párrafo), lo subrayado significa:
yo.
Vicente Verdú. El País, sábado 26 de mayo de 2001
A) cada dos o tres meses.
51) Al considerar la búsqueda de transformación actual como B) en algunas situaciones.
una acción de redecorar, que mezcla y nivela seres C) a lo mejor.
humanos con objetos de adorno, el texto se revela: D) eventualmente.
E) asiduamente.
A) idealizador.
B) crítico.
C) imparcial.
D) arbitrario.
E) omiso.

COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA


58) En "... la pesantez de la identidad" (tercer párrafo) puede REDAÇÃO
entenderse tal identidad como:
A seguir, será apresentado o tema da redação. Examine-o
A) inmutable. com atenção antes de produzir seu texto. Para êxito de seu
B) sencilla. trabalho, considere os seguintes pontos:
14

C) frágil.
D) victoriosa. Seu texto deve ser predominantemente dissertativo;
E) distinta. Reflita bastante sobre o tema e concentre-se nele na hora
de produzir o texto;
59) La identificación entre publicitarios y psicoanalistas se Seja criativo: não use frases feitas e não copie trechos do
debe a que ambos se ocupan de: texto de apoio;
Faça uma revisão cuidadosa do texto antes de passar a
A) los ideales olímpicos de victoria. limpo;
B) las amenidades de la vida. Observe a coerência e a coesão textuais;
C) la transformación interior. Procure fazer um plano argumentativo.
D) los objetos de deseo humanos.
E) la religiosidad humana. PROPOSTA DE REDAÇÃO

60) Señale la opción que no representa un cambio sugerido en


el último párrafo: A falta de limites pode gerar infratores. Os problemas
enfrentados pelos pais aos educarem os filhos e a não
A) perder mucho peso. imposição de limites para as suas atitudes levam ao aumento
B) volver a casarse. do número de adolescentes infratores, que, como qualquer
C) mantener los objetivos. adulto, devem ser punidos por seus atos. Muitas vezes, por
D) renovar otra vez los objetos y adornos de la casa. falta de orientação ou até influenciados pelo meio em que
E) someterse a una cirugía plástica. vivem ou por colegas, eles cometem atos de vandalismo, que,
dependendo da gravidade, pode levá-los a receber punições
graves. O professor Pessoa Neto foi vítima de um ato insano de
adolescentes. Ele foi atingido por uma garrafa de vidro atirada
por um grupo de adolescentes que passou em alta velocidade.

Diante dos fatos demonstrados no texto, o seu


trabalho é produzir um texto dissertativo sobre o seguinte
tema: O crescente número de vandalismo na adolescência.

COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA


TÍTULO:

01_________________________________________________________________________________

15
02_________________________________________________________________________________
03_________________________________________________________________________________
04_________________________________________________________________________________
05_________________________________________________________________________________
06_________________________________________________________________________________
07_________________________________________________________________________________
08_________________________________________________________________________________
09_________________________________________________________________________________
10_________________________________________________________________________________
11_________________________________________________________________________________
12_________________________________________________________________________________
13_________________________________________________________________________________
14_________________________________________________________________________________
15_________________________________________________________________________________
16________________________________________________________________________________
17_________________________________________________________________________________
18_________________________________________________________________________________
19_________________________________________________________________________________
20_________________________________________________________________________________
21_________________________________________________________________________________
22_________________________________________________________________________________
23_________________________________________________________________________________
24_________________________________________________________________________________
25_________________________________________________________________________________
26_________________________________________________________________________________
27_________________________________________________________________________________
28_________________________________________________________________________________
29_________________________________________________________________________________
30_________________________________________________________________________________

COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA