Você está na página 1de 25

Programa (Sugestão

):
Primeira Aula: Apresentação e Características
(transp. 1 a 5)
Segunda Aula: Regulagem Mecânica (transp. 6 a 9)
Terceira Aula: Regulagem Mecânica (transp. 10 a 13)
Quarta Aula: Regulagem Elétrica (transp. 15 a 17)
Quinta Aula: Regulagem das Portas de Pavimento
e Manutenção Preventiva
(transp. 18 a 25)
Tempo Total: de acordo com o desenvolvimento da
turma
Sugestão: 10 alunos por turma

Desenvolvimento de Recursos Humanos
Centro de Treinamento e Desenvolvimento

1

Apresentação e Características do Operador
de Portas QKS-9
?O QKS-9 é um operador de portas de tecnologia Schindler.

?Aplicado em portas simultâneas laterais e centrais de 800 até 2400mm.

?Ele é derivado do operador de portas QKS-6B.

?Utilizado nos comandos: Relematic, Miconic E, Miconic HS, Miconic LX, SX, TX,
Miconic 10 (Plus).

?Acionado por polias e correias através de um motor com enrolamento para
220/380Vca e um enrolamento de 80Vcc que serve para reduzir a velocidade, no
final do fechamento e início e final da abertura.

2

KBT2-O.Apresentação e Características do Operador de Portas QKS-9 ?Durante a viagem o motor do operador fica desligado e o fechamento das portas é conseguido com a utilização de um freio magnético (MGH) acoplado ao eixo do motor. 3 . KBT-S) e de resistências (WBT. ?O motor possui um contato térmico (KTHMT) que em caso de atuação não permite o fechamento das portas de cabina. cada porta possuirá seu próprio arraste e trinco. ?O controle de velocidade é conseguido com a utilização de contatos (KBT-O. ?Quando da utilização com abertura central.WVT).

MGH KBT-O KBT2-O KBT-S KET-S KMT-A KTC KET-O 4 .

Qual o nome e a tensão do freio magnético? Qual o nome e função? 5 .

a folga entre os painéis ou entre painéis e batente. Regulagem Mecânica 1º através das suspensões (1) podemos regular: . . .o prumo dos painéis.a altura dos painéis (folhas de porta). que deve ser de 4 a 5mm em relação a soleira. 1 6 . Obs.: conferir a existência de uma arruela dentada de cada lado da suspensão. folga esta que deverá estar entre 1 e 2mm.

é conseguido através da chapa (2). Regulagem Mecânica 2º o tensionamento das três correias (1) da polia de manivela. 1 3 5 2 4 7 . Porém antes. devemos soltar a porca (5) de fixação do eixo da polia intermediária. localizada entre o eixo (3) da polia intermediária (4) e o suporte desta. Esta chapa é utilizada como uma chave (alavanca).

Freio MGH 1 2 8 . 4º após a regulagem verificar o alinhamento das polias. Regulagem Mecânica 3º a regulagem da tensão da correia (1) da polia intermediária é realizada através do parafuso com borrachas (2) do suporte do motor de porta.

Onde e como é regulado o prumo das portas? Como se regula a pressão das correias? 9 .

Regulagem Mecânica 5º afastar os contatos KTC. o suficiente para evitar que os mesmos não se danifiquem durante a regulagem. KMT-A e KBT2-O. 10 .

deve-se fechar a porta manualmente até comprimir a mola do tirante (1). 1 2 11 . Regulagem Mecânica 6º para a regulagem do fechamento das portas. Neste momento. a polia de manivela terá que ficar ultrapassando em 3mm (2) o ponto horizontal (ponto morto).

Na porca (2) regula-se a subida da régua “D” (3) (porta de abertura central) ou alavanca de acionamento (porta de abertura lateral). 1 2 3 12 . Regulagem Mecânica 7º a regulagem anterior é conseguida através do aperto da porca ”y” (1).

até conseguir que o(s) arraste(s) fique(m) com uma medida externa de 80mm (2). 1 2 80mm 13 . Regulagem Mecânica 8º regular o tirante com roscas contrárias (1). com as portas fechadas e a polia de manivela no ponto morto.

Qual a distância do arraste com o mesmo fechado? ? 14 .

deve ficar com 6cm de distância da chapa de acionamento. 15 . regular o contato KMT-A (contato que desliga o motor de porta no fechamento) de forma que a polia de manivela pare no ponto morto. o contato KBT2-O (contato de frenagem no início da abertura). Regulagem Elétrica 1º com a porta de cabina fechada: regular o contato KTC (contato de porta de cabina) para que o mesmo tenha um sobrecurso de 3mm.

diminuindo a velocidade final.:a regulagem da velocidade nominal é conseguida através do resistor WVT. 3º regular o contato KBT-O (contato de frenagem no final da abertura) a aproximadamente 1/3 da abertura da porta. Obs. Regulagem Elétrica 2º regular o contato KBT-S (contato de frenagem no final do fechamento) a aproximadamente 1/3 do final do fechamento. e a regulagem da velocidade no final do fechamento bem como no início e final da abertura é através do resistor WBT. 16 .

Qual o defeito apresentado se o KBT2-O não for acionado? Qual a função do contato KMT-A? 17 .

: manter a calha “J” limpa de qualquer sujeira e não lubrificar as suspensões. Calha “J” 1 18 . Obs. mantendo uma folga de aproximadamente 5mm em relação a soleira. Regulagem das Portas de Pavimento 1º aprumar os painéis através das suspensões (1). e de 8mm entre os painéis.

quando a porta estiver totalmente fechada. 2 1 19 . 3º deixar uma folga de 2 a 3mm. Regulagem das Portas de Pavimento 2º regular o trinco (1) até que a ponta fique encostada na borracha batente (2). 4º deixar o contato KTS (contato de porta de pavimento) com um sobrecurso de 2mm. no sentido horizontal.

Regulagem das Portas de Pavimento 5º ajustar a distância máxima entre os rolos para 106mm. 6º posicionar os rolos de forma que com o arraste fechado (80mm). fique o lado móvel com uma folga de 8mm e o lado fixo com 10mm de folga. 20 . Obs. 7º regular os rolos para avançarem para dentro arraste em 9mm. com a porta de pavimento destravada.: as medidas são uma base para orientar o técnico na regulagem.

sempre trabalhe com o equipamento desenergizado. 21 . Mantenha as portas prumadas e trabalhando de forma silenciosa. Remova qualquer sujeira da calha “J” e evite a lubrificação das roldanas (suspensões). localizada junto ao operador. pois irá provocar a sua falha e posterior quebra. Observe atentamente os contatos. Verifique a pressão das correias e regularize quando necessário. desligando a chave JRET. principalmente o KBT-O e KBT-S. esta é uma das formas de qualidade percebida pelo cliente. quanto a enforcamento. Manutenção Preventiva Não corra riscos desnecessários. Evite chamados e valorize o seu trabalho: mantenha o operador limpo.

para não danificar a mesma. Durante a regulagem do percurso das portas de cabina. o próximo a utilizá-lo pode ser você. 22 . retire momentaneamente a ponte de contato KTC. lubrifique as suas articulações e aproveite para observar se os pesos não estão travados ou com ruídos. Manutenção Preventiva Verifique regularmente o aperto dos parafusos das suspensões. infelizmente existem usuários que “seguram “ as portas com os pés. Jamais ponteie os contatos do operador. apesar de estarem “lá embaixo” também fazem parte do equipamento. Em portas de abertura laterais. Não esqueça de verificar as corrediças das portas de cabina e pavimentos.

Nomenclatura KTC: contato de porta de cabina KTS: contato de porta de pavimento KET-O: contato de porta de cabina aberta KET-S: contato de limite de porta fechada em repouso KBT-O: contato de frenagem no final da abertura KBT-S: contato de frenagem no final do fechamento KBT2-O: contato de frenagem no início da abertura de porta KMT-A: contato que desliga o motor de porta (porta fechada) KSKB: contato limitador de força da porta 23 .

Nomenclatura KSPT: contato de bloqueio da abertura de porta (localizado no interior do arraste) KTHMT: contato térmico do motor do operador JRET: interruptor do operador MT: motor de porta MGH: freio de retenção do motor BIT: enrolamento do motor para frenagem (80Vcc) WBT: resistência de frenagem da porta WVT: resistência para regulagem da velocidade da porta 24 .

Instruções Técnicas ?IT 0994 .QK8. QKS8. QKS9: Contato Limitador de Força KSKB 25 .