Você está na página 1de 53

@eng.

jmuriloreis
@upgrade.slz_

Curso de Formação:
Orçamentista de Obras
& Consultor em Licitações
Me sigam!!

Eng.jmuriloreis@gmail.com (98) 98806-0809


Quem é
Murilo Reis?
Quem é Murilo Reis?

•Engenheiro Civil (2003)


•Mestrando em Saneamento Ambiental

•Especialista:
•Eng. de Segurança do Trabalho
•Eng. de Produção
•Eng. Ambiental
•Eng. de Avaliações e Perícias

Eng.jmuriloreis@gmail.com (98) 98806-0809


Quem é Murilo Reis?

Engenheiro Civil 8 h (2007)

Docente (2012)

Consultor (2015)
Quem é Murilo Reis?

•Representante Estadual da ANEAC

•Conselheiro Suplente

•Vice-Presidente do SENGE-MA
Organizador da
Corrida do Dia do engenheiro

(98) 98806-0809
Quem era
Murilo Reis
em 2003?
Último ano da faculdade de engenharia
Quem ERA Murilo Reis ESTUDANTE?
Orçar bem uma obra
é uma preocupação

Bíblica!
Objetivo da
Orçamentação
Determinar os custos prováveis
de execução de uma obra:

Todo orçamento é uma


estimativa.
O custo real somente
é obtido com a obra
finalizada.
Fatores que
definem o
custo final
da Obra

1. Insumos utilizados na Obra


Fatores que
definem o
custo final
da Obra
Exemplo: Orçar piso em placa
cerâmica esmaltada alto brilho
PEI IV tipo A 45 x 45 cm
Fatores que
definem o
custo final
da Obra

2. Produtividade obtida na Obra


Produtividade:
Quantidade de
serviço executado
por um
trabalhador ou
equipamento por
unidade de tempo.
Fatores que definem o
custo final da Obra
3. Consumo real dos Insumos
Fatores que
definem o
custo final
da Obra

4. Influências externas (chuvas, greves...)


Fatores que
definem o
custo final
da Obra

5. Distâncias e tipos de transporte utilizados


A importância
da visita no
local da Obra
Fatores que
definem o
custo final
da Obra

6. Incidência dos Tributos


Fatores que definem o
custo final da Obra

7. Custos Indiretos
Utilidades da
Orçamentação
1. Levantamento dos materiais
(Curva ABC)
Utilidades da
Orçamentação
2. Obtenção de índices
para gerenciamento
Utilidades da
Utilidades da
Orçamentação
3. Dimensionamento de equipes
Orçamentação
2. Obtenção de índices para
acompanhamento
3. Dimensionamento de equipes
4. Geração de cronogramas
5. Análise de viabilidade
Utilidades da
Orçamentação
4. Geração de Cronogramas
Utilidades da Orçamentação
Utilidades da Orçamentação
• Levantamento dos materiais (Curva ABC)
Obtenção
5. •Análise de de índices para acompanhamento
• Dimensionamento de equipes
Viabilidade
• Geração de cronogramas
• Análise de viabilidade
Quem é o
Orçamentista?

Profissional Habilitado responsável pelo Orçamento


Quais habilidades e competências
deve ter o Orçamentista?
Quais habilidades e competências
deve ter o Orçamentista?

1. Leitura e interpretação de
Projetos, editais e
contratos:
a. Critério de Medição, prazo,
jornada de trabalho
Quais habilidades e competências
deve ter o Orçamentista?

2. Experiência de Obra
Quais habilidades e competências
deve ter o Orçamentista?
3. Conhecer o local da Obra
a. Vias de acesso
b. Disponibilidade de
insumos
Quais habilidades e competências
deve ter o Orçamentista?
4. Conhecer o planejamento
da Obra
O que é necessário para
Orçar uma Obra?

O que é necessário para orçar


uma obra?
Projetos!
Projeto não é só planta!
Especificações Técnicas!
Quanto mais detalhado for
oProjetos
projeto, maior a precisão!
• Quanto Mais Detalhado e mais completo for um
Projeto, menor a possibilidade de erro!
Sugestão: Série
de Tv para
Engenheiros!
Porém nossa lei...
Art. 7° Lei 8666/93
§ 2o As obras e os serviços
somente poderão ser licitados
quando:
I - houver projeto básico
aprovado pela autoridade
competente e disponível para
exame dos interessados em
participar do processo
licitatório;
E o que a lei chama de Projeto Básico (Art.6°)

Conjunto de elementos necessários e


suficientes, com nível de precisão adequado,
para caracterizar a obra ou serviço objeto da
licitação, e que possibilite a avaliação do custo
da obra e a definição dos métodos e do prazo de
execução.

Resolução 361 CONFEA: Estabelece erro


tolerável de 15%
Parcelas do
Orçamento
de uma
Obra
Parcelas do Orçamento de uma
Obra

Custos Custos BDI:


Diretos Indiretos
(Serviços): (Suporte) B = Lucro
DI = Despesas
Insumos Indiretas
Roteiro para Orçamento de uma
Obra

Custos Custos
Diretos: BDI:
Indiretos:
1. Identificação 4. Identificação 6. Determinação
dos serviços 5. Mensuração
(EAP)
2. Levantamento
de quantidades
3. Cálculo do
custo Unitário
Erros de
Orçamento
Subestimar o
Valor da Obra:

1. Redução
do Lucro
2. Obras
Paralisadas
Superestimar o
Valor da Obra:
1. Corrupção
2. Perda de
espaço para
concorrência
@eng.jmuriloreis
@upgrade.slz_

Fim da Aula 01