Você está na página 1de 36

Disciplina: Projeto de Ferramentais I

Aula 04: Processos de Fundição em Moldes Metálicos por Gravidade (Coquilhas)


01: Introdução
- Características do processo
- Etapas envolvidas.
- Fatores econômicos e tecnológicos
- Ligas empregadas
02: Coquilhas e Máquinas Coquilhadeiras
- Coquilhas Manuais
- Coquilhas movimentadas mecanicamente
- Máquinas coquilhadeiras – simples, de grande porte e com sistema de basculamento.

03: Projeto de Coquilhas


- Requisitos principais.
- Fatores a serem considerados
- Materiais para os moldes.
- Aspectos construtivos dos moldes.
- Revestimento dos moldes.
- Temperaturas das coquilhas
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Fundição em Moldes Metálicos “Permanentes” por


Gravidade.

• Processo que utiliza o vazamento do metal líquido por gravidade em


molde metálico de duas ou mais partes

• Usado repetidamente para a produção de muitas peças.

• Os moldes utilizados são denominados “Coquilhas”

• As “Coquilhas” podem ser movimentadas manualmente (quando de


pequeno porte) ou mecanicamente usando-se Máquinas Coquilhadeiras.
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

ETAPAS ENVOLVIDAS NO PROCESSO:

1. O molde é pintado com pincel ou spray nas superfícies que


entrarão em contato com o metal líquido (aquecidas a
temperaturas na faixa de 120-2600C).

2. Machos, se usados, são inseridos, e o molde é fechado manual


ou mecanicamente.

3. Vazamento da liga e enchimento do molde.

4. Após solidificação da peça: abertura do molde e extração dos


machos

5. Remoção dos canais e massalotes e operações de acabamento


das peças.
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Características das peças obtidas:

– Melhor Acabamento Superficial.

– Maior Precisão Dimensional.

– Estrutura com grão mais finos em comparação com as


peças fundidas em areia.

– Propriedades Mecânicas Superiores.


Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Molde = Coquilha : pode produzir de 10.000 até 120.000 peças

Fatores que influenciam na vida útil de uma coquilha:

– liga utilizada

– tamanho e complexidade da peça

– material usado na sua fabricação

– revestimento aplicado
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Fatores Econômicos

• Processo que envolve um alto custo inicial.


Máquina Coquilhadeira + Moldes

• No caso da necessidade de utilização de Machos:

• Desejável e mais econômico o uso de machos de aço para


formar as cavidades das peças.

• Quando a peça possui detalhes e


reentrâncias que não permitem a extração ⇒ Molde
dos machos metálicos, se faz necessário Semi-Permanente
o uso de machos de areia.
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Fatores Econômicos
Em que situações se justifica a utilização do processo?

• Quantidade de peças a produzir é alta (entre 400 a 5000


unidades)

• Altas produções.

• Mão de obra menos especializada.

• Redução no peso da peça.

• Redução na usinagem

• Melhor acabamento.
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Fatores Tecnológicos:
• Normalmente são produzidas peças entre 10 e 50Kg.

• Peças grandes e complexas dificultam o manejo do molde e


necessitam grande número de machos.

Opção pela utilização de Moldes de Areia.

Ligas de Alumínio = 14Kg


Peso Máximo
por Liga Ligas de Cobre = 10 Kg

Ligas de Ferro = 50 Kg
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Moldes ⇒ Coquilhas

Coquilha Manual confeccionado com blocos simples para peças


finas
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Moldes ⇒ Coquilhas

Coquilha Manual deslizante sobre placa base para peças mais


espessas
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Máquinas Coquilhadeiras

Coquilhadeira Automática com acionamento hidraúlico


Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Máquina Coquilhadeira
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Máquina Coquilhadeira de Grande Porte


Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Máquina Coquilhadeira com Sistema de Basculamento


Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Regras Gerais de Projeto das Peças:

• Desenho da peça não deve ser complexo.

• Seções devem ser uniformes.

• Evitar cantos vivos.

• Evitar machos (metálicos ou de areia).

• Espessura mínima em torno de 3mm.

• Usar nervuras para evitar paredes pesadas.


Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Projeto dos Moldes:

Requisito Principal: o molde deve extrair calor do metal líquido a um


determinada velocidade.

Princípios Básicos Aplicados:

• Necessidade de resfriamento com água

• Controle da direção do fluxo de calor ⇒ uso de materiais


e recobrimentos com diferentes capacidades de extração
do calor.
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Requisitos Principais dos Moldes:

• Devem resistir aos esforços de manuseio e apresentar a maior


vida útil possível

Utilização de materiais resistentes e cuidados na fabricação.

• Devem extrair calor do metal líquido a uma determinada


velocidade

Necessidade de sistemas de resfriamento.


Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Projeto do Molde

Fatores a serem considerados:

– Vida útil relativamente longa

– Precisão dimensional da cavidade

– Necessidade de altas velocidades de produção


Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Aspectos do projetos dos moldes relacionados com suas


funções metalúrgicas e de engenharia

- Sistema de canais de enchimento

- Sistema de alimentação (massalotes)

- Detalhamento dos aspectos operacionais


Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

• Fatores importantes no projeto de moldes


para processos intermitentes:

– Temperaturas máxima e mínima da face do molde durante o


ciclo

– Magnitude dos gradientes de temperatura através das paredes dos


moldes

– Freqüência de repetição do ciclo de produção


Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

• Consequências do aquecimento e das variações de


temperaturas:

- Diferentes expansões em função da formação de gradientes de


temperaturas


Empenamentos ou fissuras nas faces devido Fadiga Térmica

- Variações microestruturais em função de aquecimentos


prolongados ou reações químicas
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

• Objetivos do controle de temperatura do molde:

– Garantir uma utilização segura ⇒ retirada da umidade

– Obter fundidos com superfícies lisas ⇒ temperaturas ótimas 200-


3500C

– Promover direção e velocidades de solidificação ótimas

– Obter uma vida útil mais longa


Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Materiais para Moldes:

Fatores determinantes da escolha do material:

• Tipo de liga a ser vazada.

• Quantidade de peças a serem produzidas.

• Condições operacionais.

Ferro Fundido
Materiais
Utilizados Aço H13 Temperado

Cobre - Cromo
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Recomendação de Materiais para Coquilhas segundo a AFS

Número de Vazamentos
Tamanho da
Peça 1000 10000 100000

Pequena FoFoCinzento FoFoCinzento FoFoCinzento c/


Menor que 25mm H11 insertos de H14

Médias e Grandes FoFoCinzento FoFoCinzento FoFoCinzento


até 900mm H11, H13, H14
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Propriedades Importantes em
Materiais para Coquilhas:

• Facilidade de Usinagem.

• Estabilidade Dimensional.

• Boa Difusividade Térmica.

• Resistência a trincas e fissuras por Fadiga Térmica


Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Ferramental para Fundição por Gravidade


Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Coquilha Basculante – Sistema Tilt


Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Peça fundida
em Coquilha
“Carter”
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Cilindro mestre Tabela de basketball

Dois exemplos de peças fundidas em coquilha, ambas


usando a liga 356 Al7Si0,3Mg
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Revestimentos dos Moldes (Coquilhas)


Composição Química:

• Silicato de Sódio: como ligante.

• Água: como solvente.

• Grafite coloidal, vermiculita, óxido de alumínio, argila e outros


ingredientes.

Aplicação: pistola na cavidade da peça e com pincel (base


isolante para massalotes).

Obs.: Quando a camada é espessa ⇒ taxa de resfriamento lenta


(ação isolante).
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Revestimentos dos Moldes (Coquilhas)

Sequência Operacional:

• Limpeza da cavidade por jateamento⇒ melhor aderência da


tinta.

• Aquecimento do molde a ≈ 1500C


• Aplicação de quantas camadas forem necessárias (em função
do efeito de isolamento desejado).

Obs.1: Uma aplicação bem feita pode ser usada continuamente


por 24h dependendo do desenho da peça.

Obs.2: Recomenda-se a remoção completa e a repintura do


molde em vez da realização de reparos.
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Principais Funções das Tintas para Coquilhas

• Controlar o gradiente de temperatura ⇒ solidificação direcional


ótima e peças isentas de rechupes.

• Controlar o fluxo de metal para assegurar que o metal atinja


todas as partes da coquilha com a temperatura necessária a não
ocorrência de “juntas frias”.

• Facilitar a extração da peça.

• Garantir um bom acabamento na peça.

• Garantir uma maior vida útil do molde (evita soldagem do metal


no molde)

• Reduzir o choque térmico.


Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Meios para alterar o Resfriamento das Peças

• Situação Ideal ⇒ garantir a solidificação direcional.

• Quando isto não é possível:

• Usar resfriadores de Cobre ou Aço

• Circulação de água.

• Uso de aquecimento localizado.

• Uso de tintas isolantes.


Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Temperatura da Coquilha
• Em fundição de Ligas de Alumínio ⇒ 300-3500C.
• Consequências de Temperaturas muito Altas:

• Maior formação de rebarbas.

• Menor produção.
• Redução nas propriedades mecânicas das peças.

• Maior tendência a rechupes.

• Menor vida útil do molde.


• Consequências de Temperaturas muito Baixas:
• Geração de solda fria nas peças.
• Redução na capacidade de alimentação
Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Variáveis que afetam a Temperatura da Coquilha

• Quantidade de metal vazado.

• Formato da peça.

• Espessura de parede da coquilha.

• Freqüência dos vazamentos.

• Tipo e espessura dos revestimentos (tintas).


Disciplina: Projeto de Ferramentais I
Processos de Fundição em Coquilhas
Professor: Guilherme O. Verran

Fatores que afetam a Temperatura de Vazamento

• Tamanho e forma da peça.

• Revestimento do molde.

• Sistema de resfriamento.

• Sistema de canais.