Você está na página 1de 6

DEPARTAMENTO DE MEDICINA VETERINÁRIA

SEMIOLOGIA (GMV-116)

CLASSIFICAÇÃO DE LESÕES DERMATOLÓGICAS


Prof. Carlos Artur Lopes Leite
Universidade Federal de Lavras
Departamento de Medicina Veterinária
Setor de Clínica de Pequenos Animais

1 – CONCEITO

- As lesões dermatológicas precisam ser corretamente identificadas para a


realização de diagnóstico preciso (ou mesmo a seleção de diagnósticos
diferenciais).

- Essas lesões podem ser classificadas em três tipos básicos: primárias, secundárias
e mistas.

- As lesões primárias se desenvolvem espontaneamente e são resultantes diretas


da doença ou distúrbio. Constituem a expressão mais fiel do processo doentio pelo
qual passa o paciente. Infelizmente, são altamente fugazes e não muito simples de
serem percebidas.

- As lesões secundárias advêm da progressão natural das lesões primárias, de


uma infecção secundária, do ato de se coçar (automutilação) ou da ação de
medicamentos (iatrogenismo).

- As lesões mistas podem ser primárias ou secundárias, porém se alteram de


acordo com a dermatose que as acompanha.

2 – LESÕES PRIMÁRIAS

- Classificação das lesões primárias:

CARACTERÍSTICA LESÃO
Eritema
Modificações
Púrpura (Petéquia / Equimose / Sufusão)
da cor
Mácula / Mancha
Pápula / Placa / Urticária
Lesões
Nódulo / Tumor / Cisto
sólidas
Vegetações / Verrucosidades
Lesões preenchidas Vesícula / Bolha
por líquidos Pústula

- Eritema: expressa por uma vermelhidão da pele, localizada ou difusa, revelando


uma vasodilatação dérmica superficial. Quando pressionada, desaparece
momentaneamente.
- Púrpura: zona avermelhada que, quando pressionada, não se apaga ou
desaparece. Pode ser do tipo puntiforme (Petéquias) ou difuso (Equimoses).

- Mácula: lesão plana com alteração da pigmentação (hiper ou hipopigmentação) e


tamanho inferior a 1cm. Quando acima de 1cm, recebe o nome de Mancha.

- Pápula: lesão pequena, circunscrita, elevada, com diâmetro entre 1 a 3mm.


Quando assume tamanho acima de 3mm, recebe o nome de Placa ou Urticária.

- Nódulo: massa de consistência firme, circunscrita, com até 1cm de diâmetro e que
envolve camadas mais profundas da pele. Se ultrapassar este tamanho, recebe o
nome de Tumor. Uma lesão tumoral cavitária, limitada por um epitélio e preenchida
por líquido ou tecido, recebe o nome de Cisto.

- Vegetações: são lesões elevadas, frequentemente de aspecto tumoral, e que


correspondem à hipertrofia tegumentar. Já as verrucosidades são formações
irregulares de maior tamanho que a vegetações.

- Vesícula: lesão elevada, dentro ou fora da epiderme, em forma de cúpula ou


domo, circunscrita e de pequeno tamanho (até 1cm), contendo uma coleção de
líquido claro. Quando de diâmetro superior a 1cm, recebe o nome de Bolha.

- Pústula: lesão elevada, restrita à epiderme, circunscrita, de conteúdo purulento e


com tamanho de até 1cm. São divididas em Pústulas Não-foliculares e Pústulas
Foliculares, dependendo do acometimento da unidade pilo-sebácea.

3 – LESÕES SECUNDÁRIAS

- Classificação das lesões secundárias:

CARACTERÍSTICA LESÃO
Produções Colarete epidérmico
anormais Crosta
Erosão / Escoriação
Perda de substância
Fissura / Ragádia
Esclerose
Atrofia
Liquenificação
Conservação da integridade Hiperpigmentação / Hipopigmentação
da superfície cutânea Acromia / Leucodermia
Hiperceratose / Leucoplasia
Cicatriz
Calo

- Colarete Epidérmico: borda de descamação aproximadamente circular resultante


da evolução de uma vesícula, pústula ou bolha.

- Crosta: camada seca e aderente composta por células epiteliais em associação


com sangue, soro, pelos, sujidades diversas e pus. Normalmente ocorre após
ruptura de uma lesão primária preenchida por líquidos.
- Erosão: perda celular superficial que acomete apenas a epiderme. Também
chamada de exulceração. Quando a erosão é causada pelo traumatismo, recebe o
nome de Escoriação.

- Fissura: perda linear da epiderme e derme, no contorno de orifícios naturais ou em


áreas de pregas ou dobras da pele. Também é conhecida como Ragádia.

- Esclerose: corresponde à condensação (fibrose) de certos elementos constitutivos


da pele (colágeno, fibras elásticas). A pele pode estar espessada ou adelgaçada.

- Atrofia: exprime a rarefação de elementos dérmicos, com diminuição da espessura


da pele. Ocorre por redução do número e volume dos constituintes teciduais.

- Liquenificação: lesão que corresponde ao espessamento da pele com acentuação


dos sulcos cutâneos, revelando aspecto quadriculado, de malhas poligonais bem
definidas. Ocorre por aumento da camada malpighiana.

- Hiperpigmentação: corresponde ao aumento de melanina epidérmica e/ou


dérmica, podendo ser localizada ou difusa.

- Hipopigmentação: corresponde à diminuição de melanina epidérmica e/ou


dérmica, podendo ser localizada ou difusa.

- Acromia: ausência do pigmento melânico na derme, também conhecida como


Leucodermia.

- Hiperceratose: é o espessamento da pele decorrente do aumento da camada


córnea. A pele torna-se áspera, inelástica, dura e de coloração acinzentada. É
denominada Leucoplasia, quando ocorre em mucosas.

- Cicatriz: lesão lisa, plana, saliente ou deprimida, sem os sulcos, poros e pelos,
móvel, aderente ou retrátil. Associa atrofia com fibrose e discromia. É resultante da
reparação de processo destrutivo da pele.

- Calo: advém do processo de Calosidade, que é uma situação de hiperceratose


circunscrita em áreas de pressão ou fricção corporal.

4 – LESÕES MISTAS

- Classificação das lesões mistas:

CARACTERÍSTICA LESÃO
Escama / Caspa
Produção anormal
Comedão / Cisto Folicular
de ceratina
Cilindro Folicular
Perda de substância Alopecia
ou de pelos Úlcera

- Escama: película esbranquiçada ou acinzentada e que corresponde à perda de


elementos da camada córnea. O termo Caspa também é utilizado como sinonímia,
porém sendo mais empregado na área dermatológica humana.
- Comedão: trata-se de um folículo piloso dilatado por acúmulo de ceratinócitos e
sebo. Pode apresentar coloração escura (se oxidado) ou clara (lesão “imatura”).
Quando este acúmulo de sebo e detritos foliculares aglomeram os pelos e formam
uma lesão aglutinante, dá-se o nome de Cisto Folicular.

- Cilindro Folicular: acúmulo de ceratina e material folicular na haste pilosa.

- Alopecia: exprime uma rarefação (ou ausência) de pelos, seja pela redução do
comprimento ou número de hastes pilosas. Toda alopecia possui causa patológica;
quando for de origem fisiológica, esta redução pilosa recebe o nome de Epilação.

- Úlcera: perda profunda de substâncias e que atinge a derme/hipoderme.


Invariavelmente leva à formação de Cicatriz.

5 – CONSIDERAÇÕES

- As lesões tegumentares vão ocorrer dependendo do grau de agressão e da


evolução do distúrbio. Assim, de uma forma geral, pode-se dividir dermatopatias
agudas de crônicas de acordo com as lesões apresentadas:

TIPO DE DERMATOPATIA
CARACTERÍSTICA
AGUDA CRÔNICA
Lesões predominantes Primárias Secundárias ou mistas
Espessamento de pele Ausente Presente
Hiperpigmentação Ausente Presente
Exsudação Reduzida ou Acentuada Ausente ou Reduzida
6 – ILUSTRAÇÕES

PELE NORMAL CICATRIZ CROSTA

ESCAMA ESCORIAÇÃO FISSURA

HIPERCERATOSE HIPERPIGMENTAÇÃO LIQUENIFICAÇÃO


MÁCULA NÓDULO PÁPULA

PÚSTULA TUMOR ÚLCERA

VESÍCULA URTICÁRIA