Você está na página 1de 4

FILME:

ESCRITORES
DA
LIBERDADE
(ABORDAGENS PEDAGÓGICAS)
Douglas Prado Araújo

PEDAGOGIA TRADICIONAL
O filme traz em seu enredo importantes reflexões sobre a educação, bem como a
importância do papel do educador no ambiente em que atua. A professora que protagoniza
o filme inicia suas atividades em uma turma de primeiro ano do Ensino Médio lecionando
as disciplinas de inglês e literatura. Ao chegar na escola, cheia de ideais a serem
repassados, se depara com uma dura realidade, violência, desmotivação, indisciplina e
discriminação. Sua turma era formada por alunos de várias etnias, vindas de uma realidade
social violenta e traziam consigo o estigma da exclusão, também sofrida dentro da escola.
No primeiro contato com os alunos a Senhora G, como passou a ser chamada na
turma, utilizou o método tradicional, não atingindo os alunos que, desmotivados,
apresentavam sérios problemas de disciplina.

PEDAGOGIA RENOVADA
Erin chega em sala de aula com uma proposta de trabalho que se identifica com os
alunos, fala com eles através da música, conhecer cada um deles, no primeiro momento os
argumentos são bizarros, os questionamentos são ofensivos. Profundamente assustada a
professora responde perguntado se vale à pena participar de gangues, e se serão lembrados
pelas atitudes. Nesse instante a primeira semente é lançada, cada um tem a oportunidade de
falar de si próprio, de seus medos, suas angústias, suas mágoas e demasiada violência.
Encontramos nestas cenas a chamada Aprendizagem Escolar, explica sobre a avaliação
diagnóstica, as possibilidades que são dadas aos professores de evidenciar atributos que os
alunos já possuem e identificar potencialidades dos mesmos para utilizá-los na estruturação
do processo de ensino aprendizagem.
Ao manter este contato com alunos, e participando de forma ativa ao mundo deles, a
professora conquista a confiança, desse modo passa etapa de superação das dificuldades,
através da metodologia da escrita em diários, adota um projeto de leitura e escrita baseado
no livro “O diário de Anne Frank”, todos os alunos lêem o livro e a partir deste registram
em seus diários tudo o que sentirem vontade de escrever a respeito da sua vida.

2
PEDAGOGIA TECNICISTA
Com relação ao método tecnicista, não ficou bem claro no filme o desenvolvimento
dessa pedagogia, porém, percebe-se no decorrer do filme que este método é usado, não de
forma destacada, mas de uma maneira intrínseca e perceptível.
No filme a Professora usa o metodo tecnicista da educação escolar organizando o
processo de habilidades e atitudes de conhecimentos especificos, ùteis e necessários para
que o indivíduo se integrem no sistema social global. Seus conteúdos de ensino são as
informações, principios científicos, etc. È materia de ensino apenas o que é redutivel ao
conheciemntos que pode ser observado , os conhecimentos decorrem da ciência objetiva.
Por fim, a introdução de seus alunos no sistema social, obteve um sucesso bastante
agradável, pois não só fez com que aqueles alunos tivessem algo especifico a serem
especializados como também fez com que eles desenvolvessem suas principais habilidades
em forma de artes, como a questão do teatro, da dança, da música e do escritor.

PEDAGOGIA LIBERTADORA
No filme em questão, ficou fácil identificar essa pedagogia libertadora, pois fica
claro que a Professora protagonista ao tentar de forma fracassada repassar seus
conhecimentos no método tradicional, onde o professor é detentor do conhecimento e nada
mais, ela recorre a este outro método, na qual é construído e esquematizado de acordo com
as vivencias dos educandos e sempre em forma de diálogo, através de grupos de discussões.
E tudo isso se da de forma bem claro no filme, pois à Professora G. utiliza dessa
pedagogia para poder melhor explorar a participação de seus alunos, e assim promover uma
integração de forma inclusiva em sua classe. Ela não é tida como uma autoridade
educacional, e sim uma facilitadora, tendo uma relação horizontal com sua turma.

PEDAGOGIA LIBERTÁRIA
Essa pedagogia teve seu destaque durante boa parte do filme. Quando a turma da
Professora Erin teve um grande progresso com a implantação da pedagogia nova, os
conteúdos de ensino não era mais uma exigência nem uma obrigação. Pelo contrario, essa

3
era a nova pedagogia implantada (Pedagogia Libertária), onde os conteúdos são colocados
à disposição do estudante, mas não são exigidos. É apenas um instrumento a mais, porque o
importante é o conhecimento que resulta das experiências vividas pelo grupo.
E isso se deu de forma harmoniosa naquela escola, pois foi feita uma base desde o
inicio desse método, para que os alunos daquela escola tivessem a consciência de tudo
aquilo que lhes seriam passados, acarretando então total sucesso nos conceitos implantados
pela Professora G.

BIBLIOGRAFIA:

Filme: Escritores da liberdade (Original: Freedom Writers) País: EUA/Alemanha -


Gênero: drama. Classificação: 14 anos. Duração: 123 min. Ano: 2007. Direção: Richard
LaGravenese . Produção: Danny DeVito, Michael Shamberg, Stacey Sher. Elenco: Hilary
Swank, Patrick Dempsey, Scott Glenn, Imelda Staunton, April Lee Hernandez, Mario,
Kristin Herrera, Jacklyn Ngan, Sergio Montalvo, Jason Finn, Deance Wyatt, Vanetta Smith,
Gabriel Chavarria, Hunter Parrish, Antonio Garcia