Você está na página 1de 5

DIREITO DO TRABALHO

CASO 01

1 QUESTÃO

Considere a situação hipotética na qual um obreiro com vínculo laboral de dez meses percebeu o
piso remuneratório legal. Referido obreiro tinha jornada semanal de vinte e uma horas, com
intervalo legal para tal jornada, e folga aos finais de semana. Acerca do exposto e de acordo com o
que estabelece a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e o Tribunal Superior do Trabalho
(TST), julgue os itens subsecutivos. Independentemente da quantidade de horas laboradas na
semana, o obreiro terá direito a trinta dias de férias após doze meses de labor.

R. INDEPENDENTE DA QUANTIDADE DE HORAS TRABALHADAS, O EMPREGADO


TERÁ DIREITO A 30 DIAS DE FÉRIAS APÓS 12 MESES DE LABOR. LEI 13509/2017

QUESTÃO OBJETIVA:

Acerca das férias, assinale a opção correta.

a) A indenização pelo não deferimento das férias no tempo oportuno deve ser calculada com base no
salário-base devido ao empregado na época da reclamação, ou, se for o caso, na época da extinção
do contrato.

b) O abono de férias, instituto que equivale ao terço constitucional de férias, é direito irrenunciável
pelo empregado e independe de concordância do empregador.

c) Por serem do empregador os riscos do empreendimento, ocorrendo rescisão do contrato de


trabalho por falência do empregador, são devidas ao empregado férias proporcionais, ainda que
tenha trabalhado na empresa menos de um ano.

d) As faltas ou ausências decorrentes de acidente do trabalho não são consideradas para efeito de
duração de férias; para o cálculo da gratificação natalina, sim.

e) O empregado perde o direito a férias caso goze de licença não remunerada por período de até
trinta dias.

CASO 02

Os irmãos Pedro e Júlio Cesar foram contratados como empregados pela sociedade empresária Arco
Doce S/A e lá permaneceram por dois anos. Como foram aprovados em diferentes concursos
públicos da administração direta, eles pediram demissão e, agora, com a possibilidade concedida
pelo Governo, dirigiram-se à Caixa Econômica Federal (CEF) para sacar o FGTS. Na agência da
CEF foram informados que só havia o depósito de FGTS de 1 ano, motivo por que procuraram o
contador da Arco Doce para uma explicação. O contador informou que não havia o depósito porque,
no último ano, Pedro afastara-se para prestar serviço militar obrigatório e Júlio Cesar afastara-se
pelo INSS, recebendo auxílio-doença comum (código B-31).

Diante desses fatos, responda se a sociedade empresária agiu corretamente .


R. A sociedade empresária tem razão na justificativa de Júlio Cesar, mas está errada em relação a
Pedro.

QUESTÃO OBJETIVA:

Um aprendiz de marcenaria procura um advogado para se inteirar sobre o FGTS que vem sendo
depositado mensalmente pelo empregador na sua conta vinculada junto à CEF, na razão de 2% do
salário, e cujo valor é descontado juntamente com o INSS. Com relação ao desconto do FGTS,
assinale a afirmativa correta.

a) O FGTS deveria ser depositado na ordem de 8% e não poderia ser descontado.

b) A empresa, por se tratar de aprendiz, somente poderia descontar metade do FGTS depositado.

c) A empresa está equivocada em relação ao desconto, pois o FGTS é obrigação do empregador.

d) A conduta da empresa é regular, tanto em relação ao percentual quanto ao desconto.

CASO 03

As irmãs Rita e Tereza trabalham para o mesmo empregador. Quando Rita engravida, Tereza, que
não pode ter filhos naturais, resolve adotar uma criança. Assim, logo após o nascimento da filha de
Rita, Tereza adota uma criança de 6 meses de idade. Considerando a situação hipotética e de acordo
com as leis vigentes, responda: Rita e Tereza gozarão de estabilidade?

R. Gabarito (A).

A questão buscou saber se o estudante estava atento à diferença entre “licença-


maternidade ”e“ estabilidade de emprego da gestante”. A empregada que adota uma
criança tem direito à licença-maternidade (CLT, art. 392-A), mas não à estabilidade (ADCT,
art. 10, II, b). Já a empregada que dá à luz tem direito tanto à licença, quanto à
estabilidade da gestante. Percebam que o pressuposto para a estabilidade é a gestação.

Por fim, ressalto que antigamente havia uma proporcionalidade da licença-maternidade


em face da idade da criança (§§ 1º a 3º do art. 392-A da CLT). Essa proporcionalidade foi
revogada em 2009, e desde então a licença-maternidade é de 120 dias, regra geral,
independente da idade da criança adotada.

QUESTÃO OBJETIVA:

Após ter sofrido um acidente do trabalho reconhecido pela empresa, que emitiu a competente CAT,
um empregado afastou-se do serviço e passou a receber auxílio-doença acidentário. Sobre a situação
descrita, em relação ao período no qual o empregado recebeu benefício previdenciário, assinale a
afirmativa correta.
a) A situação retrata caso de suspensão contratual e a empresa ficará desobrigada de depositar o
FGTS na conta vinculada do trabalhador.

b) Ocorrerá interrupção contratual e a empresa continua com a obrigação de depositar o FGTS para
o empregado junto à CEF.

c) Ter-se-á suspensão contratual e a empresa continuará obrigada a depositar o FGTS na conta


vinculada do trabalhador.

d) Haverá interrupção contratual e a empresa estará dispensada de depositar o FGTS na conta


vinculada do trabalhador.

Gabarito (C).

Primeiramente, vale a pena registrar que a “CAT”, citada na


questão, é a sigla para “Comunicação de Acidente do
Trabalho”. Na situação narrada, o empregado encontra-se em
afastamento previdenciário decorrente de acidente do
trabalho, o que caracteriza hipótese de suspensão do contrato
de trabalho (Lei 8.213/1991, art. 60, caput). Apesar de não ter
que que pagar os salários do empregado, nesta hipótese o
empregador continua obrigado a depositar o FGTS do
empregado, conforme disposto na Lei do FGTS:
Lei 8.036/1990, art. 15, § 5º O depósito de que trata o caput
deste artigo é obrigatório nos casos de afastamento para
prestação do serviço militar obrigatório e licença por acidente
do trabalho.

CASO 04

Rogéria, balconista na empresa Bolsas e Acessórios Divinos


Ltda., candidatouse em uma chapa para a direção do sindicato
dos comerciários do seu Município, sendo eleita
posteriormente. Contudo, o sindicato não comunicou o
registro da candidatura, eleição e posse da empregada ao
empregador. Durante o mandato de Rogéria, o empregador a
dispensou sem justa causa e com cumprimento do aviso
prévio. Rogéria, então, enviou um e-mail para o empregador,
dando-lhe ciência dos fatos, mediante prova documental.
Apesar das provas, a empresa não aceitou suas razões e
ratificou o desejo de romper o contrato de trabalho. Sobre o
caso narrado, de acordo com a jurisprudência do TST, analise a
questão e informe se a empresa Bolsas e Acessórios Ltda agiu
corretamente.

R. Rogéria tem garantia no emprego, já que a comunicação, apesar de fora do prazo legal,
foi feita na vigência do contrato.

QUESTÃO OBJETIVA:
Jonas é empregado da sociedade empresária Ômega.
Entendendo seu empregador por romper seu contrato de
trabalho, optou por promover sua imediata demissão, com
pagamento do aviso prévio na forma indenizada. Transcorridos
10 dias de pagamento das verbas rescisórias, Jonas se
candidatou a dirigente do sindicato da sua categoria e foi
eleito presidente na mesma data. Sobre a hipótese
apresentada, de acordo com o entendimento consolidado do
TST, assinale a afirmativa correta

a) Jonas poderá ser desligado ao término do aviso prévio, pois


não possui garantia no emprego.

b) Jonas tem garantia no emprego por determinação legal,


porque, pelo fato superveniente, o aviso prévio perde seu
efeito.

c) Jonas passou a ser portador de garantia no emprego, não


podendo ter o contrato rompido.
d) Jonas somente poderá ser dispensado se houver
concordância do sindicato de classe obreiro.

CASO 05

O empregador Jorge, imotivadamente, manifestou desejo de romper o vínculo empregatício e


conceder aviso prévio ao seu empregado Lauro, cuja remuneração é percebida quinzenalmente.
Nessa situação hipotética, Lauro terá direito a optar pela redução do horário de trabalho em duas
horas diárias ou a se ausentar do serviço por sete dias corridos, sem prejuízo do salário, durante o
cumprimento do aviso prévio?